Psicóloga Responde

Dicas úteis para o dia-dia

Mulheres também são infiéis

Um chavão insiste em que o sexo masculino trai mais do que o feminino. Não é o que mostra esta reportagem: sob a condição de anonimato, a maioria das entrevistadas revela que a libido está ganhando de valores como segurança e fidelidade

Melissa Diniz

Tudo começa com um olhar sedutor e uma gentileza gratuita, como segurar a porta do elevador para você entrar. Em seguida, vem um elogio. Pode ser sutil, quase inocente. Ou desconcertante. Seja como for, uma boa cantada melhora o astral de qualquer mulher, inclusive das comprometidas. Algumas disfarçam, fingem que nada aconteceu. Outras aproveitam a deixa para viver uma tórrida aventura sexual. “Sentir atração por outro homem, mesmo tendo parceiro, é totalmente natural. A paquera é muito saudável para circular a libido e erotizar a vida. Se, a partir daí, vai acontecer alguma coisa e se isso implicará conflito, depende da mulher e do acordo entre os parceiros”, afirma Vera Furia, mestre em psicologia clínica pela PUC-SP e autora do livro Mulher, Arquivo Confidencial (Ed. Arx).

Na opinião de Vera, sentir-se desejada ou atraída por outro pode apimentar a vida a dois. “Ninguém consegue ficar apaixonado para sempre. O flerte pode trazer de volta o encanto e enriquecer a relação”, diz.

Tesão e carência

Para a psicanalista e terapeuta de casais Léa Michaan, pós-graduada em psicoterapia psicanalítica pela USP, além de excitante, a paquera funciona como válvula de escape para aliviar tensões. “Devido à carga moral presente em nossa cultura, é comum as mulheres se culparem ao sentir atração por outro que não seja o companheiro oficial, mas trocar olhares não faz mal a ninguém. Pode até consistir numa fonte de energia extra”, afirma.

O problema é transferir para o flerte a carência afetiva, passando a buscar em outros homens o que queria receber do marido ou namorado. “Mulheres que usam a paquera de forma compulsiva para satisfazer sua insegurança emocional ficam cada vez mais insatisfeitas e acabam se machucando”, alerta Vera Furia.

Como saber, então, quando vale a pena se entregar completamente ou frear os impulsos? Não há manual para isso, mas refletir ajuda. “Ponha na balança seu desejo, as regras da sua relação, os riscos que corre e como lidará com eventuais sentimentos de culpa. Não é a atração que faz alguém ser irresponsável, e sim agir sem pensar nas consequências”, diz Vera.

Léa Michaan concorda que só a escolha consciente vale a pena. Assim, a mulher não se arrepende por ter recuado – e deixado escapar aquele homem imperdível – nem se corrói de culpa por ter experimentado uma paixão fugaz. “Tente descobrir o que a faz feliz, seja como for. O pior é querer dar uma de liberal ou de puritana quando na realidade não é”, aconselha.

Anúncios

28 de Julho de 2009 - Posted by | sexo

1 Comentário »

  1. Olá, li sua matéria e achei interessante. Gostaria de contribuir (ou aumentar a discussão) com alguns ideais meus. Acredito que tesão e carência sejam inversamente proporcionais ao sentimento de gostar de uma pessoa. Isto é, um casal em que os dois se gostam muito, tem menos ou completamente sem tesão ou sentimento de possuir um outro parceiro. Concordo que o sentimento de flerte, em saber que tem uma pessoa interessada em nós é muito bom. Mas se o sentimento de gostar da nossa(o) parceira(o) for maior, acredito que qualquer uma dessas pessoas seriam capazes de pensar que ela não deve fazer isso (cair no flerte). Ter a boa consciência. Acredito que a maioria desse tesão seja momentâneo, isto é, naquele momento é bom, mas depois de passado, fica ruim. Com relação a carência, todos nós temos. Ou já sentimos isso em nossa vida. Não sou especialista na área médica e nem psicanálise, também não sei se você concorda comigo ou se outras pessoas que irão ler, se irão concordar. No entanto, acredito que se continuar sentido apenas a atração carnal por uma terceira pessoa, o melhor que trair uma pessoa amada, é melhor a fazer o auto-sexo masculino ou feminino (masturbação). Isso satisfaz qualquer o praticante e a vontade passa. Porém, não exergo isto como uma traição. Também não ficaria feliz em saber que a minha namorada estaria fazendo isso pensando em outro. Mas como disse anteriormente, é muito melhor do que trair. 🙂

    Gostar

    Comentar por derick | 16 de Outubro de 2012 | Responder


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: