Psicóloga Responde

Dicas úteis para o dia-dia

Como lidar com pessoas insuportáveis

Isto É – 9/4/2009
Edição n° 2056

Dicas de psicólogos para conviver com gente capaz de fazer qualquer um perder a cabeça

Verônica Mambrini Ilustrações Fernando Brum

MIMADOS
Como identificar: são narcisistas, teatrais, dependentes e superficiais. Conseguem o que querem explorando sentimentos como pena e culpa
O que podem causar: sugam o tempo da vítima, provocam desgaste emocional e até prejuízos financeiros O que fazer: imponha limites e não se perturbe com as lamentações

 

Algumas pessoas parecem ter o dom de enlouquecer os outros. Em menor ou maior grau, são capazes de tornar a convivência difícil, até insuportável. Pode ser o chefe autoritário que controla cada passo do funcionário, o amigo que não perde uma chance de reclamar da vida ou o parente que aparece para uma visita e consegue destruir móveis e bibelôs. O fato é que tipos como esses são mais comuns do que se supõe. Mas a forma como as pessoas reagem a eles não. Há quem consiga se defender. Há quem recorra à terapia para superar os traumas do convívio. Com a bagagem dos casos colecionados em consultório, especialistas ensinam a lidar com esses “indivíduos-problema”.

O psicólogo americano Paul Hauck é um exemplo. Há quatro décadas ele estuda os comportamentos neuróticos. Em maio, lança o livro Como lidar com pessoas que te deixam louco. Nele, o terapeuta com mais de 15 obras publicadas decifrou cinco “personalidades” capazes de fazer alguém perder a razão – os controladores, os fracassados, os mimados, os bullies e os desleixados/maníacos por limpeza (leia quadros). “Quando você não constrange quem age de forma irritante e perturbadora, está tolerando esse comportamento”, disse Hauck à ISTOÉ. “Nós só somos tratados do jeito que permitimos.” Segundo o psicólogo, muitas vezes, quem o procura no consultório é a pessoa errada – ou seja, a vítima. “Vários que estão aqui vêm porque os que realmente deveriam estar não aceitam tratamento”, confirma a terapeuta de casais Ana Maria Fonseca Zampieri, de São Paulo.

Os grupos mais perigosos são os bullies e os controladores. “Eles podem recorrer à força física e não se importam com as consequências”, analisa Hauck. “Evite-os a todo custo, a não ser que você seja forte o suficiente para se defender.” A dor aumenta e as consequências psicológicas agravam se o agressor é alguém muito próximo. Foi o que aconteceu com a carioca Luiza Leme. Seu ex -marido a vigiava constantemente. Lia e-mails, mexia em objetos pessoais, violava sua privacidade. “Eu queria dar uma de boa samaritana”, reconhece. “Hoje, sei que limite é saudável”, diz Luiza, que só melhorou quando decidiu terminar o relacionamento.

O bully, valentão que intimida os colegas de escola, tem seu paralelo entre adultos. A designer paulistana Cris Rocha, 30 anos, passou maus bocados nas mãos de um. Ela assumiu algumas contas de um amigo em dificuldades financeiras, como a internet banda larga do rapaz, pois os dois tinham criado um site em conjunto. “Mas ele se tornou grosseiro e começou a fazer cobranças e acusações”, lembra Cris. Depois de dois anos de agressões verbais, a designer criou coragem para se afastar. “A forma de argumentar dele fazia eu me sentir muito mal”, lembra. “Só com ajuda de amigas percebi que o errado era ele.” É importante identificar se as acusações têm fundamento. “Não deixe que os bullies o convençam de que você está sempre errado ou que é um idiota”, aconselha Hauck.

Fracassados, mimados e maníacos por limpeza (ou bagunça, no extremo oposto) causam menos danos, mas nem por isso devem ser ignorados. “Pequenos traumas podem se tornar crônicos”, afirma a terapeuta Ana Maria. A professora de inglês Andréa Oliveira, 25 anos, cometeu outro erro comum: deu brechas demais a um mimado. “Eu me proponho a ajudar os amigos, mas eles abusam”, reconhece. Depois de reconciliar um casal de conhecidos, eles passaram a convocá- la a cada desentendimento, até que ela se recusou a intermediar. “Por causa disso, minha amiga ficou um mês sem falar comigo”, diz. Essa é a estratégia dos mimados: esperneiam, batem o pé, fazem bico. A recomendação da psicanalista Léa Michaan, da Universidade de São Paulo (USP), é deixar claro que ninguém tem obrigação de fazer favores. “Dizer o que pensa, mesmo que seja num tom de brincadeira, é fundamental”, afirma.

Verônica Mambrini Ilustrações Fernando Brum

 

 

Quem convive com pessoas problemáticas também corre o risco de se deixar contagiar, especialmente pelos fracassados, que sabotam a própria felicidade. A estudante paulista Fernanda Espinosa, 25 anos, terminou um noivado depois de sofrer muito ao lado de um. “Com a convivência, percebi que ele era uma pessoa negativa”, conta. O ex-noivo passava os fins de semana dormindo ou vendo tevê, e arrastava a moça com ele. “Vivia cheia de olheiras, de tanto dormir. Estava muito mal”, afirma a estudante. Uma categoria à parte é a dos muito bagunceiros ou pessoas com mania de limpeza, que não são comportamentos ruins por si só, mas podem tornar a convivência irritante. O publicitário paulista Leandro Monteiro, 37 anos, teve de tolerar durante anos os hábitos da mãe. “Hoje em dia acho o máximo poder fazer gestos corriqueiros como atender o telefone ou abrir a geladeira sem ter de lavar as mãos antes!”, explica Leandro, que, casado há quatro anos, pode fazer a bagunça que tiver vontade.

Em muitos casos, é possível tentar a convivência com essa turma de personalidade difícil. “Pois sem conflito não há mudança”, afirma a consultora de carreira Maria da Luz Calegari. Há várias táticas para aprender a lidar com eles e, principalmente, para se fazer respeitar. Se ainda assim elas falharem, é melhor evitálos. Quando não for possível riscá-los da lista de contatos, como no caso de um chefe tirano, por exemplo, o segredo é abstrair. “É preciso não dar tanta importância aos ataques”, diz Léa Michaan. Afinal, ninguém está totalmente imune a deslizes. Nem a pessoas insuportáveis.

 

Anúncios

22 de Abril de 2009 - Posted by | relacionamento humano

125 comentários »

  1. Que bom este artigo, faço LEtras na UFAM e tem um menino insuportável dentro da sala, não é pelo o fato de ele ser gay (assumido) é que é mimado, acho que sofreu muito na adolescencia. Não é um gay alegre e descontraido. É mitido, nojento e preguiçoso!

    Gostar

    Comentar por Fabio | 7 de Maio de 2010 | Responder

  2. Boa tarde,
    Gostei do artigo, mas eu queria ter um bom argumento e saber me defender verbalmente,
    Meu irmão é o mais velho, trabalho junto com ele, tem hora que ele pede para eu fazer alguma coisa para ele mas derrepente ele muda, fica jogando indireta. A loja é da minha mãe mas ele a humilha fala que ela é brega,velha, qqque teeem que mudar o estilo…Etc
    A nossa mãe investiu R$ 100, 000,00 para abrir a loja e chamou ele para fazer ambientação depois de 5 anos ele começou a dividir as coisas falando que “todo mobiliário é dele e as tralhas são da minha mãe” com todo esse drama a minha mãe deu 50% da firma. Mas um salário de R$ 10.000,00 e ele agora acha que é pouco e continua humilhando eu e minha mãe,tudo o que eu faço ele que saber o que que é… Eu não agüento mais… Tudo o que os outros fazem se não passar nas mãos dele é o fim….Quando ele me derrubar na frente de um cliente eu quero ter um argumento plausível… Me ajude…

    Gostar

    Comentar por Lilianne Oliveira | 21 de Outubro de 2010 | Responder

    • Olá Lili querida,
      Realmente se o seu irmão está transformando a sua vida e a vida da sua mãe num inferno, é porque o inferno vive dentro dele.
      Em primeiro lugar não deixe que as palavras dele entrem dentro de você, lembre-se: A boca é dele e ele fala o que quiser, da mesma forma, os ouvidos são seus e você ouve o que quiser. Se você esta pensando que falar é fácil e realizar é dificil, você tem toda a razão: falar é fácil. Mas é a melhor maneira de lidar com pessoas que não nos respeitam.
      Tente ignorá-lo, deixe ele falar com as paredes, e se ele persistir diga: “o cliente merece respeito e atenção, não tem nada haver com a necessidade que você tem em me humilhar. Com licença, continuarei atendendo o cliente”.
      Saiba que o seu irmão está lhe dando uma grande oportunidade de crescer e evoluir.
      Fique firme e não deixe que as palavras destrutivas dele te destruam, e também não seja destrutiva como ele, ele não merece que você desça do seu nivel.
      Boa sorte,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 26 de Outubro de 2010 | Responder

  3. Nossa!! Meu companheiro é bem assim só não sei em que categoria ele se enquedra, acho que de tudo um pouco!! É mimado pois a mãe faz todas duas vontades e quando é contrariado faz birra e quer levantar a voz e vencer no grito e ofensas verbais. Ele é muito problemático ,ansioso depressivo, toma váaaaaarios antidepressivos por dia mas acho que ele pouco evolui. Esta convivência só piorou minha depressão mas graças a Deus estu me tratando e já me sinto bem melhor, até falei para o médico que vou é focar em minha saúde, me fortalecer e analisar realmente se esta relação tem algum futuro…realmente não estou mais tolerando os abusos dele, não é só porque ele está doente que tem o direito de ofender os outros. Graças a Deus me sinto mais forte e estou exigindo respeito!!!

    Gostar

    Comentar por Maroquinha | 6 de Abril de 2011 | Responder

  4. sou casado com uma pessoa extremamente agressiva tanto verbal quanto fisicamente ela nao consegue debater um assunto que parte logo para o ataque ou seja ela nao aceita que ninguem discorde. As vezes eu digo que um leao faminto perde pra ela, fico sempre na defesa para que meu filhinho de 6 (AMOR DA MINHA VIDA)nao veja-nos brigando.

    Gostar

    Comentar por aldo | 25 de Julho de 2012 | Responder

    • Você está casado com uma pessoa realmente difícil de lidar. Ela é a mãe de seu filho e vocês formam uma família. Para preservar esta família o mais feliz possível e inteira você terá trabalho. Acho que é orientações para este trabalho que você me pede.
      Em primeiro lugar saiba que sua esposa esta emocionalmente adoecida e por isto você terá que ser muito cauteloso para lidar com ela. Não brigue para ter razão, mesmo que seja óbvio que você está com a razão, mas entenda que é mais importante a paz e a felicidade do que “ganhar a razão”. Se a discussão não for algo que terá consequências práticas e muito importantes, se for meio tanto faz você “ganhar” a discussão ou ela, deixe que ela ganhe, você ganhará muito mais com isso. Não leve a peito tudo o que ela diz por conta do adoecimento emocional dela. Pense que brigar e discutir leva a destruição, é improdutivo e faz mal.
      Sugiro que sua esposa faça terapia, ela poderá desenvolver o aparelho para pensar e curar o aspecto emocional.
      Paciência é tudo!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 26 de Julho de 2012 | Responder

      • Você está agindo como uma ignorante inocente! Tu já tens casa, filhos e esposo.. é a eles que deves satisfação. Tua mãe ao que se observa não aceita o fato de que mudanças ocorrem devido ao tempo, e como de praxe de pessoas que pensam que precisam ser reconhecidas, utiliza da conhecida chantagem emocional e vitimismo contra suas iscas. A opinião de tua mãe quanto ao teu marido, família e decisões atuais tuas é assunto que não lhe diz respeito algum, ela quem lide com isso. Não é obrigação alguma tua cuidar dos problemas de uma mãe adulta e ascendente, muito menos aceitar opiniões particulares provindas da parte dela. Isso não é ser egoísta, e sim ter decisão sobre tua vida atual. Uma coisa é oferecer assistência, outra coisa é dar continuidade na tua própria vida.

        Gostar

        Comentar por Guilherme | 10 de Março de 2017

  5. acabei de ler este artigo.bom meu problema e com minha mae e tbm meu esposo.2pessoas possessivas e autoritarias,minha mae sempre trabalhou quando eu e meus irmaos eramos pequenos, e, ela nao suportava se mandada por ninguem entao resolvel cuidar 3 filhos sozinha e deixava agente com qualquer pessoa.sofremos mt,com ausencia dela e de um pai,enfim os 3 cresceram,casaram,mas minha mae vive para nos praguejar.odeia as noras e meu esposo.eu nao trabalho cuido de meus filhos ,casa,marido.e ela sempre me diz que nao sou como ela,uma batalhadora,que vivo a custa de homem e que ela nunca precisou disto.eu nao sinto a falta dela e tambem nao gosto de ir visita la,porque toda vez que eu ia visita la ela sempre falava mal de alguem e pra falar a verdade me sinto mal por esta agindo assim,ela ja esta de idade e sei que preciso ajuda la.ja levei no medico ele passou um calmante pra ela,ja chamei pra morar comigo,ela me falou que vem com a condiçao que meu esposo saia da casa.meu esposo tambem e dificil de lidar,tudo tem que estar debaixo do controle dele,eu o suporto porque o amo , pela FORÇAS DE DEUS,e por meus filhos.ele e um excelente pai,meus filhos o amam e ele cuida mt bem de nossos 3filhos.e eu sei o quanto um pai faz falta.minha mae vive me cobrando ,me liga todos os dias e diz a famosa frase;quando eu morrer nao chore por mim.e ela me faz me sentir um mostro.minha mae e meu esposo nao se falam.nao estou me colocando como a coitadinha,mas gosto da minha vida de dona de casa,mae,esposa.gosto de fazer o melhor para minha familia.como posso ajudar minha mae ?

    Gostar

    Comentar por paula | 4 de Setembro de 2012 | Responder

  6. Parabéns, esse artigo ajudará muita gente. Se possível gostaria que me ajudasse, meu problema é o seguinte: tenho um filho de 8 anos (Levi) ele é uma criança tranquila, se dá bem com todos os coleguinhas não tem nenhum problema na escola. Porém, tem um primo de 11 anos (Nycolas), a qual ele gosta muito, mas,o Nycolas é aquele tipo de criança que gosta de chatear , ele procura o ponto fraco de Levi e começa a implicar com a criança o tempo todo e se houver outra crinaça da idade dele ele isola completamente Levi. Já instruí meu filho a ignorá-lo, e não ligar para as brincadeiras dele de mau gosto, já busquei pontos fracos dele pra Levi também chateá-lo, já pensei até em nos afastar,mas são primos muito próximos ele é filho do meu irmão, e em todo evento estamos juntos. N
    o entanto, meu filho está sofrendo, ao ponto de me dizer que o primo não gosta dele e quando vamos sair ele logo me pergunta: ” Mãe , Nycolas vai? Ai meu Deus!!!” Então, percebo que essa amizade não está fazendo bem a Levi o que devo fazer pra ajudar meu filho?

    Gostar

    Comentar por Jomara Almeida | 3 de Junho de 2014 | Responder

    • Você está identificada com o seu filho e tomando as dores dele, isto é normal. Em algum momento longe do Levi, diga ao Nikolas que as coisas que ele faz para o Levi magoam muito o seu filho. E repita de forma afetuosa e acolhedora o que ele não pode mais fazer com o Levi. Isto pode ajudar,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 3 de Junho de 2014 | Responder

  7. O meu problema é minha sogra,Ela é manipuladora,falsa e ainda por cima se mostra frágil diante do filho único(por sinal meu marido).Ela tem 85 anos e diante das pessoas se apresenta como sofrida,triste,etc.Só quem convive diariamente dentro de casa com ela sabe do que ela é capaz.Sou a única pessoa que ela tem para cuidar dela,e como não tenho o dom da maldade,da falsidade jogo limpo com ela e cuido realmente dela,pois jamais quero fazer algo para prejudicá-la.Quando está sózinha comigo se mostra o tempo todo alarmada,mostra claramente que não gosta de mim.E perante as pessoas muda de comportamento.Fala mal de mim e tenta criar situações mentirosas de mals tratos para as pessoas e muitas vezes ela consegue.Sinto que estou um pouco doente com esta situação,meu marido trabalha fora e não sabe de nada.Para preservá-lo prefiro omitir os fatos.minhas filhas presenciam tudo e sabem a vó que tem.Ela chegou ao ponto de usar produtos de limpeza em suas roupas para manchá-las e me culpar.Ela retribui o bem que faço á ela com maldades.Tem explicação para pessoas como esta?

    Gostar

    Comentar por CMFS | 21 de Julho de 2014 | Responder

    • Sim, são pessoas que precisam se fazer de vítima. O personagem que elas escolhem ser na vida é de vítima. A sua sogra sente que você roubou o filho dela e precisa mostrar para todos que você é a bandida e ela a vitima. Não leve a peito e veja o lado cômico da historia, não vale a pena brigar nem discutir.
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 22 de Julho de 2014 | Responder

    • Eu tenho é pena dela com essa idade deveria está se preocupando com a salvação. Quanto a vc continue fazendo o bem , pois as trevads não vence a luz. É o mal por si se destrói.

      Gostar

      Comentar por Ana Cristina | 2 de Maio de 2016 | Responder

  8. o problema é com minha namorada:não sei mais o que fazer:mesmo estando fora da epoca de tpm,em dias normais,basta ela ficar chateada com qualquer outra coisa ela desconta tudo em mim e o pior ainda por mensagem de celular:se eu fico quieto,ela me ataca com palavras, tento ser compreesivo ao ponto de nem encontra-la quando ela esta brava,isto a pedido dela mesma.se eu ofereço meus ouvidos para ouvir tudo que ela tem a dizer,ela fala que não quer um homem para ouvir e sim para enxugar suas lagrimas,se vou encontra-la para dar carinho ela fala que não quer me ver.ela adora sexo,mas qualquer desentendimento me joga na cara e fala que eu to com ela só por sexo.mas quando ela ta menstruada,ela diz que prefere não me ver pois não tem jeito de transar.acabo pedindo desculpas sem nem saber pelo que.tem dia que do nada,ela manda mensagem reclamando de alguma coisa.não sei mais o que fazer:ela fala o que pensa não importando a quem magoe.só não terminei com ela pois a amo demais.se tento conversar com ela pessoalmente para chegar a um acordo ela se recusa. o que ta me cansando mais é o seguinte:ela começa a reclamar de tudo e de todo mundo e na hora ela não briga,mas é ela sair de casa ela começa a brigar por sms.

    Gostar

    Comentar por anonimo | 28 de Julho de 2014 | Responder

    • A sua namorada transformou você no depositário das frustrações dela! Os pensamentos dela procuram motivos pra ela sofrer isto é sinal evidente de que sua namorada é masoquista. Ela precisa fazer terapia com urgência!Porque a mente dela faz ela sofrer muito a ponto de não caber nela e ela precisar infernizar a vida de quem está mais próximo dela, ou seja você! Não sei até quando você vai aguentar conviver com uma mente assim. Pro bem dela e das pessoas que convivem com ela, está na hora dessa moça procurar terapia para se conhecer, se perceber e mudar a visão que ela tem do mundo, da vida, do outro e de si mesma. É tudo coisa da cabeça dela que precisa de terapia com urgência!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 29 de Julho de 2014 | Responder

  9. Olá, tudo bem. O meu problema é com o meu irmão. Eu tenho 20 anos e ele tem 16. Ele sempre foi muito agressivo e sempre deu um de valentão. Nos somos muitos diferentes, eu gosto de estudar, de ler livros e escutar boas musicas. Ele já é ao contrario, não gosta de estudar, escuta musicas que não acrescentam nada e ainda por cima fala muitas gírias. O problema é que ele pega as minhas coisas emprestado e quando vai devolver, me devolve estragado. Quando eu vou perguntar ele, ele mente e tenta revidar com agressividade e com palavras de baixo calão. Eu não sei o que fazer mais, pois eu divido o mesmo quarto que ele. Ele sempre foi assim, e eu já estou vendo que com o passar dos anos ele está se tornando mais valentão e sempre me enfrenta. Ja conversei com os meus pais a respeito disso, mas ele não tomam nenhuma atitude perante isso. O que eu faço? Tem alguma forma de ignorar a pessoa a ponto dela perceber e pedir perdão?

    Gostar

    Comentar por Junior | 29 de Julho de 2014 | Responder

    • Olá Junior, parece que vocês são muito diferentes e precisam compartilhar o mesmo espaço, e isto é mesmo difícil. Sugiro que você coloque uma chave em suas gavetas ou armário para que ele não pegue suas coisas sem permissão. Lá você coloca o que é mais precioso pra você. E quando você quiser sossego procure um lugar na casa em que possa se sentir melhor. Agora, o quarto de uma pessoa representa o universo dela, o lugar para relaxar, ficar a vontade, se relacionar com os objetos da cultura, enfim, você precisa desse espaço e o seu irmão também. Diga isso a ele e não entre no jogo de valentão que ele instiga, fale de forma mais adulta e madura, saia de perto dele quando ele te incomodar. Procure um espaço na casa em que você possa ficar tranquilo, vale o quarto de seus pais quando eles não estão, a sala, enfim…
      Um pouco de paciência porque o seu irmão vai crescer,
      E lembre-se quanto menos você brigar com ele, e investir em discussões, mesmo ele vai te incomodar,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 31 de Julho de 2014 | Responder

      • Lea. Muito Obrigado pelos seus conselhos e dicas. Que Deus abençoe grandemente o seu trabalho e sua vida profissional. Um grande Abraço

        Gostar

        Comentar por Junior | 31 de Julho de 2014

  10. Gostaria Muito de saber o que fazer com meu marido, ele é dominador, autoritario, possessivo, agressivo, manipulador e mimado. Uma pessoa de um temperamento extremamente dificil, a ponto que a mae dele tem pavor em pensar em voltar a morar com ele. o que me causa estranheza é que hoje ele não é mimado pela mae. talvez tenha sido um dia mas para o pai ele é sempre coitadinho. Agradabillissimo inicialmente e a um primeiro contato. Não gosta de fazer nada que envolva outras pessoas além de nos 2. Ele é estranho, desconfiado, vive escabreado e me acusando o tempo td. tenta me controlar e me afastar de td e so quer me exigir as coisas mas n quer fazer. eu tambem sou uma pessoa dificil, autoritaria arrogante quando irritada e fiquei intolerante. No inicio eu fazia que não estava entendendo, ouvindo ou deixava os animos se acalmarem, fui a mulher que meus ex n tiveram e percebi que ele abusava desse meu comportamento. Hoje sempre o confronto, n abaixo a cabeça e nem atendo mais os seus mandos e desmandos, o que não ajudou tbm. Agora estou lhe tratando com desprezo e indiferença, o q tambem n mexe muito com ele, sendo q o problema é q n estou fingindo para ele melhorar é pq já esta chegando a esse ponto mesmo. A unica coisa que nos mantem, pelo menos a mim, é o sentimento q tenho por ele mas gostaria q ele soubesse que eu não sou um objeto inanimado q ele faz o q quer, eu tenho vontades tbm.. Como lidar com esse homem das cavernas?

    Gostar

    Comentar por Fran | 8 de Abril de 2015 | Responder

    • Você precisa ser muito perspicaz! Você terá que fazer de um jeito que ele pense que quem manda é ele. No entanto, este homem precisava de terapia! Pra viver bem com ele você precisa ser esperta e fazer ele sentir que é ele quem manda, ou se submeter, ou ele precisa mudar!

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 14 de Abril de 2015 | Responder

      • Obrigada pela atenção, e vou tentar enquanto não consigo convence lo de uma terapia, seguir seu conselho e deixar ele acreditar q manda em td.
        Acho q assim pode dar certo, pois td vez q ele acha q ta mandando em algo ele fica melhor.

        Gostar

        Comentar por Fran | 14 de Abril de 2015

  11. oi eu preciso de ajuda!
    um garoto da minha turma so me encomoda. ele faz provocaçoes e fica me jogando bolinha de papel. teve uma vez que eu nao aguentei e por impulso qase acertei um soco na cara dele porque na hora ele desviou. eu to ignorando isso mas ele e os amigos dele começam a me irritar, cutucando toda hora ou fazendo brincadeirinhas de mal gosto. a minha saude é um pouco delicada, eu nao posso me estressar muito. queria que voce me ajudasse a me defender verbalmente pois muitas vezes me vem o impulso de ir ate lá e bater neles. nao quero que as coisas piorem e continuem assim pois ja disse minha saude é delicada e tem professor que ve isso e nao faz nada.
    por favor me ajude.

    Gostar

    Comentar por Natielly Gernhardt | 3 de Junho de 2015 | Responder

    • Que garotos infantis e imaturos! O melhor que você pode fazer é ignorar totalmente, inclusive na sua mente, na sua alma e no seu coração. Se eles perceberem que você ficou irritada eles não vão parar, mas se você demontrar que não tá nem aí porque tem coisas mais importantes para se preocupar, pode ser que eles parem. Se eles continuarem e isto te irritar muito, procure a coordenação ou a psicóloga da escola.
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 4 de Junho de 2015 | Responder

  12. Sou divorciada a mais de 11 anos , e venho mantendo minha casa com muito trabalho, aliás é só trabalho. Tenho uma filha que está com 27 anos e para o meu desalento ano passado engravidou de um relacionamento casual, teve o bebê, foi o maior sacrifício p ele chegar porque tenho poucas possibilidades financeiras. Mas o que interessa mesmo é que ela não é muito responsável com as coisas do bebê hoje com 1/3 meses ( lindo bebê) e com as coisas dela , tento falar explicar dou carinho conforto por não ter a ajuda do pai do bebê e etc… Só que de algum tempo para cá ela vem com muita agressividade pra cima de mim aos gritos , muitas vezes pra não piorar fico quieta, só que no ultimo dia 23 de maio , discutimos , eu furiosa com as palavras dela p mim joguei um copo no chão de raiva mesmo, aí tudo piorou !!!! ela disse que pegaria um caco de vidro e ia se machucar p chamar a polícia e dizer que tinha sido eu; eu estava com meu celular na mão e disse que eu iria chamar a polícia!!! Então ela partiu pra cima de mim aos gritos cravou as unhas em meu braço tirou o celular e o arremessou contra a parede, acabou com ele, quebrou mesmo, sem contar os arranhões e sangrou as unhadas; não tive forças para reagir a agressão , tenho 56 a. e sou cardíaca . Meus vizinhos ouviram e chamaram a polícia , eu chorava muito sem acreditar do ocorrido inesperado , nunca imaginei minha filha reagindo assim comigo, os policiais me aconselharam a fazer B.O , mas ela iria responder criminalmente. Sabe como é coração de mãe! não fiz; agora me sinto inútil aqui dentro, ando calada , magoada ainda dói muito . Pedi que me desse outro celular, resp. __ Não posso se vira. :(. O que eu faço??? sumo daqui e deixo ela se ferrar , ela não tem condições de se manter sozinha de jeito nenhum…. Mas o que mais me incomoda é ter que olhar p ela todos os dias , e lembro do ocorrido , está difícil… Me de um conselho por favor, tenho vontade até de morrer de tanta vergonha do que criei , não pode ser minha filha que tanto ajudo!!! Desculpa o texto enorme. Grata Shirley

    Gostar

    Comentar por shi2609! | 6 de Junho de 2015 | Responder

    • Você merece receber todo o respeito por parte de sua filha. De fato, esta menina passou dos limites. Agora que ela tem 27 anos, será difícil “torcer o pepino” (é de pequeno que se torce o pepino), no entanto, ela precisa saber que te magoou e que ela passou dos limites. Ela precisa ter a consciencia pesada e procurar reparar o mal que te causou. Para isso mantenha-se fria com ela, não tenha piedade, mostre a ela sem palavras, mas na sua maneira de ser, nos seus gestos que você está magoada. Seja carinhosa com a bebe e dirija a palavra para ela o menos possível. Procure manter esta postura até ela pedir desculpas e se ela perguntar o que você tem, diga que esta muito triste e magoada com ela e não prolongue o assunto, afaste-se dela. Sei que será difíci pra você manter esta postura, no entanto é necessário para ela perceber que o jeito dela pode destruir o relacionamento.
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 7 de Junho de 2015 | Responder

  13. Achei esse texto pois eu estava procurando algo que desse uma luz ao meu caso!
    A madrinha da minha filha (5 anos) que é minha amiga de infância, tem uma filha de 10 anos, que é extremamente problemática, sempre foi negligenciada pelos pais e extremamente mimada pelos avós maternos! É o tipo de criança que sempre teve tudo de melhor em se tratar do material ($$) mas nunca teve limites, atenção e nem educação! E por tudo isso ela é extremamente insegura e não suporta ver a minha amiga que é madrinha da minha filha, a tratando com carinho, por isso, todas as vezes que nos encontramos, ela trata muito mal a minha filha, xinga, faz ameaças, provoca, se eu tirar um segundo da atenção ela bate, empurra, etc… E mesmo quando a mãe e os avós estão vendo, ninguém nunca repreende, apenas dão risada e dizem que a menina é muito ciumenta! Enfim….sempre fica um clima muito ruim, uma situação extremamente constrangedora… Só que eu não suporto mais essa situação, já disse a minha amiga que a filha dela precisa de ajuda psicológica, pois é evidente que não sabe lidar com as próprias emoções, mas ela como é negligente e orgulhosa, não me dá ouvidos. Não sei mais o que fazer, pois não quero estragar com essa amizade de infância!
    Agradeço se puder me contactar!

    Obrigada!!!
    Abraços!

    Gostar

    Comentar por Maizinha | 24 de Julho de 2015 | Responder

    • Converse com a sua filha e diga para ela que a menina de 10 tem ciumes. Que é um sentimento normal, todos nós temos. quando a gente sente ciumes a gente tem a impressão que estão roubando a pessoa que a gente gosta de nós. Assim sua filha pode entnder melhor porque cada um é responsável pela educação do seu proprio filho. Quanto mais você puder conversar e ajudar a sua filha a compreender a situação, melhor.

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 26 de Julho de 2015 | Responder

  14. Bom dia. Achei muito interessante o artigo.
    Minha mãe está insuportável. Ela me controla o tempo todo, o que eu faço ou deixo de fazer, e qualquer motivo serve para ela brigar, nada está bom, não posso sair de casa, nem para visitar meus avós que já é um caos, não tenho vida.. Não gosto de brigas, mas tem horas que não aguento pois parece que ela tem o prazer de me tirar do sério, e se eu retruco é briga se eu não falo nada ela briga também. A situação na minha casa está insustentável. Tento fazer de tudo para agradá-la, tudo que ela me pede procuro fazer mas mesmo assim nada está bom, se não é da forma dela tudo desanda. É como se ela quisesse viver minha vida.
    Não sei mais o que fazer, pois não quero viver brigando com ela.

    Gostar

    Comentar por kami | 14 de Agosto de 2015 | Responder

    • Provavelmente a sua mãe está carente e obsecada por você. Ou seja, ela espera que você dê conta de sanar toda carencia afetiva dela, quando seria saudavel ela transitar e alimentar-se afetivamente de diversar pessoas: amigos, familiares, elementos da cultura, etc… Ela transformou você na depositária das frustrações dela. Provavelmente ela sente ciumes de você e é possessiva, sente que é a sua dona. Procure não cair nas chantagens emocionais que ela faz com você e não se sinta culpada. Dê um beijo, um abraço, tente conversar sobre isto com ela, mas vá ser feliz e curtir a sua vida!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 16 de Agosto de 2015 | Responder

  15. Ola Li seu artigo e gostei bastante pois minha mãe se encaixa perfeitamente nesse perfil de pessoas agressivas e controladoras. Gostaria de saber o que fazer como lidar com ela segundo o perfil dela que seria: Uma pessoa que se isola de tudo e todos não possui amigos hj ela cuida do meu sobrinho e acha que é filho dela coloca uma possessividade nele onde ele nao esta conseguindo formar a personalidade dele se sente sufocado ele tem 6 anos onde esta tendo problemas no colegio onde colegas o oprime e ele não reage. Quando falamos para minha mãe sobre o modo dela ser ela fica agressiva argumentando que a educação dela de sufocar é a correta. Não tomamos a atitude de tira-lo dela pois sei que seria pior ela tem quadro de depressão o que poderia acarretar em uma atitude extremista por parte dela sobre ela propria. Enfim gostaria de saber como argumentar lidar com ela mostrando que seu “mundo” nao é o correto. P.S. ja tentamos leva-la ao um especialista porem se nega. Bem seria isso agradeço sua atenção desde ja . Abraços

    Gostar

    Comentar por Cristiane Santos | 24 de Agosto de 2015 | Responder

    • É muito difícil mudar uma pessoa que não reconhece que possui suas falhas e que não quer mudar. No entanto, vocês não podem cuidar da mãe comprometendo o bom desenvolvimento do neto. Será preciso uma conversa muito sincera, acolhedora e compreensiva com a sua mãe abordando principalmente a questão que o meio social dela não pode ser o neto de seis anos, porque isto não é saudável nem pra ele é muito menos para ela. Este menino precisa de espaço para desenvolver a capacidade de se defender e fazer por si mesmo, se alguém faz tudo por ele ele não se desenvolve satisfatoriamente. Análogo ao casulo que precisa fazer esforço para tornar-se borboleta, se alguém ajudar a abrir o casulo, as asas não se desenvolvem e o casulo se torna apenas um projeto de borboleta para todo o sempre. E a sua mãe precisa ocupar o tempo realizando cursos, trabalhos voluntários, encontros com pessoas da idade dela, viagens, etc.
      Boa sorte,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 27 de Agosto de 2015 | Responder

  16. Ola! Penso que foi Deus quem me direcionou até aqui…. Tenho 33 anos e minha irmã 29. Há anos sou vítima de seus maus tratos, humilhações e até brigas físicas que precisam ser mediadas por meu irmão. Eu a amo demais, não guardo mágoas, mas ela me humilha o tempo todo, diz que sou invejosa, que vou morrer sozinha( pa ela vai casar), que sou burra, um lixo, e que não sirvo pra nada…. Me chama de maluca! Não temos minha mãe mais que morreu num acidente de carro, e cuidamos de minha avó por 10 anos por conta do Mal de Alzheimer. Me sinto muito sozinha, e queria os que amo de volta. Minha irmã e eu dividimos um carro, mas que está no nome dela, mas pago com ela todas as despesas, porém ela usa muito, eu vivo a pé debaixo do sol e chuva…. Mas agora nem ao trabalho ela está querendo me levar pela manhã, pé depois ela fica com o carro. Nós discutimos, eu joguei na cara dela que ela tinha nojo de trocar fraldas da minha amada avó, mas depois trabalhando na área da educação teve que o fazer p estranhos. Ela não aprende com a vida! Tenho muitos defeitos, e sempre que ela me aconselha, tento melhorar, mas há anos tem sido insuportável nossa convivência. Tenho um irmão caçula, de 27 anos q tenta ajudar como pode, mas tbm teme as agressões verbais e físicas dela. Como os dois estão em situações financeiras melhores q a minha, ela me humilha, fala que sou um estorvo, por mais que eu dê meu sangue p melhorar. O que faço qdo ela se recusar a me levar trabalhar? Ou quando começa a me ofender? Sempre choro escondida e estou pensando em me matar, porque nada mais me prende aqui na Terra. Tenho sonhos tbm e gostaria que ela vendesse o carro para eu realizá-los. Mas ela disse que nunca! Desde pequena ela já batia muito em mim, e sempre foi autoritária na escola,com família , namorado e amigos. Estou muito perdida! Gratidão!

    Gostar

    Comentar por Larissa Menon | 27 de Setembro de 2015 | Responder

    • Isto não é vida! Você precisa ter algumas compensações, fazer coisas que te dão prazer pra compensar as coisas duras da vida. Em primeiro lugar procure não absorver as palavras destrutivas de sua irmã. Deixe-a falar sozinha, como se fosse um barulho, uma britadeira. Nem responda, nem deixe-se afetar. Depois faça algo bom para si mesma: caminhadas, contato com a natureza, cultura, enfim, coisas que te dão energia boa. Procure pensar no que você pensa, ou seja, discrimine pensamentos que te fazem bem dos pensamentos que te fazem mal. Evite os maus e invista nos bons. Procure encontrar elementos na sua vida que te fazem se sentir grata: você é perfeita, pode andar, ver, ouvir e se proporcionar que tipo de prazeres? A vida é muito boa para você jogá-la fora só por causa de uma irmã sádica.

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 29 de Setembro de 2015 | Responder

  17. Eu tenho uma “amiga” que é realmente insuportável. No começo ela era legal e tudo mas agora só sabe enxer meu saco e me criticar. vive dizendo “vc é muito lenta”, “vc nunca conversa, to cansada já”, “vc n faz nada”… -.- sinceramente, já perdi a paciência. tudo o q eu faço pra ela tá ruim. n sei o q dizer pra ela pq n quero mais essa amizade, se é q se pode chamar assim.

    Gostar

    Comentar por vitoria | 28 de Outubro de 2015 | Responder

    • Afaste-se dela. Não telefone e quando ela te chamar para sair encontre pretextos para não sair com ela. Assim ela vai se tocar e aos poucos se afastar.
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 1 de Novembro de 2015 | Responder

  18. Boa noite ! Gostaria se possível de uma orientação. Tenho uma mãe dominadora, adora brigar. Faz isso constantemente. Envolvendo uma vizinha (que não me suporta) , minha irmã e eu. Tenho 52 anos, solteira (moro com minha mãe) e namoro uma pessoa de 69 anos. E até o momento não podemos morar juntos. Porque minha mãe se recusa a viver sozinha. Minha irmã é casada e protegida pela minha mãe. O que devo fazer ? estou vivendo um inferno. Sem perspectiva. Agradeço muito. Um abraço.

    Gostar

    Comentar por Silvia Mariotti (por favor , não publique meu nome . Agradeço muito sua orientação. | 24 de Novembro de 2015 | Responder

  19. Sem palavras para esse artigo, cansei de conviver com esses tipos ai em cima, tão cansada a ponto de dar um tempo na convivência social, pois de uns 4 anos pra cá, cansei de ser a boazinha e engolir, pessoas me manipulando, chateando, entristecendo, por conta disso, me auto estima é baixa, vivo lutando toda hora, pra me colocar pra cima, sorrir e seguir em frente, amanhã tem mais um dia lindo pra viver, enfim ninguém pra te fazer sorrir, hoje, se eu conviver e ficar indignada com algo, falo na cara, com isso vc arruma inimizade, pessoas cruéis, que não conseguem enxergar o quanto fazem mal para o outro, , enxergar o quanto não conseguem ser agradáveis, aquelas pessoas que vc queria poder dar um abraço, conversar como amiga, ter na sua casa, sem que te irritasse.. etc, pois é, essa pessoa pra mim não existe. Aprender a lidar, sem me tirar do sério, ainda não aprendi, mais afastar sim…, não faço questão da presença. Nem sinto falta mais, pessoas sem DEUS, fica impossível de conviver, almas vazias, a gente perdoa, mais não precisa ter do seu lado. “encontrar pessoas que não causem sofrimento está dificil” sou feliz assim, o que faltou pra mim de pais, estão vivos, mais pra mim, não tem conteúdo algum, atituldes inacreditáveis, são exemplos negativos pra mim, fizeram eu os anular como pais, mais DEUS me deu um excelente marido, e um filho simplesmente maravilhoso, os dois me trazem a alegria, eles que arrancam o sorriso do meu rosto, são minha vida e o ar que respiro, essa é a verdade!

    Gostar

    Comentar por Alice | 22 de Janeiro de 2016 | Responder

    • Agradeço o seu depoimento.
      Muitas pessoas poderão aprender com a sua experiência. Você sofreu na família de origem, mas em compensação construiu uma bela família nuclear. Não podemos perder a esperança em nós, mesmo que o mundo pareça ser hostil e árido,
      Um grande abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 2 de Fevereiro de 2016 | Responder

  20. Olá minha história é o seguinte tenho um irmão mais velho ele tem 32 anos e eu tenho 30 anos,meu irmão nasceu com problema auditivo e com má formação nas mãos,mas já foi operado das mãos e usa aparelho auditivo então consegue escutar graças a Deus.o problema é que tanto minha mãe quanto meu pai tratou ele como se ele fosse doente e não pudesse fazer as coisas,hj meu pai não é mais vivo,minha mãe tem um salão de beleza e eu trabalho com ela meu irmão com 32 anos até hj não tem uma profissão vive as custas do trabalho da minha mãe a única ocupação dele é atender o telefone para marcar horário para as clientes ele se acha superior se acha gerente do salão mas fica o dia inteiro sem fazer nada e pior não da valor ao dinheiro gasta com qualquer coisa não se cuida deve estar pesando uns 120 quilos com 1,70 de altura, mas minha mãe não encherga e acha tudo normal,ele chinga ela e mesmo assim ela faz tudo por ele, da mesma forma q perdi meu pai posso perder minha mãe, penso em mudar de profissão.e sair do salão pois qdo minha mãe faltar vai sobrar p mim ter q sustenta-lo e não tenho filho muito menos desse tamanho, ele tem se tornado uma pessoa chata de difícil e dar e muito anti social não sai de casa nunca namorou não tem amizade si vive no sofá vendi TV engordando

    Gostar

    Comentar por Daniela gardin | 4 de Fevereiro de 2016 | Responder

    • Você precisa cuidar da sua vida. Procurar a sua vocação, ir em busca do seu devir, de realizar aquilo que te realiza e preenche a sua vida. Não pode se anular para cuidar do seu irmão. Sim, podemos ser altruístas e generosos, mas não podemos nos anular pelos outros.
      Seja feliz, quanto ao seu irmão, sua mãe poderá encontrar alguma clínica, para ele no futuro,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 7 de Fevereiro de 2016 | Responder

  21. Oi P resciso q m ajude mesmo tenho um vizinha q não para d m ofender do nada mesmo eu encomoda por existo já nos agredidos ela avança em mim eu m defendo pergunto por q ela não responde hoje agora pouco passou perto e m ofendeu pior q não entendo o por q é ela não fala m olha com tanto ódio q parece q ta sentido dor m ajude pensei em mudar mais não tenho condições está realmente insuportável ignorar não adianta ai q ela fica irada m ajude não fico nada bem m pegando em briga com ninguém m ajuda por favor

    Gostar

    Comentar por Fabiana macedo | 22 de Março de 2016 | Responder

    • você está diante de uma oportunidade de desenvolver a capacidade de ignorar. Sabe quando você escuta a britadeira na rua? Não tem o que fazer. È um barulho irritante, mas você não fica ofendido porque sabe que não é algo pessoal. A mesma coisa você deve fazer com esta vizinha. Ela está projetando algo dela, ou de outra pessoa sobre você. Procure agir como se ela fosse uma britadeira. Este é um exercício diário e você vai desenvolver esta capacidade aos poucos, não é do dia para a noite! Seja perseverante e paciente,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 22 de Março de 2016 | Responder

      • Fabiana, tenho uma vizinha não muito diferente da sua. E ainda por cima ligava o som no último volume para nos provoca,, ja quis tb mudar daqui por causa dela. E como diz a dra, ignorar é a melhor estratégia, e agora estou em pa,, não dou atenção pra ela e eu e minha família vivemos tranqüilo.. E não é da noite pro dia um processo demorad,, não é uma pessoa que se da com a vizinhança toda. Isso ja ajuda VC entender que o problema esta nela e não em vç. Muita paciência e perseverança que VC vai vence…

        Gostar

        Comentar por Sonia Regima | 13 de Julho de 2016

  22. Minha mãe e mt implicante , em todos os lugares que agente morou ela implicou com alguém moramos 6 anos em um lugar e ela implica com o vizinho Af ridícula meu deus

    Gostar

    Comentar por Micaella | 8 de Abril de 2016 | Responder

    • É difícil para você… Ela precisa implicar!
      É só te resta não sofrer tanto com as implicações dela!

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 6 de Maio de 2016 | Responder

  23. Eu vivo e dependo com a minha mae, e, sinceramente, n tou conseguindo. Qnd tou na sala a ouvir musica, vai la e ameaça-me q se eu n sair, q me tira o pc; se me chateio com ela pq eu lhe pedi algo e ela diz q faz, e no final n acontece nd, eu tento afastar-lhe, e dar-lhe tempo, e ela vem ter comigo implicando, e me ameaçando q me vai deixar de dar mesada, q nnc mais posso sair, se eu quero privacidade, n me a dá; se o dia correu-me mal e n me aptece flr sobre isso, insiste pra eu falar e volta ás ameaças.. E eu se n fizer as cenas, claro, sofro com as ameaças dela…
    Até já cheguei ao ponto, de 20 PESSOAS dizerem q eu e q tenho razao, e n fiz nd de mal, e tenho de lhe pedir desculpa, SEM TER FEITO 1ª unica coisa!! E nunca chegou ao ponto de me pedir desculpa… NUNCA!! Eu sei q ela, uma vez por outra, até me pode arrumar o quarto, ou quê, mas isso n e desculpa para aceitar as mentiras dela!! Claro q n ia fazer isso, mas se fugi-se, ia ter mta pena dela!! E veja lá: eu tenho pena, e ela n!! Até me pd fzr mtas vontades, mas indiretamente, eu faço-lhe mais, e qm me dera q ela mas fizesse a mim!! Claro q se ela quizer conversar eu digo-lhe q n aptece e dps falamos e qnd é ela, so pra me ver sofrer, diz q n pode, q ta mt ocupada e começa a dar desculpas. Já fiz o mesmo, a ver se ela gostava, e ela tirou-me o telemovel. Já fiz td oq ela quiz, e n tive tmp pra mim… Tentei td e n consegui!! Claro q eu, enervada, mando 1ª boca ou outra, ja ela, manda umas 20… E dps, so n lhe digo isso, pk ela nega, e so me vou tar a chatear, enquanto ela, diz, e n e so uma vez… Ajude-me pf, n sei mm oq fzr!!

    Gostar

    Comentar por Alicia Fernandes | 9 de Maio de 2016 | Responder

    • Existem mães que sentem compaixão pelas filhas, e querem o bem, ajudam, cuidam e até mimam, no entanto, existem outras mães que sente-se donas das filhas, que se vingam daquilo que sofreram nas filhas, fazem as filhas pagarem o pato da falta de amor, falta de carinho, desatenção e negligência que viveram quando eram filhas.
      Não se sinta culpada por sentir-se revoltada, decepcionada e frustrada com a sua mãe.
      Seja mãe de si mesma, cuide-se, não deixe que a desatenção que sua mãe faz com você destrua a sua auto estima. Prove para sua mãe, para si mesma e para o mundo que você vai conseguir superar e crescerá vida,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 14 de Maio de 2016 | Responder

  24. e eu dependo dela

    Gostar

    Comentar por Alicia Fernandes | 9 de Maio de 2016 | Responder

    • Esforce-se para se tornar independente e se libertar do sofrimento que ela te causa,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 14 de Maio de 2016 | Responder

  25. Boa noite gostei do artigo e eu falo é sobre o meu marido
    Ele é do tipo de gente que na rua ,e na aparência não parece ser ,mas é uma peasoa insuportável mas em casa tudo fica provocando , e reclamando e isso já deixou o nosso filho de onze anos nervoso !
    Não sei mais o que fazer !!

    Gostar

    Comentar por Lívia Laurentina da cruz | 23 de Maio de 2016 | Responder

    • Converse com o seu filho. Diga a ele que o pai tem sentimentos ruins que ficam circulando dentro dele e que transbordam, e por isso o papai fala coisas ruins para ele. Diga para o seu filho não levar a sério as coisas ruins que o pai diz, ele fala isto porque estas coisas ruins estão dentro e precisam sair, e com a família ele consegue tirar isto de dentro. É parecido com o que acontece com a gente quando a gente precisa vomitar. Reflita sobre minhas palavras você também é não sofram mais com o jeito agressivo do seu marido,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 28 de Maio de 2016 | Responder

  26. Olá Léa! Gostaria de um conselho, uma luz no fim do túnel. Tenho 26 anos, sou graduada e com a crise estou sem emprego, porém tenho feito alguns serviços por conta própria, mas não tem me rendido mais de 100 reais por mês. Logo sair da casa dos meus pais agora é inviável. Cresci presenciando brigas horríveis deles (sou filha única) e morria de pena da minha mãe, por sua vida difícil (abandonada pela mãe muito nova, criada por desconhecidos que a maltratavam e faziam de empregada). Com esse histórico, achava que meu pai era o errado e sempre ficava ao lado dela. Tive uma criação castradora por parte dela e omissa por parte do meu pai. Na adolescência ela me chamava de vagabunda (isso porque trabalho desde os 18, paguei minha faculdade e perdi a virgindade aos 20 com meu noivo), ficava revistando minhas calcinhas quando eu ia tomar banho e até hoje vive mexendo nas minhas coisas. Aos 20 conheci meu noivo e ela fingiu ter recebido um telefonema anônimo onde falaram horrores dele (e era tudo mentira) e caiu a ficha que no outro relacionamento que tive (dos 15 aos 17), o menino só passou a prestou quando acabou (ele terminou pq ela não me deixava ir na esquina com o rapaz e eu ainda era menor de idade). Percebi que ela não podia ser contrariada que logo partia para agressão verbal e física. Peguei inúmeras desculpas e traições dela. Ela já fingiu uma tentativa de sequestro deixando eu e meu pai preocupados e anos depois fingiu um estupro, onde eu e meu pai paramos nossas vidas, perdemos o emprego, nos mudamos, uma verdadeira loucura. Descobri também que deu em cima desse meu ex quando esbarrou com ele recentemente (ele mesmo me contou e ela não sabe que mantivemos a amizade). Se compro uma calça ou blusa, ela quer também. Se um amigo meu comenta/curte uma foto no face, ela adiciona e diz que a pessoa que mandou solicitação (acabei com as redes sociais por isso). Enfim, tem inveja, quer viver minha vida. Ela faz tratamento psiquiátrico só para ter a receita do tarja preta, no fundo ela não quer melhorar e ta sempre mudando de médico porquê arruma briga com eles. Conversei com alguns e o diagnóstico é o borderline. Tive psicologia na faculdade e estou simplesmente apavorada. Primeiro porque tenho medo de ficar igual, segundo que ficar perto dela é uma tensão horrível, fico pisando em ovos para não entrar num conflito, mas tem horas que é inevitável. A noite e nos finais de semana ela briga o tempo todo com meu pai, que não vai embora porque não tem pra onde ir. Resultado, cresci no meio da guerra, não consigo ouvir grito que entro em desespero. Estou em depressão e todo dia é uma batalha pra sair da cama e interagir com ela. Passo os finais de semana na casa do meu noivo, e sinto um pavor enorme só de ver o nome dela tela do meu celular, só não me mudo de vez pra lá, porque ele ainda mora com os pais, apesar de me tratarem muito bem. As vezes, consigo separar um pouco ela da doença, mas sempre fico muito sensível a tudo que ela fala. Me afeta muito. Tento controlar o máximo que posso, mas longe dela, eu desabo. Eu e meu noivo estamos fazendo de tudo pra ter logo nossa casa, mas até lá, além de evitar ficar perto muito tempo, o que eu faço? Eu tenho medo só de pensar na velhice deles, imagina ter que cuidar dela futuramente? Sinto vontade de ir embora sem dar endereço mas ao mesmo tempo sinto uma culpa terrível. Tento não absorver suas palavras e ignorar suas atitudes, mas parece que ela sempre se supera. Parece que vou viver nesse inferno até ela morrer e depois vou ser consumida por uma culpa inexplicável e que tenho certeza que não é minha. Obrigada Léa e desculpa o desabafo enorme.

    Gostar

    Comentar por Leticia | 6 de Junho de 2016 | Responder

    • Você tem uma mãe enlouquecida e você não tem culpa disso. Você precisa se blindar para as coisas que ela fala e que te atacam e ferem tanto. Você precisa saber que o que ela diz é só barulho, como se fosse uma britadeira. O barulho é ruim para os ouvidos mas não quer dizer nada e você precisa evitar sua mãe ao máximo para tem uma vida minimamente saudável.
      Saiba que ao lidar com ela você está lidando com uma pessoa louca, por isso não leve a peito o que ela diz,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 21 de Junho de 2016 | Responder

      • Nossa são casos, terríveis, convivências difíceis, a mãe é doente.Vive no psiquiatra, não tem condições emocionais.Você vai acabar é ficar com traumas e ainda doente dos nervos.Caia fora, procure ajuda , tanto psicológica, e até psquiátricas, para apoio emocional.Que Deus te abençoe.Quando convivemos com pessoas doentes, também ficamos. E vc precisa continuar a sua vida.Fique em paz.

        Gostar

        Comentar por Leninha Woits | 12 de Dezembro de 2016

  27. Olá! Preciso de sua ajuda. Minha esposa se enquadra em todas as situações acima tanto que não tem uma boa convivência nem com sua mâe nem seu pai, passo apertado todos os dias pois a mesma a tudo retruca, não aceita opiniões tanto que não consegue se adaptar em nenhum emprego pois sempre se não é demitida pede demissão pois não sabe conviver com outras pessoas, desde que a conheci era assim e eu já sabia e cheguei a falar com ele que nosso relacionamento não daria certo. Porém a mesma engravidou e hoje temos uma filha de 3 anos razão de minha vida e que se não fosse ela eu já teria me divorciado. Sem falar que eu era casado e após conhece-la aí sim a mesma fez de tudo para me separar, perdi o casamento, perdi amigos pois a mesma não os aceita, perdi contato com minhas filhas de outro casamento pois a mesma acha que sou exclusivo dela. Sou funcionário público e tenho certeza que se eu trabalhasse em empresa privada com certeza já teria sido demitido pois a mesma faz de minha vida um inferno. Que devo fazer?

    Gostar

    Comentar por JOSÉ RESENDE | 9 de Junho de 2016 | Responder

    • Afaste-se desta pessoa que inferniza a sua vida. Se você não consegue se divorciar agora, simplesmente afaste se ao máximo dela. Não deixe que as palavras maldosas penetrem em você, curta a sua filha, coloque suas energias em outras coisas e não dê ouvidos às coisas venenosas que ela diz. Responda tá bom, e faça o que você quiser. Trate-a como um barulho, uma britadeira que incomoda mas não se deixe infernizar por ela.
      Um abraço,
      Lèa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 21 de Junho de 2016 | Responder

  28. Olá.
    Tenho 25 anos e me relaciono com um homem 10 anos mais velho que eu a 8 anos.
    Porem o msm se encaixa nesse perfil.
    É grosseiro,autoritario,preguiçoso e mimado.
    Não me respeita,nem respeita os outros.
    Sinto que o tempo da relação ja acabou…mas as vezes ele tem lapsos de mudança,mas sempre comta a esraca 0.
    Sei que devedia deixa-lo e seguir minha vida…mas não tenho coragem!
    Oq faço?

    Gostar

    Comentar por Sabrina | 26 de Junho de 2016 | Responder

    • A vida é uma só! Você precisa ter coragem para viver a sua vida da melhor forma possível e ser feliz!
      De um basta na situação, saia de casa, talvez o susto em perder você o faça mudar de verdade!
      Te desejo força e coragem para ser feliz,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 11 de Julho de 2016 | Responder

  29. Olá, meu marido é insuportável, não sabe conversar só agride, me humilha fala que sou velha e imprestável que não sei fazer nada e nunca faço nada pra ajuda-lo a prosperar na vida.Na verdade eu sempre tentei fazer muitas coisa na vida , mas ele sempre colocou defeito em tudo em que eu fazia.Estou depressiva e me sento gorda e feia.E o suporto, temos dois filhos lindos.

    Gostar

    Comentar por Adriana Gonçalves | 13 de Julho de 2016 | Responder

    • Ele transformou você na depositária das frustrações dele!
      Não fique neste lugar que o seu marido te coloca, não é porque ele te chama de gorda e feia que você precisa se sentir assim, ou ficar assim. O seu marido não é o dono da verdade. Você precisa ter a si mesma para se cuidar, por em evidencia a sua beleza. Lembre-se que a parte estética é só uma faceta da beleza, a pessoa bela é aquela que tem valores, que cuida do psíquico, do emocional, do intelecto, do espiritual e do corpo.
      Se você sair deste lugar que ele te coloca fazendo-se e sentindo -se bonita, ele pode falar o que quiser que as palavras não vão te atacar.
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 18 de Julho de 2016 | Responder

  30. Tem um menino na minha turma, que ele é muito “sarna” ele fica falando e enconodando a aula inteira ( a turma toda) as vezes da pra perceber que ele quer chamar atenção.
    Ele pega as minha coisas sem pedir, pega o meu caderno sem pedir pra copiar as respostas (além dele não fazer nada na sala de aula e ficar encomodando ele ainda pega meus materiais, não faz o tema, não faz as atividades…)
    Mas enfim, quando não empresto nada ele me chama de inútil… quando tento segurar o meu caderno para ele não pegar ele da um “puxão” ou fica puxando até conseguir soltar a minha mão, já tentei dizer não, falar para a profe, dizer pra ele não pegar… e nada adianta.

    Gostar

    Comentar por brenda | 1 de Setembro de 2016 | Responder

    • Este comportamento é sinal evidente de carência afetiva! Ele arranca a atenção, ele rouba a atenção que sente que o mundo deve para ele. Você deve ser uma garota sensível e ele capta que você tem recursos para ajuda-lo. Tudo de forma inconsciente, por isso, ele arranca as coisas de você,
      Invés de brigar com ele, procure conversar. Diga que assim ele te atrapalha, que seria bom se ele conseguisse tentar prestar atenção na aula. Seria bom que alguma professora conversasse com ele de forma compreensiva e acolhedora, porque este menino sofre, por isso age deste jeito,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 15 de Setembro de 2016 | Responder

  31. Eu quero vender artesanato que gosto muito e que faço, e quero fazer disto profissão mas os meus Pais estão sempre a dizer-me que não dá nada e não querem que eu faça, mas eu acredito que vou vender, e com estas pressões eu estou a sentir-me muito mal e infeliz. Gostaria que me pudesse ajudar mas GRATUITAMENTE pois não ganho dinheiro.

    Gostar

    Comentar por Aurora Maria Domingues Ribeiro | 4 de Setembro de 2016 | Responder

    • Lute pelo seu sonho! Faça seu artesanato e ponha para vender nas feiras de artesanato, pela internet no site elo 7; transforme as palavras deles em seu desafio e realize o seu sonho,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 16 de Setembro de 2016 | Responder

  32. Boa noite.
    Meu caso é o seguinte não suporto minha vizinha não a vejo escuto os barulhos de porta e janela batendo, ela é insuportável parece que tudo que ela faz é para provocar. Acorda e dorme batendo porta e janela. Isso me incomoda porque quando ela não está o restante da família e paz total, ninguém é como ela. Por ser sobrado escuto tudo que se fala é percebo que ela é amarga sempre criticando as pessoas que trabalha com ela, sempre reclamando de tudo, pessoa amarga. Eu passei a não suporta ela pois sei que ela faz isso diariamente para provocar. Como se explica um sentindo horrível desse por uma pessoa que nem vejo e nunca brigamos. Simplesmente não suporto.

    Gostar

    Comentar por Marcia | 25 de Setembro de 2016 | Responder

    • Sua vizinha tem um inferno dentro dela. Ela só vê o lado ruim de tudo, por isso, estar perto dela é infernal. O mal estar que ela tem é tanto que transborda e todos experimentam o pouco do inferno que ela carrega!
      Dê graças a Deus por você não ser como ela. O único jeito é você abstrair, se tornar indiferente ao máximo, como se ela fosse uma britadeira. Não há o que fazer.
      Coloque fone de ouvido e toque sua vida feliz por ser diferente dela!
      Não se deixe contaminar pelo inferno astral dessa vizinha,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 28 de Setembro de 2016 | Responder

  33. Eu tenho 24 anos, moro na casa dos meus pais com um irmão, ajudo na parte financeira, nas tarefas domésticas, sou uma boa filha, nunca dei trabalho para os meus pais, pois sou muito focada nos estudos. O problema é que minha mãe reclama de tudo e conviver com isso está complicado, por enquanto ainda não consigo mudar de casa e tenho medo de ficar igual ela.
    Por favor, o que você aconselha a fazer/qual comportamento devo ter com alguém que reclama o tempo todo?
    Tentei conversar, mas não melhorou. Agora estou tentando ignorar e me manter calma, mas isso me incomoda muito.

    Gostar

    Comentar por Liliane | 29 de Setembro de 2016 | Responder

    • Diga a ela que as coisas e o jeito que ela fala com você te fazem mal, que te sufocam e que você tem vontade de morar em outro lugar. Diga que você gosta dela, mas as coisas que ela diz, As cobranças e a pressão só afasta você dela, vai transformando a relação de vocês Num inferno. Seria bom se ela pensasse antes pra. Não afastar mais e mais você dela,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 19 de Outubro de 2016 | Responder

  34. Tenho um primo que criei hoje está com 20 anos sem neste tempo percebi que tem duas fase que ele passa. Tem época que ele e muito educado em outra discutimos muito, sinto que ele me trata como amiguinha dele nas discussões, já saiu de casa ficou 6 meses morando sozinho voltou porque disse que não conseguia viver sozinho. Não sei como agir ja que quando discutimos fala coisas sobre minha vida pessaol, tento ficar calada mas não consigo e aí a discussão aumenta. Já até toquei de casa; mas diz que eu não mando nada aqui e so sai se o meu marido mandar. Meu marido nunca se envolveu na educação dele sinto que ele acha que meu marido não tem pulso firme pra fazer isso, ja houve tentativa de minha parte de lhe dar uma cadeirada o menino veio para cima de mim disse que ia me arrebentar, meu marido mandou ele sair para fora onde ele está trabalhando em uma obra.

    Gostar

    Comentar por Mara | 7 de Outubro de 2016 | Responder

    • Se este sobrinho está atrapalhando a sua vida, mande-o morar em outro lugar! Ele deve estar sofrendo e deve estar revoltado. Onde estão os pais dele?
      Ele precisa se sentir querido e amado. Será que antes de tirar ele de casa é possível uma boa conversa?
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 4 de Novembro de 2016 | Responder

  35. eu vivo muito mal estou casada a 14 anos tenho um casal de filhos e estou gravida estou desesperada meu marido é um bruto me chinga muito nao me deixa fazer nada nao posso ouvir musica assistir novela nada vivo um pesadelo nao sei como sair as vezes ele me bate me ameaça muito me manda embora mas nao me deixa nem arrumar um emprego pra poder ir embora com meus filhos tenho vontade de m matar mas nao faço pelos meus filhos ele faria da vida deles um inferno tmb. Eu sou sozinha nao tenho familia para me ajudar com nd

    Gostar

    Comentar por jessica | 26 de Outubro de 2016 | Responder

    • Vá a delegacia da mulher e por lei este homem que te escraviza tem que pagar pensão alimentar!
      Ele não tem direito de proibir você de ouvir musica e de se divertir. Se ele levanta um dedo pra te bater você esta acobertada pela lei Maria da Penha.
      Vá a uma delegacia e lute pelos seus direitos!
      Seja feliz!

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 11 de Novembro de 2016 | Responder

  36. Eu tenho uma mulher de 18 anos. Eu morava com os meus pais, me mudei de cidade e agora moro com o meu irmão em prol de me graduar na faculdade, ele tem 27 anos. Meu irmão e eu somos evangêlicos, ele é integro de bons valores. Porém ele não me deixa dormir na casa das colegas da faculdade que não são cristãs, colocou PIN na Netflix em certas séries e disse que é porquê elas tem efeito negativo para a vida espiritual, ele praticamente não me ajuda em casa sendo que eu peço com gentileza. Quando ele trabalhava e eu só estudava arrumava a casa sozinha e fazia comida para ele. Agora que ele está desempregado e eu trabalhando ele nem varre a casa e uma vez pedi para ele me encontrar na porta do condomínio com minha sombrinha, porquê eu estava atrasada e tinha que resolver uma coisa para ele no centro e ele disse que não, choveu muito no dia. Hoje ele gritou comigo de forma ultrajante porquê não consegui abrir a conta no banco para receber o salário, infelizmente acredito que seja por causa do dinheiro que tenho que repassar para ele pagar o condomínio, não acho que seja preocupação comigo, mas sim com esse dinheiro, porquê no geral ele nunca parece fazer algo por mim, mas sempre me cobra ser alguém melhor. Sou uma pessoa muito integra, timida, quieta e muito responsável e não suporto mais isso! Ele diz que não me deixa fazer certas coisas porquê sou inocente e as pessoas do convívio fora da igreja não são confiáveis.

    Gostar

    Comentar por Débora 21 | 28 de Outubro de 2016 | Responder

    • Você precisa se libertar da submissão dele. Seu irmão é machista, ele exige que você arrume a casa, cozinhe, te impede de assistir o que deseja, exige o dinheiro, fica zangado quando algo não sai do jeito que ele quer. como se ele fosse o seu dono.
      Você terá que lidar com o seu irmão com muita sabedoria, porque se bater de frente, só vai gerar brigas e sofrimento.
      Fique atente, e liberte-se desta submissão, o quanto antes, sem se prejudicar,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 14 de Novembro de 2016 | Responder

  37. passo por isso mas com meu filho e meu sobrinho,moro no fundo da casa da minha mae e ela fica com meu sobrinho para minha irma trabalhar,o fato é que meu filho tem meu sobrinho como um heroi e para meu sobrinho meu filho nao é nada,ele só quer os brinquedos do meu filho,xinga,humilha,faz minha mae danar com meu filho …obs minha mae ja gosta mais do meu sobrinho tem mt dó dele pq acha q os pais nao dao atencao,entao a minha vida é um inferno pq meu filho chora pra brincar com meu sobrinho e nao entende que ele nao quer e nao percebe q o menino esnoba ele,eu converso explico mas nao adianta ai eu me sinto assim perdida pq um gosta mt e o outro nada e eu aqui nervosa sem saber como agir me sinto desgastada desanimada com essa situacao …pq meu sobrinho é mt paparicado pela minha mae e o meu ja nao é mt querido se alguem puder dizer alguma coisa que me ajude eu agradeço…obrigada e desculpe o desabafo

    Gostar

    Comentar por edivane santos | 23 de Novembro de 2016 | Responder

    • Vejo que você está muito identificada com o seu filho! Você o vê excluido e rejeitado e sofre muito por isso, talvez sofre até mais do que o seu filho.
      Saiba que ele vai crescer e o quadro vai se reverter, ele vai se sentir por cima em varias situações na vida!
      Agora você precisa cuidar desta dor que te machuca. E resolver teus sentimentos de rejeição e exclusão, até pra ter forças pra ajudar o seu filho a não se sentir tão mal e para cuidar da autoestima dele,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 4 de Dezembro de 2016 | Responder

  38. Ola meu nome e Rilary tenho 12 anos meu irmao 5 ele me chama de gorda na frente das pessoas

    Gostar

    Comentar por Rilary Batista Silva | 5 de Dezembro de 2016 | Responder

    • Você deve pedir ajuda pros seus pais fazerem ele parar com isso!
      Diga para sua mãe que ele te envergonha e que ela precisa ajudar, precisa ensinar o seu irmão a ter educação e parar de envergonhar você porque você está sofrendo muito!
      E você nem ligue para ele. Diga que ele é bobo e prove para o mundo que você é maravilhosa! Estude, se divirta, se arrume bonita e não permita que as besteiras que ele diz magoem você!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 22 de Dezembro de 2016 | Responder

    • Não deixe que as besteiras que ele diz te afetem!
      Mostre para o mundo que você é maior! Não deixe as palavras delem destruirem sua autoestima. Peça para seus pais ajudarem você. Diga que ele te envergonha e que você esta sofrendo!

      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 23 de Dezembro de 2016 | Responder

    • Peça para a sua mãe interceder por você. Diga que o seu irmão te envergonha e que você sofre com isto e que você precisa da ajuda dela.
      Você não permita que estes comentários infantis mexam com a sua autoestima! Prove para você e para o mundo que apesar de ter um irmão que te enche, você será uma mulher linda, bem sucedida e muito feliz!

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 25 de Dezembro de 2016 | Responder

  39. 35 Procure ajuda, vá até a Igreja, e procure ir no Encontro de casais, exponha todo seu problema. Aí sim eles vão indicar a saída mais cabível, você não pode continuar assim, neste sofrimento

    Gostar

    Comentar por Leninha Woits | 12 de Dezembro de 2016 | Responder

  40. Perde minha esposa por morte , quando eu tinha 39anos ,deixou três filhos o mais novo estava com 2 aninhos ,não tinha ninguém da família que pudesse me fazer companhia cuidando dos meus filhos ,para trabalhar ,mas amigos indicou uma mulher de confiança para ajudar me nesta jornada ,depois de algum tempo em minha casa ,meus filhos começou a chamar está mulher de mãe ,de imediato achei bom ,até que comecei um romance ,mas um ano depois ,tinha acabado ,observei alguns desequilíbrio emocional nesta mulher .Dias após conheci uma garota 20 anos mais nova que passamos a nos relacionar até uma gravides inesperada ,mais uma vês achei bom estávamos dando muito certo com mais um irmãozinho para meus filhos ,e uma mãe para dar carinho e amor .Cinco anos depois perde meu emprego que me dera até então um padrão de vida regular meu mundo desabou !.. mas não perde a cabeça já com 46 anos ,tinha grande dificuldade de encontra outro trabalho ,minha única chance era ir para os Estados Unidos,é assim o fiz ,fiquei 8 anos fora da família reorganizando minha vida ,sabendo que tudo não estava indo bem com meus filhos e esposa ,mesmo assim permaneci até que me tornei residente permanente ,trazendo toda minha família ,já faz 6 anos que todos estão comigo, mas minha esposa está totalmente transformada psicologicamente,difícil a nossa convivência ,ela é temperamental ,ciumenta a ponto de procurar algo suspeito em minhas coisas ,está difícil ,ela já não mais me trata bem ,percebe o descuido com seu corpo ,com a casa , afinal com tudo até com os filhos que já são adultos ,mas a meu ver deveria cuidar das alimentação deles ,até porque um deles se tomou obeso .e que muito me preocupa ,estamos brigando muito , já não estou mais feliz com os meus 68anos ,preocupado com minha velhice ,será como vai ser minha velhice ,quando estiver imposibilidades . Está difícil tomar daecisoes.

    Gostar

    Comentar por Jose | 24 de Dezembro de 2016 | Responder

    • Sua esposa precisa de ajuda profissional e os seus filhos já são grandes e podem cuidar da alimentação deles.
      Procure terapia para o casal, você e sua esposa.

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 27 de Dezembro de 2016 | Responder

  41. Boa tarde meu nome é Diego tenho 30 anos, acabei de me identificar com o texto pois convivo com uma pessoa q tem me agredido MT tanto com palavras quanto fisicamente. Minha esposa tem 23 anos temos uma filha de 2 anos e eu amo demais elas. Mais não estou mais aguentando ela, se ela for contrariada ela vira uma fera, ta sempre sentindo a necessidade de me ofender e ate agredir se eu nai fizer os ela quer e o pior é q depois eu ainda passo como errado. Nem sempre eu aturo e acabo xingando ela TB pq se torna pior pois ela não leva desaforo e parte pra agreçao. Acabo q fico machucado pois eu não revido. Procuro evitar pra nossa filha não ver isso. Tenho um trauma de infância pois meus pais brigavam MT.
    Ela tem outra filha de outro relacionamento q mora com a mãe dela, MT nova pra já estar no segundo relacionamento e com a segunda filha. As vezes acho q é esse o problema dela. Foi mãe com 16 anos e isso deve ter sido pesado pra ela. Ela não trabalha não precisa se preocupar com nada, moramos em uma casa própria e graças a deus não nos falta nada. Não sou um marido ruim, quero salvar meu casamento.

    ME AJUDAAAA POR FAVOR
    Ando MT triste com isso…

    Gostar

    Comentar por Diego | 30 de Dezembro de 2016 | Responder

    • Meu caro Diego, você tem toda razão ela é imatura e intolerante. Haja paciência… Ela deveria sentir-se grata por você sustenta-la, acolhe-la. E ter tanta paciência com ela. Você precisa deixar de ter medo dela, ela precisa saber que poderá perder você se ela não começar a pensar antes de falar. Diga pra ela com todas as letras que você sofre e se ela não começar a te tratar bem você vai repensar este casamento porque ela te trata mal e te faz sofrer e o ser humano esta na vida para ser feliz!
      Diga que as palavras que ela tira da boca são destrutivas e estão destruindo a família de vocês.
      Ela precisa compreender que ninguém tem culpa das frustrações dela. Ela transformou você no depositário das frustrações dela!
      Você precisa se encher de coragem e dar um basta nesta situação!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 31 de Dezembro de 2016 | Responder

  42. Tenho um sério problema com meu pai, pois não entendo o comportamento dele e sinto que meu irmão mais novo esta adquirindo com o passar dos dias o mesmo temperamento, enfim, ele é muito autoritário, agressivo e áspero com suas palavras, sinceramente, é o tipo de pessoa que se tivesse a opção de deixar no “mudo” eu deixaria, pois ele consegue estragar o dia de qualquer pessoa, principalmente dos familiares, ou seja, as pessoas com quem ele mais convive são sempre os alvos de deboche e ataque com comentários horríveis. É uma pessoa que reclama de tudo, tudo mesmo, não estou dizendo que ele é um pai ruim, amo ele incondicionalmente, mas eu percebo que as atitudes dele prejudicam todos que são obrigados a conviver com ele, além de mim, uma delas é a minha mãe e a outra é o meu irmão que se espelha nele. Não sou médico, mas poderia dizer com toda a certeza que ele sofre de algum transtorno de bipolaridade, pois de uma hora pra outra muda totalmente a sua personalidade, mas ele se nega a procurar ajuda, já tentei, mas enquanto isso não acontece seguimos convivendo com momentos constrangedores, é difícil comemorar algo com ele, os almoços, jantares são sempre desconfortáveis. Às vezes dá a impressão de que ele odeia todo mundo, pois todo dia ele dispara algum comentário que ofende alguém ou a todos. Sinto-me com as energias esgotadas diante da situação de convívio com ele, eu sempre tento argumentar, transmitir amor e tentar receber algum sinal de afeto dele também, mas já estou com 21 anos e não vi isso acontecer ainda, ele sempre foi muito fechado na questão sentimental também, não dá brechas nem pra um abraço entre pai e filho. Por favor, me dá uma luz pra tentar mudar isso, para que todos possamos conviver em harmonia.

    Gostar

    Comentar por Jon | 3 de Janeiro de 2017 | Responder

    • Seu pai é psicologicamente adoecido, ele tem disritmia, pessoas assim são muito negativas, mal humoradas, sentem que o mundo conspira contra elas, transformam todas as pessoas do convívio em depositários da própria frustração, sentem necessidade de devolver ao mundo o mal que acreditam que o mundo fez pra eles, o sadismo nessas pessoas é mais aguçado e depois eles sofrem com a culpa e ficam mau, por isso você tem a impressão que ele é bipolar, ele pode até ser, porque sem conhecê-lo não posso dar o diagnóstico preciso. Além disso, pode ser que seu pai sofreu na família de origem, e agora é este registro que ele tem da paternidade. Ele age assim porque não sabe agir diferente, ele faz o que pode, e você pode ajudar a sua família dizendo para não levarem a peito as coisas que ele diz. Você não vai conseguir mudar o seu pai, mas vale a pena tentar ajudá-lo. Talvez escreva estas coisas que te esclareço sobre ele. Escreva de uma forma afetiva e acolhedora. diga que mesmo que ele fala coisas que magoam, você o ama, diga que as palavras tem muita força, que a voz humana se manifesta de tres formas: criação, preservação e destruição, e talvez por motivos maiores que ele, por razões que o dominam, seu pai usa a palavra pra destruir, talvez ele quer destruir o mal estar, os sentimentos hostis que nele predominam, mas ele está destruindo os vínculos afetivos, a autoestima da familia, a atmosfera da casa e sendo um modelo para seu irmão. Penso que há um circulo vicioso transgeracional e precisa ser quebrado, caso contrário o seu irmão vai manter esta dinâmica toxicada familia dele.
      você é uma pessoa sensível e está em suas mãos ajudar a sua família com este adoecimento psicológico de seu pai,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 5 de Janeiro de 2017 | Responder

  43. Bom dia! Meu problema é com a sogra. Na verdade, creio que é o problema de toda a família, pois ninguém consegue conviver com ela. Além de ter problemas de depressão, é irritante, utiliza artifícios (pior do que uma criança mimada) para quebra e sumir com objetos. Totalmente insuportável! Meus filhos (uma menina e um adolescente) não a suportam. Aliás! Creio que nenhum neto que já possuiu a nação das coisas a suportam. E infelizmente, após ter se separado de seu segundo marido, veio morar conosco. Sobrou para mim! A casa é dela (sogra), mas havia cedido para mim e minha esposa morarmos, pois ela morava com o segundo marido. No início foi tudo bem! O relacionamento estava tranquilo. Tanto que gastei mais de mil reais, para colocar piso no quarto (que ela passou a dormir), pintar. E ainda coloquei uma tv para ela. Além disso, coloquei um novo portão parta maior segurança. Se arrependimento matasse…Depois começou a ladainha de sair fora da casinha. E até agora ela faz de tudo para nós sairmos. Meu objetivo era só sair quando tivesse condições para financiar minha casa própria, para isso é que sai do aluguel e aceitei em vir morar nessa casa. Mas o convívio não está sendo fácil para mim, minha esposa e meus filhos. A sogra fica provocando para ver se eu tenho uma reação além das palavras, mas sinceramente, tem gente que se faz de louca, mas de louca não tem nada, pois rasgar dinheiro ninguém rasga. Eu e minha esposa estamos nos contendo para não perdemos as estribeiras. Estou pensando realmente em sair e encarar o aluguel novamente. O problema é que estamos na alta temporada (verão) e os aluguéis estão nas alturas. Só depois do verão é que ficarão mais em conta. Vou tentar me segurar até lá. Não tem problema em sustentar outra boca, já que ela ainda está aguardando um processo contra o segundo marido e está sem dinheiro. E por ela saber que mesmo ter tido a iniciativa de deixar o marido e poder levar alguma grana dele, usa esse artifício para nos encher a paciência, pois na sua mente não precisará mais de nós. Totalmente uma pessoa ingrata e sem noção que poderá ficar em um fundo de uma cama sozinha, pois como já postei acima, a família também não a suporta. Preferia que o relacionamento continuasse tranquilo. Mas sem condições! Agora, o que fazemos é ignorá-la, e isso a irrita. Até na hora de comermos, a deixamos só na mesa, pois só sua presença trás fluídos muito ruins. Fiz um semestre inteiro de psicologia, mas acabei trocando por administração, devido a integralidade do primeiro curso que acabaria dificultando meu trabalho (já sou formado desde 2000). Talvez se continuasse com a psicologia, já saberia como tratar essa situação. Eu e minha esposa possuímos certa sensibilidade para sentirmos as cargas ruins que a sogra trás consigo, mas estamos nos fortalecendo em DEUS! Agora é tentarmos segurar até onde podemos. Tem alguma sugestão sobre isso?

    Gostar

    Comentar por Flávio | 15 de Janeiro de 2017 | Responder

    • A melhor coisa é ter compaixão pela sogra e não se deixar influenciar pela energia negativa e pesada que emana dela. Ela é adoecida psicologicamente. Responda sempre para ela: Ta bom! E faça o que você acha que é melhor para a sua vida! E saia de perto dela o quanto antes!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 28 de Janeiro de 2017 | Responder

  44. Boa tarde

    Tenho um sobrinho, hoje com vinte anos, que desde criança tem uma personalidade muito difícil, durante a infância presenciou muitas brigas entre os pais, brigas com agressões verbais e físicas. Minha irmã, sua mãe, sempre que brigava com meu ex cunhado que era muito violento durante as brigas pegava o menino sem se importar com horário ou qualquer outra coisa e ia pra casa de parentes e ficava alguns dias e depois retornava pra casa, meu cunhado sempre manteve muito bem a casa, assim como as vontades do filho, quando o menino iniciou a fase escolar foi o momento em que minha irmã finalmente decidiu por um ponto final nessa relação, o menino trocava sempre de escola e endereço junto com ela, sempre mimando o menino se desdobrando pra dar a ele coisas materiais pra suprir as carências emocionais dele e toda a culpa dela, o tempo foi passando e o rapaz não conseguia ter compromisso com nada, se tivesse um feriado no meio da semana ele emendava a semana toda sem ir pra escola, não praticava esportes e nada que pudesse trazer um pouco de disciplina pra vida dele, durante a infância e parte adolescência ele foi obeso e costumava sofrer com os comentários sobre seu peso pelos colegas, quando reclamava minha irmã orientava que ele também buscasse um defeito no colega e fizesse piada sobre o mesmo também, se fosse agredido que agredisse também. Minha irmã quando se separou não tinha emprego e precisou ir pra casa da minha mãe, mas a convivência nunca dava certo, pois minha mãe cobrava tanto minha irmã, quanto o filho dela sobre o comportamento desrespeitoso, sem limite, falta de compromisso, tempo ocioso, mas minha irmã sempre ficava do lado do rapaz e contra minha mãe, algumas vezes ela repetia o mesmo comportamento de quando casada, ia pra casa de alguém ou mesmo alugava casas simples sem ter uma renda pra se manter e viveu assim durante um bom tempo, brigando com todos que questionavam o comportamento do rapaz, pulando de casa em casa de parentes, se desentendendo com todos e dando um exemplo de como não ser grato por aqueles que abrem as portas de sua casa pra recebe los, mesmo sabendo que perderiam a privacidade e a paz assim que eles entrassem, o menino se acostumou tanto a viver cada dia em um lugar, que a casa de qualquer um era a casa dele, onde ele se sentia mais a vontade do que os donos da casa, ela não cobrava do filho cooperação para a organização de nada, ele sempre muito desorganizado e folgado, agia como se o mundo tivesse o dever de servi lo. Durante o período da pré adolescência e até um ano atrás o pai dele esteve preso, logo depois da separação se envolveu com tráfico do bairro onde residiam que era um bairro periférico com um alto índice de violência e problemas sociais, o menino tinha uma certa admiração pela conduta marginal do pai, e por muitos vezes retornava ao bairro e se envolvia em coisas erradas, a última casa onde minha irmã viveu com seu filho e também foi embora brigada, foi a casa do meu pai, há quase 7 anos, nesse período minha irmã conseguiu estabilidade profissional, na casa de meu pai ela não tinha nem um tipo de despesa e conseguiu se organizar pra compra de seu apartamento, mas antes de conseguir se mudar o rapaz se desentendeu com meu pai, então o rapaz veio pra minha casa e ficou comigo e minha família por quase um ano, minha irmã ficou na casa de meu pai, mas antes de ir pra casa dela também se desentendeu com meu pai, mesmo morando apenas ela na casa dele, então foi morar na casa de uma irmã, o rapaz não saia nunca de dentro da minha casa, perdi totalmente minha privacidade e liberdade, ele mexia nas nossas coisas sem pedir, não contribuía com nada, meu marido ainda tinha que sair do caminho que fazia para o trabalho pra deixa lo na escola de carro… certo dia cheguei em casa e meu marido me contou que foi buscar o rapaz nas mãos da polícia, por ter roubado uma loja na cidade vizinha a nossa, como era menor foi dispensado, meu marido disse que não falaria nada pra minha irmã e que ele pediu isso pra ele, no mesmo momento liguei pra minha irmã e pedi pra que ela viesse até minha casa pra conversarmos sobre o assunto, ela ficou nervosa e nada mais, ficou pra mim o papel de colocar o moleque no lugar dele e fazer ele refletir sobre tal comportamento, eu nunca permiti que ele desrespeitasse qualquer um na minha casa, quando percebia que ele estava tentando colocar as asas de fora, eu colocava ele no lugar dele, no final do ano que ele foi pra minha casa pedi pra minha irmã que levasse ele pra ficar com ela novamente, já que ela estava tão em paz com o rapaz sem dar trabalho nenhum pra ela dentro da minha casa, mal vinha vê lo ou sair com ele, nessa época ela já tinha conseguido até comprar um carro, depois que ele foi morar com a mãe na casa da minha outra irmã que era viúva, ele conseguiu espaço pra começar a se comportar como bem quizesse sem que ninguém tivesse mais voz ou força que ele naquela casa, começou a aprontar outras novas, foram expulsos também da casa da minha irmã, passaram umas semanas na casa da minha mãe até que finalmente o apartamento foi liberado pra que fizessem a mudança, depois disso ele continuou a infernizar a vida da mãe, queria continuar morando cada semana na casa de um parente, apesar de ter sua própria casa, no condomínio onde mora todos conhecem seu péssimo comportamento e tudo que ele apronta, ele não consegue trabalho, pois é muito arrogante e acha que o mundo gira em torno do umbigo dele, quer reconhecimento sem esforço, não aceita críticas, não aceita regras e há uns quatro anos já foi internado em clínicas psiquiátricas, por hora bipolaridade, hora TOC, hora esquizofrenia, hora depressão, acho que a vida dele realmente foi muito complicada e muita coisa refletiu no que ele é hoje, mas não consigo me sensibilizar diante de muita coisa que nem sequer coloquei aqui, acho que ele usa muito toda essa história pra não assumir suas responsabilidades para punir minha irmã, mãe dele, ela é a pessoa que ele mais atrapalha, muitas vezes parece que ele gostaria de vê la destruída, as vezes penso que a vida dela seria melhor se ele não existisse, apesar de saber também que ela e o ex marido contribuíram muito pra que ele se tornasse o que é… me desculpe pelo tamanho do texto, mas queria uma opinião, uma vez que não acreditamos que tanto ela quanto ele sejam totalmente verdadeiros sobre a história desse rapaz quando estão diante de um terapeuta, psicólogo ou psiquiatra… ele nunca dá continuidade ao tratamento, não toma os remédios como prescrito, não dá para o profissional condições de fazer um trabalho que vá contribuir com sua melhora e assim é a vida da minha irmã que vive pra trabalhar e cuidar desse rapaz e esta perdendo boa parte de sua vida, nem consegue ter mais um relacionamento com ninguém, nem viver, ela apenas sobrevive…

    Gostar

    Comentar por Vanessa Leite | 18 de Janeiro de 2017 | Responder

    • Sua irmã precisa de uma válvula de escape para espairecer, curtir a vida e se distrair!
      Este moço precisa de acompanhamento médico!
      E precisa levar a serio as orientações médicas!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 3 de Fevereiro de 2017 | Responder

  45. Olá, gostei muito do artigo, me esclareceu algumas coisas que pensava serem só da minha cabeça. Namoro há algum tempo e ele quer sempre que esteja com ele em tudo. Tenho o meu jeito, minhas amigas, mas até para sair só com mulheres ( detalhe ele conhece todas e seus respectivos conjuges) ele faz melindre e quer ir junto. Fico sem jeito porque ele seria o unico homem lá e já expliquei isso pra ele, não é a mesma coisa e preciso conversar com as minhas amigas a sós de vez em quando. Ele diz que eu não confio nele, que não quero a companhia dele o que não é verdade, porque sempre saio com ele e seus amigos, sua família, seus colegas de trabalho e incentivo ele a sair sem mim também, quer dizer, não nascemos grudados, para mim ou confia ou não confia … mas estou começando a pensar, do que ele tem medo afinal? eu gosto dele, ele conhece minhas amigas, minha familia se dá bem com todos eles e não posso fazer nada sozinha que ele se queixa de falta de atenção… Minha duvida é rsrs estou namorando um mimado?

    Gostar

    Comentar por camila | 23 de Janeiro de 2017 | Responder

    • Ele é inseguro e não compreende que vocês são namorados e não colados. É muito saudável vocês terem espaços individuais: você sair com amigas num programa para mulheres, e ele sair pro futebol e estas coisas com os amigos dele. Ele deve ser inseguro e carente.
      Precisa tratar disso em terapia, e você ter a clareza que nós precisamos transitar por várias áreas da vida ora com namorado, ora com família, ora com amigos, etc… isto é viver de forma equilibrada e saudável. Caso contrário é obsessão.
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 6 de Fevereiro de 2017 | Responder

  46. Minha filha mora comigo, tem 24 anos, e já tem uma filha de 5, nesse caso não posso me afastar e nem fingir que não vejo,ela só trabalha fora e mais nada,até da criança praticamente cuido sozinha,ainda bem que ela vai na escolinha durante o dia, a única coisa que importa na vida pra ela é fazer festa beber e dormir ou ficar no celular!! Ela é insuportável !! Não sei o que fazer ,as vezes de tanta raiva que sinto !!!! Ela é inútil ,não sente amor algum pela família, não se importa nem um pouco!!

    Gostar

    Comentar por Rosi | 29 de Janeiro de 2017 | Responder

    • Imagino como é difícil pra você!
      Nós não podemos mudar o modo de ser das pessoas, sua filha gosta de festa, de seduzir, provavelmente precisa compensar alguma falta de afeto, alguma carência, provavelmente paterna. Sua neta se não receber suficiente investimento por parte das pessoas que cuidam dela, corre o risco de seguir o mesmo caminho da mãe.
      Seria ótimo se você puder interromper o círculo vicioso e transgeracional que está se formando. É converter está energia da raiva pela filha em afeto para a neta!
      Procure salvar sua neta da carência que os pais estão gerando nessa menina e salve sua neta de seguir o mesmo caminho da mãe. Retire a atenção da falta de responsabilidade de sua filha, e faça algo positivo com toda esta energia da raiva pela filha investindo em sua neta,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 14 de Fevereiro de 2017 | Responder

  47. Olá ótimo artigo, gostei bastante, gostaria de partilhar minha vivência diária, e assim que possivel receber um parecer seu!

    Tenho 20 anos, vivo com minha mãe, avó e irmã que tem 18. Minha irmã é o maior problema dentro de casa, ela sofre de depressão e tem toque com limpeza, o problema é que desde cedo meu pai e minha mãe mimaram muito ela justamente por ter “problemas” e ter que receber tudo nas mãos (isso não faz o menor sentido). Hoje ela não tem horario para dormir, passou dois anos estudando na insistência da familia e agora recorreu ao EJA para terminar o EM, ou seja, ela passa O DIA INTEIRO DENTRO DE CASA, anti-social, sem amigos (somente familiares) ela acaba se apoderando dos primos e da minha mãe (que se tornam os amigos dela). Falta de insisitencia minha pra ela arranjar novos amigos, sair de casa, criar uam rotina, não falta, porém ela não se ajuda, não gosta de pegar sol, não gosta de sair no calor. Meu ponto aqui é justamente pro ela ficar tanto tempo dentro de casa ela ve coisas que quem não fica, não vê!!! Então tu chega cansado da faculade e tem q ouvir ela reclamar, que tem coisa fora do lugar, que tu ta sujo… Ela é insuportavel, se irrita muito facilmente, caminah 5 metros e ja reclama que esta cansada, vou ao centro fazer minhas coisas, á levo junto para passear e fazer algo q ela vá gosta, mas começa logo reclamar que esta cansada, quer ir embora, esta calor, daí tenho que gastar com taxi/uber e leva-la pra casa na hora que ela quer (por não aguentar mais). Dentro de casa também, acho injusto ela nao fazer nada da vida e se achar no direito dizer o que eu ou minha mãe devemos fazer. Ela não é nenhum pouco economica, com nossos pais separados, minha mçae é quem arca com as contas de casa:luz: agua, e ela não economiza, isso me irrita, toma de 2 a 3 banhos por dia e demorados, o ar condicionado então tanto no verão quanto no inverno, fica ligado o dia TODO, o comodo que ela vai ela liga, agora se eu não quero o ar ligado na sala, onde so ela ta com calor, nãao, tem q deixar ligado na sala porque Somente ELa esta com calor, se eu nao quero, azar, vou ficar não querendo… Não sei mais como lidar com alguem assim, que se acha feia toda hora, é mimada, não faz nada da vida, não tem amigos, não se anima em fazer nada. dorme o dia todo, tem toque, NÂO SEI LIDAR MAIS COM ISSO… ja estou bem cansado, tem horas qque so penso em sair de casa e não olhar mais pra cara da minha irmã…

    Liked by 1 person

    Comentar por Gabriel Martins Crispim | 8 de Fevereiro de 2017 | Responder

    • Olá Gabriel!
      Sua irmã não é assim porque quer, ela é hipersensível, coisas que não te incomodam, incomodam muito a ela! Ela sofre e faz sofrer todos ao redor! Porque o incomodo, a irritação e o sofrimento dela transbordam e respingam em quem esta por perto!
      Você não pode comparar-se com ela, porque mesmo sendo irmãos, vocês são muito diferentes. Provavelmente você é mais maduro e resistente do que ela.
      Procure relevar o jeito dela ser, escute as reclamações dela do mesmo jeito que você escuta uma britadeira. É só barulho e procure desenvolver tolerância pra não sofrer com ela. O mesmo incomodo que ela te causa, as pequenas coisas causam nela!
      Um forte abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 15 de Fevereiro de 2017 | Responder

  48. Tudo que eu faço é motivo para o meu pai me criticar. Ele é do tipo que chega em casa, não diz um oi, entra logo a procura de algo para reclamar e me rebaixar.
    A situação tá ficando insuportável, e sinto que estou descendo de nível as vezes e acabo discutindo coisas que não fazem o mínimo sentido. E quando isso acontece ele se faz de vítima.
    E outra, na frente dos outros ele é um ótimo pai.
    Me ajuda, por favor!

    Gostar

    Comentar por Silvia Batista | 9 de Fevereiro de 2017 | Responder

    • Ao menos ele não te envergonha na frente dos outros.
      O melhor que você pode fazer é escrever uma carta pra ele relatando a sua tristeza por ele agir desta forma com você.
      É não deixe que o modo dele agir destrua a sua autoestima.
      Ele te oprime porque se sente reprimido pelo mundo tem necessidade de devolver isto para alguém,
      Os filhos muitas vezes pagam o pato pelo sofrimento de seus pai.😔
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 19 de Fevereiro de 2017 | Responder

  49. Ola …Eu tenho 24 anos ultimamente nao tenho animo para nada tudo me deixa mal , e uma tristreza tao grande ..tem momentos que estou normal mais tem horas que bate uma tritreza tao grande .. como falei ali emcima ja tenho 24 anos e sempre to a procura de emprego e nunca conseguir nada .
    A mais ou menos 3 anos atraz eu comecei a ter pesamentos suicidadas e ja senti vontade de tirar minha propria vida . E ja cheguie ate a mw corta .. ja pensei ate em ser depresao nao sei mais o que fazer 😦
    E tabem sofri o famoso bullly na escola da 6 ate o segundo ano do encino medio
    Me acho uma pessoa feia e e odeio me olhar no espelho

    Gostar

    Comentar por dayanne | 11 de Fevereiro de 2017 | Responder

    • Sua mente esta dominando você com pensamentos que te depreciam, que te colocam para baixo, que te tiram a vontade de viver. Você precisa ser mais forte que estes pensamentos, para dar a reviravolta será necessário tomar uma decisão: vou mandar meu currículo para 100 lugares até encontrar emprego! vou estudar! Vou cuidar da minha saúde e da minha aparência! Vou me interessar pela cultura, aprender mais, passear mais, ir ao cinema e procurar um objeto de vida para o qual vale a pena viver! vou parar de colocar minha energia e investir na ideia de que sou feia e não sirvo para nada e começar a por minha cabeça no pensamento: vou conseguir tudo o que desejo! Vou me empenhar! Vou conquistar! vou me valorizar e me amar!
      Leia isto todos os dias de manhã e siga as instruções!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 15 de Fevereiro de 2017 | Responder

  50. Olá, tenho uma vizinha que já teve problemas com todos na rua. Mudei-me há um ano e de lá já foram mais de doze ocorrências. Sempre pensei que as pessoas só fazem com a gente aquilo que permitimos, mas desta vez não sei o que fazer. Já tentei de tudo, me fazer de surda, fazer de conta que não era comigo, mas isso só engrandeceu as ofensas. Percebi que quanto mais eu deixasse “fluir”, mais ela me ofendia, então comecei a responder, o que gerou discussões horrorosas e, o pior de tudo, me igualou a ela, expondo-me a vizinhança inteira. Ela tem nove cachorros no nosso pátio, que é comum. Nem posso usá-lo, mas isso nem me importa. O fato é que ela não limpa nada. E quando eu lavo a escada que é comum também, ela grita baixarias, pois diz que a água incomoda os cachorros. Ultimamente quando ela começa a gritar eu abro minha porta e começo a rezar para ela, o que faz ela entrar em casa. Mas quando eu entro, ela volta e repete tudo. Ainda ela me ameaça e fala coisas que realmente me atingem, tipo: Tu tá morta e não sabe. Tu vai ver só, teu tempo tá chegando. Sou uma pessoa que já venceu uma meningite, uma hepatite e um câncer. Então isso me abala muito e não quero somatizar outra doença por causa desta situação. Como posso lidar com ela, já que o MP nada faz para me ajudar? Obrigada!

    Gostar

    Comentar por Janice Flores | 22 de Fevereiro de 2017 | Responder

    • Sua vizinha é uma pessoa adoecida psicologicamente. Ela faz com você o mecanismo psíquico chamado projeção, ou seja, ela projeta em você tudo o que sente que o mundo faz com ela. Então, ele se sente humilhada e por isso te humilha. Ela tem tantos cachorros porque perdeu a habilidade em lidar com pessoas, por isso satisfaz a carência com os animais. Ela é revoltada com as pessoas, porque ela própria não sabe cuidar e se desenvolver na vida e no mundo e projeta isto nos outros. Como diz Sartre: “o inferno são os outros”.
      Não há nada que você possa fazer para mudar a sua vizinha, só ignorar e relevar. Não de ouvidos ao que ela diz, afinal, Deus é mais e não vai concretizar as maldições ridículas e descabidas que ela diz para você. Quando ela te humilhar, insultar e maldizer, simplesmente escute isto é se relacione com isto como você faz quando escuta uma britadeira na rua, é um barulho chato, mas não te ofende!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 19 de Março de 2017 | Responder

      • Pôxa, Léa, desculpe a demora para te agradecer. Realmente concordo com tudo que disseste. Seguirei teu conselho. Muito Obrigada! Que Deus te ilumine sempre!!!! Abraço!

        Gostar

        Comentar por Janice Flores | 22 de Maio de 2017

      • Um abraço pra você!

        Gostar

        Comentar por leamichaan | 12 de Junho de 2017

  51. Boa Tarde!
    Meu problema é com minha sogra, Ela tem 85 anos inventou que esta vendo homem dentro de casa e não existe, ver coisas que não existe.

    Gostar

    Comentar por helen | 9 de Março de 2017 | Responder

    • Ela esta delirando…
      nestes casos você não diz que ela esta mentindo. Se ela diz que esta vendo, é verdade, ela vê. Coisas que a mente cria!
      Se relacione com respeito e compaixão com a sua sogra. Diga para ela que ela não precisa se preocupar com estas visões. Que estes homens não farão nenhum mal a ela. Diga que ela não precisa dar atenção a estes homens. Pra ela nem dar bola,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 24 de Março de 2017 | Responder

  52. olá, boa noite.

    Tenho um problema com minha mãe e não faço a menor ideia de como proceder.
    Tenho 21 anos mas, pra minha mãe tenho 11, pra ela tenho q pedir permissão até pra buscar pão na esquina, ou pra comprar uma peça de roupa, sendo que ja tenho minhas próprias condições para tal.
    A situação se agravou desde que comecei um novo relacionamento, isso faz 7 meses, ela têm crises de ciúme, põe a culpa de eu não estar mais tempo em casa em cima do meu namorado, sendo que é ela que dificulta a convivência.
    Ontem mesmo, ficamos até mais tarde assistindo filme (até 1 da manhã), e pra ela já faltamos com o respeito, porque ela conseguia ver a luz acesa por debaixo da porta dela (sendo que a porta do meu quarto e do quarto dela estavam fechadas), coisas sem o completo sentido.
    Outras reclamações dela:

    – Por eu tentar fazer hamgurgueres em casa, porque pra ela, eu não sei fazer, então não devo fazer;
    – Tomar banho antes de fazer um passeio, dois banhos por dia é algo desnecessário;
    – Por querer mudar algo meu quarto, mesmo que eu use o meu dinheiro a casa é dela e se ela não quiser, eu não posso mudar nada no meu quarto.

    Enfim, essas besteiras que poderiam ser resolvidas em uma simples conversa, ela grita e diz que é ela que manda, que a dona da casa é ela, e que nós temos que abaixar a cabeça e aceitar exatamente tudo que ela disser ou decidir.

    E eu não sei o que fazer, ela consegue esgotar toda minha paciência e boa vontade, e mais, meu namorado não quer mais ficar muito tempo aqui em casa, ele sente que está encomodando,e é exatamente a maneira como minha mãe faz paracer.

    Por favor, se puderem me ajudar, eu agradeço do fundo do meu coração, eu não sei o que fazer, minha mãe é insuportável.

    Gostar

    Comentar por Bruna | 7 de Maio de 2017 | Responder

    • A sua mãe transfere para você a carga emocional que sofreu e sofre com outras pessoas. Pode ser com a mãe dela, teu pai e até com o mundo!
      Sua mãe sente que o mundo não foi justo com ela, que o mundo desconsiderou as necessidades dela e ela transfere esta desconsideração a você. Ou seja, você que paga o pato pelo que outros fizeram ela passar.
      Diga a ela que você não tem culpa pelo que o seu pai fez a ela e nem de tudo o que ela sofreu na infância!
      Que inconscientemente, a sua mãe se vinga em você!
      Além disso, sua mãe precisa investir em amigos, cursos, trabalhos, viagens, etc… pra deixar de ficar te fiscalizando, cobrando e exigindo, parece que este é o foco principal da vida dela!
      Assim ela se torna uma pessoa insuportável pra você e só te afasta mais e mais!
      Procure conversar sobre estes temas de forma muito acolhedora e compreensiva, não tenha raiva de sua mãe, procure ter compaixão por ela!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 21 de Maio de 2017 | Responder

      • Boa noite Léia.

        Agradeço o contato, saiba que sua resposta acalentou meu coração.

        Realmente minha mãe teve uma vida difícel desde a infância, ajudando meus avós na lavoura e, depois seu casamento também não deu certo, enfim, sempre tentei compreender essa lado da vida dela, e relevar esses ataques de incompreensão e ciúmes sem sentido.

        A respeito de fazer um curso mensionei por diversas vezes a ela, por ser uma senhora aposentada ela teria tempo livre suficiente para se dedicar a algo, mas ela apenas diz q já faz hidroginástica e cuida da casa e que, isso já é muita coisa.

        Acredito que ela teria que buscar algo mais alimentar sua mente, algum trabalho voluntário ou algo nesse sentido.

        Mas ela sempre recusa toda e qualquer idéia nesse sentido.

        Como poderia faze-la se interessar por algo que necessitasse da dedicação dela?

        atenciosamente,
        Bruna

        Gostar

        Comentar por Bruna | 21 de Maio de 2017

      • Agua mole em pedra dura, tanto bate até que fura!
        Conhece este ditado?
        Então, vá falando mansamente, dando ideias, quem sabe, um dia ela se anima!
        Precisa vir de dentro dela, mas suas palavras podem acorda-la pra realizar algo que ainda não realizou!
        Um abraço,
        Léa

        Gostar

        Comentar por leamichaan | 12 de Junho de 2017

  53. Ridículo o nome do Texto. Como lidar com pessoas insuportáveis.

    A maioria dessas pessoas,sofrem de verdade, e precisam de ajuda e não de ser abandonada,excluída.

    Gostar

    Comentar por EDUARDO | 8 de Maio de 2017 | Responder

    • Você esta coberto de razão, as pessoas difíceis da gente lidar sofrem muito!
      Se você ler as minhas respostas, verá que sempre oriento para lidar com compaixão com estas pessoas,
      Se você tem um nome melhor pro texto, pode me enviar a sugestão,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 21 de Maio de 2017 | Responder

  54. Bom dia! estou com meu marido a 33 anos entre namoro noivado e casamento, ele é um homem extremamente controlador, não gosta que saio, que eu fale com ninguém, e se vou a algum lugar ele exige que eu fique ligando para seu trabalho para dizer tudo que estou fazendo. Se eu vou sair por exemplo, preciso ligar para o serviço dele para avisar que ja estou indo, assim ele controla a hora e o tempo que ficarei na rua. Estou esgotada e, por conta disso adoeci, contrai uma doença chamada poliurradicuneulorinte, uma doença que afetou meu nervos periféricos e quando em crise simplesmente fico sem andar perco total mente as forças. faço tratamento me interno todos os meses já a 6 anos, para tomar uma medicação caríssima. gosto do meu marido , mas ele não me repeita como pessoa, é ditador, calculista…sei irmão bebe e vive me ofendendo me desmoralizando com gritos e ameaças ,e pasmem, o irmão dele mora em meu quintal no que é nosso e não paga absolutamente nada. vive nas custas de minha sogra e na do meu marido pois ele depende dele para morar. mas meu marido não se importa com nada que o irmão faça ou fale de mim, o que em deixa muito triste pois ele não me defende se impondo. não posso falar nada contra seu irmão que é motivo de briga. noite passada meu marido me humilhou pq a água da rua voltou antes do horário que eu havia falado que voltaria, ele disse que eu não entendo nada do que leio…que distorço toda a vdd…ai fiquei uma fera e falei muitas coisas a ele, enfim.não gosto de brigar mas ando no meu limite ,não consigo mais só ouvir, e , acabo me impondo muitas vezes com gritos. sinceramente não sei mais o que fazer pois tenho três filhos, dois adultos e um que fará 10 anos mês que vem, além de não ter para onde ir. preciso de ajuda para me controlar mais e suportar tudo isso pelo meu filho.

    Gostar

    Comentar por Iara | 12 de Maio de 2017 | Responder

    • Você vive num regime machista e extremamente controlador, por isso contraiu esta doença. Você não é dona do seu corpo, de seus nervos e nem dos seis músculos. A doença é o sintoma que confirma o diagnostico psicológico de que você perdeu o controle sobre seus membros por meio das correlações nervosas.
      Chegou a hora de dar um basta nesta situação! Simplesmente pare de dar satisfação de tudo o que faz. Antes de se libertar do controle dele, liberte-se para si mesma!
      Permita-se ir e vir livremente sem culpa! Quando você estiver bem com relação a si, então pode se impor para seu marido!
      Confie mais em si mesma, seja companheira de si e não leve a peito o que ele diz, afinal, são apenas palavras!
      Liberte-se!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 23 de Maio de 2017 | Responder

  55. Olá, meu problema é com o pai da minha filha, ela tem 6 anos e nós dois somos separados, eu tive depressão pós-parto que se agravou com o tempo e hoje estou muito pior, ele me humilha e sempre me faz sentir culpada por qualquer coisa que minha filha faça, diz que sou péssima mãe sendo que minha filha mora comigo e ele nãoda assistência nenhuma pra ela, acho que pelo fato de eu ter depressão eu guardo as palavras dele pra mim e isso me machuca muito pois não consigo me defender, ele é um homem machista e ignorante, eu estou sofrendo muito, pfv o que eu devo fazer?

    Gostar

    Comentar por Hanne Larissa | 16 de Maio de 2017 | Responder

    • Você precisa aprender a se blindar para as palavras machistas e agressivas dele!
      A boca é dele ele fala o que quiser! O principal é você ignorar o que ele diz, como se ele fosse uma britadeira que faz barulho! Não leve absolutamente nada a peito!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 25 de Maio de 2017 | Responder

  56. Minha irmã é insupinsuportável,
    chata,ignorante,
    gosta de provocar os outros não pode nem olhar para ela que ela já fala :
    -perdeu alguma coisa aqui,se perdeu vem buscar . Obrigada pelas dicas!

    Gostar

    Comentar por Marcelly | 21 de Junho de 2017 | Responder

    • Haja paciência, né?!😉

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 27 de Julho de 2017 | Responder

  57. ótimo artigo parabéns

    Gostar

    Comentar por Ana Carolina | 25 de Junho de 2017 | Responder

    • ☺️

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 28 de Julho de 2017 | Responder

  58. Meu problema é uma amiga de trabalho folgada.Todos os dias ela me irrita. Pior é parente do dono da empresa. A mulher grudou em mim igual chiclete. Todo dia as 06:00 da manhã pegamos o mesmo onibus para ir trabalhar. Todo dia ainda dentro do onibus ela me conta a mesma estoria, estou com dor nas costas, dormi com bolsa de agua quente ou nao dormi direito ,tomei um comprido para dormir, estou morta, que pena que não é sexta e ai vai. Chegando na empresa me liga de hora em hora. Não me da paz. Me liga até para falar que vai ao banheiro. Almoçando e comendo com a boca cheia de comida me liga para falar mal de alguem ou para jogar conversa fora. ” Que nojo…Na verdade ela tem muito tempo livre. O trabalho dela é apenas figurativo… Adora falar da sua vida pessoal que é o centro do mundo. Como sofria no casamento pois no momento esta separada. Conta a mesma historia todos os dias. Que o marido era chato, que o filho dele acabou com o casamento dela que a ex nao dava sossego, mas a unica culpada é ela mesma insuportavel, mimada nao sabe lavar um prato, nunca limpou o chao, faz todo mundo de serva, nao da paz. Mas na verdade conviver com ela é desgastante. Ela esta consumindo as minhas forças. Vive me cercando de todos os lados. Se tiro o telefone do gancho ela vem pessoalmente pra conversar. Deixou de vir de carro para ir embora comigo de metro.Pior que tenho medo de reclamar com ela para o meu patrao e ser demitida. Amo meu trabalho gosto do meu salario e do ambiente. Mas ela me tira do serio. Pior nao posso mudar de horario de saida porque tenho que passar na escola do meu filho e outro horario iria comprometer o meu filho. ESta me afetando no psicologico, ando cansada e desanimada. Não aguento mais ouvir os problemas dela, nao suporto mais olhar pra ela ….Mas fico com receio de dizer a verdade e acabar na rua….Ando com dores no corpo e meu marido me pediu para nao tocar no nome dela.

    Gostar

    Comentar por Marina Silvia | 26 de Julho de 2017 | Responder

    • Você precisa manter distancia desta moça! Simplesmente desenvolver a capacidade de não escutar o que ela diz. Na próxima vez você diz pra ela não levar a mal, mas você esta com dor de cabeça e precisa de silencio.
      Se você tem fone de ouvido, diz que precisa ouvir musica pra relaxar. Invente motivos pra não precisar escuta-la. Esquive-se dela ao máximo. Você precisa desenvolver a técnica de não se afetar com o que o outro te diz. Imagine que a voz e as palavras dela são uma britadeira. Nem dê ouvidos, imagine que é só barulho. Não se preocupe em responder. Faça isto e em breve ela vai perder o interesse em falar com você. Ela gosta de falar com você, justamente porque você permite que os conteúdos do que ela diz penetrem e te afetam.
      Faça este exercício e liberte-se das pessoas chatas e tóxicas,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 8 de Agosto de 2017 | Responder

  59. Convivo com uma familia que cria uma criança de dez anos o mesmo e parente deles. A criança é muito levada. Porém eles tratam a criança tão mal.gritam o tempo todo fazem ameaças do tipo vamos te internar.batem nao permitem que tenha coleguinhas. Colocam para trabalhar em serviços as vezes pesado para a idade.não aguento ver tanta maldade com a criança. Eles dizem que se não fizerem isto a criança nao vai concertar. Discordo acho que enquanto mais usarem de violência, a criança vai crescer mais revoltada.as vezes tenho vontade de falar. Trate o com mais amor talvez seja melhor.mas tenho receio de ficarem com raiva.

    Gostar

    Comentar por Maria santos viana | 28 de Julho de 2017 | Responder

    • Você esta coberta de razão! A criança é levada porque é revoltada!
      E o comportamento antissocial que esta criança apresenta é um pedido de socorro, é a maneira desta criança comunicar que está sofrendo! É uma demonstração de sua necessidade de atenção, afeto e carinho. As pessoas transformaram esta criança na depositária das frustrações deles. E maltratam a criança com o pretexto que estão educando. Estão criando um ser humano revoltado e quando esta criança crescer, ela irá se tornar um adulto revoltado, carente, machucado e infeliz.
      Esta criança precisa receber muito afeto para compensar os maus tratos. Você pode ajuda-la, tratando- a bem, conversando com ela!
      Invista nesta criança! Seja amiga e compreensiva com ela. Procure salva-la,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 31 de Julho de 2017 | Responder


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: