Psicóloga Responde

Dicas úteis para o dia-dia

Como Lidar com o Adolescente

 A palavra “adolescência” tem dupla origem etimológica e caracteriza muito bem as peculiaridades desta etapa tão dolorosa e ao mesmo tempo deliciosa da vida. Esta palavra vem do latim ad (a, para) e olescer (crescer) significando a condição ou processo de crescimento. Adolescência também deriva de adolescer, origem da palavra adoecer. Adolescente do latim adolescere, significa adoecer, enfermar. Temos assim, na origem desta palavra, um elemento para pensar esta etapa da vida: Aptidão para crescer (não apenas sentido físico, mas também psíquico) e para adoecer (em termos de sofrimento emocional, com as transformações biológicas e mentais que operam nesta fase).

Esta é a etapa mais difícil e ao mesmo tempo emocionante do desenvolvimento humano. Nesta época da vida, o sujeito, já não é mais criança e ainda não é um adulto. Mesmo em idade adulta, demoramos muito a sermos de fato um adulto, pois, chegar lá leva muito tempo, e é um processo onde em alguns quesitos, talvez, atingimos este amadurecimento, e noutros, ainda não. E claro que nunca alcançamos a maturidade completamente, pois, a possibilidade de evolução humana é, a meu ver, infinita.

Os jovens vivenciam este período acreditando que tudo é possível, e por isso mesmo, oscilam tanto entre os sentimentos de onipotência e impotência, pois, num primeiro momento, sonham que são muito poderosos e que atingirão suas mais utópicas aspirações. Na sua imaginação tudo acontece muito rápido, sem muitas batalhas, afinal, eles não têm paciência para esperar, eles querem resultados imediatos, no entanto, quando percebem que há um caminho a percorrer, e como toda conquista exige um empenho, eles acabam se frustrando consigo mesmos em suas expectativas: no seu poder de sedução, nas suas capacidades e nos seus recursos. E assim, eles podem despencar desde as mais altas aspirações até o mais profundo dos abismos.

Os adolescentes vivem intensas emoções, ora sentindo-se heróis e salvadores do universo, ora transformando-se em fracassados e incapazes. Estes jovens, ou sentem-se os melhores, ou os piores, não possuem o discernimento do meio termo, não experimentam o teste da realidade, eles vivem muito mais nas suas fantasias do que no mundo real. Eles estão com os hormônios à flor da pele e precisam de fortes emoções, ou então o oposto disso – são capazes de permanecer durante longos períodos trancafiados em seus quartos, sem ânimo para nada, “simplesmente” se adaptando a nova condição de ser

Ok! Este conhecimento é importante, tudo bem, mas, e agora? O que fazemos com essa informação? Na prática, no que ela pode ser útil? Nas próximas linhas você encontrará alguns itens sobre como funciona o adolescente e como lidar com este, dificílimo e, ao mesmo tempo, encantador ser:

1- O adolescente na escola, ou em casa, quer provocar as autoridades, seja o professor, orientador, bedel, diretor ou os pais. Ele precisa disto para se testar e também para provar aos colegas que ele “é o Bom”. – Se as autoridades entrarem no mesmo jogo e também quiserem provocar o adolescente, devolvendo na mesma moeda, como por exemplo, “mostrar quem é que manda aqui”, não haverá benefício algum para nenhum dos lados. Isto seria o equivalente a uma guerra de braço. A maneira de lidar com a presunção do adolescente é: não retribuindo com a mesma moeda, pois isto só reafirmaria esta sua maneira infantil de ser. Afinal: “se este “adulto” também age assim, deve ser isto mesmo. Esta conduta de afronta por parte de um adulto, só aprova este jeito arrogante de ser no adolescente” A maneira útil e produtiva de lidar com o adolescente rebelde é: Procurar a verdade sobre o que se passa com ele, e apresentá-la, por exemplo: – “Percebo a sua necessidade de me provocar, podemos até conversar sobre isso, mas, não estamos aqui para nos desafiarmos, então vamos ao que realmente interessa, ao que é produtivo e útil”… Nada substitui uma conversa sincera, sem a necessidade de impor moralismos. Um adulto que precisa se fazer valer da moral torna-se chato, irritante e tudo o que vai conseguir do adolescente será certo desprezo. Para não cair nesta categoria, sugiro um diálogo interno, de você com você mesmo, ao lidar com adolescentes, ou com o outro de modo geral. /como se dá este diálogo interno? É útil questionar-se daquilo que se diz e das atitudes que se toma, provavelmente este questionamento interno deixará a pessoa com algumas dúvidas e um tanto confuso, e esta forma de ser é muito mais favorável do que qualquer certeza absoluta, pois, alguém cheio de certezas estará fechada para outras possibilidades. Isto a torna um ser psiquicamente morto e praticamente chato, isto é, sem flexibilidade. E o adolescente, ou qualquer outra pessoa, tende a se esquivar e evitar o contato com alguém rígido ou inflexível.

2- Estes jovens precisam reasseguramento. Afinal, eles se sentem tanto seguros (na fase onipotente) quanto inseguros (na fase impotente), depende do seu momento. Além disso, eles desconfiam muito dos próprios recursos. – Vale à pena oferecer este reasseguramento, se ele de fato merecer, mas, nunca encobrir as falhas. “Por exemplo: -” Seu trabalho está muito criativo, você realmente tem uma imaginação e tanto. Mas há muitos erros de gramática. É uma lástima que estes erros possam tirar o brilhantismo desta redação. “Eu sei que dá trabalho, e talvez você ache meio chato estudar gramática…” (legitimar os sentimentos dele, não entrar naquele discurso: “tem que estudar e pronto, o que você sente não importa”). Continuando: “podemos pensar numa maneira mais interessante de estudar, talvez, você possa estudar com o Pedro que vai bem em gramática”. “Eu acredito que você daria um bom escritor”. . (se a colocação for verdadeira, é claro). Falar a verdade, a respeito das capacidades do adolescente, quando colocada de forma séria e franca, pode dar um belo empurrão no seu percurso de vida.

3- Ele precisa de desafios. – É importante que ele veja os estudos como um desafio. Ele precisa sentir-se instigado a querer conquistar. Adolescente necessita encarar o aprendizado como uma conquista. Para isso, o professor deve amar o que faz, tanto ensinar como também o assunto que domina. Porém, infelizmente, nem sempre é possível encontrar profissionais com este perfil, entretanto, o professor pode desenvolver estas habilidades, através de orientações para professores que levem a reflexão. Há possibilidade de elaborar conversas e palestras para os professores. Afinal, transmitir um conhecimento, sem dúvida nenhuma, é uma arte

4- Os hormônios podem atrapalhar a concentração nos estudos, ou o oposto, podem ser utilizados, justamente, para vitalizar a energia colocada no aprendizado. – O jovem tem muita energia, se ele receber motivação adequada, poderá canalizar esta força para aprender, Os próprios professores podem auxiliar o aluno a desenvolver este desejo do saber. O sexo oposto está em alta, nesta fase da vida, e isto pode ser usado a favor dos estudos. Como? O adolescente pode “aparecer” porque é bom/boa em matemática, ou em qualquer outra disciplina. O problema é que muitos querem aparecer como “palhaços”, isto acontece porque não confiam suficientemente em suas capacidades intelectuais, e/ou porque sua auto-estima está comprometida, e/ou porque procuram o caminho mais rápido para atingir seus objetivos e como veremos mais adiante, tudo o que vem rápido também acaba brevemente (não tem permanência e sustância). Eles/elas pensam que é mais fácil aparecer como palhaços do que sabichões, só que estão muito enganados, pois, as meninas/os podem até rir na hora da brincadeira, mas é momentâneo, logo isto acaba e as seqüelas serão: elas/eles vão preferir aqueles que aparecem de forma mais positiva, além disso, estes irão “chorar” depois, tanto pelas notas baixas, quanto pela perda de tempo em suas vidas e ao amadurecerem perceberão que não é interessante aparecer como um palhaço, só porque não havia outro jeito de aparecer.

Falando assim, fica parecendo uma lição de moral, porém, uma boa conversa, sem apontar o dedo no nariz do adolescente, nem abusar do poder, mas, perguntando, com verdadeiro interesse, o que se passa, querendo de verdade escutar o jovem é o caminho para auxiliá-lo. Ele quer e precisa ser levado a sério, mesmo que a principio ele mesmo não se leve, mas, uma vez que outra pessoa o considere importante, o recebimento deste olhar, é simplesmente transformador.

5- Os adolescentes estão completamente voltados ao prazer e não para a realidade – ou seja, querem prazer imediato, não conseguem perceber que este tipo de prazer é fantasioso e se desfaz da mesma maneira com que se fez, ou seja, imediatamente. O prazer que vem através de algum esforço é real e durável. –

Se  esta conversa lhe parece muito difícil. Então, vou falar da minha experiência com adolescentes, mesmo porque, não poderia falar sobre qualquer outra coisa – No meu consultório, costumo, antes de qualquer coisa, ouvir, de verdade, as questões do adolescente, seus dramas e histórias, que podem parecer tolas aos olhos de um adulto, mas, sei que nelas contém todo o universo deste adolescente. Com isso em mente, posso levá-lo tão a serio quanto ele próprio, ou ainda mais. Assim, através de validar seus sentimentos, suas fantasias, angustias medos e ansiedades, consigo um encontro com este adolescente. Se há encontro, significa que nós dois nos descobrimos um com o outro. Eu o escuto e agora, ele também pode me escutar e apreender o valor do real prazer.

Léa Michaan

15 de Abril de 2010 - Posted by | adolescentes

371 Comentários »

  1. Boa noite!Tenho um irmão de dezesseis anos,ele mora comigo pois minha mãe deixav ele muito “largado”.Ele está muito atrsado na escola cursando 6série,a situação é muito delicada.Ele não consegue fazer amizades positivas no Natl se juntou com um grupinho e foram assaltar.Graças a Deus não conseguiram e não houve efeitos maiores..Conversei mujito com ele.Estou tentando,mas não vejo ele se esforçando.Queria muito me aproximar mais dele.Mas não sei como,minha companhia muitas vezes não é muito agradável,e tenho trabalho não tenho muito tempo para ficar com ele.Queria conselhos como faço para ajudálo a conseguir as coisas na vida.Como posso melhora para que possa ajudálo.Obrigada

    Gosto

    Comentário por Valquiria | 1 de Fevereiro de 2013 | Responder

    • Olá Valquíria, você disse que seu irmão estava muito largado e por isso você está cuidando dele. O fato de ter sido largado faz com que ele apresente o comportamento antissocial. Ou seja, roube e seja agressivo, etc. Isto e um grito de esperança para que o mundo veja o seu sofrimento, o quanto ele sente que o mundo roubou dele ao não ter provido a ele um lar, uma família estruturada e uma mãe boa e preocupada, que invista nele.
      Sugiro que você converse com ele, e nessa conversa escute-o. Pergunte a ele o que sente, o que pensa, e escute, levando muito à sério.
      Este menino está numa fase muito difícil da vida e não teve alguém junto a quem ele pudesse se constituir de forma satisfatória. Esta pessoa é você. Deixe que as questões dele entrem em sua subjetividade. Assim ele sentirá que é importante para alguém e será importante para si mesmo. Poderá investir nele: estudar, se cuidar…
      Saiba que você precisa ter muita paciência e o trabalho e grande,
      Seja forte,
      Sucesso,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 3 de Fevereiro de 2013 | Responder

    • tenho uma sobrinha de 13 anos. Mora comigo, minha mãe que é sua avo e outra minha irma. Ela perdeu a mãe quando tinha 9 anos. O pai dela sempre foi ausente mais dá toda a assistencia financeira, leva e busca no colegio, assim com eu tambem. O pai dela sai com ela de vez enquando pra lanchar,,,e outras poucas coisas. Faz cinco anos que perdi minha irmã a mãe dessa minha sobrinha. E desde então tudo mudou. Minha mãe é uma pessoa ja idosa, depressiva, ja enfrentou um cancer, está debilitada,,a vida aki nao é facil. eu trabalho como autonoma nao ganho bem. minha irma desepregada. vivemos com a pensao da minha mae,,e a ajuda financeira do meu cunhado quinzenal. Mas o pior é que eu não consigo conviver legal com essa minha sobrinha,,ela é calada, abusada, mal humorada, grossa, nao respeita ninguem, só fala manso com o pai dela. Eu tenho conquista la.. mas so tenho o seu desprezo e sua falta de respeito por mim. Claro que faço coisas que nao deveria, tipo procurar fazer o maximo por ela,,,,mas so levo desaforo. o fato é que tenho pena porque ela perdeu a mãe tão cedo, de cancer. isso nos arrasou. e juro que nao sei lhe dar com essa situação. eu nunca quis ser mãe.sou artista sempre fui do mundo.. agora me vejo com esse peso,,que juro que faço da melhor maneira que posso mas estou cansada, e nao consigo saber como lhe dar com sabedoria com essa minha sobrinha, me ajudem

      Gosto

      Comentário por maria | 28 de Março de 2016 | Responder

      • Dê só afeto, amizade quando possível, escute quando puder, procure não demonstrar que ela é um peso, procure se relacionar com ela como se ela não fosse um peso, procure transformá-la em alguém para se divertir, falar de coisas legais, alegres. Esta menina precisa sentir que a existência dela não é um peso. Você pode ajudar.
        Um abraço,
        Léa

        Gosto

        Comentário por leamichaan | 26 de Abril de 2016

  2. E EM CASOS DE ADOLESCENTE BANDIDO TENTEI JÁ DE TUDO COM MEUS ALUNOS E O QUE HOUÇO É VAI TOMAR NO CÚ SEU FILHO DA PUTA, PORTANTO ME DESLIGUEI ( ELES FICAM LÁ QUEBRAM TUDO) SÓ GARANTO QUE ESTEJAM EM SALA. SE HÁ REALMENTE ALGUMA SOLUÇÃO QUAL É? AFINAL A ESPERANÇA É A ULTIMA QUE MORRE.

    Gosto

    Comentário por GUSTAVO | 22 de Fevereiro de 2013 | Responder

    • Pode ser que estes adolescentes apresentam o comportamento antisocial como forma de pedir ajuda. Eles fazem o inferno para comunicar o inferno que há dentro deles. Provavelmente são frutos de familias desestruturadas e não tiveram um lar e nem uma mãe suficientemente boa. Se você quiser ajudá-los encha-se de paciencia e olhe para cada um deles como um desafio. Chame em separado cada um para conversar e abra seu coração para ouvir as mágoas, as tristezas e o inferno que habita o coração de cada um deles. A sua escuta pode trazer um pouco de esperança e conforto para estes adolescentes.
      Saiba que será muito difícil transforma-los, mas a sua escuta pode fazer um bem muito grande. O tempo dirá, pode levar meses e até anos para que você possa enxergar os frutos de sua escuta ativa e por meio dela dar acolhimento e compreensão para estes adolescentes!
      Seja forte e paciente,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 24 de Fevereiro de 2013 | Responder

  3. Boa tarde! Tbm tenho dois filhos adolescentes..e agora um bebe tbm. Tenho muitos problemas com os dois na parte de estudo..os dois ja reprovaram…isso é muito triste..pq sempre estamos discutindo…peço q estudem e eles dizem q vão mudar e nada acontece…dizem q fizeram a lição, mas percebo que fazem apenas p nao levar ocorrência do colegio…o mais velho esta sempre mentindo e ainda pra piorar ele vive se oferecendo para as meninas do colegio…(qualquer uma) e como ja vi suas conversas em sites de relacionamento (facebook) elas nem respondem as investidas dele e outras respondem grosseiras, ( com toda razão) mesmo assim, ele não desite. Fala de sexo com algumas…me assusta pq são coisas nojentas. Tento conversar…perco a paciência e acabo brigando…pq como todo adolescente me olha com aquela cara de que sabe tudo…queria formas de poder ajuda los…mas não sei como. O mais novo nao tem problema de relacionamento com outras meninas…ele é mais social…tem muitos amigos…os amigos gostam muito dele. O mais velho nao tem amigos e cada vez sinto que isso esta ficando pior. Penso que ele tenta forçar essas investidas com as meninas por se sentir sozinho…mas ja explicamos que da forma que ele utiliza não esta dando certo…mas ele diz vai parar, porém mal viramos as costas ele começa tudo novamente. Por que será que nao obedece e por que insiste com essas atitudes?
    Agradeço pelo texto que foi muito esclarecedor.
    Mônica.

    Gosto

    Comentário por Mônica | 4 de Março de 2013 | Responder

    • Quando um adolescente não quer estudar é sinal que ele sente que não vale a pena investir em si mesmo. Eh sinal que ele está com a autoestima baixa. No caso do seu filho mais velho você diz que ele se sente muito sozinho. Você além de exigir que eles estudem, façam a lição e pare de amolar as meninas também conversa? Voces tem diálogos? Conversar e dialogar não é passar sermão, mas escuta-los. Se interessar pela vida deles, querer saber o que eles sentem e o que eles pensam sobre tudo, não so escola. E onde está o pai? Se vocês não colocam a mente e as emoções a serviço deles, eles acham que não vale a pena investir neles e isto baixa a autoestima deles. Se vocês não investem tempo e dedicação para eles, é sinal que eles não são dignos de investimento e não investem neles mesmos. Não estudam e não fazem lição. Se vocês passam muito tempo cobrando lição, dá a impressão que só se interessam pelas notas deles, não por eles mesmos, e eles perdem o interesse em estudar.
      Sugiro que vocês comecem a se envolver afetivamente com seus filhos e deixem de cobrar as lições. Imagino que não deve ser fácil com o bebezinho. Sera que eles sentem ciumes do bebê? Eh do mesmo pai?
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 4 de Março de 2013 | Responder

      • Agradreço muito vc ter respondido…sim o bebe é do mesmo pai…esses dias parei para analisar o motivo que fazia ele ficar pedindo tanta atenção das meninas e pedir para namora-las ( ele tem 17 anos) faz tempo que faz isso. Por mais que estejamos sempre todos juntos e todos os dias…acho que ele é carente. Pq todas as suas atitudes são repreendida (ele é inconveniente em algumas atitudes e mente nos deixa sempre desconfiados) Sinto que estamos fazendo mal a ele, mas não consigo organizar nossas atitudes referente a ele. Quando vc me perguntou onde esta o pai…percebi o quanto ele pensa que é um ótimo pai pq faz tudo por eles…mas,precisa entender que eles precisam de carinho, atenção e aceite como eles são. Chega ser cansativo ver eles juntos..pq discutem por tudo…os filhos que estão na idade de achar que sabem tudo e o pai que não quer ficar por baixo. Queria ajuda-los a saber lidar com tudo isso. Vou mostrar para meu marido o que vc me escreveu dizendo que mudando em nossas atitudes com os dois quem sabe consigamos ver algum efeito nas atitudes dos dois.
        Novamente te agradeço foi bom ler seus conselhos ainda mais com sua experiência.
        Um abraço
        Mônica

        Gosto

        Comentário por Mônica | 6 de Março de 2013

  4. Ola boa noite, meu Nome e Mara e tenho um filho de 13 anos que tem se mostrado muito rebelde e ate um pouco agressivo de um tempo pra ca, sempre tive um a criacao muito rigida e acabo passando isso pra ele, ele est a mentindo muito pra mim, esconde as provas e nunca me fala a verdade, seu que ele and a se envolvendo com um a menina tbm, eu nao seu como lidar com essa situacao. Por favor me ajude!

    Gosto

    Comentário por maracamposmg@yahoo.com.br | 6 de Maio de 2013 | Responder

    • Olá Mara, penso que ele é rebelde, mente e esconde as coisas por causa da rigidez. A rigidez é a falta de acolhimento, compreensão, flexibilidade em aceitar o seu filho do jeito que ele é. Rigidez é a falta em oferecer ao seu filho um mundo em que ele possa ser criativo e ser aceito por você na singularidade dele. Esta rebeldia é em oposição à rigidez que ele foi “obrigado” aceitar desde bebe e durante a infância, por ser dependente ele não tinha escolha. Agora que ele entra na adolescência ele se opõe à tudo o que foi “forçado” a aceitar quando era menor.
      Chegou o momento de uma boa conversa com ele, mas nesta conversa você precisa de outra postura. Estar aberta para ouvir, aceitar, acolher, falar sobre a vontade de ser mais flexível. E de fato ser assim. Talvez para ajudar o seu filho você precise de algumas sessões de terapia para se libertar do registro de pai e mãe rígidos que você carrega em você. Isto é uma corrente transgeracional e você pode interromper e fazer seu filho ser mais feliz quanto filho e você ser mais feliz quanto mãe.

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 7 de Maio de 2013 | Responder

  5. ola tenho uma filha de 17 anos querendo namorar sério um rapaz de má indole pensando em até sair de casa, ela está muito rebelde provocando muita briga no meu casamento.

    Gosto

    Comentário por gerson marques | 19 de Maio de 2013 | Responder

    • Você precisa agir com muita sabedoria e jogo de cintura. Se você brigar e exigir, esta sua atitude será análogo ao elástico que você puxa pra trás e sua filha voltará correndo para o namorado. Ela precisa sentir-se amada, compreendida, acolhida. Então será necessário conversar com ela. Ouvindo as razões que a levam para este namorado e depois de ouvir, conversar sempre dizendo e demonstrando que você não é a favor deste namoro porque a ama, porque quer o bem dela, porque não quer que ela sofra. A sua filha precisa sentir que ganhará muito mais estando com você do que com este namorado. Tenha paciência e aja com afeto!

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 19 de Maio de 2013 | Responder

  6. boa noite! tenho 29 anos e tenho uma filha de 13 anos,nossa relação sempre foi muito complicada até porque tive que trabalhar e larga ela de mão em mão,sendo também mãe solteira.mais de uns tempo pra casa exatamente em dezembro do ano passado ela veio com uma agressividade fora do normal,e nos enfrentamos,sendo q tenho que trabalhar e ela se juntou com um grupinho na escola que e da confusão que por algum motivo ela sempre esta envolvida,já fui para o conselho tutelar 2 vezes e nem sei mais que rumo tomo,pois tento preencher o tempo que fico fora com presentes,roupas etc… sinto que estou estragando minha filha pois ela se tornou uma interesseira de primeira.no conselho tutelar pediu para eu fazer por mim e deixar ela de lado, negando esses mimos que venho fazendo com ela.mais acabo dando pois tenho muito medo de ela se envolver com drogas.ajude _me estou desesperada quero muito uma chance der mudanças com minha filha.por favor socorro….

    Gosto

    Comentário por viviane mendes dos santos | 27 de Junho de 2013 | Responder

    • Tudo o que a sua filha precisa é receber atenção, carinho, compreensão, dedicação, enfim: Amor.
      Você era muito jovem e provavelmente imatura quando ela nasceu. Você tinha 16 anos e precisava trabalhar e se ocupar de uma bebezinha, com certeza foi muito difícil pra você. Mas, agora, você já tem 29 anos e pode compensar o tempo perdido. Então se interesse pelo mundo de sua filha, pergunte com amor, não fazendo inquérito. Escute com muita atenção o que ela diz. Ajude-a à pensar nos probleminhas dela, envolva-se com as questões de sua filha. Abra a sua subjetividade para receber as emoções, os pensamentos e os sentimentos de sua filha. Só esta atitude poderá ajuda-la. Tente colocar-se no lugar dela e identificar-se com ela.
      Este gesto fará muito bem para ela e também para você!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 1 de Julho de 2013 | Responder

  7. boa tarde tenho uma filha adotiva de 17 anos só tenho ela , de um anos prá cá ela esta saindo pera as baladas todas as sexta feira e só chega de madrugada com forte cheiro de bebida e fiquei sabendo por ela mesmo que fuma tambem não faz nada dentro de casa como lavar uma roupa ou ate mesmo um prato que come ,ela me parece muito real e verdadeira no que fala não mente. fico preocupado com horario de chegada não durmo até ela chegar e quando chega começo a brigar porque percebo cheiro de bebida e fico nervoso como devo proceder para não ter problemas no futuro e não causar discordia

    Gosto

    Comentário por felix | 15 de Julho de 2013 | Responder

    • O caminho para você se aproximar dela é demonstrando que ela pode confiar em você! Brigar com ela só irá afastá-la mais e mais de você e consequentemente poderá haver problemas no futuro. Isto é o que você quer evitar!
      Procure conversar com ela, e saiba que conversar não é passar sermão. Conversar é escutar abrir-se para compreende-la e depois de escuta-la, ela também irá escutar você. Saiba que uma moça adotada pode carregar um sentimento de revolta e rejeição e para amenizar estes sentimentos negativos, é necessário muito acolhimento. Só isso poderá evitar problemas no futuro!

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 15 de Julho de 2013 | Responder

  8. A minha neta de 14 anos mora comigo a algum tempo. Ultimamente esta mto dificil a nossa relacão.Bate boca esta pemanente. Tento dialogar com ela mas esta mto dificil. Ela fez algumas sessões com picoterapeuta mas foi so no momento com o medico que ela melhorou. Pelo menos não fugiu de casa. Aceitei o namorado , converso mto com ele tornei amigo dele. Mas mesmo assim bate de frente comigo. A ultima briga foi que ela queria trazer uma amiga de outra escola para estudar em casa. Não sei onde ela conheceu a garota. Disse para ela trazer amigos da escola para estudar mas argumentou que eles não podiam, mas antes estudavam juntos. Qdo disse para ela falar a verdade ela me avancou e disse que eu estava dizendo que ela era mentirosa e não admitia. Por favor o que posso fazer para melhorar ?

    Gosto

    Comentário por iracema shimozato | 13 de Setembro de 2013 | Responder

    • Sua neta está revoltada. A melhor coisa para amenizar a revolta é não critica-la. Escute-a e procure aceita-la como ela é! Tente se colocar no lugar dela. Ela precisa sentir que você e sua casa são o lar dela. Um lar acolhe, dá afeto e compreende. Transforme a família de vocês numa nuvem quentinha e gostosa, tente rir com ela e falar de outras coisas além das obrigações e deveres dela! Pouco a pouco a revolta passa e a relação pode se tornar muito gostosa.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 13 de Setembro de 2013 | Responder

  9. Oi tenho um filho de 16 anos, acho ele muito agressivo, respondão, não respeita ninguém, nem eu que sou a mãe e nem o pai. Fico muito triste pois ele me responde com muita autoridade, fala palavrão, fica só isolado no quarto no computador e celular. Tenho muito medo que ele siga mas companhias e siga o caminho errado, converso muito com ele, mas parece que ele não a mínima pra mim e minhas opiniões. Ele não quer saber de estudar, só quer saber de rua e namoradinhas, vai muito mal na escola e já tomou uma bomba. O pai é muito distante dele, já perdeu a paciência. Prefere se afastar, fechar os olhos pra tudo e deixar tudo nas minhas costas. Não sei o que fazer, como agir com essa rebeldia toda. Queria mesmo é que essa fase passasse logo e ele se tornasse um homem de bem, trabalhador e honesto. Me ajude como faço para lidar com tudo isso!! Choro tanto com o jeito que meu filho me trata, sem amor, com falta de educação, sem respeito algum. Estou muito cansada!!!!!! Um abraço!!!!

    Gosto

    Comentário por Mary | 18 de Setembro de 2013 | Responder

    • Ele está revoltado com a vida e o mundo e você está revoltada com ele. Precisamos interromper este circulo vicioso! Pare imediatamente de cobrar, de exigir, e fazer sermão e inicie uma nova relação com ele. Mostre que você tem interesse nas namoradinhas e nos interesses dele. Abra-se para o universo dele, e pouco a pouco ele começará a olhar você com outros olhos. Pergunte a ele como ele se sente me relação ao pai. Compreenda-o e acolha-o. Pergunte se ele precisa de dinheiro, ou alguma coisa, que você possa ajudar. Conforme ele perceber a sua mudança ele se aproximará de você. Vocês estão muito distantes, precisam se aproximar.
      Quando vocês estiverem mais próximos, você poderá dizer que está preocupada com ele, e pergunte como ele acha que você poderá ajuda-lo.
      Tenha paciência, escute o seu filho que ele escutará você, e mais importante do que tudo: Aproxime-se do universo dele!

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 21 de Setembro de 2013 | Responder

  10. boa tarde;queria muito poder entender e ajudar minha enteada,ela faz 14 ano esse mês;quando ela nasceu meu esposo tinha 16 anos e a mãe + d 18;(obs:pai e mãe ñ conviveram) ela ficou poucos meses com a mãe e foi criada c/o pai e os avós paternos 2 tio e 1 tia;sendo q ela considera os avó^s como os pais;ela ñ chama meu esposo de pai e ñ o respeita quando passei a conviver c o pai dela ela tinha 8anos ,desse tempo pode ver q ela foi criada sem regra e sem limites ;sempre nas casas dos vizinhos e na medida q foi crescendo indo p/casa das tias só; em cidades vizinhas;e acabava aprontando,com 9anos ela já mandava carta p/rapazes bem mais velhos;ultimamente reprovou 2anos ñ quer estudar,respondia o professor e quer ser a engraçadinha da turma;brigou c o avô e veio morar com a gente (me dou bem com ela) uma vez escreveu umas cartas como se ia cometer suicidio por o pai ter tomado o celular como punição das rebeldias e reprovação na escola,depois de tanta rebeldia fui com ela n psicologo;conselho tutelar e a encaminharam p/creas onde teve algum acompanhamentos de psicologa;ela ñ obdecia o pai e volto p/casa dos avós,depois foi passar uns meses c/ agente novmente e ficava indo ajudar a tia; e ficou por lá uns meses;conheceu um rapaz de 18anos começou a namorar(antes já teve outros)descidiu q queria viver com ele;o pai e eu conversamos com ela e o rapaz sob;q eles terminar os estudos,muito novos,vida de casado,conseqëncias de um casamento por impulso (ñ tinha nem 2 meses d namoro)decidiram casar n fim d ano(2013)começou sua vida sexual,voltou a morar c avó e mudou de escola e bairro,começou a ficar com um e com outro; o namorado terminou;continua dando trabalho n escola;e a escola recomendou psicologo;obs:a mãe passa ano sem ver é raro ligar;sempre tem o q quer e quase sempre vai p/onde quer;foi crianda vendo tios e pai (antes d casar) com liberdade de levar muitas mulheres p/casa,fara….tem 3 irmãos (1 de pai e 2 de mãe)um dos tios é muito grosso diz palavras grosseiras e poucos tentam ajudar;sempre tive vontade de poder ajudar q ela se torne alguém melhor;;;;;sei q é um texto longo más queria poder passar detalhes q possa me ajudar a fazer algo p ela!!!!fico grata se me responder!!

    Gosto

    Comentário por jane | 25 de Setembro de 2013 | Responder

    • Esta menina foi abandonada pela mãe e sente-se um estorvo, uma pedra no sapato para o pai e para toda a família. Ela é imensamente carente e sente um alívio no carinho que recebe por parte dos garotos. Este carinho é apenas um alívio imediato, mas não a satisfaz porque os garotos estão focados na satisfação pessoal e não na menina. Ela precisa receber afeto de forma constante e duradoura e estes garotas não possuem recursos para dar. Ela apresenta um comportamento antissocial como sinal de esperança, um pedido de socorro. Uma forma inconsciente de dizer ao mundo que ela não está bem.
      Esta menina precisa ser adotada por uma família estruturada que esteja disposta a escuta-la e acolhe-la. Receber um lar estruturado onde ela possa se apoiar e descobrir que pode ser amada. A autoestima dela está em frangalhos. Só depois que estas necessidades básicas forem satisfeitas, ela poderá se ocupar com o próprio desenvolvimento: estudar.
      O seu gesto em escrever para mim denota predisposição para cuidar da menina. Quem sabe esta família pode ser a sua? Escute-a e abra espaço dentro de sua subjetividade para ela. Procure identificar-se com ela e prover a ela o que necessita para se tornar uma menina saudável psiquicamente, emocionalmente e feliz!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 29 de Setembro de 2013 | Responder

  11. Boa tarde, tenho uma filha adolescente de 13 anos, tive ela com 19 anos, ela se criou praticamente com a avó, eu me casei ei tive uma outra filha q esta com 6 meses, trouxe ela morrar comigo mas ela não conseguia se adaptar, e diz não gostar do meu esposo,desde entao começou a dar problemas,ai ela voltou a morrar com a avó,
    Mas de uns tempos para ca ela tem dado muitos problemas na escola diz q vai pra escola e n vai, quer sair de noite, quando sai amanhece fora de casa, ja fomos no conselho tutelar ela esta indo no psicologa, mas acho q nao esta adiantando muito!
    Ela nunca fala onde esta quem sao seu amigos, a principio não a indicios que esteja envolvida com drogas bebidas etc.Por favor me ajudem. Obrigado

    Gosto

    Comentário por Rosiane | 16 de Outubro de 2013 | Responder

    • Sua filha esta sofrendo demais sentindo-se muito carente. Ela se sente rejeitada pelo pai e dói muito no coração dela ver a irmãzinha sendo amada, acolhida e querida pelo pai e pela mãe. Quando ela foi morar com vocês ela sofreu mais ainda porque convivia com a irmã, vendo a vida ofertar o que lhe falta e o que ela mais deseja sendo ofertado para a irmã. Quando a gente deseja, ou precisa de algo e não tem dói ver que o outro tem. A irmãzinha usufrui do afeto que a sua filha sente que roubaram dela. Por isso ela se revolta. O adolescente quando sofre é um rebelde. Sua filha esta com a autoestima muito prejudicada e por isso não tem motivação de investir em si mesma, portanto, não vai a escola. Ela precisa receber muito carinho, amor, atenção e necessita que você procure-a todos os dias, não para passar sermão, e sim para escutá-la, compreende-la e ama-la. Este é o remédio que ela precisa. Converse com a avó para que possa compensar a menina com o amor que ela sente que lhe faltou.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 17 de Outubro de 2013 | Responder

  12. Boa noite, tenho uma filha de 12 anos q não tem limites, desde 12/2012 ano passado dá trabalho, sou mãe solteira de 38 anos, o pai a via de 2 em 2 meses, mas anda com descaso e não aparece mais. Quando falo a ele de problemas dela , só sabe criticar e não faz nada p ajudar. Desde os 5 anos dela começou ter vontade própria e gritaria fora do normal. Aos 8 na escola levava advertência o tempo todo, e ocorria mta briga. ah com 5 anos ela foi diagnosticada c altas habilidades e um pouco hiperativa. frequentou por algum tempo e parou altas hab.. O fato é q sempre deu problema de advertencia e suspensão na escola, esse ano teve muitas já na 4ª escola. Ela sempre, até o ano passado era uma menina carinhosa e companheira, até obediente e me ajudava. Desde de janeiro começou a mentir e a dormir em casa de colega e ia pra balada,chegava de manhã. várias vezes passava o dia fora em casa de colega, e outras dormia fora, sem meu consentimento, pois não aprovo isso. Uma vez ela ficou 4 dias/noi na casa de uma menina perigosas q até cheiravam loló, não anda mais com elas. Já fui duas vezes no conselho tutelar, fui na assistente, ms td continua igual. Ela ainda dorme fora, Sou cristã e ela tá desviada. Está indo em uma igreja evangélica mas por brincadeira e amizades, mas essas amigas são más companhia, já vi conversas absurdas delas no facebook sobre namorado e sexo, Dou conselhos a minha filha e não adianta, acho um absurdo ela ter mais de 2000 amigos no faceb. No meio do ano ela me respondeu e eu fui bater nela e ela veio me agredir. Ela começa a discutir e não para e fala alto. Ela não me obedece. Ela tem sido mto rebelde, não me respeita e não me ajuda e n quer fazer nada em casa. O quarto dela tem roupa jogada no chão e sapatos p todo lado.é uma bagunça e ela n liga. Vai á shopping c as colegas, não me pergunta se pode.O pai disse que não quer ficar com ela. Mandei ela p avó e ficou 2 semanas e meio,antes fiz recomendações de melhoras,voltou p minha casa e parece q não adiantou, começou td de novo, chega meia noite, e até 2 da manhã, continua dormindo de vez em quando na casa de colega, são mtas da escola e vizinhas de rua. Ela diz q ainda é virgem. Uma vez fiz um teste de TDHA pela internet e deu positivo, tenho encaminhamento pro neuro, ms ainda não fiz. Acho ela um pouco precoce, ela parece ser normal, mas suas atitudes são fora do normal. Me ajude Léa , por favor , já sofri mto esse ano por td isso! obrigada.

    Gosto

    Comentário por Rosa | 23 de Novembro de 2013 | Responder

    • Olá Rosa, sua filha está rebelde porque sente falta de amor paterno. Esta menina precisa se sentir muito querida, amada, compreendida. Ela precisa ter a segurança que na casa dela haverá acolhimento para as inquietações dela, caso contrário, ela procura este acolhimento fora. Seja carinhosa, escute-a com atenção e não pase sermões. Esta menina precisa gostar de ficar perto de você. Se interesse de verdade pela vida dela e pelo mundo interno: os pensamentos e os sentimentos dela. Escute de forma atenta, identificando-se com ela. Este é o melhor camilnho para ajudar a sua filha e fortalecer o vinculo de vocês duas. Ela deve sofrer muito quando vê que você quer mandar ela pro pai, pra avó, ela se sente um trambolho para todos e se revolta mais e mais.
      Demonstre carinho, amor, seja acolhedora e não a ameace de mandar embora.

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 24 de Novembro de 2013 | Responder

  13. Querida Léa, mto obrigada pela ajuda e recomendação, já estou colocando em prática. Vc é um amor.
    Q Deus te abençoe..

    Gosto

    Comentário por Rosa | 24 de Novembro de 2013 | Responder

  14. Boa noite! Eu tenho uma filha de 16 anos que sempre foi a maior bencao da minha vida. Ela tem comportamento amavel e um tanto introvertido, mas sempre fomos muito chegadas. O problema eh que recentemente ela arrumou um namorado de 27 anos e nenhuma de nos sabe lidar com essa situacao. Eu tenho duvidas quanto ao carater dele porque, num momento meu de desespero, eu invadi o celular dela, e vi o tipo de mensagens que ele envia pra ela. Em algumas mensagens se ve claramente duplos sentidos com conotacao sensual, outras mensagens em que ele faz queixas de mim e da minha familia, como se tentasse joga-la contra nos. Eu por mais que tente nao consigo aceitar esse namoro, tentei por diversas vezes conversar com ela e abrir seus olhos, mas ela so ve o que lhe convem e ja nao sei mais lidar com essa situacao. Meus amigos e familia dizem que eu devia proibir, mas eu nao queria reprimir os sentimentos dela a esse ponto. Eu nao queria ver seu sofrimento imposto por mim. O pai dela eh ausente. Ele a ve 2 vezes por ano, devido as mais diversas justificativas. Nao posso contar com ele. Ela diz que nunca esteve tao apaixonada na vida, se queixa do fato de rejeitarmos o namoro, e julga nao haver nada de absurdo na diferenca de idade deles, tampouco no comportamento dele. Recentemente eu impus a condicao de eles so se verem dentro do nosso pequeno condominio. Falei com todas as letras que sair junto estavau proibido, e cheguei a ameaca-lo de fazer queixa de sequestro se minha condicao fosse desrespeitada. Minha intencao foi mostrar pra ele que vai ser ele quem vai ter que se curvar a um namoro de adolescente, da idade dela, e nao vai ser minha filha a seguir o ritmo dele, de adulto. Eles respeitaram.. mas essa condicao falhou. Os vizinhos vieram se queixar porque certamente aquela cena os chocou como choca a mim. Chegaram a falar que estavam namorando no condominio de modo a exceder a moral do lugar. Apesar de eu acreditar que esse comentario foi exagerado porque havia cameras e porque confio na minha filha, passei a me preocupar com a reputacao dela. Agora nao sei mais o que fazer! Nao quero abrir as portas da minha casa para dar a ele intimidade, nao quero que ele passeie com ela fora do condominio porque nao confio nele, e nao posso mais deixa-los namorar no condominio tambem.. Ela se queixa de eu nao deixa-la crescer. Mas o problema pra mim eh nao confiar nele, por tudo que ele representa. Eu tive minha filha com a mesma idade que ela tem agora, e absolutamente nao posso deixar que ela seja manipulada e estrague sua vida por causa de um relacionamento desequilibrado.. Estamos todos sofrendo com essa situacao e eu absolutamente me sinto perdida.

    Gosto

    Comentário por Caroline | 11 de Dezembro de 2013 | Responder

    • Você diz que a sua filha está apaixonada por ele, então, o melhor que você tem a fazer é recebe-lo muito bem, aproximar-se dele e conquistar a amizade dele. Assim você ganha os dois, a sua filha e ele. Se você não se aproximar dele, corre o risco dela se afastar de você. Saiba que quanto mais você for contra e proibir este namoro, mais ela vai desejá-lo. Convide-o para jantar com vocês, converse com ele e acolha-o. Sua atitude poderá transformá-lo em seu amigo e não em seu inimigo. Ao invés de proibir a sua filha de namorar, procure conversar com ela, escute-a e esteja aberta para ouvir que ela pensa em transar com ele. Se ela disser isto, respire fundo e instrua-a de forma afetiva, fale sobre as proteções necessárias para não receber alguma doença sexualmente transmissiva, fale sobre métodos anticoncepcionais e pensem sobre uma consulta ginecológica. Isto é ser mãe. Difícil né?
      Te desejo força e se você precisar de algum respaldo psicológico, procure um psicólogo para te orientar. Se você mora em São Paulo, fique a vontade para me procurar: 11- 2628-1439.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 12 de Dezembro de 2013 | Responder

  15. ola minha filha tem 15 anos e me disse que gosta de mulher mas ja foi apaixonada por um garoto so que eu a imopedi pois so tinha 11 anos e ele 16. não sei como lidar com essa situação. no primeiro momento brigamos muito agora não consigo conversar mais. não aceito que ela tenha ja sua opçãp sexual definida. sera que é apenas uma fase de experiencia ou foi uma maneira que encontrou pra me castigar por não ter aceitado o namorado com 11 anos.

    Gosto

    Comentário por maria ciana de souza alves | 11 de Dezembro de 2013 | Responder

  16. Olá!Tenho um filho de 16 anos que esta andando com uns meninos que não me agradam, não são boa coisa.Ele se acha o mau, o poderoso, fala pra mim que não tem o coração bom, que é malandro mesmo, que ele é pior do que eu imagino.Ele trabalha, estuda, mas me maltrata, me responde, me faz chorar muito.Estou desesperada, por que quero controlar tudo o que ele faz, onde vai, com quem, por mim deixaria ele preso dentro de casa, fora desse mundo em que a gente vive hoje em dia.Falei que iria mudar de casa, mas ele disse onde formos eu arrumarei amizades assim, que se pareçam comigo.Por favor o que faço!!!Obrigada

    Gosto

    Comentário por Adriana | 16 de Dezembro de 2013 | Responder

    • Olá Adriana, a idade que seu filho está passando é critica. Penso que por causa de sua preocupação, você passa o tempo todo exigindo, cobrando, ameaçando, fazendo inquéritos, etc. Então a relação de vocês está desgastada e desgastando cada vez mais. Você precisa reconquistar o seu filho. Como fazer isto? Conversando sobre temas agradáveis para ambos. Conte alguma coisa interessante que aconteceu no seu dia, sem cobrar, sem exigir e sem passar sermão. Mude o tom da conversa. Ria e se divirta junto com ele. Seu filho precisa reaprender a gostar de falar com você, e você precisa deixar de a cada vez que chegar perto dele “ser chata” (desculpe o termo). Vocês se reaproximarão e ele poderá confiar mais e conversar mais com você. Quando você conversar com ele pergunte-se a si mesma: Será que isto que eu digo é chato? Se for, você estará afastando-o de você. Se a conversa for agradável, você estará aproximando-o de você!
      Felicidades,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 16 de Dezembro de 2013 | Responder

  17. Oi minha querida!Obrigado por ter me respondido, vou me policiar para agir assim como vc me aconselhou.Deus t proteja e a abençoe.Feliz Ano Novo

    Gosto

    Comentário por Adriana | 16 de Dezembro de 2013 | Responder

  18. Olá.. tenho um filho de 16 anos e sempre demos td q ele quis na medida pudemos. Estuda em escola particular, sempre converso com ele sobre a importância de estudar pra ser alguem na vida, mas ele é apenas mais uma cadeira na sala de aula.. n estuda, não faz tarefa, apostilas em branco, caderno desorganizado, não separa as matérias. No início de 2013 me mudei do interior pra morar no RJ e deixei ele na tia pq ele não queria vir de jeito nenhum. Mas sabendo q n tinha pais, vivia na rua em festinhas e voltava de taxi como se fosse dono do próprio nariz. Chegou a beber bebida alcoolica na casa de um amigo q os pais certamente permitem. Então eu resolvi trazê-lo pra morar conosco, seus pais. Mas ele veio mais rebelde ainda, me responde, só quer jogar no computador, chega a ficar sem comer por conta disso.. se eu deixar ele vira a noite ali. Eu não permito isso então coloco regras, converso, explico q isso não dá futuro, mas ele me afronta com ironia, fica se comparando com a irmã pequena, diz q não tem nada, q ngm dá nd pra ele, se faz de coitado, coisa q ele não é. Larguei meu trabalho pra ficar com meus filhos, me dedico 24 hrs a eles, levo em festinhas, busco a hr q for, levo nos amigos, na academia, onde ele quer eu levo e busco, dou dinheiro pra comer, faço as comidas q ele gosta.. Não sei mais o que fazer! As conversas são sempre cobrando pq ele não quer sair com a gente, só quer ficar no computador pq não tem amigos aqui no Rio, moro num condomínio que parece um clube e ele não quer fazer amigos, nunca desce! Nem qndo chamo pra ir comigo! Ele não me ajuda em nada em casa, se peço, faz reclamando e sempre pergunta o q a irmã fez. Não quer estudar, não quer trabalhar, não quer nada!!! n tem iniciativa pra nada! Só enxerga o lado negativo das coisas, tudo é difícil, encontra dificuldade nas pequenas coisas. Não sabe mas tbm n procura aprender. O q eu faço???😦

    Gosto

    Comentário por Erika | 3 de Janeiro de 2014 | Responder

    • Olá Erika, seu filho sofre muito com o amor que vocês dão à irmã. Você diz que ele se faz de coitado, saiba que quando nasce um irmão, o mais velho sofre tanto como se o seu esposo trouxesse uma outra mulher para casa e te dissesse: Não se preocupe, eu vou amar você do mesmo jeito que eu amo ela, eu te darei as mesmas coisas que eu darei para esta nova mulher, vou tratar as duas da mesma maneira. Esta é a dor.
      Ele sente que não bastou pra vocês e por isso vocês tiveram a irmãzinha. Se ela é de outro casamento, a dor á maior ainda, porque o pai dele o deixou, porque seu atual se dedica mais a filha, porque ele se sente um estorvo, ele capta que é uma tranqueira pra vocês e por isso se comporta como uma tranqueira. Ele comunica inconscientemente o que sofre. Este menino precisa de afeto, mais afeto e mais afeto. Saiba que cada olhar de afeto que você dá a menina, ele se sente excluído e rejeitado. Ele sente que você paga escola, dá dinheiro, faz a comida dele, mas não investe amorosamente e afetivamente nele, por isto ele também não investe em si mesmo, ele não estuda, etc. Ele encontrou nos jogos do computador uma maneira de fugir do mundo e esquecer dos seus sofrimentos. Ele te ama muito e não ta tolerando ficar de fora da relação que você tem com a filha. Ele precisa receber disponibilidade de você. Estar disponível para ele é escutá-lo, levar a serio o que ele diz, se condoer das dores dele. O comportamento antissocial que seu filho apresenta é um sinal evidente de pedido de socorro. Ele imagina que a irmã roubou o espaço que ele tinha dentro do coração de vocês e isto dói muito.
      A autoestima do seu filho está sendo destruída e se ele não é merecedor de afeto e disponibilidade ele sente que é um porcaria e não vai investir em si e nem na vida. Cuide dele não por obrigação de mãe, mas por amor. Ele sofre.
      Te desejo força, que seu coração se abra para leva-lo a sério no que ele diz e no que ele sente.
      Felicidades,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 5 de Janeiro de 2014 | Responder

      • Obg por me responder.. meus filhos são do mesmo pai e q tbm é meu marido.. Vou conversar com ele para q juntos possamos nos unir e dar esse carinho e afeto q falta para meu filho! Mto obg.

        Gosto

        Comentário por Erika | 6 de Janeiro de 2014

  19. Eu tenho um filho de 19 anos q saiu de casa da pior maneira possível, acabou de dar baixa no exército e teria q voltar pro trabalho, pois trabalha desde os 16, o problema maior é q ele após uma briga minha com o pai ele pediu q eu escolhesse entre eles dois, e claro q isso não é possível, o pai tentou se retratar com ele, pois mesmo sendo um pai q não deixa faltar nada material, não sabe expor seus sentimentos e isto criou atritos entre os dois. Meu filho diz a todos q detesta o pai e não pode viver na mesma casa q ele. O q faço pra ter meu filho de volta???

    Gosto

    Comentário por Viviane Flores Ferrara | 12 de Janeiro de 2014 | Responder

    • Você vive no fogo cruzado entre o filho e o marido. Você precisará ser muito sábia para mediar o que acontece entre estes dois. Em primeiro lugar, saiba que o seu filho pode estar morando em outro lugar e vocês podem estar muito próximos. Converse e escute-o. Isto aproxima vocês. Penso que seu filho e o seu marido brigam porque disputam você (inconscientemente). Seu trabalho será aproximar os dois. Não tomar partido, enxergar o lado de cada um deles, dar espaço para eles desenvolverem a relação. Parece que há uma dificuldade em viver a relação triangular pai-mãe-filho. a dinâmica familiar é binária ou mãe-pai, ou mãe-filho. Você pode promover esta forma de relacionamento sendo muito sábia, procurando não entrar em complôs. Seja paciente e promova estes encontros: almoços, jantares e situações familiares que propiciem a relação triangular.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 14 de Janeiro de 2014 | Responder

  20. Olá, Léa! Sou mãe de uma menina de 14 anos e meio e de um menino de 10. Minha filha é muito madura para a idade, responsável, estudiosa, querida por todos. Dos professores, amigos, parentes e vizinhos só recebo elogios, dizem sempre “Que menina doce, meiga e educada”. No entanto, aqui em casa, ela parece uma outra pessoa. Desde pequena seu temperamento é forte, mas na adolescência isso aumentou. Mostra-se mal-humorada na maioria dos dias, o tratamento dado a mim e a seu irmão é quase sempre de desprezo, impaciência, grosseria e aspereza ao falar. Sou divorciada há 3 anos e meio. Ela vê o pai semanalmente e os dois se dão muito bem, minha filha é incapaz de alterar o tom de voz ao se dirigir a ele. O processo do divórcio pareceu bem aceito por ela na época, mas agora percebo que há um ressentimento por eu ter tomado a decisão. Já lhe perguntei isso, mas ela nega.Sinto que ela me odeia em alguns momentos. Nossa vida mudou bastante, principalmente na questão financeira, por isso, desde que me divorcie, trabalho mais horas e fico pouco tempo em casa. Nos fins de semana procuro fazer programas em família. Estou no meu limite, às vezes me pego aliviada por ela não estar em casa, seu comportamento tem criado em mim antipatia por ela. Sinto-me culpada e péssima com isso. É claro que eu amo minha menina! Só estamos precisando nos entender. Ela fez terapia ano passado e sua psicóloga me disse que ela reclama de mim e não se enxerga fazendo tudo isso que eu narrei. Sou tranquila, mas não admito filho gritar comigo. Já cedi em muitas coisas, faço vistas grossas para o quarto desarrumado, a cozinha, a preguiça, etc…mas respeito entre as pessoas da casa é fundamental. Seu texto já me deu algumas dicas sobre o que eu preciso mudar em relação a ela. Se você puder me orientar de maneira mais direta, ficarei bastante grata.
    Abraços!
    Renata

    Gosto

    Comentário por Renata Soares de Mendonça | 13 de Janeiro de 2014 | Responder

    • Olá Renata, será que ela se ressente da sua relação com o menino? Procure propiciar momentos bons entre vocês duas: assistir algum filme que ela goste comendo pipoca e se divertindo juntas, passear ou andar de bicicleta, enfim fazer programas que vocês duas tenham boas experiencias na convivência. Tente perceber se quando vocês estão juntos você dá mais atenção para o menino. Procure se interessar pelo mundinho dela: amigas, escola, garotos, etc…
      Você precisa abrir espaço dentro de você, tendo predisposição pra ela e também fora, na rotina de vocês em que vocês possam viver momentos bons. Quando ela for agressiva, não bata boca com ela, diga apenas que ela magoa muito você, e retire-se. Este ato deixará claro que você não admite falta de respeito.
      Quando vocês estiverem tranquilas, pergunte a ela o que sente e o que pensa sobre a separação e sobre a vida que vocês estão levando. Escute-a com atenção, e acolha o que ela diz. Não precisa mudar de vida, mas escutar e aceitar os sentimentos dela. Além disso, a idade que ela está é critica. Nesta idade é normal se revoltar contra a mãe. Ela precisa desenvolver a própria personalidade e ser do contra para ser ela mesma.
      Lidar com a sua filha requer paciência, compreensão e pre disposição.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 14 de Janeiro de 2014 | Responder

  21. Boa noite Lea.
    Tenho uma sobrinha de 16 anos que esta passando essa fase da adolescencia muitodificil.
    Desde cedo, a mae dela largou o marido (meu irmao) e foi viver com outro homem. Acabou tendo outros filhos e hoje em dia ela perdeu o controle sobre a menina. Nao estou aqui como protetor do meu irmao, pois tenho certeza que os 2 sao os culpados dessa situacao toda. Meu irmao acabou constituindo familia tambem (sem filhos dessa uniao), pois a atual mulher dele ja tinha 3 filhos.
    Vamos aos fatos. A mae dela nunca quis nada da vida, quando casou com meu irmao, so fcava prostada no sofa vendo tv. Tudo que ela começava a fazer não terminava. Quando a situação apertou, ela arrumou um emprego mais tres meses depois estava gravida da adolescente em questao.
    Com relação ao meu irmão, tambem sempre foi muito passivo com tudo, na relação com a ex mulher, com a filha e etc.
    A uns 2 anos atra, a minha sobrinha foi morar com ele, nesse periodo ela esteva bem na escola e na relacao com os familiares, porem quis começar a namorar um garoto de 20 anos e meu irmao nao aceitou no começo. Com isso fez chantagem com a mae e foi morar com ela novamente.
    Desde entao as coisa ficaram ruins. Depois de tanto amor com esse rapaz e nos todos termos aceitado e dado um rumo no namoro dos dois, nao sabemos por qual motivo ela acabou traindo o mesmo e se envolvendo com outros garotos, que inclusive sao envolvidos com drogas.
    A mae dela nao tem e nunca teve pulso para lidar com ela, que esta muito debochada, agressiva e falando que vai engravidar e sair de casa.
    A mae entao chamou meu irmao e quer que a garota volte a morar com ele, sendo que ela nao quer.
    Tenho tentado orientar eles sobre a situação, mais esta complicado. Gostaria de ter uma visao de um profissional como você sobre essa situação e de como procedermos.
    Desde já agradeço.
    Grande abraço

    Gosto

    Comentário por eduardo motta | 17 de Janeiro de 2014 | Responder

    • Sua sobrinha procura maneiras de se rebelar. O comportamento antissocial que ela apresenta é um pedido de socorro. É um modo dela mostrar que não está bem, que precisa de ajuda, que sofre por se sentir rejeitada, excluída, não considerada e não valorizada pelos pais. A mãe está envolvida com a nova família, o pai com a nova mulher. Também pode ser que ela quer receber atenção e cuidados da mãe e enquanto a mãe não dá ela chama a atenção para a necessidade em ser cuidada. O fato de você procurar o site, e estar com a mente ocupada com a sua sobrinha, mostra que você tem recursos em ajudá-la. “Adote” sua sobrinha, ou seja, convide-a para frequentar a sua casa, saia para almoçar, jantar ou lanchar junto com a sua esposa e a menina. Ou só você e ela, se sua esposa não estiver disponível. Pergunte como ela vai; Como ela se sente em relação a mãe e ao pai dela; Como anda a vida dela. e escute atentamente. Ela precisa falar e refletir sobre estas questões, e principalmente ter alguém que lhe dá importância, que abra a própria subjetividade para recebe-la. Assim ela não fica com as emoções e as ideias vagando no espaço, largada na vida. Ela recebe acolhimento e compreensão e isto vai ajudar na autoestima dela e no desejo de investir em si mesma: estudar, construir a vida e não destruí-la.
      Força e felicidades,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 19 de Janeiro de 2014 | Responder

      • Obrigado pelas palavras Lea.
        Com certeza farei o possível e impossível para ajudá-la.
        Mais uma vez obrigado.

        Gosto

        Comentário por eduardo motta | 19 de Janeiro de 2014

  22. Tenho um filho de 15 anos ,uma de 14 ,um de 11 q são do meu primeiro casamento me separei quando o mais velho tinha 07 anos ,e me casei novamente tem tres anos ,a uns 2 anos tive um problema pois meu filho ele chamou um cara da rua pra abusar dele meu marido chegou a tempo de impedir isso ,de uns tempos pra CA já pequei msn dele marcando de se encontrar com outro homem ,é difícil porq não sou capaz de aceitar esse tipo de envolvimento ,bom ele é um bom aluno e até faz cursos extracurricular ,mas ele sempre fala q não vê a hora de ir embora de casa ,q tem ate um calendário pra contar os dias pra quando fizer 18 anos e ir embora ,sempre achei q fiz algo errado ,ou ate mesmo q ele possa ter sido abusado sexualmente ,já passou em psicólogas mas não se abriu tivemos ,um desentendimento q ele queria ir a uma festa e eu não deixei e ele ficou me enfrentando ,dizendo q eu engravidei aos 16 anos e quem era eu pra falar alguma coisa ,q ele não ia me respeitar nunca q me odiava ,q o pior castigo era viver debaixo do mesmo teto q ele q ele não consegue nem olhar na minha cara e etc

    Gosto

    Comentário por juliana | 15 de Março de 2014 | Responder

    • Está na hora de uma boa conversa entre vocês. Procure um momento tranquilo e convide-o para uma conversa. Pode ser numa sorveteria, ou onde vocês quiserem.
      Diga a ele que você era jovem e foi inconsequente, mas que deste momento nasceu ele que é uma pessoa muito importante em sua vida. Diga que você errou, e por isso aprendeu com a experiencia e por isso mesmo não quer que ele seja irresponsável. Diga que o seu erro não justifica o erro dele. E que não é justo ele jogar na sua cara, porque aquela menina que foi irresponsável e inconsequente não existe mais. você mudou. E se você não soube demonstrar afeto para ele, durante a infância foi porque você era imatura. Agora você quer recomeçar uma relação nova e melhor com ele. Faça este convite e procure acolher, conversar, demonstrar afeto e não ficar ofendidinha com os ataques verbais dele. Afinal, alguém precisa ser adulta e madura. este alguém é você!
      Felicidades,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 15 de Março de 2014 | Responder

  23. meu filho tem 14 anos ja não sei que faço ele quer sair para baladas,quer fazer tudo sem minha permissão,estou desesperada não sei como agir não sei se estou sendo muito chata,ele me xinga na frente de todo mundo ja mudei de vários endereço por causa das amizades que ele arruma ele manda eu toma naquele lugar sempre,quando eu reprendo ele ele fica muito bravo quer até vim pra cima de mim,para me bater ele é bem maior que eu,me ajuda ;como devo agir;ele não quer nem que eu coma perto dele; diz que tem nojo de mim

    Gosto

    Comentário por silvana | 16 de Março de 2014 | Responder

    • Nesta idade é comum o menino apresentar esta conduta em relação a mãe. Ele começa a se interessar por meninas e precisa dessa “aversão” em relação a mãe. Tem haver com a idade. Contudo, a relação de vocês parece que está muito difícil. Este menino precisa se sentir acolhido, compreendido, importante e valorizado por você. Como fazer isto? Pare um pouco de passar sermão e ralhar com ele. comece procurando assuntos neutros e que ele vai gostar de falar com você. Entre no universo dos interesses dele. Pergunte sobre futebol, os professores, os amigos, conte algo que ele possa gostar de ouvir, enfim, procure resgatar a relação mãe e filho que está bastante deteriorada. Saiba que será trabalhoso e isto requer muita sabedoria de sua parte!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 16 de Março de 2014 | Responder

  24. tenho um filho de 14 anos, estou passando uma barra, pois além dele tenho um de 8 anos e uma bebê de 10 meses. Meu esposo inplica muito com o de 14,pois ele não quer fazer nada, não gosta nem de ir a escola só quer saber de dormir, comer e jogar vídeo games. Proibimos ele de computador já tem quase um mês mais o castigo não resolveu nada ele não tem nenhum interesse em melhorar,se mostra completamente afastado da família, não tem amigos, não gosta muito de sair, é um menino bom, carinhoso com os irmãos, mais as vezes rebelde, intolerante, tem vontade de sair de casa, pois o pai cobra muito dele e não o elogia nunca, não sei mais o que fazer tudo que tento para melhorar a alta estima dele ele não quer me ajude por favor, não tenho condições de pagar terapia para ele e não consigo pelo SUS, estou vendo meu filho a beira de uma depressão e não sei como evitar por favor me responda o mais rápido possível.

    Gosto

    Comentário por Wiviane Barros Nascimento | 28 de Março de 2014 | Responder

    • 14 anos é uma idade critica. Provavelmente você está muito ocupada com os menores que exigem atenção constante e integral de você. Por isso, não resta muito de você para estar disponível ao seu filho adolescente que está na fase mais difícil da vida e precisa demais de você e do pai. Ele necessita receber atenção de vocês. Isto é, que vocês se interessem pelas questões, pela vida e pelos sentimentos dele. Ele precisa que vocês olhem para ele, não naquilo que ele faz de errado, mas naquilo que move ele a agir desta maneira. A conduta antissocial dele é um pedido de ajuda é uma comunicação de que algo não vai bem com ele. Ele precisa ser levado a sério, sentir-se importante e valorizado aos olhos de vocês. Ele necessita enxergar a imagem dele nos olhos de vocês que brilham por ele, e não enxergar-se como um entulho ou um peso. Este é o momento de você transformar o seu filho de 14 anos num companheiro, é o momento dele perceber que é muito melhor pra você estar com um menino de 14 do que com os pequenos que não sabem se expressar, não há tanto retorno, não há um aparelho psíquico pensante e tão desenvolvido. Ele precisa receber a comunicação de que é muito boa a existência dele para vocês. Não faça interrogatórios, procure sentir-se feliz ao lado dele. Aí está a cura para o dor e o sofrimento do seu filho que o leva a comportamentos antissociais. Encontre nele alegria de viver e você verá que ele se transformará!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 30 de Março de 2014 | Responder

      • Bom dia! meu filho tem 16 anos, anda com os meninos que não são boa influencia, são usuário de droga, meu filho não suporta o seu padrasto diz que não e pai dele pra dar ordem, outro dia acabei dizendo que ele deve respeito a nos dois, pois come e dorme as nossas custas então deve respeito, já vi varias vezes meu filho drogado, nossa como e chocante ver uma pessoa que amamos se metendo no mundo das drogas, bebia muito também, pois e um caminho sem volta preciso de ajuda, outro dia suspeitei de que estava roubando mais não tive certeza, se alguém poder me orientar agradeço .

        Gosto

        Comentário por ROSINILDA VIDAL PAIVA | 29 de Março de 2016

      • Ele precisa de melhores amizades. Esta turma é péssima influência, não sei se vocês têm como se mudar, mas o adolescente é. Que a turma de amigos dele é. Você pode tentar reconquista-lo abrindo-se para ouvi-lo e tentando não passar sermão. Mas não poderá competir com a força da influência que a turma tem sobre ele.
        Um abraço,
        Léa

        Gosto

        Comentário por leamichaan | 26 de Abril de 2016

  25. Moro em Montezuma MG tenho um filho de 17 anos e não sei mais o que fazer, ele está muito rebelde e agora começou a beber e estou desesperada, pois não era o que eu esperava faço o que posso para vê-lo feliz. Pago viagens compro sempre boas roupas e tento fazer o melhor, E não vejo mudança. Na escola sempre incentivei e ele nunca gostou do estudo ainda está no 2ª ano tento de todas as formas. Mas sem sucesso, e as companhias não são das melhores e não consigo tirar. Ele não é uma pessoa ruim mas não consigo traze-lo de volta. A educação que dei foi excelente e depois dos 15 anos parece não ser a mesma pessoa. Por favor me ajude.BJOS

    Gosto

    Comentário por Maurita gomes dos santos | 21 de Abril de 2014 | Responder

    • Olá Maurita, as amizades nessa idade são muito influenciadoras… Proibi-lo de ver os amigos não é possível, mas você pode dar mais coisas ainda que o dinheiro não compra. Dê a ele do seu tempo, o seu interesse, a sua companhia, sua afetividade. conforme ele se entregar mais a você, compartilhe com ele suas preocupações. Pergunte a ele como você pode ajudá-lo? Pensem juntos em caminhos possíveis para que ele comece a ter uma vida mais construtiva. Procure sempre acolher as ideias dele para não reprimir a sua criatividade. Lembre-se que ele será um adulto construtivo, criativo e produtivo quanto mais a autoestima dele estiver boa mais ele irá realizar!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 27 de Abril de 2014 | Responder

  26. Bom dia. Preciso muito, também, de uma orientação. Tenho um filho de 14 anos com um comportamento que eu não consigo entender. Ele se tornou uma pessoa agressiva e não tem nenhum respeito por mim, me diz coisas terríveis, quando temos algum conflito ameaça de me bater e agredir a irmã dele. Por volta dos 8 anos de idade eu me separei do pai dele, devido a um relacionamento repleto de mentiras e irresponsabilidades da parte pai, que hoje, já no terceiro casamento desfeito reconhece que deveria ter sido um homem melhor. Passei muitas dificuldades para conseguir cuidar deles, ele viu todo o meu esforço pra que eles estivessem sempre bem, apesar de trabalhar estive por perto e dei carinho e atenção para os dois. Por volta dos 11 anos ele começou a me desrespeitar e isso virou uma bola de neve. Hoje a situação está tão grave que temos medo do descontrole dele. Ele se irrita por coisa tão pequenas e explode com muita agressividade no falar. Sentei para conversar várias vezes, perguntei se eu deveria pedir perdão por algo fiz, visto que não considero normal um jovem tratar um mãe assim. Ele diz disse que não , que apenas não reconhece a minha autoridade sobre a vida dele e não me trata mais como mãe. Ele se comporta aqui em casa como se fosse o dono da casa e pudesse nos dar ordens. Já passou por psicólogo, não houve muito sucesso. Não reconheço mais meu filho, ele nunca me viu fazendo isso com minha mãe, e apesar do pai ser machista nunca me agrediu dessa forma. Ele chora muito quando alguém fala com ele sobre o assunto, mas apesar das pessoas dizerem o quanto ele está errado não consegue dar ouvidos e se controlar, e esse comportamento é apenas comigo. Ele desconta toda a infelicidade dele em mim. Estou cansada e triste por não conseguir mais ser a mãe do meu filho.

    Gosto

    Comentário por Graciane | 26 de Abril de 2014 | Responder

    • Seu filho está com raiva de você porque pensa que você é culpada por não ter conseguido segurar o pai em casa. Ele não compreende que o problema está no pai e não em você, afinal, o pai dele já passou por três casamentos. Além disso ele transformou você na depositária das frustrações dele. Você precisa sentar com ele e dizer tudo isto de uma maneira bem firma e sincera. A partir de agora este comportamento por parte dele será inaceitável.
      Você também precisa se libertar dos sentimentos de culpa que te assombram, isto te torna insegura e seu filho “monta” na sua insegurança.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 27 de Abril de 2014 | Responder

  27. Bom dia! Lendo todos os comentários vejo que não estou sozinha, nessa caminhada tentando seguir com meu filho. Tenho um filho com 16 anos, que no ano passado me deu muito trabalho. Repetiu de ano no colegio, me agrediu, mas tivemos varias conversar e tentamos nos entender. Fui mãe muito cedo e hoje não convivo com o pai dele, tenho um novo casamento, quando ele tinha 7 ano, mas mesmo com a quantidade de tempo que convive com meu atual esposo eles não se relacionam, não tem afinidades, sinto que quando meu esposo esta em casa ele se isola no seu quarto. E essa semana apareceu uma compra no cartão do meu esposo em loja de informatica que não foi ele, penso que foi o meu filho quem fez a compra, ja que no ano passado ele tmb ja tinha feito isso. Perguntei p ele se foi, e diz que não agressivo. Estou com muito medo do meu esposo saber que é ele e meu casamento acabar por causa disso, afinal penso que isso seja coisa de marginal fazer. Pegar um cartão escondido que não e seu e fazer compras…estou desesperada e não queria deixar passar e meu filho pensar que é certo oq ele fez…pra mim é como se fosse furto.
    Por favor uma orientação sua acalmaria meu coração!

    Gosto

    Comentário por Adriane | 28 de Abril de 2014 | Responder

    • Olá Adriane, seu filho está sofrendo, ele sente falta de pai, e também se sente roubado, isto é, ele sente que o seu esposo roubou você dele. Roubou a sua atenção, seus carinhos, sua mente, seu afeto, seu coração, o seu tempo que na mente de seu filho você deveria dar mais do seu tempo para ele e o seu esposo roubou isto dele. Por isso ele “roubou” algo, como uma reivindicação, uma indenização mais do que merecida. Compreende? Ele tinha você inteirinha até se casar e então houve o rompimento abrupto. Agora não é o momento de ralhar com ele por causa do cartão, e sim, escutar o pedido de ajuda e de socorro que está subjacente a este gesto. Agora dê muito carinho, dê atenção, abrace-o, interesse-se pelas questões dele, pelo mundinho dele e procure ajudá-lo a encontrar uma figura paterna. Pode ser um tio, um avô, o próprio pai, enfim, alguém que se importe genuinamente com o seu filho.
      Um forte abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 28 de Abril de 2014 | Responder

  28. Ola eu estou a passar uma fase muito complicada com o meu filho.faz amanha 16 anos,ele é muito arrogante quando nos nao deixamos fazer o que ele quer ate alevanta a voz como se manda-se no mundo,só ele é que sabe tudo.o pior nao é isto.ha uns 3 meses para ca virou-se para beber alcool ,sempre bebedo de todo.nao sei mais o que dizer-lhe.ele nao ouve ninguem,promete que nao bebe mais mas 2 outra 3 semana torna a fazer o mesmo será que ele esta viciado no alcool.obrigado

    Gosto

    Comentário por crest | 6 de Maio de 2014 | Responder

    • O seu filho esta atravessando a fase mais difícil da vida. Muitos adolescentes bebem para conseguir atravessar a angustia e os anseios que os assolam nesta etapa da vida. Porque a bebida deixa a cabeça mais leve e é uma fuga da dor do crescimento. Para ajudá-lo a beber menos e atravessar este momento, saiba que o que seu filho mais precisa é de atenção, afeto, uma mãe aberta para escutar o que se passa na mente e no coração dele, que não seja critica e que o leve muito a sério. Nesta idade a pior coisa que fazemos é passar sermão aos nossos filhos, isto só vai afastá-los de nós e fazer com que eles se apeguem mais à bebida. Procure ser amiga, companheira, compreensiva e transmita a mensagem que ele pode contar com você.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 7 de Maio de 2014 | Responder

  29. meu filhp tem 17 anos e vive trancado no quarto. Nao gosta de estudar, estuda porque é obrigadp por mim que sou rigida. Tive ele com 19 anos e moramos junt sempre. Há 3 anos conheci meu atual mardo, e tive outro filho que hj tem 1 ano e quatro meses; era o sonho dele ter um irmao. Sinto que meu mrido tem ciumes dos meus flhos e o meu filho mais velho comecou com uma rebeldia , me enfrenta, me responde nao me respeita… me trata como se fosse meu irmao. Minha me olhava ele para que eu trabalhasse e dizia a ele que eu lagava com ela, e ele sempre achou que eu nunca liguei para por mais que minha folga era so para eçe. Hoje ela nao vem aqui, pois brigou com marido e fica ligando no cel do meu filho e enchendo a cabeça dele. Diz q me odeia e que assim q fizer 18 anos vai morar com a vó. Dou de tudo e ninguem ajuda, nem mesmo o pai dele. Nao sei o que fazer, quero que meu filh estude, e me respeite.

    Gosto

    Comentário por Fabiana | 5 de Junho de 2014 | Responder

    • Olá Fabiana, o seu filho está sofrendo bastante. Você não referiu nada sobre o pai biológico dele, parece que este é ausente. O seu atual marido tem ciumes da sua relação com ele, este é sinal evidente que este também não mantém a função paterna em relação ao seu filho. Ele é um menino sem pai, sem uma figura paterna, por isso sente que ninguém quis assumir a responsabilidade em cuidar dele e investir nele, portanto ele mesmo não sente vontade de investir em si mesmo. A autoestima dele está prejudicada e ele não tem vontade de se esforçar por si mesmo. Não tranque-o no quarto, seja muito companheira dele, converse bastante e escute com atenção as questões dele. Você precisará ser pai e mãe e não o tranque porque estudar não pode ser um castigo e sim um prazer em investir em si mesmo e no próprio futuro. Quanto mais você der do seu tempo e de sua atenção para ele, mais ele sentirá que vale a pena investir em si mesmo! Muito carinho, amor e dedicação, só isto poderá ajudar o seu filho,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 8 de Junho de 2014 | Responder

  30. oi tenho uma filha com 15 anos ela mente muito nao quer estudar nao sei mais o que fazer

    Gosto

    Comentário por silvane alves | 7 de Junho de 2014 | Responder

    • O segredo para nosso filho querer estudar é fazer com que ele se sinta importante e valioso! A gente consegue isso sendo disponível, dando atenção, escutando as questões do jovem e levando-o muito a sério. Assim ele também se levará a sério!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 8 de Junho de 2014 | Responder

  31. tenho uma filha com 15 anos caçula,esta muito rebelde fala que vai sair e sai mesmo,quando tento ser mais dura com ela,ela me chantageia,riscando os pulsos,que faço,por favor me ajude

    Gosto

    Comentário por ana cristina pinheiro florentino | 8 de Junho de 2014 | Responder

    • A adolescência é a fase mais difícil da vida. Para facilitar esta passagem para a sua filha, você precisará encontrar dentro de você muita tolerância, precisa começar a aceitar ela do jeito que ela é e deixar de querer que ela seja quem você quer que ela seja. Comece a escutar com interesse o que ela têm pra te contar sem ser critica, mas entrando no mundo dela conforme ela te convida, sem ser invasiva, buscando compreender e ajudar. Desta maneira você ganha a confiança de sua filha. E ela sofre menos. Ajude-a a amar a vida, amando-a, ou seja sendo disponível para ela.
      Seja mais acolhedora para as questões dela e não passe sermões, não é assim que a gente educa.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 10 de Junho de 2014 | Responder

  32. Olá, sou casada, há quase 20 anos. Tenho 3 filhos do mesmo casamento um de 15 anos, um de 8 anos e uma bebê de 1 ano e 1 mês. Estou tendo muitas dificuldades em relação ao mais velho. Sei que está passando por uma fase difícil, mas não sei como faço para enfrentarmos essa fase juntos. Ele não gosta de estudar, vai para escola porque eu e o pai obrigamos, não faz tarefas, não tem muitas amizades só as da escola mesmo. é um garoto quieto embora rebelde demais, não quer nada com nada, a não ser dormir até 10 ou 11 horas, só dorme tarde demais, quando levanta, não ajuda com nada, só na base dos empurrões e quando o pai o obriga a fazer. Reclama da vida o tempo inteiro. É um menino que tem tudo família, casa, comida e roupa lavada. sou super dedicada, converso muito com ele mas minhas palavras tem sido em vão. O relacionamento com o pai também não tem sido dos bom, meu esposo cobra muito dele mas não adianta nada. Estou muito preocupada ele só quer saber de jogar jogos no computador e internet, mais sou do tipo da mãe que controlo, os horários e estou atenta com quem ele se relaciona nas redes sociais, o que posta e o que joga. Quando regulo ele me chama de chata, que eu falo demais, essas coisas de menino rebelde, tento ser carinhosa mais as vezes é difícil pois ele com sua rebeldia tem se afastado de mim e do pai. Ele é super carinhoso com os irmão, principalmente com a bebê.Até ajuda a olhar ela quando estou ocupada. Por favor me oriente, preciso urgente, acho que o problema possa ser comigo mesma pois a cada dia sinto meu filho mais distante, tenho muito medo das drogas e más influencias apesar dele ser um menino instruído,mas o comportamento dele me assusta.

    Gosto

    Comentário por Wiviane Barros Nascimento | 9 de Junho de 2014 | Responder

    • Olá Viviane, o seu filho está sem vontade de investir em si mesmo justamente por causa do pai. Um menino precisa se ver no olhar especular do pai a própria imagem, porém, o pai ao olhar o filho enxerga nele decepção, frustração e isso destrói a auto estima do filho. A pior coisa que você pode fazer é passar sermão. Quando você passa sermão no seu filho ele começa a parar de escutar você! Você perde o valor de uma figura interessante e começa a se tornar uma chata. Ele vai melhorar nos estudos conforme você puder conversar de forma amistosa, se interessar pelas coisas que ele tem pra dizer, mostrar que ele é valioso e importante, o mesmo vale para o pai. Procurem aceitar o filho que vocês têm e parar de desejar que ele seja aquele que vocês idealiza, ou seja este que vocês têm na ideia. Só assim vocês poderão ajudar o filho de vocês gostar de viver, se envolver com o mundo de forma criativa e produtiva!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 10 de Junho de 2014 | Responder

  33. Oi Leia mim chamo Jeane, sou da Bahia, menina estou com muita dificuldade para educar meus filhos de 15 e 13 anos, eles mentem para mim, não vão muito bem na escola, briga na rua, briga entre si em casa. Estou desesperada pois tenho muito medo medo de perder meus filhos para o mundo, sou muita brava com eles, um tem que limpar a casa e o outro lavar a louça, isso todos os dias pois eu trabalho e eles precisam mim ajudar, acha que estou agindo errado??? mim ajude

    Gosto

    Comentário por Jeane | 19 de Junho de 2014 | Responder

    • Olá Jeane, compreendo que você precisa da ajuda de seus filhos, contudo eles estão numa fase bem difícil de atravessar e se você tem medo de perde-los precisa provar para eles que estar com você é melhor do que ficar na rua. Como fazer isto? Simplesmente transformando o espaço em que você se encontra num local convidativo, agradável e acolhedor. Se você é muito brava com eles, você corre o risco de perdê-los para o mundo. Seja esperta, não troque seus filhos por uma loucinha lavada e uma casa arrumada, você pode pagar muito caro por estas exigências. Peça de forma carinhosa. Procure ser menos brava e mais convidativa! Este é o segredo para manter seus filhos perto de você!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 20 de Junho de 2014 | Responder

  34. Olá, eu tenho uma irmã de 17anos, e tenho mta dificuldade de lidar com ela. Eu tenho 25 anos, sou casada, tenho uma filha de 1ano e estou grávida de 6 meses. Eu e meu marido moramos com meus pais, a casa é imensa e sempre precisamos da ajuda dela. Mas ela só quer saber de dormir o dia todo e ficar a noite inteira no computador. A minha mãe passa o dia tentando acorda-lá e a noite pedindo para ela lavar louça e ela só lava as 8 da manhã, qndo lava . Isso me estressa mto. Pq ela só tem essa tarefa e faz minha mãe passar raiva todos os dias. Minha mãe fica nervosa o dia todo. Eu já conversei com ela explicando que se ela vai lavar, poderia fazer antes deixar minha mãe cansada de pedir, mas tbm brigamos muito Pq perco a minha paciência. Mas não adianta, ainda assim só lava louça assistindo série no celular. Percebo tbm que a vida social dela, amigos e namorados é tudo virtual e que os amigos da escola são poucos e a maioria são “otarios” como ela diz e ninguém é bom o bastante pra ela conviver. Mto irritante né? Eu já pensei em lavar a louça no lugar dela e fazer tudo oq minha mãe pede. Mas não sei se é o certo a fazer. Tenho medo de agir errado e aí ela parar de vez de fazer Pq sabe que eu farei. Oq eu faço??

    Gosto

    Comentário por debora | 21 de Junho de 2014 | Responder

    • 17 anos é uma fase critica na vida de qualquer pessoa, por isso é preciso saber lidar com pessoas dessa idade. Se você passar o dia apontando tudo que ela faz de errado, ou o que ela deixa de fazer, isto só vai desgastar a você, a ela e a relação de vocês. É muito mais fácil colocar o leite na geladeira e lavar a louça, do que ficar discutindo. Que tal procurar assuntos do interesse dela para conversar ao invés de reclamar dela e exigir que ela faça coisas? Que tal olhar para ela como um ser humano que sente, pensa, está em plena transformação e não resumi-la numa pessoa que não cumpre as tarefas. Ela é muito mais do que uma pessoa que não cuida da casa e não lava a louça. Será que alguém olha para isso? Enquanto vocês a enxergarem como alguém relaxada, ela será simplesmente uma garota relaxada, porque os olhos de vocês representam o espelho em que ela se vê, e a imagem que vocês refletem dela é uma pessoa relaxada.
      Sugiro que você procure conversar sobre temas do interesse dela, escutando-a interessadamente e enquanto conversam proponha ir lavando a louça, e de uma maneira não invasiva nem acusatória convide-a para te ajudar com as tarefas da casa.
      Lembre-se que a maneira que você fala pode modificar a relação de vocês duas e de sua irmã com as tarefas da casa.
      O “como” a gente fala as coisas é mais importante do que “o que” a gente fala!
      Abraços,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 23 de Junho de 2014 | Responder

      • Olá,Léa.
        Mais uma vez estou aqui para pedir seus conselhos, no qual tem sido muito útil. Como já te relatei em comentários passados, tenho um filho de 15 anos que tem me dado certas preocupações. Procuro sempre fazer aquilo que você me aconselhou. Mas acho que o que dificulta os resultados positivos são as atitudes do meu esposo. Ele é um pai presente e ausente ao mesmo tempo. Converso com ele mais não tem adiantado, já propus terapia e ele não aceita. Ele trabalha todas as noites e durante o dia está sempre em casa. é um bom marido, cumpre com suas obrigações direitinho, preocupa muito com os filhos,leva e busca na escola, cobra o bom desempenho na escola dos filhos, mais o principal acho que ele não está fazendo. Não elogia o de 15 anos nunca, só cobra e briga o tempo inteiro, o chama de preguiçoso, que ele não quer nada com nada, não vejo carinho entre os dois , meu filho chega ao ponto de odiá-lo, e dizer que não aguenta mais o pai. Tento falar isso para meu esposo mais ele fala que não consegue mudar que não adianta, ele é o tipo do homem cabeça dura e teimoso. Adora fazer comparações do tipo quando eu tinha a idade dele eu não era assim… entende?
        Então eu não sei mais o que fazer para aproximar os dois. Por favor me ajude.😦

        Gosto

        Comentário por Wiviane Barros Nascimento | 25 de Junho de 2014

  35. Ahhhhh outra coisa….
    Tudo que ela usa fica fora do lugar, leite fora da geladeira, açúcar aberto, louças e lixos espalhados, luzes acesas, banheiro sujo e tudo fora do lugar. Como lidar com isso todos os dias sem perder a paciência?

    Gosto

    Comentário por debora | 21 de Junho de 2014 | Responder

    • Muito importante o pai compreender que as palavras que ele despeja sobre o filho tornam-se profecias (se ele diz que o filho é preguiçoso, ele será…). Ele se compara com o filho dizendo que era melhor que o filho, e isto é um veneno, é a pior coisa que um pai pode fazer. Provavelmente ele faz isto porque enxerga no filho características semelhantes a de si mesmo que não gosta e por isso fica enfatizando que é diferente do filho e que é melhor para se convencer! Ele está projetando no filho tudo o que não gosta em si mesmo e tentando destruir estes elementos no filho. Seu marido precisa de uma terapia urgente! Ele têm a autoestima baixa e por isso não consegue admirar a propria cria, a continuidade de si.
      Procure conversar isto com o seu marido, se não for possível, então converse com o seu filho. Esta conversa pode ajudar. Abra os olhos para enxergar os pontos positivos de seu filho e aponte estes elementos elogiandoo com sinceridade para compensar o pai dele.
      Você precisa ter muito amor, força, paciencia e sabedoria,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 2 de Julho de 2014 | Responder

  36. Muito importante o pai compreender que as palavras que ele despeja sobre o filho tornam-se profecias (se ele diz que o filho é preguiçoso, ele será…). Ele se compara com o filho dizendo que era melhor que o filho, e isto é um veneno, é a pior coisa que um pai pode fazer. Provavelmente ele faz isto porque enxerga no filho características semelhantes a de si mesmo que não gosta e por isso fica enfatizando que é diferente do filho e que é melhor para se convencer! Ele está projetando no filho tudo o que não gosta em si mesmo e tentando destruir estes elementos no filho. Seu marido precisa de uma terapia urgente! Ele têm a autoestima baixa e por isso não consegue admirar a propria cria, a continuidade de si.
    Procure conversar isto com o seu marido, se não for possível, então converse com o seu filho. Esta conversa pode ajudar. Abra os olhos para enxergar os pontos positivos de seu filho e aponte estes elementos elogiandoo com sinceridade para compensar o pai dele.
    Você precisa ter muito amor, força, paciencia e sabedoria,
    Um abraço,
    Léa

    Gosto

    Comentário por leamichaan | 2 de Julho de 2014 | Responder

  37. Olá! Sou pedagoga, tenho marido, uma filha de 11 (com outra pessoa) e um menino de 6 anos. Nos relacionamos bem.Temos momentos de conversa, de desentendimentos,de muitos risos,enfim…) Meus filhos boa parte dos momentos estão juntos brincando. Atualmente apenas estudo e passo muito tempo em casa com eles. Minha consulta é pertinente à minha filha que sempre a percebi com forma de falar muito arrogante, grosseira; mesmo para uma simples resposta, uma conversa banal que acabava tirando a harmonia do momento. No entanto nos últimos tempos tem sido mais frequente as falas grosseiras e intolerância principalmente comigo e o irmão. Não aceito muito menos me conformo com adolescente respondona e malcriada. Às vezes penso em penalizá-la de alguma forma mas tenho muitas dúvidas. Gostaria se possível de ajuda e orientações de como agir e como me portar pois me incomoda por demais que eu venha a ter uma postura incorreta com minha tão querida filha.

    Gosto

    Comentário por Rosangela | 4 de Julho de 2014 | Responder

    • Olá Rosangela, o comportamento agressivo de sua filha é sinal evidente de sofrimento. A menina sente o mundo agressivo com ela e por isso agride. Pode ser que ela sofre com a ausência do pai biológico, pode ser que ela sente ciumes da relação do seu atual marido com o irmão, pode ser que ela sente ciumes porque o irmão tem uma família estruturada e ela não, pode ser que ela sente ciumes que as amigas vivem com seus respectivos pais e ela não. Pode ser que ela capta diferenças no tratamento de vocês com o irmão, pode ser que ela se sinta uma pedra no sapato tanto em relação ao pai biológico, quanto em relação ao padrasto. Enfim, esta menina sofre e também está entrando na fase mais complexa da existência humana que é a adolescência. Você me pergunta o que fazer, e eu te respondo: Acolha, demonstre muito carinho, penetre no universo de sua filha interessando-se pelas suas amizades, seus problemas, suas questões; Escute-a com a tenção e levando muito a sério. Procure encontrar um momento só para vocês durante a semana. E você verá que a conduta dela vai melhorar. Quanto mais o mundo for acolhedor e afetuoso, menos agressiva ela ficará.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 6 de Julho de 2014 | Responder

  38. Olá Rosangela, tudo bem? Tenho acompanhado seu trabalho, e também estou precisando de ajuda. Sou casada e tenho dois filhos, um de 22 anos que é gay, mas graças a Deus lido bem com essa opção e todos em minha casa. Hoje ele não mora conosco, nos damos bem na medida do possível, tendo em vista que temos algumas divergências, por conta da necessidade que ele sente em estar livre e isso me incomoda um pouco, por sua condição. Na verdade lhe escrevo para me orientar quanto minha filha que tem 13 anos. Todos os dias, falamos que nos amamos, porém, também quase todos os dias, brigamos por causa da preguiça, notas baixas, embora ela seja uma aluna que não dá problemas na escola, senta na frente, presta atenção, sempre é elogiada na escola e em todos os lugares onde vamos…e por causa de seu relaxamento. Temos tido discussões quase todos os dias, por que eu trabalho e ela fica só em casa à uns dois meses mais ou menos, mas antes mesmo disso acontecer, ela ficar só, eu já vinha com esse problema com ela. Acabamos de montar seu quarto lindo, com bastante dificuldade, porém a mesma não tem qualquer zelo com o quarto, e nem com nada que lhe pertença, me deixando muito chateada. Cobro bastante as notas no colégio, organização, sou uma mãe que coloca de castigo, conversa (minhas conversas não são amigáveis), pois fico muito estressada por ser tão amiga dela, ela tem internet, é bastante compreensiva quando a deixo sem, tipo, marco data para ficar sem internet, ou para ler um livro, esses geralmente são meus castigos, mas tenho notado que tem sido em vão…todas as vezes que conversamos, ela diz que vai mudar, se colocar mais zelosa, responsável, mas nada acontece…as notas, sempre que vou arrumar a mochila, acabo achando alguma prova com geralmente notas até 6!! Ela é extremamente inteligente, pega as coisas muito rápido, mas tenho notado que está muito desinteressada em tirar boas notas, ser organizada, esquecida por demais… às vezes tenho que deixa-la sem calcinha, por que desde que ela aprendeu a lavar, temos brigas constantes, pq quando suas calcinhas limpas acabam, ela usa as minhas…isso acaba comigo, estou no meu limite, pq não consigo admitir uma adolescente de 13 anos não lavar suas calcinhas por exemplo…eu sei que muitas coisas, a obrigação é minha como mãe, e dona de casa, mas existem coisas na minha opinião que são inadmissíveis! Pq são coisas tão simples, que eu nem precisaria estar cobrando diariamente, e olha que todos os dias, converso com ela. O que fazer? Será que estou sendo muito exigente? Será que o problema está em mim? Me ajuda! É claro que sei que existem problemas aqui muito piores, mas eu realmente não estou sabendo o que fazer, qual castigo dar…o que fazer?

    Gosto

    Comentário por Sirlene Godoy | 9 de Julho de 2014 | Responder

    • Sua filha de 13 anos é uma adolescente normal! Tudo o que você escreve faz parte da dificuldade que é crescer.
      Quanto menos você passar sermão e mais puder conversar e escutar o que ela diz, entrando no universo de sua filha, melhor!
      Procure resgatar a sua própria adolescência, lembre-se de quanto você era diferente do que é agora. Procure assuntos em comum para conversarem e se tornarem mais próximas. Lembre-se, quanto menos você aceitar o jeito dela, menos ela aceitará o seu jeito e as suas normas.
      Ser mãe não é fácil, além de educar e cuidar é preciso procurar encontros mentais. Isto é o principal!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 15 de Julho de 2014 | Responder

  39. Olá, me chamo Ana, tenho 37 anos e três filhos, sendo que o mais velho tem 19 anos e é fruto de uma gravidez indesejada, e um menino de 09 e uma menina de 07 anos frutos do meu casamento atual que dura 17 anos, logo no início meu marido que não é pai do mais velho, aceitou a vinda dele para morar conosco numa boa, mas com o passar dos anos a coisa já não ficou tão boa assim, principalmente porque a minha família adorava se meter na criação do menino e ele foi crescendo dando aquele trabalhão, se sentia protegido pela minha mãe toda vez que eu iria chamar sua atenção. Até que por volta dos 14 pros 15 anos parou de estudar, e começou a trabalhar e foi morar definitivamente com a minha mãe após uma discussão entre ele , o meu marido e eu, lá começou a sair, ir a festas, consumir bebidas alcoólicas e a sair com colegas e se relacionar com meninas o que acabou lhe rendendo dois tipos de hepatite A e B, os anos se passaram e ele mesmo após tudo isso continua do mesmo jeito, trabalha como soldador, gasta seu dinheiro em farras, chega só de manhã, e pra completar descobrimos que ele está cheirando cocaína de vez em quando, já sentamos para conversar e ele diz q não é para eu me preocupar, tinha uma namorada com a qual conviveu junto 4 meses, eles vão e voltam, o relacionamento não dá certo pois ela é muito ciumenta e ele é agressivo e não tem paciência, mas após idas e vindas ela agora está grávida de 5 semanas e ele está namorando com outra há um mês, ele quer que eu deixe ele trazer sua namorada pra casa pra dormir com ele, minha mãe não deixou e eu também não, minha mãe quer que eu construa uma casa pra ele do dia pra noite já pensou? Diz que sou uma mãe ruim, má, que meu marido não gosta dele,: somos evangélicos e não aceitamos esse tipo de coisa e mesmo assim acho q não é dessa forma que a vida dele deve ser, conversar com ele não adianta ele não entende e até faz ameaças de se matar , ir embora . Estou desesperada, o que devo fazer? Me ajude, por favor.

    Gosto

    Comentário por Ana Lúcia | 10 de Julho de 2014 | Responder

    • O seu filho sofre demais. Sofre desde a barriga, porque o feto recebe as vibrações maternas. Durante a gestação o ser humano constitui o aparelho mental e os neurônios e os de seu filho foram constituídos num ambiente de rejeição. Claro que você não tem culpa, afinal você é humana e tem direito de ter sentimentos. Agora o que podemos fazer? Reparar o mal. A partir de agora, todo afeto, carinho, demonstração de amor e disponibilidade que você poderá oferecer a ele será muito bem vindo. Chega de impor regras, normas e passar sermão. Escute-o, compreenda-o, acolha-o e aceite o seu filho como ele é. Não passe sermão. Lembre-se que conversar é escutar, compreender e trazer sua contribuição de forma acolhedora, e não entrar rasgando com os nossos princípios. Não entre neste tabú de que ele só pode transar depois de casado. Você pode não deixar ele dormir com a namorada na sua casa e então será pior porque ele vai dormir com ela em lugares perigosos, e tudo que é proibido é mais gostoso. Além disso, quantas pessoas são casadas no papel e na realidade nem se suportam, será que um casamentos burocrático é mais abençoado?
      Ana Lucia, abra a mente, seu filho corre perigo de vida, ele se destrói aos poucos e você está preocupada com as normas burocráticas da igreja?
      Pense nisso,
      Um forte abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 15 de Julho de 2014 | Responder

  40. Ola.

    Tenho um filho de 13 anos que tive do meu relacionamento anterior. Estava morando com o pai dele na epoca e engravidei, porem durante a gravidez ele se apaixonou por outra mulher. Sofri muito na epoca, mas nunca impedi do meu filho ter contato com o pai, pelo contrario. Soube separar bem as coisas.
    Quando ele tinha quase 2 anos, conheci meu atual marido e nos apaixonamos. Nos casamos em poucos meses e estamos juntos desde entao. Ele sempre foi uma pessoa super familia e responsavel. Vivemos bem e temos uma otima situacao financeira. Pedro, meu filho, sempre foi uma crianca muito seca e pouco carinhoso. Mas, um menino otimo. Tive mais um filho com meu atual marido e após o nascimento deste ficou nitido o amor incondiocional dele pelo nosso filho e apesar de tratar o Pedro muito bem, educa-lo e banca-lo financeiramente eles são mais distantes. E notorio que o amor dele pelo meu filho e diferente do que ele sente pelo nosso. Isso me incomoda bastante, mas não cobro. O Pedro via o pai a cada 15 dias e la convivia tb com as irmas e madrasta. Porem, há 2 anos, por causa do trabalho do meu marido tivemos que vir morar em outro estado (contrariados). Atualmente, meu filho ve o pai 1 x por mês e não demonstra insatisfacao nem sofrimento. Evito falar mal do pai dele pra ele, mas tenho magoas e me incomoda ele ajudar tao pouco financeiramente.Mas, não faco nada para mudar esta situacao.
    Meu problema atual e que meu filho anda mentindo muito. As notas são boas, mas sempre me chamam na escola porque ele atrapalha muito as aulas, conversa bastante e fala palavroes (em casa nunca falamos e proibo). Anda numa fase mal criado e fala e pensa muito em sexo. Conversamos abertamente sobre o tema, mas as vezes parece que ele e um menino completamente diferente do que e em casa. Punimos bastante (cortamos Ipad, internet, xbox) quando ele se comporta mal na escola ou em casa. Nunca batemos nele e as vezes me pergunto se ele sofre com esta situacao de vida.

    Obrigada pela ajuda!

    Gosto

    Comentário por ALICE | 24 de Julho de 2014 | Responder

    • Sim ele sofre muito. Ele sente ciumes do irmão que tem pai e mãe, e também ele vê a diferença com que seu marido trata o irmão. Mesmo que o seu marido se controle, o brilho do olhar que ele dá ao irmão é diferente. O seu filho se sente uma pedra no sapato na família, porque ele é a prova viva de seu amor por outro homem e isto é uma afronta para o seu marido. Além disso, ele também se sente um estorvo para a família do pai biológico. O pai vê pouco, e investe pouco nesse filho, provavelmente a madrasta preferiria que ele não existisse porque além do pouco que o pai dá para ele e isso faz sobrar menos para a família atual, o seu filho também é uma afronta para a madrasta. Percebe o sofrimento que ele vive? Portanto, todo o amor que você puder dar será importantíssimo para este menino. Dar amor é estar disponível para ele, ou seja: Entrar em contato com o amor que você sente por ele para que seus olhos brilhem; ter compaixão pelo sofrimento dele; encontrar momentos para estar com ele, escutá-lo, compreende-lo, adentrar no universo dele com interesse, pensar muito antes de criticar, não passar sermão para se sentir uma mãe prestativa, mas dialogar, resgatar a sua adolescência para ficar mais próxima dele. Conversar sobre o sofrimento dele com o seu esposo para despertar compaixão pelo seu filho. Saiba que compaixão é diferente de pena. quando sentimos pena de alguém nosso sentimento é vertical, estamos acima do outro, quando sentimos compaixão, estamos nos colocando horizontalmente em relação a pessoa, sentimos dentro de nós a dor do outro, nos identificando com o outro.
      Cria filhos dá trabalho…
      Só o fato de você me escrever demonstra a sua preocupação e o desejo em acertar,
      Felicidades,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 25 de Julho de 2014 | Responder

  41. boa noite estou com a guarda de meu primo de 13 anos ele veem de uma família desestruturada sua mãe, minha tia, teve sérios problemas psicológicos de até ter tentado se matar colocando fogo no próprio corpo e seu pai é um pedreiro com a vida comprometida com a bebida, ele me diz que foi criado pelos bandidos da região tinha até que era o que cuidava dles até então eu não sabia nem como ele era descomprometido com os estudo, moro em um setor de chácara troxe-o para morar comigo e minha família que prontamente aceitou, mas o desafio é grande pois ao matriculá-lo na escola o grupo de amigos que ele teve afinidade foi justamente aquele cujo ele havia deixado para trás. na sala de aula para poder se impor ele não faz as atividades escolares em contrapartida ao estar do meu lado ele me ajuda não sai para rua de forma nenhuma até porque eu moro longe da cidade porém o maior problema é na escola não tem vontade de aprender, não gosta de estudar já não sei o que fazer pois meus filhos são estudiosos, os conflitos que estou tendo e estou passando estão me deixando muito angustiada. o que devo fazer ou como proceder já que ele me vê como sua segunda mãe e não quer voltar para sua casa com sua mãe??

    Gosto

    Comentário por tecia | 29 de Agosto de 2014 | Responder

    • Ele pede amor desesperadamente! Ele vai dar muito trabalho porque é orfão de pais vivos! Ele não tem vontade de investir nele mesmo porque a autoestima está destruida, ele se sente um estorvo para a família. ele não pode sentir que é um peso para você. Encontre alegria em estar cuidando dele. Procure ressaltar as qualidades dele. Converse com seus filhos para serem compreensivos. Vocês podem salvar a vida deste menino! Acredite!
      Assista ao filme brasileiro: O contador de Histórias. é verídico, é sobre um menino que era da Febem e o afeto que recebu salvou-o. Assista este filme junto com seu esposo.
      Desejo muita paciencia, determinação e generosidade para realizar este trabalho,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 18 de Setembro de 2014 | Responder

  42. Olá Léa …

    Fui casada durante 10 anos com o pai da minha filha de 15 hoje , após a separação me apaixonei por uma mulher com que vivo até hoje ! Minha filha foi criada por mim e minha mãe que mora perto de nossa casa . Meu ex marido e sua família sempre influenciou na crianças de nossa filha dizendo que eu estava com uma doença por querer morar com uma mulher , em fim minha filha nunca admitiu eu está feliz querendo construir uma família diferente das demais . Dos 13 anos para cá ela vem se comportando de maneira rebelde demais com a gente , pois o pai e a família sempre compravam ela com roupas , maquiagens, etc , sendo assim ela se tornou uma menina interesseira dando valor somente a coisas materiais e me cobrando o tempo todo uma vida que eu não posso dar a ela , fora isso ela não faz nada em casa e vive de uns tempos para cá vem se autodestruindo com cortes nos pulsos , já fui parar em hospital porque ela bebeu desinfetante e semana passada ela tentou o suicídio tomando uma caixa de um remédio chamado Franol que ela estava tomando por conta própria para emagrecer ! Ela quer ser magra sem fazer uma dieta e exercícios , ela quer comprar roupas caras e sapatos sem trabalhar exigindo que eu compre , e quer viajar para EUA de qualquer maneira porque toadas as amigas já foram viajar e ela não ! Em fim ela vive em um mundo surreal onde e sou cobrada o tempo todo por suas frustrações ! Tento conversar com ela , mais eu não consigo colocar Deus a frente de tudo para ela … Por favor não sei o que fazer , não quero perder minha filha , pois a amo demais e não sei o que eu faria se acontecesse algo a ela !

    Gosto

    Comentário por Alessandra hora medeiros | 2 de Setembro de 2014 | Responder

    • Nada de brigas, sermões e julgamentos nesse momento! Ela precisa de afeto, carinho, compreensão, dedicação e disponibilidade de sua parte! Também precisa de terapia! Procure uma psicóloga que possa atende-la no mínimo duas vezes semanais! Esta moça está pedindo auxilio! Talvez seja o caso de você morar algum tempo com ela. Pode ser que ela não consegue aceitar a sua relação amorosa. ainda mais com a família falando contra!
      Procure auxilio ´profissional o mais rápido possível!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 18 de Setembro de 2014 | Responder

      • Muito obrigada Dr. Léa , já marquei psicólogo e vou seguir seus conselhos !! Fiquei muito feliz quando abri minha caixa de email e vi sua resposta !! Que Deus continue lhe abençoando para que você possa continuar ajudando milhares de pais como estou sendo ajudada por ti!! Parabéns pelo trabalho lindo e muito obrigada mesmo pelos conselhos !!

        Gosto

        Comentário por Alessandra hora medeiros | 19 de Setembro de 2014

  43. ola ! tenho 4 filhos ,de 20 16 14 12,o de 14 ,sempre foi uma criança incrivelmente bondosa e ,passional,se parace muito comigo e com o pai ,o leo tem problemas na escola por nao seguir regras diarias ,sempre levei os psicologos e sempre ouvi que o problema era na minha familia comigo e com meu ex marido,tentei de varias formas ,amenizar as coisas,entrando na escola tudo ficou pior sem motivacao,sempre chamando atencao e bincando ou alienado dos assuntos da aula e agora estou em um outro relacionamento ,e estou mais uma vez procurando ajuda ,esssa semana vou ao psi/ pra ver se consigo atenuar ou resolver para ele poder ter uma vida melhor ,é um o´timo filho carinhoso,nunca teve problemas com más companhias nao é rebelde ,msm sem a companhia do ”pai” pq só ficou conosco só 3 anos ,e ele guarda uma magoa dele ,nao costumo falar mal dele mas ,deixo claro a situacao ,nao sei se faço mal ou bem,mas quero mudar se estiver errada,preciso muito de ajuda para ajuda-lo.obg !!!

    Gosto

    Comentário por adriana | 15 de Setembro de 2014 | Responder

    • Cada filho recebe a separação do pai de modo distinto. Parece que para o Leo, a ausencia do pai atingiu a autoestima. Todo menino precisa da figura paterna e de um pai que transmite a mensagem que o filho é importante, que vale a pena investir tempo, afeto, disponibilidade, capital, etc nesse filho, caso contrário, o pai acaba transmitindo a mensagem que este filho não vale nada e não merece que invistam nele. Além disso, você diz que está num relacionamento novo, então sua mente, seu afeto, e seu tempo está canalizado em alguma medida nesta nova relação, e seu filho se ressente disso. Você tem todo o direito, é claro, mas é bom ter isso em mente. Penso que este filho comunica por meio de sua conduta que necessita mais atenção de sua parte. Por isto está tão rebelde. Escolha uma hora por dia para estar com ele, todos os dias, para conversar, escutar, sair, enfim, investir nele. Diga a ele que o pai dele está perdendo em não estar com o filho. Que ficar com ele é bom. Demonstre isso com seu gesto, encontrando de fato alegria na companhia de seu filho.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 16 de Setembro de 2014 | Responder

  44. Olá Draª, tudo bem?

    Sou casada há 4 meses, e tenho um irmão de 14 anos, e uma mãe completamente relapsa com ele que mora em outra cidade, um pai preso e uma irmã que é mãe solteira. Sempre cuidei do meu irmão como se fosse um filho, mas na adolescência me mudei de cidade, e eles continuaram morando no mesmo lugar, uma favela, cheia de drogas e traficantes. Com um mês de casada resolvi trazê-lo para morar comigo, pois estava apresentando péssimos comportamentos (desconfiei que ele estaria usando maconha), nervosismo (de quebrar as coisas em casa), não frequentava a escola pois faltava muito e quando ia nunca de fato estudou. Trouxe pois ele teria uma idéia de família (apesar de meu esposo ser extremamente fechado e não palpitar muito no assunto), mas ele esta aqui, agora frequenta a escola, mas continua não estudando nada, coloquei em aulas de reforço, ele esta na 8º série, mas não sabe nem o mais básico e não sei se posso exigir que ele estude, pois ele simplesmente não sabe nada, e para ajudar e viciado em games e não sai da frente do computador, o que eu também não sei como agir.
    Não tenho muitos recursos, para pagar um psicólogo e fazer uma terapia que seria de grande ajuda, e não sei mas o que fazer.
    Se puder me responder, serei imensamente grata!

    Gosto

    Comentário por Denis | 18 de Setembro de 2014 | Responder

    • Olá Denise, o seu irmão tem sorte que você existe! Pela sua carta dá pra notar a preocupação e a dor que você carrega no coração por ve-lo assim, e penso que você intui que ele sofre profundamente de carencia afetiva. Ele está com a autoestima bem destruida porque os pais não investem tempo, dedicação, afeto, disponibilidade, atenção, cuidados, nem financeiramente nele. Este menino se sente uma porcaria que não vale a pena investir, por isso, nem ele mesmo sente vontade de se esforçar por si. Para ajudá-lo você precisa reverter esta situação. Invista nele. Procure dar um tempo para ele todos os dias. Enquanto vocês estiverem juntos demonstre que você gosta da companhia dele, que ele te faz sentir feliz. Não fique passando sermão, converse com carinho, fale das qualidades dele, procure ideias para que ele se ocupe de coisas úteis: cursos, esportes e companhias boas. Você precisará ser a mãe e o pai dele até que ele encontre professores, amigos e pessoas que também terão esta função junto a ele. De vez em quando compre alguma peça de roupa que o deixe feliz. Mostre que ele é um ser humano maravilhoso e que merece receber todo o investimento do mundo.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 18 de Setembro de 2014 | Responder

  45. Dra. Léa, juro que chorei ao ler sua resposta tão acolhedora, tão prestativa e rápida, juro que vou ler todos os dias… e pode ter certeza que ele e meu esposo são os mais preciosos para mim! Obrigada por ter dedicado seu tempo para responder.. muito obrigada, me ajudou muito!!!

    Gosto

    Comentário por Denis | 18 de Setembro de 2014 | Responder

  46. minha filha tem 14 anos nunca repetiu, mais esse ano ele desandou vai reprovar começou dois curso e não terminou nenhum. agora ta dizendo q vai embora de casa não tem dialogo mais, não respeita ninguém briga todo dia com a mae ate já agrediu. so fica dormindo agora ate dinheiro d casa esta sumindo. e não escuta os pais, quando s pergunta s esta certa do q esta fazendo, ela fala q não. ai pergunto então poq faz ela diz q não sab. vc não tem vergonha do q esta fazendo ela diz não tenho. não sei mais oq fazer m ajude por favor queria q ela voltasse do jeito q era educada meiga bondosa

    Gosto

    Comentário por marcos | 25 de Setembro de 2014 | Responder

    • Sua filha está sofrendo! Não sei o que acontece, mas ela rouba para (inconscientemente) comunicar que algo não vai bem com ela. Pode ser que ela não conta o que acontece porque pensa que vocês não vão aceitar. Pode ser algum problema com as amigas ou com algum garoto do colégio. Em todo caso, 14 anos é uma idade critica na vida da gente. Nesta fase é importante você ser muito acolhedor com ela. Resgate a sua propria adolescencia para compreende-la. Mostre a ela que você também é humano e que está querendo ajudá-la. Não passe sermão. Escute-a com muito carinho e esteja aberto para o que ela disser. Diga que percebe que ela está sofrendo, e que ela não precisa ter medo de você. Seja o que for você irá apoia-la. Os pais estão aí para isso. Reconquiste a confiança de sua filha e mostre para ela que você a aceita não só quando ela é meiga e bondosa, mas também quando ela apresenta o lado mais rebelde de si mesma.
      Abraços,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 12 de Outubro de 2014 | Responder

  47. Bom gostaria de saber como poderia agir com enteada de 14 anos que mente muito. Ela é muito fechada, fala pouco de seu dia a dia e suas emoções…pediu p namorar em casa mas ja estava escondido.os pais cortaram todo tipo de comunicação com redes sociais, tiraram o celular e nao fica sozinha em casa, em quanto a mae trabalha, vai p casa da vó.
    Ja conversaram mas continua a mentir e pedir p pintar cabelo de vermelho , colocar piercing na orelha….pois gosta de rock. O que o pai teme sao as amizades com alguns meninos que poderiam a colocar no mal caminho. A cada semana e uma mentira que vem a tona, e ela nao reage nao teme esconde e nunca fala nada, so abaixa a cabeça e diz que entendeu. Ela tenta ser engraçada ri de nadae gosta de assistir desenhos infantis e uma coisa que me chama a atenção ela gosta de fazer brincadeiras de comparação tipo “nossa sua perna esta mais fina que o controle” me parece que e a forma dela aparecer, pois deve ser assim com as amigas.
    Eu não queria interferir, mas pensei em conversar com ela e gostaria de saber como poderia fazer isto de forma que nao se feche mais, nunca demonstrei que sei das coisas acontecidas. Gostaria e preciso de ajuda.

    Gosto

    Comentário por G | 8 de Outubro de 2014 | Responder

    • Esta menina sofre. Ela mente porque sente que ser ela mesma não é bom e não será aceita nem aaprovada sendo o que é, por isso mente muito. Ela está com a autoestima destruida e está muito carente! O caminho para educar um filho não é cortando tudo o que ele gosta, mas sim acolhendo, compreendendo, aceitando escutando e conversando, isto é, entrando no universo dele. Adolescencia é uma fase crítica da vida da gente. Não somos crianças, nem adultos, estamos em plena metamorfose, os hormonios a flor da pele e nosso corpo mudando o tempo todo. Precisamos nos sentir acolhidos e ninguém parece nos compreender. A última coisa que esta moça precisa é que passem sermão nela. O caminho para ajudá-la será escutar de forma acolhedora e compreensiva. Deixando o seu lado adolescente vir a tona para compreende-la.
      Só o fato de você me escrever, já comunica que você quer mesmo ajudá-la!
      Te desejo sucesso!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 12 de Outubro de 2014 | Responder

  48. Boa noite Dra.!
    Gostaria de uma orientação. Tenho uma filha de 12 anos que não sabe ouvir um NÃO. Ela faz verdadeiro inferno aonde estiver se for contrariada. Eu e meu esposo temos que fazer tudo do jeito dela, as vezes ceder mais que o necessário para haver paz em casa. Já tentamos de tudo: conversar, castigo, tirar o que gosta, psicólogo, trocar de escola, dar um gelo, deixar ela fazer birra…enfim, várias técnicas e o desrespeito só vem piorando, sempre que leva um não. Ela é viciada no iphone, e quando tiramos dela, ela vira um verdadeiro monstro. Ela fala coisas que magoam muito nós dois…me parece até um pouco insensível e é muito agressiva, se arranha e já chegou a me bater…
    Por outro lado ela é muito dedicada aos estudos e à natação (lê um livro por semana se tiver)! Só que tudo tem que ser feito no tempo dela (horário para dormir, comer, se arrumar para escola, estudar com o celular e tv ligados, o quarto vive uma bagunça, nao lava o prato que come). Sabemos que falhamos na educação, principalmente excesso de conforto, mas temo que seja tarde para reeduca-la…
    Pensamos em tira-la da escola particular e coloca-la na publica e tirar todas as mordomias que ela tem (celular, tv a cabo, lap top, livros que ela ama) ou ainda coloca-la em um colégio interno…Me ajude por favor doutora! Desde já agradeço. Abs

    Gosto

    Comentário por marcia | 17 de Novembro de 2014 | Responder

    • Olá Marcia, nem tanto ao céu, nem tanto a terra! Parece que nem você e nem sua filha estão acostumadas com o meio termo. Você diz que ela é difícil, no entanto, apresenta ótimos resultados: notas, leitura e esporte. Parece que o que está faltando é você confiar mais em si mesma na relação consigo mesma e com o mundo. Ela tem uma boa autoestima, mas não consegue te respeitar porque você é muito insegura… Não fique triste. você está criando uma filha cheia de recursos e que investe em si mesma. Sugiro que você procure terapia. Não sei em que cidade você mora. Procure uma boa indicação. Eu estou em São Paulo e atendo muitas pessoas do Brasil e até no exterior por Skype. Fique a vontade, mas não deixe de fazer terapia, porque não adianta nada muda-la de escola, e de ambiente, enquanto em casa você fica furiosa e toma atitudes drasticas. Saiba que você fica furiosa consigo mesma e as atitudes são exageradas porque há uma dificuldade em encontrar o meio termo. Invista em si, e você verá que conseguirá conquistar o respeito de sua filha,
      Um forte abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 18 de Novembro de 2014 | Responder

  49. Muito Obrigada Doutora! seguirei suas orientações. Abs

    Gosto

    Comentário por marcia | 19 de Novembro de 2014 | Responder

  50. boa tarde gostaria de sabe como faço para lida com meu filho de 15 anos ele e muito mentiroso me passa a perna preguiçoso nao gosta de estudar tenho que ficar ensima dele nao sou ruim para ele so quero o melhor para ele que teve a coragem de dizer para mim que esta estudando eu falei que nao e para ele ja convesei com ele varias vezes fui hoje no colegio dele o professor dele de matematica falou que ele fica conversando muito na sala de aula nao faz o exercicio e os trabalhos por favor me ajuda como fazer para melhorar essa situacao. muito obrigada pela sua atençao espero sua resposta, fica com Deus.

    Gosto

    Comentário por rosangela | 3 de Dezembro de 2014 | Responder

    • Olá Rosangela, seu filho está desmotivado para estudar. Se você ficar brigando, insistindo e pegando no pé dele só vai piorar. O melhor que você tem a fazer é ajuda-lo a se entusiasmar e se sentir motivado para estudar crescer e se esforçar. Como você pode fazer isto: Pergunte como ele está e escute com atenção. Pergunte o que ele gosta de fazer, e escute acolhendo com afeto e procurando proporcionar as coisas que ele gosta para ele ter vontade de viver e se esforçar na vida. O principal é parar de passar sermão, ser companheira e mostrar para ele que vale a pena investir na vida porque a vida pode ser muito boa!

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 4 de Dezembro de 2014 | Responder

  51. Boa tarde gostaria que vc me ajudasse,pois tenho um filho de 20 anos e ele não esta muito interessado nos estudos,já tem uns 3 anos que ele esta assim.Ele e um rapaz meigo, carinhoso,não me da muito trabalho mas acho que ele tem alguma coisa, ele e muito calado,guarda as coisas p ele a minha impressão e que ele tem algum problema,o pai dele chega a brigar comigo por eu pensar assim. Tem sua namorada e carinhoso c ela, agora esses dias ele veio c uma conversa que quer estudar, e que não aguenta mais ficar morando em interior. Não sei se e porq essa nova namorada dele e professora ele esta diferente. Gostaria de saber o que posso fazer e agir c ele.

    Gosto

    Comentário por marisete | 11 de Dezembro de 2014 | Responder

    • Talvez ele queira mesmo estudar e isto que ele diz não seja apenas uma conversa. Talvez ele é calado porque não é levado muito a sério, porque seus sentimentos e pensamentos não são validados, nem legitimados por vocês. Leve-o a serio! Isto vai aproximar vocês e ajudá-lo a se sentir mais motivado para estudar, trabalhar e produzir.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 12 de Dezembro de 2014 | Responder

  52. Boa noite! Preciso muito de um conselho. Tenho um filho de dezoito anos que não quer saber de estudar e trabalhar. Esse meu filho foi muito mimado pelo pai, que fazia as suas vontades e sempre me contrariava quando eu repreendia o comportamento do meu filho. O pai queria ser amigo do filho e não sabia cobrar responsabilidades. Agora ele cresceu mas se comporta como se fosse uma criança. Nunca foi bom aluno na escola e eu sempre era chamada por indisciplina dele. Hoje ele não quer trabalhar nem estudar. No começo do ano estava numa empresa como aprendiz e entrou em uma faculdade onde consegui um financiamento de 100% para incentivá-lo. Mas o contrato dele terminou no meio deste ano e ele por conta própria parou de estudar. Fica o dia inteiro com o celular na mão, não conversa com ninguém a não ser com os amigos pelo celular. Não quis se alistar no exercito e quando pergunto o que ele vai fazer quanto a isso ele diz que uma hora ele resolve. Quando o pai pede um favor ele responde que não vai ajudar porque não está afim. O pai agora sente o quanto ele errou na educação do filho, mas está difícil aguentar um homem dentro de casa sem vontade de nada. Quando nós saimos para trabalhar ele traz meninas e leva para o quarto mesmo tendo namorada. Não faz nenhuma tarefa dentro de casa e nos trata com arrogância. Não sei mais o que faço para que ele busque uma motivação. Agradeço desde já pela sua atenção e aguardo ansiosa pela sua resposta. Obrigada.

    Gosto

    Comentário por andreia | 11 de Dezembro de 2014 | Responder

    • Olá Andreia, ralhar, passar sermão, brigar, implorar, todas estas atitudes não levarão a nada, ao contrário ele ficará mais e mais saturado da ideia de trabalhar e estudar. Ele está desmotivado e voltado para os prezeres mundanos e imediatos. Como revertão a situaçao? cortar a grana dele e dizer que se ele quiser ter dinheiro, terá que trabalhar, produzir. Este é um caminho. Caso contrário vocês estarão bancando a boa vida dele. Você pode conversar e perguntar se ele quer que você o ajude a encontrar um trabalho. Esta conversa precisa ser amável e acolhedora, porque se você jogar pedras, ele irá colocar um escudo! Pode ser que ele não gosta de estudar, e prefira trabalhar. Pode ser que ele não encontra sentido na vida, neste caso, uma terapia poderia auxiliar bastante, contanto que seja com uma pessoa com a qula ele se identifique! Vamos torcer para que ele encontre algum caminho produtivo, você pode ajudá-lo dessa maneira.
      Felicidades,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 12 de Dezembro de 2014 | Responder

  53. Ola. tenho uma filha de 14 anos, e um filho de 11 anos
    E agora ela resolver ter ciumes. tem tudo que quer, faço de tudo por ela, é exelente na escola. Damos liberdade dentro do limite.
    Mas o maior problema é falta de vontade para fazer qualquer tarefa domiciliar. Então se revolta contra eu (mãe) e seu irmão. Só fica trancada no quarto, e não aceita que a chame. O pai tirou o celular e cortou as ferias na casa da tia. Agora ficou bem pior. Não sei o que fazer, por favor alguém me da uma luz

    Gosto

    Comentário por Sônia | 16 de Dezembro de 2014 | Responder

  54. minha filha de 14 anos não se arruma não penteia cabelo .tudo eu tenho que mandar . tenho q mandar lavar os cabelos mandar escova os dentes mandar dormir. mandar acordar .
    e ela é respondona.
    mal criada
    esta insuportável

    o que faço? ?

    Gosto

    Comentário por Josi | 21 de Dezembro de 2014 | Responder

    • A palavra insuportável revela que ela precisa sentir-se suportável para você para tornar-se suportável para ela mesma. Alguém que não se suporta não tem a menor vontade de investir em si mesma. Não tem vontade de estudar, dormir, tomar banho, comer, acodar se pentear, etc… Alguém que não se suporta torna-se insuportável para o outro. A maneira que você olha para ela revela que você não suporta ela, seus olhos são os espelhos que refletem a imagem dela para ela mesma. Procure olhar para ela com amor, carinho, compaixão e você verá que tudo vai melhorar. Ser mão dá trabalho e para ela desejar investir nela mesma, é preciso que você deseje primeiro.

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 23 de Dezembro de 2014 | Responder

  55. Ola, bom dia meu nome e. Alessandra e sou mãe de uma menina de quinze anos e estou passando por um momento muito complicado com ela, nao tenho problemas com ela em questão de estudos e obediência mas eu luto todos os dias com ela por que ela não tem um alto estima bom esta sempre se sentindo feia fala que não a amamos é pergunta todos os dias se queremos que ela vá embora de casa chora atoa não gosta de se ser e nem ter amizade com ninguém só que eu e o pai dela fazemos de tudo pra que ela seja feliz agora ela esta passando por uma fase de querer ir para um lugar que seja longe de tudo tipo um interior são palavras dela eu venho aqui pedir uma ajuda pois tudo que eu posso eu faço só que esta ficando muito complicado eu não gosto nem de repetir oque ela fica falando por que palavras atraem eu quero se possível uma ajuda urgente eu a amo muito e estou com medo que as coisas piorem obrigada se vc ver que e melhor leva-la a um medico me diga que eu a levarei mas,preciso de um conselho urgente obrigada.

    Gosto

    Comentário por leonardo souza | 9 de Fevereiro de 2015 | Responder

    • Sua filha está atravessando a fase mais critica do desenvolvimento humano, ela está num momento crítico de transição e a autoestima dela está bem prejudicada por alguma razão. Sua filha precisa de auxilio terapeutico imediato. A imagem que ela tem de si mesma está distorcida e nesta fase o corpo é supervalorizado porque sofre intensas transformações. Levem a serio o que ela diz, escutem-na, demonstrem todo o afeto que sentem por ela. Não sei em que cidade vocês moram, no entanto, se precisarem de alguma orientação e quiserem faze-la comigo, atendo por skype várias pessoas pelo mundo.
      O principal é procurar uma psicóloga imediatamente.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 11 de Fevereiro de 2015 | Responder

  56. Bom dia..sou avó de menina de 12 anos. Os pais brigavam muito na frente dela..desde pequenina.
    Hoje se divorciaram..ela e a mãe.. moram perto de mim.
    Em casas separadas. Ela sempre tem tudo que quer..os pais..sempre acostumaram assim.Bastava ela até apontar o dedinho para algo. Logo tinha.
    Hoje está muito rebelde…diz não ter medo de ninguém nem de nada. Por vários comportamentos inadequados está fazendo terapia..a mãe.. eu já fiz muitos anos.
    Procuro trata lá com carinho..mas..ela me rejeita..não me beija..não é carinhosa…não estuda direito..mas passou para o oitavo ano..
    É inteligente..tem valores..as vezes acho a carente..triste…outras de boca me chama de velha me fere…procuro superar. Ela vai para o pai que já tem outra de 15 em 15 dias…mas a guarda é de minha filha.
    Ela quer namorar…e não só um. Muito preocupante para mim. Mas sei que quem educa é os pais. E ela quase não me ouve…minha filha trabalha…eu ficava com ela….mas..ou ela me faz de empregada…..ou quer ficar na rua…brincando com garotos. mas no fundo quer beijar…já me disse. não pode namorar com12 anos…mas fica na internet o tempo todo.
    Sou impotente…mas queria que ela fosse mais minha netinha….mas não vejo como conquista la. Tem um ano que estamos morando perto. Quase não tinha contato com ela.Moravam longe demais. Ela era diferente comigo…pedia para eu ir para lá…..gostava de brincar comigo de pique…..mas mudou.Me ajude a entender…mais como lidar com ela. obrigada. bjus

    Gosto

    Comentário por Vó confusa | 21 de Fevereiro de 2015 | Responder

    • O problema está no fato dela ter se constituido tendo de tudo. O ser humano pede contenção. A contenção é demonstração de cuidado. E as crianças, adolescentes, adultos e idosos podem chegar até as últimas consequencias pedindo para serem contidas. Podem chegar ao ponto de apresentar comportamentos antissociais para serem contidas nem que seja pelos braços da polícia. Ser contido é demonstração que alguém se importa e cuida de você. Quando ela te chama de velha e te faz de empregada ela, inconscientemente pede para você conte-la. A pergunta é: como fazer isto? Você precisará ter muito jogo de cintura. Precisará dizer com todas as letras que a ama e que está preocupada com ela. E que chegou a hora dela ser educada e saber como se portar na vida, e que isto é só para o bem dela. E então ir comunicando a ela de forma afetiva e acolhedora como se portar, como a gente trata com outro ser humano, o valor de conquistar e não simplesmente receber tudo de mão beijada.
      Te desejo paciencia, tolerancia e persistencia!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 1 de Março de 2015 | Responder

  57. Boa noite, estou com um problema com meu filho que não sei mais como lidar. Ele tem 23 anos, começou a fazer a faculdade de engenharia, desistiu no 3 período, depois foi pra fora do Brasil cursar medicina, e nem sei ao certo por quanto tempo estudou, pois passou a mentir, dizendo que faltava documento disso ou daquilo, depois disse que estava com problemas na família do pai, e por fim, pediu pra voltar pra casa, pois não estava conseguindo ficar longe da família. Expliquei que se voltasse, teria que trabalhar, pra pagar seus estudos e viver uma vida de adulto, já que não queria estudar. voltou há 01 ano, e já passou por cinco empregos, onde só fica de 1 a 2 meses, e sempre coloca um problema no trabalho. Já conversei diversas vezes com ele, e vive dizendo que está procurando, que faz entrevistas mas não é chamado. A históra é a seguinte: Tive uma filha que é 3 anos mais velha que ele, e depois conheci o pai dele nos envolvemos e ele nasceu, nos separamos (são filhos de pais diferentes). Sempre trabalhei e morava com minha mãe, ela ficava com eles para eu trabalhar, o pai dos dois sempre foi ausente, sempre fui presente, cresceram, minha filha estudou se formou, casou, trabalha. Os dois nunca foram de baladas, e ele sempre foi muito caseiro, mas distante da família, tipo, todos em casa e ele no quarto, engordou muito, e vive no computador, é muito inteligente, lê muito, tem um excelente potencial, mas não está sabendo lidar com isso. Hoje resolvi sair da casa da minha mãe, e deixei ele com ela, pois não estou conseguindo conviver com esta situação, ele não pede nada, vive do jeito que está, não se mexe pra buscar, pra estudar, ou trabalhar. Bem eu não sei como lidar com tudo isso, pois tudo que ele fala acho que está mentindo. Continuo buscando ajuda por ele e por mim, pois isso tudo me dá muita tristeza. Os dois foram criados com a mesma educação, amor, carinho, puxões de orelha, são diferentes, como os dedos das mão tambem são, mas me preocupo com esta situação. quero ajudar. Não sei mais a quem recorrer, se devo buscar um profissional para dar um sacode no meu filho, mas que tipo de profissional (qual área de psicologia devo buscar). Por favor preciso de uma luz no fim do túnel.
    Att, Denise

    Gosto

    Comentário por Denise | 19 de Março de 2015 | Responder

    • Seu filho está muito desmotivado, pode até ser uma depressão. Talvez seja falta de investimento por parte de pai, não dá pra saber. Ele mente porque a auto estima dele está muito baixa, ou seja ser ele mesmo é pouco e por isso mente sobre o que faz para parecer um pouco melhor diante do olhar dos outros. Ele sente que não ocupa espaço no mundo, nem numa faculdade, nem no mercado de trabalho, nem dentro da mente e das emoções do pai, e possivelmente pensa que você também não tem espaço interno para ele. Por isso engorda, insconscientemente para ocupar maior espaço no mundo (só que o faz do jeito errado). Além disso, ele come muito porque está carente, há uma falta que ele procura preencher com comida. Além disso, falta prazer na vida, então, tenta compensar com o paladar.
      Ele precisa de terapia, um bom terapeuta pode auxiliá-lo a sair deste estado depressivo e encontrar motivos para viver!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 9 de Maio de 2015 | Responder

      • Obrigada pelo retorno, vou conversar com o pai dele e propor um tratamento terapêutico.

        Gosto

        Comentário por Denise | 13 de Maio de 2015

  58. Boa noite, minha situação é bem complicada, tenho uma filha de 15 anos fui mãe aos 17 e o me marido 16, nossa relação sempre foi muito conturbada e sofria sempre muita interferência da família do meu marido, nos separamos varias vezes, sempre discutíamos na frente dela, meu marido é uma pessoa muito difícil não sei bem ao certo mais parece uma mistura de narcisista, misógino e já pensei até que ele fosse psicopata, porém nesses 15 anos engravidei quando minha filha tinha 10 anos e a bebê nasceu com uma grave cardiopatia, vindo a falecer aos 9 meses de vida, nesse tempo me dediquei totalmente a bebê eu sozinha pois meu marido estava me traindo pois dizia que não tinha mulher em casa por eu ter ido morar na UTI do hospital para cuidar da bebê, mais eu sempre tentei conciliar o cuidado com as duas a minha mãe ficou responsável por cuidar da mais velha, porém eu saia do hospital para levar ela para escola, participava ajudando na medida do possível com tarefas e tudo mais, quando a bebê saia da UTI e ficava no quarto meu marido levava minha filha todas as noites no hospital, inclusive ela dormia lá varias vezes e ficávamos juntas, éramos muito unidas ela entendia bem a situação e me ajudava muito, ela sempre foi muito independente desde pequena e muito inteligente, depois que a bebê faleceu eu sofri muito com depressão, síndrome do pânico que eu tenho desde os meus 10 anos, minha filha não me entende mais agora só faz é piorar minha situação esta muito rebelde e arrogante ela diz que odeia o pai, tudo bem que ele é difícil de lidar mais ela quer q eu me separe dele por que ele não deixa ela namorar, fazer tatuagem e não deixa ela sair a hora que ela quer, ela provoca brigas entre a gente jogando um contra o outro, e se eu não faço alguma coisa que ela quer ela já começa a me tratar mal fala muito palavrão me trata mal na frente das pessoas eu passo muita vergonha, até as amigas dela ficam chocadas com o jeito que ela me trata, ela não tem dó nem piedade, além disso ela sabe como o pai dela é me responsabiliza por ela ser assim, mesmo assim ela fica pedindo para eu acobertar ela e se eu digo não pois acho que mentira tem perna curta fica revoltada comigo e despeja todo ódio encima de mim, ela vai muito bem na escola é super dedicada e tira ótimas notas, só que ela tem me magoado muito, não sei mais o que fazer ela faz muita pressão encima de mim para conseguir as coisas eu tento ouvir ela ser a mãe amiga mais parece que não está adiantando, quanto mais eu passo a mão na cabeça dela pior é, e pior não posso contar com o meu marido para conversar sobre isso ele fala que já trabalha para dar de tudo pra ela e a educação fica por minha conta, e fala que se ela fizer qualquer coisa errada eu serei a culpada na verdade eu vivo pressionada pelos dois, não sei mais o que fazer, ela e eu já fomos ao psicólogo do plano de saúde, mais ela disse que não quer ir mais e cada dia está ficando pior não sei onde esta aquela menina doce na verdade não reconheço mais minha filha estou desorientada se puder me ajudar eu agradeço! Obrigada.

    Gosto

    Comentário por Elisangela | 24 de Março de 2015 | Responder

    • O seu marido pensou mais no penis dele do que na sua situação dificil com bebe na UTI, e ele acha que este fogo sexual que ele tem a filha também tem e por isso ele é tão severo com ela. Ele faz uma projeção de si mesmo nela. Ela está com 15 anos, tem um pai rigido e severo, e nesta idade os adolescentes substituem a familia pelos amigos. Tornam-se até frios, rispidos, agressivos com os familiares para se diferenciarem da criança que eles eram e que tinha os pais como o principal nucleo social quando idealizavam estes pais. Esta é a situação. O que fazer? que tal você começar a por suas manguinhas de fora e rodar a baiana? Ocupar o seu espaço! Trabalhar, estudar, se tornar uma pessoa mais aberta para o mundo e não ficar a merce da familia? Eles sentirão a sua falta e valorizarão mais você!

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 14 de Abril de 2015 | Responder

  59. um usuario de drogas consegue ficar quanto tenpo sem comsumir as drogas?

    Gosto

    Comentário por lucilene | 13 de Abril de 2015 | Responder

    • Um usuário de drogas não tolera a abstinencia. 24 horas para ele sem drogas pode ser uma tortura!
      Para conseguir libertar-se do vicio, ele precisa, em primeiro lugar reconhecer que está viciado, em segundo lugar querer parar o vicio e então fazer um tratamento com profissionais.

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 14 de Abril de 2015 | Responder

  60. Tenho um irmão e ele tem 15 anos, tem dois anos que ele vem dando muito trabalho para meus pais, e os mesmos estão sofrendo de depressão. Ele tem tudo , casa escola família bem estruturada porém parece não ser suficiente, todo dinheiro é pouco, ele trabalhava mais agora nem isso faz mais, ele não quer estudar, fuma maconha e sabe-se lá mais o que, anda com outros jovens infratores e esta indo para o mesmo caminho, se recusa a escutar qualquer conselho, a cada dia que passa fica menos em casa se afasta mais da família, o que fazer? estamos desesperados por que nem mesmo com ajuda dos psicólogos daqui conseguimos alguma evolução. Ele simplesmente idolatra a vida marginal. Ele diz que a família dele são esses jovens “bandidinhos”.

    Gosto

    Comentário por Leticia | 15 de Abril de 2015 | Responder

    • Nessa idade o adolescente troca o nucleo social que era a família durante a infancia para a turma de amigos. Além disso, o adolescente é altamente influenciado pelos amigos. O que fazer? A pior coisa que você pode fazer é jogar pedras, acusar e julgar o comportamento dele, porque quando a gente joga pedras o outro põe um escudo. O melhor é tentar reconquistar a confiança dele. Procure conversar, sem fazer inquerito, mas mostrando interesse genuino pela vida dele, os pensamentos dele, se abra para ele e ele se abrirá para você. Oriente seus pais para fazerem a mesma coisa. Reconquistem este rapaz.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 19 de Abril de 2015 | Responder

  61. Minha filha não come nada so doces o que eu faço me ajuda!

    Gosto

    Comentário por Luciandojuca2015@hmail.com | 8 de Maio de 2015 | Responder

    • Preciso de mais dados: idade, estado de saúde dela, etc.
      No entanto, procure oferecer o alimento de modo amável, bonito (faça uma carinha no prato), procure esconder a verdura entre a carne, a batatinha. Espere ela sentir fome para oferecer, só ganha doce depois da refeição, ofereça um brinde cada vez que ela comer: histórinhas, passeio, um jogo, etc…

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 9 de Maio de 2015 | Responder

  62. Olá…tenho 40 anos e dois filhos, um de 17 anos e um de 20 anos já chorei bastante com as atitudes do mais velho, já peguei maconha nas coisas dele e conversei bastante com ele para parar e ele disse que não vai parar que não é viciado e que não está prejudicando ele , o pai e eu pedimos, mais não resolveu, achei a droga no guarda roupa deles e mostrei para o irmão que é mais novo…chorei bastante e joguei fora….ele não me perguntou nada até hoje…quando ele sai eu fico sofrendo…como devo agir? Os dois fazem faculdade de TI eu dei a idéia para fazerem a mesma coisa para montarem uma lojinha para eles já que se dão bem…o mais novo arrumou uma namorada e já está com ela há um ano e meio eu sempre procuro tratar os três iguais, eles e a namorada do mais novo, más a moça de 17 anos mora com o pai e a madrasta a mãe mora na Bahia …então ela se apegou em nós e a gente se dá muito bem, somos como pais e filha….e meus filhos mudaram o comportamento…depois que começou a faculdade, começaram agora em 2015….só ficam conversando entre eles o mais velho conseguiu fazer o mais novo deixar a namorada e ele pediu um tempo para ela…estamos todos sofrendo com tudo isso ….eu sinto muita falta dela em casa e ele começou a sair para churrasco e beber com o irmão mais velho o que eu faço…..o pai deles está de férias e hoje dia 08/05/2015 cheguei do trabalho o pai estava triste e quando eles foram para a faculdade ele me disse que o mais novo respondeu para ele e que os dois discutiram…meu Deus, como é difícil, a gente se esforçou tanto para educar e agora vejo tudo se acabando tão rápido…eles se sentem melhor do que o pai até chamou o pai de pião duas vezes já….e eu que já disse para eles o quanto foi difícil, para eu estudar depois que eles cresceram, que o pai sempre me apoiou nos estudos que somos uma família e que temos que nos ajudarmos uns aos outros, por favor preciso de um conselho , afinal sou professora e educação eu já tinha desde que me conheci por gente….vim de família pobre, e criada em um barraco , mais nunca respondi para meus pais e eles a gente sempre trabalhou de domingo a domingo nunca faltou nada para os dois ….sou dedicada trabalho,cuido de casa e procuro sempre ajudar eles em tudo, acho que errei em alguma coisa mais onde? não consigo enxergar por favor me ajude!!! Será que foi porque na páscoa eu dei um ovo maior e melhor para a namorada dele? se sentiram ameaçados e ensiumados….isso seria motivo para o mais novo responder para o pai, ou seria a faculdade, os novos amigos , sei lá
    me ajude….preciso fazer de tudo para voltar a paz dentro do meu lar….agradeço desde já à atenção .

    att.

    Gosto

    Comentário por sandra | 8 de Maio de 2015 | Responder

    • Você está coberta de razão por ficar triste com o fato deles desrespeitarem vocês! Mas o que você faz para exigir respeito desses meninos? Não falo de ações externas, mas qual é a sua postura interna em relação a si mesma, diante do mundo, da vida e de seus filhos. Você tem todos os motivos do mundo para ser uma pessoa orgulhosa com a guinada que deu na vida e por tudo o que pôde proporcionar para os meninos. No entanto, você parece se sentir inferior. E eles captam isto e te tratam da maneira que você se coloca diante deles. Além disso, parece que existem 2 times em sua família um formado por você e seu esposo e outro formado pelos dois filhos. Isto precisa terminar. Agora é o momento de você ter um diálogo consigo mesma e se sentir forte e totalmente merecedora de respeito por si mesma e principalmente pelos dois filhos. Será que esta “nora” era sua aliada na familia? vocês precisam se aliar os 4 formando um único time forte e que entre vocês paire o amor, o reconhecimento e o respeito.
      sugiro que ao invés de passar sermão, ou orientações e conselhos para seus filhos, abra-se para escutá-los. Pergunte do forma acolhedora qual é a relação dele com a maconha, o que ele sente quando usa e se você escuta-lo, ele escutará você!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 9 de Maio de 2015 | Responder

  63. tenho um filho de 15 anos e ele anda muito nervoso nao gosta de sair mas fico preocupada pois sei que eles sofrem muito com as mudanças sinto que a voz dele esta muito mudada e aquele voserao e demorado essa mudança da voz.Gostaria de saber se e preciso passar ele no medico pois ele tambem esta com o rosto cheio de espi

    Gosto

    Comentário por sanzzia | 11 de Maio de 2015 | Responder

    • A fase mais esquisita da gente é a adolescência. Nosso corpo sofre transformações fisicas e hormonais e o fisico delata a instabilidade emocional, mental e fisica. Todo o adolescente tem uma aparencia desorganizada, é meio criança, meio adulto e ainda não tem nada definido.
      Fique tranquila e procure transmitir tranquilidade para ele que o menino esta se transformando em homem. Se quiser procure um medico para as espinhas para que ele se sinta melhor. Mais importante de tudo acolhe-lo, aceita-lo e encontrar beleza na aparencia esquisita e normal do seu filho adolescente!

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 11 de Maio de 2015 | Responder

  64. Bom dia, tenho um unico filho de 15 anos, ele é muito inteligente, nunca foi muito de estudar, mas sempre tirou notas boas na escola. Este ano ele está cada vez mais desleixado, não faz lições, nem trabalhos, e consequentemente suas notas caíram muito… Fomos na escola e o coordenador disse qeu falta vontade dele mesmo…Vejo que ele está sem motivação para nada, só fica no celular trocando mensagens com amigos que são bem depressivos e são cheios de problemas… Ele é um menino bom, ajuda as pessoas, mas está bem agressivo comigo e com o pai dele. Parece qeu nos culpa por tudo e por nada…Já tivemos várias conversas francas com ele, tentamos fazer com qeu ele nos diga o que está acontecendo, mas ele somente diz que sabe que está agindo errado e que vai fazer alguma coisa para melhorar mas não está fazendo nada… eu e o pai paramos de cobrar as lições, não o impedimos de sair com os amigos, ele faz tudo o que quer e não lhe falta nada, mas deixamos claro que vamos exigir resultados. Estou muito preocupada, pois vejo qeu a situação está cada vez pior e ele não consegue sair de circulo de apatia em relação a si mesmo. Não sei mais como agir, se cobro e porque cobro, se não cobro ele diz que eu não falei nada…

    Gosto

    Comentário por Rosário | 26 de Maio de 2015 | Responder

    • Lidar com adolescente é muito difícil mesmo Porque o adolescente tem necessidade de peitar os pais para se diferenciar da criança que foi e que “idolatrava” o papai e a mamãe. Agora ele será do contra, se vocês falarem a ele dirá b e vice versa. É comum o adolescente ter aversão da criança que ele foi, por isso é tão agressivo. Sejam pacientes, não fiquem tão ansiosos, vão apontando para ele de forma afetiva e acolhedora o que está acontecendo para ele saber e ter isso em mente. Quando vocês menos esperam e ele se sentir mais seguro com a nova identidade de adolescente ele ficará mais sociável,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 26 de Maio de 2015 | Responder

  65. Oi tenho um filho de 13 anos , ele é bom na escola , no inglês , mas esta de um jeito que só quer ficar dentro do quarto dele jogando com os amigos , não conversa dentro de casa diz que não gosta de conversar , tudo que tem que fazer junto com a família faz de mau humor , vamos conversar com ele e ele está boca dura , parece um galo de briga não abaixa a crista , enfrenta eu e o pai , ele é tão amado não entendo o que acontece , quando ele está com os amigos fica bem , parece que ele quer distancia da família , fazemos tudo por ele , não consigo entender . Me AJUDE Lia o que faço .

    Gosto

    Comentário por Luciana Silva | 26 de Maio de 2015 | Responder

    • Ele está entrando na adolescência e age desta forma para se diferenciar da criança que era e que supervalorizava a família, o adolescente se afasta da família e a substitui pelos amigos. Ele faz cara brava para não cair na tentação se afeiçoando a família e voltando a ser uma criança outra vez. Você precisa ter paciência porque está maneira de agir com a família é muito comum nesta idade. Fique tranqüila que ele volta a ser afetivo com a família assim que se sente seguro com a nova identidade adolescente e sem perigo de voltar a ser criança.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 26 de Maio de 2015 | Responder

  66. Boa tarde, tenho um filho de 16 anos, sou separada do pai dele, e tenho um companheiro há 11 anos, ao qual temos um filho de 2 anos, meu filho de 16 anos, é fascinado por jogos, vai super mal na escola, desde pequeno, fez terapia por 6 anos e descobrimos que ele tem dislexia, tem deficit de atenção, e não suporta falar em escola, é extremamente irritado, não gosta de dialogo, esta cursando o primeiro colegial em uma escola agrícola, na cidade vizinha onde é integral, faz o colegial e sai técnico em agropecuária também. Minha preocupação é sempre com ele desde pequeno, agora nessa nova escola começo os problemas maiores, achamos na sua bolsa da escola cigarro e fumo de mascar, onde pressionamos ele, e ele confessou que era dele , que tinha experimentado, quase morri, passado algumas semanas pego novamente fumo de mascar escondido em seu guarda roupa, tivemos novas conversar mostrei para ele quais as consequência do que estava fazendo com sua saúde, esta semana, tenho vinhos e uma garrafa de pinga em casa, que comprei para fazer doces, estava cheia, olho para ela e vejo que esta abaixando, logo veio que era ele, e descubro que levou pinga para a escola, quase morri, me confessou que mata aula, e que tem dias que não entra em certas aulas, perguntei o porque para ele disse que odeia estudar, so pensa em jogar play online, então tirei o play dele, pois se deixar ele não quer comer, tomar banho e mal conversa só pensa em jogar, ficou locou quando tiramos o play dele, parece que sta viciado, não pensa em outa coisa, disse que a vida não tem sentido sem jogar. Por favor me ajude estou entrando em depressão, choro todos os dias, não durmo mais, o que eu posso fazer por meu filho?

    Gosto

    Comentário por DANIELA | 26 de Maio de 2015 | Responder

    • Seu filho se relaciona com a vida e o mundo como se só houvesse o hoje, o aqui e agora e por isso não tem motivação para se esforçar para atingir uma meta ou um objetivo. Ele fuma e bebe também para fugir das angustias e as ansiedades que as responsabilidades e as conquistas acarretam. Ele sofre porque não tem pai presente? Ele sente ciúmes do irmão que é paparicado e tem pai e mãe presentes e vivem juntos. Parece que ele perdeu a esperança de um futuro melhor e focou no prazer imediatista. Você precisa escuta-lo, se interessar pelo que acontece no mundo interno dele. Este gesto comunicará a ele que ele é importante, que vale a pena investir nele, e este seu interesse em escuta-lo, em estar com ele, em gostar da companhia dele, fará com que ele próprio mude a relação que tem com o mundo, a vida, o outro e consigo mesmo.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 26 de Maio de 2015 | Responder

      • Muito obrigada Dra. , sim ele sofre por não ter um pai presente, temos uma ótima relação com os avos paternos, estamos sempre almoçando junto, não perdemos o vinculo, meu esposo adora eles, e eles me ajudam muito em todos os sentidos. Sabe Dra. eu e meu filho não conseguimos mais ter diálogos, pois não coloquei que ele também é super mal educado, e acha que sabe tudo, extremamente desorganizado também, não gosta de sair de casa, nem de comer fora, não nos acompanha em lugar algum. Será que a culpada dele estar piorando é minha, pois quando ele me conta essas coisas eu logo recrimino, mais não sei como deixar de corrigi-lo diante de tantos problemas.

        Gosto

        Comentário por DANIELA | 26 de Maio de 2015

  67. Muito interessante tudo que estou lendo aqui..tenho certeza que irá me ajudar muito.

    Gosto

    Comentário por wilca carla | 30 de Maio de 2015 | Responder

    • Que ótimo! Está é a idéia!

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 30 de Maio de 2015 | Responder

  68. Olá Dr. Tenho uma filha de 17 anos que está me enlouquecendo, é uma adolescente totalmente arrogante, metida, não aceita conselhos, e não admite que está errada não aceita conselhos, e quando as coisas não são como ela quer fica brava,beiçuda no quarto trancada!!! Acho que o erro foi todo nosso,em dar demais,teve tudo dentro do nosso limites, demos uma festa linda de 15 anos pra ela,e hoje o que sobrou daquela menina doce, foram só as fotos mesmo,tenho pena pois nunca queremos que nossos filhos passem trabalho como nós passamos,mais infelizmente a vida vai ensinar,já que com o nosso amor de família ela não quer aprender,já nem conversamos direito,é lamentável!!!!Foi só um desabafo,e ver que não sou a única a passar por isso!!! Obrigada.

    Gosto

    Comentário por Maria Isabel Bitencourt de Freitas | 8 de Junho de 2015 | Responder

    • Seu desabafo pode contribuir com varios pais que estão passando pela mesma situação, obrigada.
      Este espaço também é para as pessoas abrirem seus corações, serem compreendidas e acolhidas.
      Em todo caso, não perca a esperança, acredite que a menina doce está dentro de sua filha em algum lugar escondida e ela vai regressar!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 9 de Junho de 2015 | Responder

    • Esta idade é difícil e o adolescente se rebela contra os pais para se diferenciar da criança que foi para a qual os pais eram os heróis.
      Vejo o quanto você está frustrada com a situação e a nossa frustração se transforma em ódio, provavelmente você chega na sua filha muito raiva e fala as coisas de forma agressiva, a sua fisionomia transmite a frustração e ela reage a isto sendo arrogante. Agora trabalhe a sua frustração,
      Um forte abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 20 de Agosto de 2015 | Responder

  69. Oiii, tenho uma filha que esta para completar 14 anos, e ela mente e insiste na mentira, sempre demos de tudo a ela dentro de nossas possibilidades, muito amor e carinho, mas ela acha que nao damos amor e nao ligamos para ela, estuda em colegio particular, tem roupas boas, levamos ela passear sempre, mas ela insiste em mentir por causa de rapazes e ela se envolve com rapazes de 19 e 20 anos, que nao tem boa indole, sao rebeldes, ja deixamos de castigo e tiramos celular e computador, mas nao adiante, passa uns meses e ela inventa mentira novamente, espera a gente sair de casa para encontrar com ele. Ela é linda, meiga, todos gostam dela, mas eu nao entendo porque ela faz essas coisas, converso tanto com ela sobre esses rapazes que só querem se aproveitar dela, sem contar o risco que corre, muito dificil para uma mae e um pai, fazer o que nós fazemos por ela e receber em troca a mentira, o triste é ver que conversa, companheirismo e até o castigo de nada valem.
    Gostariamos que ela tenha um futuro de sucesso pela frente, mas temo que com suas atitudes acabe acontecendo o pior, uma gravidez indesejada, encontre uma pessoa que a fara infeliz, nao sei como proceder, como orientar, por que sempre falo das consequencias, mostro varios casos de colegas que se perderam na vida, deixando sonhos para traz e vivendo uma vida dificil e sem perspectiva.
    Nao sei mais qual caminho tomar.

    Gosto

    Comentário por Cristina | 15 de Junho de 2015 | Responder

    • a melhor coisa é não ficar passando sermão! Adolescente está com os hormonios a flor da pele e começando a se envolver com o sexo oposto. Então agora a melhor opção é acolher a sua filha para ela encontrar em você uma pessoa disponivel para ouvir o que ela tem pra te contar de forma compreensiva e amiga. A partir de então, ela poderá escutar os seus conselhos. Você precisa se identificar com esta fase da vida que ela está passando, resgatar a sua adolescencia para poder compreende-la. E quando ela estiver aberta para você, então oriente-a mas não passando sermão! Lembre-se a forma que você falar com ela será mais importante do que o que você vai dizer a ela!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 18 de Junho de 2015 | Responder

  70. Olá doutora, tenho três filhos, 23, 17 (quase 18) e 15 – o de 17 tem TDAH e sempre fez uso de medicamentos para poder se concentrar no colégio, a hiperatividade com o passar dos anos foi se normalizando. sempre foi meio calado e com poucos amigos, sempre incentivo a participar de esportes, lutas, algum curso…mas não há interesse, é relapso com tudo que faz, tem que mandar repetir seguidamente seja uma louça mal lavada ou a arrumação do quarto. Há dois anos levei ele para colocar aparelho dentário pois ele tinha abertura nos dentes da frente, o dentista pediu que eu fosse junto na manutenção para dar um ultimato ou ele faria a higiene adequada ou teria que tirar o aparelho, isso já havia acontecido um tempo atrás e eu ficava cobrando, até olhar os dentes dele eu olhava. ele tem espinhas e compro sabonete e pomada para tratar e se eu não aplicar ele não usa nem vendo que melhora bastante com o uso regular. geralmente ele chega a feder, já teve micose pois não toma banho de forma adequada. sempre converso e digo que as pessoas sentem o cheiro, o bafo e que isso afasta os amigos e colegas e ele nem liga. é calado e se deixar fica o dia no telefone e gosta muito de pornografia…até no meu celular ele já olhou (sexo bizarro) e está sem o menor interesse nos estudos, só foi se alistar porque eu levei. tirando isso é um menino bom, não é respondão, não bebe, mas não tem amigos – não sei como ajudá-lo. sei que estou triste com tudo isso

    Gosto

    Comentário por sinara pereira araujo | 18 de Junho de 2015 | Responder

    • Seu filho de 17 anos está um tanto carente com a auto estima baixa e um tanto depressivo (sem animo, sem sangue nos olhos, sem garra, desesperançado). Ele sofre do que eu chamo de sindrome do filho do meio. Isto é: o mais velho inaugurou a maternidade e a paternidade, o pequeno é o caçulinha, o xodózinho e ele? qual é o lugar dele na família? Qual é o lugar dele no mundo? Parece que esta falta de vitalidade, falta de cuidados consigo mesmo e dificuldades em se concentrar, trouxe para ele um enorme ganho secundário: Ele conquistou um grande espaço na sua mente (preocupada com ele). Saber disso já pode auxiliar para reverter a situação. O seu filho precisa ocupar espaço dentro de você assim como precisa de ar! Encontre algo que ele faz bem, que ele é bom! Pode ser um esporte, qualquer coisa e supervalorize isso. Procure não dar tanta atenção para as deficiencias dele e supervalorizar as qualidades. Este é um caminho. Se ele topar uma terapia com uma pessoa bem acolhedora, divertida e que, de fato, goste de atende-lo, este menino sairá deste estado!
      Ele não investe em si mesmo porque se acha um porcaria, então para que investir numa porcaria? Ele precisa enxergar-se no seus olhos especulares e se sentir aceito, amado, querido, ver seus olhos brilharem por ele assim como brilham para os irmãos dele!
      Um forte abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 19 de Junho de 2015 | Responder

  71. olá ,eu tenho um filho de 16 anos e uma filha de 15 anos , o garoto anda muito rebelde tira notas baixa na escola falta muito fica a noite quase todo jogando no computador e dorme quase o dia todo,levanta ja atrasado para ir a escola ,se eu falo com ele ele me responde não me respeita me xinga fala que eu só gosto da irmã dele e que só defendo ela, mais eu preciso defender porque ja duas vezes ele pegou uma faca e disse que ia matar ela , deu muito trabalho pra mim e minha irmã tomar a faca dele, e cada briguinha ele fala eu ainda ou matar vc, minha outra filha é tranquila estudiosa extrovertida e tem muitos amigos e ja ele é quieto fala pouco e quase não tem amigos nao gosta de sair, sou separada e a maior parte do tempo eu trabalhava fora eles sempre ficavam sozinhos, agora eu estou trabalhando em casa para ficar perto deles , mais desde muito pequeno ele sempre me deu muito trabalho, eles não sao filho do mesmo pai , mais eu sempre amei e cuidei bem , só que agora ja pensei até em por ele morar sozinho porque não estou aguentando mais . o que faço?

    Gosto

    Comentário por olá | 18 de Junho de 2015 | Responder

    • Ele perdeu a mãe para a irmã quando tinha apenas 1 aninho, antes disso até, porque você ao engravidar ficou mais pesada e cansada para cuidar dele. É normal ele odiar a irmã que roubou a mãe dele. Pai ele não tem por perto, por isso precisa muito de você. Ele tem raiva da irmã do mesmo modo que nós temos raiva de um ladrão que nos roubou o que temos de mais valioso! Além disso, inconscientemente, ele sente que ele não bastou e por isso você teve outra filha. Este sentimento é muito comum no filho mais velho. Você pode resgatar a relação boa de vocês dois e para isso você precisa ter um tempo só com ele durante a semana. Um tempo que vocês vão ficar juntos, assistir um filme, tomar sorvete, fazer algo gostoso. Durante este tempo não passe sermão, não reclame dele, não fique falando o que você não aceita e não gosta nele. Ele precisa ver seus olhos transmitindo a mensagem que você o admira, que o aceita e que gosta dele como ele é. Isto vai melhorar a auto estima dele, vai diminuir o ódio que ele sente pela irmã, vai dar mais animo para ele investir na vida, no mundo, nos outros e em si mesmo! Há! E não compare os dois filhos. A comparação é o veneno da nossa vida! A compareção gera ódio! Procure qualidades no seu filho e enalteça-o!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 19 de Junho de 2015 | Responder

  72. Léa um tempo atrás deixei uma mensagem para vc dizendo sobre meu filho, na época ele tinha 16 anos e falei sobre sua rebeldia pois ele estava sem limite não conseguia segura-lo. Conversa não resolvia mais. Infelizmente não estava errada pedir socorro para muitas pessoas mas nada livrou meu filho de uma queda de moto e com TCE gravíssimo desde 14/07/2014 que vivo com as esperanças de que Deus tenha dó do meu filho. Tive muitas graças não perdi, e hoje tem boa recuperação só que eu tinha sonho altos para ele e hoje o que eu quero é que ele fique bem. Ele se encontra no Sarah em BH. Meu amor por ele se multiplicou, mas quando lembro de como ele era e as chances de ser
    bem sucedido me sinto um pouco culpada, será que falhei? poderia ter evitado?
    Um abraço

    Gosto

    Comentário por mauritasantos@yahoo.com.br | 19 de Junho de 2015 | Responder

    • Oi minha linda, você não falhou, de jeito nenhum! Que mãe não deseja o melhor pro filho? Qual mãe nao se preocupa com o desempenho do filho na escola e na vida? E a vida é assim… acidentes acontecem, e as circunstancias vão nos transformando…Você é uma mãe preocupada e o ama demais! O seu afeto por ele será o maior auxilio na recuperação desse menino!
      Fica em paz!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 19 de Junho de 2015 | Responder

  73. Olá, tenho um irmão de 16 anos. Somos filhos de pais separados e vivemos com a minha mãe.
    Ele desde de muito cedo, tem tido comportamento agressivo e egoísta. Apesar do divórcio dos nossos pais, ele sempre teve atenção e orientação, mesmo assim só se envolveu com pessoas erradas.
    Meus pais tomaram muitas medidas, como: mudar de cidade (Duas vezes), orientar, colocar novamente na escola, e até internação em clinica. Mas meu irmão não é dependente químico (como disseram) ele usa apenas em festas etc… Enfim, o problema do meu irmão não é as drogas, e sim o comportamento dele. Ele é o tipo de pessoa que se interessa por criminalidade, as pesquisas dele na internet é só referente ao crime. Ele procura esse tipo de coisa, e no caso dele não é as “Más companhias” ele é a “Má companhia”
    Gostaria muito de coração que você visse essa mensagem é me mostrasse uma luz! Porque não sabemos o que fazer. Pois ele tem de tudo. Uma Mãe carinhosa, atenciosa, batalhadora, vive pela casa e os filhos, não tem outro marido/companheiro. E meu pai mesmo longe sempre está sempre ligando e procurando orienta-lo.
    Ele tem 16 mas com autonomia de 20. Vive da maneira que ele acha certo. E temos muito medo que ele se envolva com algo sério e seja tarde demais.
    Desde já agradeço.
    E que Deus te abençoe pelo seu trabalho!

    Gosto

    Comentário por Bruna | 25 de Junho de 2015 | Responder

    • Você está coberta de razão em se preocupar com o seu irmão. Estas pesquisas e a solidão que ele fica é mesmo um indicio de que ele pode estar maquinando algo. Existe um filme chamado: “precisamos falar sobre Kevin”. Este filme mostra exatamente uma situação dessas que acabou muito mal. Nós não podemos ter certeza de nada, no entanto é preciso fazer alguma coisa. Você está fazendo ao me perguntar. Agora vocês podem contratar um detetive para investigar o seu irmão. Se ele tem tendencia para o crime não existe meios de evitar, apenas investigação profissional. Talvez ele precise da companhia do pai, do afeto paterno. Vocês podem conversar sobre isto com a policia e quem sabe eles podem bancar o investigador como uma previdencia de risco de vida, no entanto não podem deter o seu irmão porque pesquisar sobre crime não é nenhum delito. Procure uma delegacia e converse com o psicólogo juridico sobre esta questão. Procure fazer alguma coisa concreta,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 1 de Julho de 2015 | Responder

      • Obrigada pelo retorno, Léa!
        Faremos isso!

        Gosto

        Comentário por Bruna | 1 de Julho de 2015

  74. Bem , tenho 3 filhas , 15 , 12 e 3 e o grande problema é com a de 15 , aos 12 anos ela conheceu uma “amiga” que foi o inferno em nossas vidas, nunca mais ela foi a mesma , mora com o pai porque eu já estava ficando quase louca, hj a situação é: passa noites fora, bebe , fica com vários rapazes , deve usar drogas, em fim, já fugiu 4 vezes, não sei mais o que fazer, até estou a procura de um internato pra ela , porque fico só esperando a notícia de que aconteceu algo com ela….Se alguém infelizmente estiver ou esteve em uma situação parecida , por favor me dê uma dica……

    Gosto

    Comentário por Vânia Venâncio De Melo | 28 de Junho de 2015 | Responder

    • Você precisa reconquistar a sua filha e isto vai te dar muito trabalho! Ela precisa sentir que estar com você é melhor do que a vida louca! Como você pode fazer isto: 1- não transforme a vida dela num inferno; 2- não passe sermão; 3- procure gostar de estar ao lado dela; 4- procure falar de coisas que ela goste; 5- interesse-se por as coisas que ela te conta; 6- faça programas com ela que você sabe que ela vai gostar; 7- escute-a com atenção sem criticar; 8- quando você perceber que ela esta mais proxima, só então converse sobre a sua preocupação com ela de forma carinhosa e afetiva. Diga que quando ela nasceu ela inaugurou a maternidade em você e que ela te ensinou a ser mãe. Ela é muito querida, amada e importante na sua vida. Diga que você não teve outras filhas porque ela não bastou, mas foi o destino e diga que você sabe que ela foi a primeira e depois as irmãs “roubaram” a sua atenção dela. diga que você sente muito por isso e que quer recuperar a relação mãe e filha que se perdeu. Seja bem verdadeira e sincera quando falar dessas coisas com ela,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 1 de Julho de 2015 | Responder

  75. Eu estou enlouquecendo com a adolescência do meu filho, ele tem 14 anos eo maior defeito dele é a MENTIRA, ele mente Muito e eu já não sei oque Fasso.
    E o pior , ele mente assim na cara .
    Me ajude. Por favor!!!

    Gosto

    Comentário por Luciane Moreira | 30 de Junho de 2015 | Responder

    • Mentira é sinal de que ele tem medo de perder o amor de vocês caso diga a verdade, caso mostre quem ele é. A mentira também é usada quando a pessoa sabe que não será compreendida e nem atendida em seus desejos ou necessidades. Existe a mentira para roubar o outro, e esta é a mentira perversa. Seu filho mente provavelmente porque acha que não será compreendido em suas necessidades. Sugiro que você passe menos sermão e abra-se para o diálogo com ele. Queira escutá-lo e compreende-lo. Caso contrário você vai perde-lo para a turma de amigos.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 1 de Julho de 2015 | Responder

  76. oi tenho uma irmã de quinze anos que ta passando por uma fase muito difícil na vida dela. arrumou um namorado de dezenove anos ,que trabalha em um boteco ,sô que la o que eles vendem é droga. o bar e do avô dele ,dizem que a família dele não presta,e a minha mãe e muito largada ,não se preocupa com nada,a minha mãe largou a minha irmã aqui e foi morar com um homem no interior.Eu fico muito preocupada com a minha irmã ,tenho medo que ele faça alguma coisa de ruim com ela ,queria poder colocar ela pra morar comigo,mais eu tenho medo do que possa acontecer,pois eu tenho um filho pequeno e não posso deixar ele correr riscos,mas ela também corre risco,de qualquer forma ,vou acolher ela aqui comigo para que pelo menos ela não durma na casa dele,o que faço para me dar bem com ela? e entende-la ,e mostrar que a vida dela ta indo por um caminho errado. não vou criticar o namorado dela ,mas não quero que ele venha na minha casa.

    Dêsde já agradeço.

    Gosto

    Comentário por Marcela | 3 de Julho de 2015 | Responder

    • Sua irmã deve ser muito carente e o melhor jeito de ajudá-la é não ficar criticando ela e sim acolhendo, demonstrando interesse por ela e pelos sentimentos e pensamentos dela, mostrando para ela que ela não está sozinha e desamparada na vida, mas que ela pode contar com você! Desta maneira ela vai escutar você, melhorar a autoestima, e começar a cuidar e investir nela mesma. Parece que você poderá ser a mãe dela!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 5 de Julho de 2015 | Responder

  77. Olá. Tenho uma filha de 15. Não tenho problemas com ela na rua e nem na escola, as outras pessoas falam bem dela, ela se mostra uma pessoa educada. Porém em casa não tem respeito por mim, que sou a mãe e nem pelo padastro. Na hora que ela quer sair ela nem nos pede, marca compromissos sem nossa autorização. Ela grita muito comigo, as vezes por qualquer motivo tolo. Não tem paciência, não ajuda em casa. As vezes nem parece que somos mãe e filha. O que eu faço?

    Gosto

    Comentário por Tatiane | 4 de Julho de 2015 | Responder

    • A adolescencia é a fase mais complexa na vida de alguém! é muito comum as mães sentirem que a relação está desgastada nessa fase. Saiba que a sua filha está sofrendo e ela comunica este sofrimento por meio dos gritos. Ela pode estar sofrendo por ciumes da sua relação com o padrasto, por sentir falta do pai, ou por ciumes do pai, sofrendo porque está difícil crescer e abrir mão da infancia, sofrendo por causa de algum garoto ou amigas, sofrendo porque o seu corpo está transbordando de hormonios e em plena transformação, talvez com ciumes de algum irmão? e outros motivos que não sabemos, e nem ela sabe. Seja muito compreensiva neste momento delicado, demonstre interesse pelas questões dela, pelo universo dela e leve-a à sério quando ela falar alguma coisa para você, mesmo que isto te pareça tolo, para ela é importante. Assim vocês poderão voltar a ser mãe e filha.
      Paciencia e muita tolerancia,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 5 de Julho de 2015 | Responder

  78. OLA TENHO UM FILHO DE 17 ANOS ELE SEMPRE FOI UM MENINO RESPONSAVEL SEMPRE CUIDOU DOS SEUS DOIS IRMAOS PARA QUE PUDESSE TRABALHAR FORA , MAS SEMPRE MUITO RESPOSNSAVEL MESMO , FAZIA ALMOÇO IAM PARA ESCOLA JUNTOS AJUDAVA NAS TAREFA DE CASA DOS IRMAOS, SÓ QUE AGORA ELE CONHECEU UMA MENINA MUITO LEGAL ELA TEM UMA FILHINHA ELE SE APAIXONOU POR ELA E PELA MENINA E QUER SE CASAR , MAS ME PREOCUPO PORQUE ELE AINDA NAO TEM EMPREGO E QQUERIA MUITO QUE ELE ESTUDASSE PRIMEIRO MAS ELE QUER CASAR COM A MENINA CUIDA MUITO BEM DA BEBEZINHA QUE NAO É FILHA DELE MAS ELE DISSE QUE A AMA E VAI CUIDAR MUITO BEM DELAS , MAS NAO SE PREOCUPA EM ARRUMAR UM EMPREGO E ESTUDAR

    Gosto

    Comentário por maria | 7 de Julho de 2015 | Responder

    • Seu filho nasceu com a missão de cuidar dos outros. Ele desenvolveu um dom maternal porque até de você ele cuida ao tomar conta dos irmãos. Compreendo o seu dilema, e faz todo o sentido ele estudar primeiro. Converse de forma bem acolhedora e diga que ele pode namorar, cuidar da menininha, mas casar seria um passo muito precipitado. Procure orienta-lo para estudar e ter uma profissão e depois já melhor estabilizado na vida, ele pode pensar em casar se esta ideia persistir. Diga que aos 17 anos é muito arriscado tomar uma decisão tão grande como esta que pode comprometer o nosso futuro, porque nessa idade tudo é muito intenso e depois a tendencia é mudarmos de ideia!
      Boa sorte,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 8 de Julho de 2015 | Responder

  79. Olá tenho uma filha com dose anos, ela e muito rebelde. as vezes quer agir como criança pequena quando quer alguma coisa e ao mesmo tempo já se acha com idade suficiente pra namorar. Ela tem um facebook, e já enviou fotos de seus seios para um rapaz maior de idade. estou muito preocupada com as atitudes dela. Eu sou deficiente física e muitas das vezes não posso sair com ela, e o pai não e presente na vida dela e nem sequer ajuda, nem mesmo com a educação dela. o que fazer?

    Gosto

    Comentário por Marcilene Maria da Costa | 9 de Julho de 2015 | Responder

    • Atualmente tenho escutado muitos casos sobre garotas que mostram o corpo pela internet. Há uma necessidade da menina se sentir mulher e provar para si mesma que ela pode atrair um garoto. Esta atitude de sua filha denota falta de atenção paterna, pode ser que ele dê atenção, mas ela precisa receber mais. Ela precisa se sentir uma menina bonita e interessante para não precisar apelar. Vocês precisam dar muita atenção, escutar com interesse e levar a serio o que ela tem pra contar sobre o universo dela. Converse com ela sem passar sermão. Quanto mais ela se sentir bem e feliz no ambiente familiar menos ela vai precisar buscar compensação fora de casa.
      Tenha paciencia,
      Um forte abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 9 de Julho de 2015 | Responder

  80. BOA NOITE! MINHA FILHA TEM 12 ANOS E ESTÁ MUITO AGRESSIVA. O PAI DELA TEM OUTRA FAMÍLIA E EU AGORA TAMBÉM! O QUE MAIS ME PREOCUPA É QUE ELA SE ISOLA MUITO. QUER FICAR O TEMPO TODO TRANCADA, NÃO SAI DE CASA. E QUANDO PEÇO ELA FICA NERVOSA E MUITO AGRESSIVA.
    NÃO QUER QUE EU ENTRE NO QUARTO DELA. ERÁMOS MUITO UNIDA! e nunca nos separamos.

    Gosto

    Comentário por MARIA | 10 de Julho de 2015 | Responder

    • Sua filha sofre. Tanto o pai quanto você construíram novas famílias e sua filha se sente a pedra no sapato. Ela tem a impressão de que a existência dela não é acolhida, ela sente que estraga o quadro da família perfeita, ela sente que a existência dela foi um erro. Tudo isto se passa a nível inconsciente. O que você pode fazer: quando olhar para ela transmita alegria, deixe o seu coração se encher de afeto por ela, fale palavras acolhedoras, demonstre para ela que você se interessa pelo universo dela, escute-acomatenção, dedique todos os dias um tempo só para ela. Converse com se esposo para que ele também demonstre afeto e interesse por ela. Estes gestos transformarão a sua filha.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 12 de Julho de 2015 | Responder

  81. Olá,tenho uma filha de 13 anos de uma relação extra conjugal,registrei a filha quando nasceu,até os 3 anos de idade eu dei carinho,mais depois por necessidade eu tive que mudar de cidade e estado,tivemos um desentendimento eu e a mãe dela.Ela na época era muito impulsiva,fazias coisas que acabaram me afastando dela,e por conta disso eu perdi o emprego,pois ela não aceitou o fim desse relacionamento,e acabou indo na empresa e me fez perder o emprego.como trabalho no ramo da comunicação,não tinha mais o que fazer na minha cidade,a não ser ir embora,e foi o que eu fiz,fui pra uma cidade á 200 km,inclusive diminuiu o meu salário,pois a cidade era pequena,não tinha muito comércio,mais como estava precisando eu aceitei.ela não pensou na filha também,ela só pensou em me atingir,pois a mesma não criou a filha,que foi criada pela avó materna.Com essa atitude ela me impediu de acompanhar o crescimento da minha filha,o tempo passou,em 2012,eu fui visitá-la,fui recebido pela família da mãe dela muito bem,no caso os avós,ela me recebeu bem também,timidamente bem,me deu um abraço e um beijo,ficamos na sala conversando,e combinamos que na próxima visita iríamos no shopping.
    depois de um mês eu voltei,novamente me receberam bem,ela foi no shopping comigo,estava bem alegre,tiramos fotos,eu postei no face,isso em outubro de 2012,a minha ex,mãe dela que mora em Campinas há 8 anos,ficou sabendo,claro,e deve ter visto ás fotos no meu face,aproveitou as férias de dezembro e levou ela pra Campinas,ela ficou 3 meses com a mãe dela.
    antes eu telefonava ela me atendia,a gente conversava.
    em janeiro,eu liguei pro cel. dela,e ela não atendeu mais,comecei a ficar preocupado,resumindo,em 2013,setembro daquela ano eu voltei depois de 9 anos pra minha cidade,então fui na casa dos avós maternos pra ver minha filha,a avó me recebeu mais uma vez muito bem,e chamou então a minha filha,ele veio e quando me viu,deu meia volta e foi pra sala,e falou,não,não,então eu com a permissão da avó,fui atrás,ela estava sentada no sofá e não me olhava,já não era mais a mesma de um ano atrás.E até hoje eu tento me aproximar,mais ela me rejeita,e isso dói,pra quem ama a filha machuca. eu fui outras vezes na casa dos avós,mais ela não sai do quarto,não quer me ver. Eu acredito que a mãe dela,minha ex,tenha dito algumas inverdades pra ela,pra que ela tomasse essa atitude.liguei,mandei mensagens,não me retornou e não atendeu uma ligação. Eu confesso estou desesperado,pois amo minha filha e não sei o que fazer.Não sai da minha cabeça que ela esta dominada pela mãe,com aquilo que a mãe dela falou pra ela.Então Dra.por favor me ajuda,eu não consigo mais viver em paz,a saudade da minha filha é grande. Muito obrigado pela sua atenção.

    Gosto

    Comentário por ADEMIR | 17 de Julho de 2015 | Responder

    • Sua filha está fria com você justamente porque te ama e porque ficou chateada com o afastamento. Além disso, penso que a mãe dela fez a cabeça da menina contra você. Não existe coisa pior para um filho ou filha do que falar mal da mãe ou do pai dela. você faz o que pode. E esta menina não recebendo o seu amor está se privando de ter pai, sua propria filha se prejudica. Ela precisa saber que a briga é entre você e a mãe dela e não entre você e ela. É péssimo pra filha ser colocada entre a briga de pai e mãe. Não desista de sua filha. Escreva e-mail, mensagem e telefone todos os dias. Nas mensagens diga que você a ama, que você faz por ela tudo o que você pode, que você não tem culpa em precisar morar em outra cidade, que se você errou, você pede desculpas, que errar é humano, que é bom ela saber que tem um pai que a ama. Quando for aniversário, pascoa ou natal pergunte o que ela quer de presente e procure ofertar a ela, mostrando que você investe nele e quer ve-la feliz. Nunca desista de sua filha, mesmo que ela seja dura. Ao menos ela saberá que tem um pai que se importa com ela, e você saberá que fez o máximo por ela!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 19 de Julho de 2015 | Responder

  82. bom dia
    Estou precisando muito de ajuda não sei com quem conversar, estou desesperada.
    Tenho um filho de 16 anos e de uns 2 anos pra cá descobriu um jogo online. vive nesse jogo dia e noite não tira nota na escola . se tiro o computador ele só dormi, não sai de casa e nem fala comigo, se deixo o computador ele joga não dormi e nem comi. não tem amigos não sai comigo só dentro do quarto o tempo todos.gostaria de uma ajuda o que faço quem posso procurar pra me ajudar.
    obrigado
    veridiana

    Gosto

    Comentário por VERIDIANA RAMOS | 20 de Julho de 2015 | Responder

    • Seu filho usa este jogo como refúgio e está viciado. A adolescencia é a fase mais difícil da nossa vida e ele usa o jogo para fugir da realidade, assim como algumas pessoas usam droga, alcool ou outros vicios que os mantém distriados da realidade. Quando seu filho não joga ele dorme, outro modo de fugir da realidade. Ele não está suportando viver esta fase de transição e precisa de ajuda. A maneira que você pode auxilia-lo é tornando a vida dele mais agradavel. Portanto não passe sermão, não o critique pela maneira como ele esta vivendo, porque ele não consegue viver de outra maneira e quanto mais você critica-lo e não puder aceitar o seu filho, mais a vida dele será insuportável e mais ele precisará se refugiar no vicio. Como você pode ajuda-lo a gostar mais da vida? Aceitando-o como ele pode existir nesta etapa. Aceitar é um gesto, uma ação, uma atitude muito dificil da gente efetivar. Para aceitar você precisa abrir mão do filho ideal que você tem em mente, depois abrir espaço dentro de si para acolher o filho real. Sentir compaixão pelo sofrimento dele e então você não vai acusá-lo, e sim ofertar palavras gentis, amáveis, acolhedoras e isto começará a transformar o mundo triste do qual ele precisa fugir num mundo mais aconchegante. você tem muito trabalho pela frente! Sucesso!
      Um forte abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 22 de Julho de 2015 | Responder

  83. Oi eu gostaria de saber se a minha filha de 14 anos ela pode dicidir com quem ela quer morar? Porq eu não quero q ela vai morar com avó.mas e se ela fugir e for morar com a avó sem meu consentimento?o q eu posso fazer nesse caso?

    Gosto

    Comentário por ana lucia | 30 de Julho de 2015 | Responder

    • Você fez uma pergunta judicial para uma psicóloga, no entanto o nosso inconsciente é sabio, e você mandou sua questão para o lugar certo uma vez que o mais importante não é se judicialmente ela pode ou não morar onde quiser e ela terá esta escolha se puder procurar os direitos dela e provar que onde ela deseja morar for mais adequado para o bem estar dela. Se ela quer morar com a avó é sinal que morar com você está difícil. Seria oportuno você se aproximar de sua filha para compreender o porque ela quer morar com a avó. O que está acontecendo? Como ela está se sentindo morando com você? Como vocês duas juntas podem transformar esta situação? Se você demonstrar afeto e interesse por ela e levá-la à sério, ela vai querer morar com você! filho é gente e tem direito de viver num espaço junto de pessoas que não os forcem às coisas, mas que se relacionam com respeito, acolhimento e compreensão!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 31 de Julho de 2015 | Responder

  84. Boa tarde,
    Estou vivendo dias complicados com meu filho que já não é adolecente pois fez 23 anos, ele trabalha faz faculdade , tem um futuro promissor assim espero, o problema que ele quando bebe se tranforma pois fiquei sabendo de varias brigas em baladas a maioria causada por ele, já conversei e coloquei pra ele que tem que se controlar pois vivemos num mundo muito violento hoje, ele escuta de boa, mas torna a fazer tudo de novo
    estou preocupado pois sempre tememos o pior.

    Gosto

    Comentário por Diblio Santana | 30 de Julho de 2015 | Responder

    • Você está coberto de razão em se preocupar. Agora se abra para ele se colocar para você. Pergunte à ele com interesse genuino o que acontece? Porue ele bebe tanto, motive-o perguntando acolhedoramente se ele quer conversar sobre alguma coisa que o incomoda, porque o fato dele se tornar violento quando bebe revela que há alguma revolta enrustida que sai quando a bebida bloqueia as defesas e a consciencia!

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 31 de Julho de 2015 | Responder

  85. Bom dia,
    Minha esposa perdeu a mãe já está com mais ou menos 7 anos e desde o falecimento, ela passou a criar seus 3 irmãos. O que acontece é que a sua irmã que tem 15 anos, passou a ficar com um rapaz que a gente nem conhecia, dizendo ela que o conheceu pelo facebook e agora por mais que minha esposa fale que ela está mentindo, ela nunca diz a verdade. Ontem mesmo ela disse pra minha esposa que quer ir morar com o namorado, Gostaria de saber o que devemos fazer nessa situação?

    Gosto

    Comentário por Lindemberg Lima | 3 de Agosto de 2015 | Responder

    • Dizer que vocês se sentem responsáveis por ela, e que se preocupam com a segurança, o bem estar e a felicidade dela. Digam que ela é muito jovem para casar. Perguntem as razões que a levam querer morar junto. Será amor? fuga? Perguntem como ele a trata e convidem o rapaz para um jantar ou almoço para vocês conhecerem-no melhor. Procurem demonstrar muito afeto e interesse pelos irmãos de sua esposa. Eles se sentem orfãos e ficaram mais tranquilos sabendo que podem contar com vocês. Você pode até contar para ela que procurou uma profissional para te orientar. Isto demonstra o quanto você está preocupado e quer ajudar de verdade!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 5 de Agosto de 2015 | Responder

  86. Boa noite! Tenho uma filha de 12 anos. Me separei da mãe dela, quando ela tinha 7 anos e desde então, não me relacionei sério com ninguém, pois queria ter tempo livre para ela. A um ano atrás, eu comecei a namorar uma moça, que ela já conhecia e convivia. Minha filha sempre foi muito comunicativa mas hoje, se deixar, ela passa o dia inteiro dentro do quarto ouvindo música ou vendo clip’s. Ela tem dificuldade em dizer o que sente ou o que pensa. Minha vontade sempre foi construir um lar, com uma companheira e trazê-la para morar comigo, no entanto, estou muito preocupado com essa dificuldade dela expressar os sentimentos e conversar sobre si mesma. Isso é normal na fase dela, ou devo procurar um psicólogo para ela?

    Obrigado pela atenção!

    Gosto

    Comentário por Wegile | 3 de Agosto de 2015 | Responder

    • Aos 12 anos os pré adolescentes nem sabem colocar em palavras seus sentimentos, seus anseios e seus temores. Estes clipes e musicas funcionam como um suporte que ajudam-na a atravessar esta fase dificil da vida, neste material ela vislumbra o que anseia. Estes clipes e musicas comunicam elementos do mundo interno dela. No entanto, não é saudável que ela viva exclusivamente neste universo, por isso, convide-a para participar do mundo real, seja acolhedor, interessado e demonstre afeto pela sua filha para que ela sinta-se motivada a participar da vida junto com você.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 5 de Agosto de 2015 | Responder

      • Obrigado pelo conselho Léa! Que Deus possa te abençoar abundantemente, sempre! E parabéns pelo site e pela ajuda, suporte e atenção, que você dá aos que te escrevem!
        Um forte abraço de um pai muito agradecido!
        Wegile

        Gosto

        Comentário por Wegile | 5 de Agosto de 2015

  87. Oi,boa tarde
    meu nome é Beatriz tenho um filho de 13 anos e outro de 4 anos, m preocupo muito com o de 13 , ele é um bom menino, não m responde ,sendo que de uns tempos pra cá esta com o comportamento diferente .
    Eu ja tive muitos problemas com meu marido, pois ele não tratava meu filho que não é filho dele da forma que deveria, hoje graças a Deus eles se dão muito bem só acho meu filho muito desligado com as coisas, tenho que ficar chamando a atenção dele todos os dias, e acabo me tornando chata.
    hoje bati um papo com ele sobre tudo e ele me disse que eu brigo com ele o tempo todo, que ele esta se sentindo sufocado e que ele quer fazer um curso , alguma coisa para se distrair .
    ele falou que eu prendo muito ele que se fosse pra ele seguir o caminho do pai ele ja teria seguido .
    ele acha que eu não confio nele , por que eu tenho medo que ele vá para algum lugar sozinho .
    Sendo que aqui onde eu moro não tem nada perto para ele fazer curso e eu não tenho como leva-lo
    Não sei o que fazer ele ja passou por tanta coisa nessa vida que queria muito fazer algo por ele nesse sentido .
    obrigada pela atenção.

    Gosto

    Comentário por Beatriz | 4 de Agosto de 2015 | Responder

    • Ele precisa sentir que você confia nele. Parece que você está muito ansiosa temendo que ele siga os passos do pai e repete coisas o dia todo como se fosse a única maneira de prevenir por isso acaba se tornando (nas palavras de seu filho) chata – Achatada e estreita com o mesmo pensamento e passando sermão. Ele deu uma ótima ideia: fazer um curso! O que ele gosta: futebol? natação? Judô? Computação? inglês? Demonstre para ele que você confia nele, e então, será muito mais difícil ele trair a sua confiança. Você diz que não tem curso perto? converse com as mães, tentem proporcionar algo para os filhos dividindo o valor da condução! Ou vocês podem pagar um professor que venha dar aula para o grupo. Ele tem sede de aprender, então aproveite isto! Chega de passar sermão, chega de ficar na mesmice, agora você abrirá portas novas para ele se desenvolver!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 5 de Agosto de 2015 | Responder

  88. tenho uma filha de 19 anos el quer ir para blumenau trabalhar ,ja falei que a crise esta em todo o pais,mas não me escuta e diz que vai tenho medo que ela sofra por favor o que devo fazer?

    Gosto

    Comentário por joão | 8 de Agosto de 2015 | Responder

    • Deixá-la ir! Ela idealizou este lugar por algum motivo e fará de tudo para dar certo e só por esta determinação e a vontade de mostrar para vocês é capaz dela conseguir. Além disso, caso não dê certo ela precisa experienciar por conta propria e chegar nessa conclusão sozinha, caso contrário ela sempre vai pensar que vocês obstruiram o sonho dela!
      Para nossos filhos nós damos raizes e asas!
      Ela já merece as asas,
      Felicidades,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 13 de Agosto de 2015 | Responder

  89. Tenho 3 filhos um de 6,14,18. O mais novo e o do meio não me da trabalho mas o de 18 desde pequeno me traz muita preocupação ,ja fiz de tudo psicólogo.psiquiatra mas não aguento mais ele briga muito em casa comigo e seu irmão de 14,estou muito triste ele esta namorando e não quer saber de trabalhar e nem estudar dorme de madrugada e passa quase o dia dormindo e quando falo com ele que ele precisa arrumar um emprego e fazer alguma coisa ele sai de casa vai pra casa da minha sogra,vai pra casa da namorada todos os dias. Ele fala coisas horriveis pra mim quando ele esta em casa ninguem tem sossego ele se irrita e atormenta todos,sou casada mas o pai dele viaja muito a trabalho e crio praticamente sozinha to tão cansada de tudo isso não sei o que fazer,não consigo ficar calada e não brigar com ele ,mas também to cansada de viver assim ,as vezes parece que ta tudo indo bem mas aqui a paz dura pouco. Me ajudem sera que é normal ele ser assim ou com o tempo tudo muda?

    Gosto

    Comentário por Mila | 11 de Agosto de 2015 | Responder

    • Se você está cansada de falar, imagine ele de escutar! Compreendo você perfeitamente, imagino a sua frustração em ver seu filho levando a vida na flauta, no entanto, quanto mais você falar, menos ele vai realizar. Minha sugestão é que você não toque mais no assunto: trabalho, estudos, reponsabilidades, porque quando você fala disso ele automaticamente e inconscientemente tem aversão dessas coisa pelas quais ele está sendo cobrado e pressionado. Em geral uma criança não gosta de estudar, porque é mais interessante e agradável para ela brincar, usar a imaginação, a criatividade livremente, e estudar exige que a criança se restrinja ao livro num lugar fechado e longe do ar livre e da natureza. Além disso, aqui no Brasil os professores de modo geral não instigam a curiosidade do aluno e tudo fica muito massante. Você diz que o seu filho desde pequeno traz muita preocupação, então desde pequeno você exige e cobra e ele desenvolveu uma grande aversão aos estudos e às responsabilidades. este fenomeno é comum no 1o filho porque ele inaugura a maternidade e paternidade e a gente quer provar para nós mesmas que somos boas mães. A partir de agora converse sobre outros temas com o seu filho e deixe tudo que está relacionado à notas e obrigações de lado. Converse de modo acolhedor, amigavel e procure reconquistá-lo. Só através deste caminho ele poderá se interessar genuinamente pelas responsabilidades.
      Seja forte
      Felicidades,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 13 de Agosto de 2015 | Responder

  90. Boa noite, tenho um filho de 15 anos que anda mentindo muito e o pior de tudo é que as mentiras incluem outras pessoas, já falou por duas vezes que transou com meninas e elas descobriram e arrumaram a maior confusão e ele parece não se importar não se arrepender do que fez! Me chateia muito tenho um outro filho de 5 anos do meu atual casamento! Meu marido sempre fez tudo pelo meu filho mais velho e apesar de tudo eles não se entendem meu marido só cobra responsabilidade e dever da escola eles não têm momentos agradáveis meu marido diz q e pq ele mente muito e não da pra confiar em nada do que diz! Não é um mal aluno mas tb não é muito bom, mas o q mais me preocupa é a sua falta de sentimento pode morrer alguém próximo ou ficar doente ele parece não se importar,se ficar um mês sem me ver não liga tambem!fico aflita e já quero leva lo a um psicólogo pq não sei o que fazer!

    Gosto

    Comentário por Vivian lisboa | 21 de Agosto de 2015 | Responder

    • Você diz que o seu filho não sente culpa. Você se preocupa que ele seja um psicopata…não posso diagnóstica-lê-o sem conhecer pessoalmente, no entanto, não sei se resta muito a fazer…você precisa observar o seu filho, procurar instigar a compaixão dele. Leve-o para algum orfanato ou espaços onde existem pessoas que sofrem, e procure motivá-lo a auxiliar você a encontrar um meio de ajudar estas crianças. Nem que seja proporcionar para elas um dia feliz, um passeio, contar história,levar alguns doces, e veja se ele se engaja. Você pode assistir algum filme que seja tocante, e observe se ele se emociona. Se ele não se emocionar, não se sentir mobilizado para auxiliar o outro, pode ser que você tenha de fato um problema com seu filho,mental não peça-o de vista e ao mesmo tempo não entre em parafuso sufocando-o. Lembre-se que uma mãe tem seus limites na formação de um filho.
      Um forte abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 27 de Agosto de 2015 | Responder

  91. Bom… minha situação é um pouco diferente das relatadas acima.. no caso, eu sou a filha… a mais ou menos um mês atrás, disse a minha mãe que meu pai iria passar o fim de semana comigo, que ele estava querendo se aproximar de mim (mentira) somente para eu poder ir a um show que minha mão não permitia, mas me senti excluida da sociedade, porque TODOS os adolescentes da minha escola, e região iriam ao show ( até menores que eu) e fiquei revoltada, então resolvi mentir, já que meus pais não se falam, não iria ser descoberta.. passei 4 dias na casa de uma “amiga” ( que de amiga não tem nada) e depois voltei pra casa contando como se tivesse ficado esse período com o meu pai, no dia seguinte eu já estava de ferias e disse a minha mãe novamente que iria ir passar a semana no meu pai ( dessa vez eu realmente ia) ela concordou, só que fui para uma amiga que mora próxima a minha avó, e passei lá, normal e disse que iria dormir lá.. só que deu um certo horario eu não voltei, e meu chip antigo estava coma minha mae, minha vó ligou e ai eu me ferrei, pois minha mãe atendeu e descobriu tudo, ficou decepcionada comigo e etc… fiquei as férias inteiras de castigo e agora no retorno das aulas sai.. só que menti novamente, eu usei o cartão da mina mãe para comprar um creme e um lanche no mc donalds e neguei, mas depois assumi… e disse que tinha sido estuprada, porem só foi tentativa, não chegou a acontecer, preciso de ajuda, o que será que me complica ao dizer a verdade? o meu pai não está nem aí para mim e minha mãe se diz cansada de tudo, e é muito estressada… me sinto sozinha! obrigada pela atenção, beijos!

    Gosto

    Comentário por Gabrielly | 23 de Agosto de 2015 | Responder

    • Ah! como é diícil não ser compreendida e depender dos pais para tudo…esta idade é a fase mais complicada da nossa vida, a gente já não é criança e desejamos tantas coisas e eles nem sempre nos proporcionam coisas que são tão importantes para nós! Que tal falar para a sua mãe que você mente porque a vida mostrou que você não pode contar com ela para liberar você para participar de eventos que são vitas para a sua vida. Então você precisa mentir. Peça por favor para ela se colocar no seu lugar, peça para ela tentar ser mais companheira de você, amiga, desejar a sua felicidade e assim vocês irão se aproximar e você não vai mais precisar mentir para ela, além disso, é muito importante voces se aproximarem para ela poder te orientar, explicar coisas e ajudar você por meio da experiencia de vida que ela teve, mas de uma maneira acolhedora, compreensiva e afetiva!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 23 de Agosto de 2015 | Responder

  92. na verdade nao e uma resposta e uma duvida de como lidar com meu filho ele nao q ir pra escola de jeito nenhum ja mudei ele de horario e nao adianta todo dia e uma briga aqui pq ele nao quer levantar o que devo fazer

    Gosto

    Comentário por vania | 24 de Agosto de 2015 | Responder

    • Você não revelou a idade dele?
      no entanto, será preciso acolhe-lo e questionar o que aconteceu e o que acontece na escola? É muito importante saber antes de ralhar. Alguma coisa está acontecendo… Pode ser que seja na escola ou na fantasia dele. No entanto, para ele se abrir com você será preciso ser muito afetiva, compreensiva e acolhedora!

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 24 de Agosto de 2015 | Responder

  93. parabéns!!!
    As primeiras palavras do seu artigo já nos dão uma visão realista dessa fase nada fácil pela qual todos nos passamos… As circunstancias de vida de cada um limita o nível da doença inevitável ao ser descrita no latim antigo como adoecer… É isso mesmo e como nos casos de doenças leves ou crônicas requerem de nós pais muito, muito cuidado. Obrigado!!!

    Gosto

    Comentário por Antonio C Rocha | 28 de Agosto de 2015 | Responder

    • eu que agradeço o seu reconhecimento e as belas palavras,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 29 de Agosto de 2015 | Responder

  94. Bom dia,
    Tenho um filho de 16 anos que coincidência ou não mudou muitooo quando meu terceiro filho nasceu hoje com 1ano e 9 meses, tenho também a menina de 13. Esse meu filho de 16 anos fuma maconha já a algum tempo(1 ano mais ou menos), no início repreendemos, conversamos e demos chance, confiamos mas tiveram recaídas e de uns meses pra cá ele vem fumando direto, na última semana fumou todos os dias. Ele vai mal na escola, em casa quando contrariado é agressivo. Meu marido e eu demos um basta, conversamos com ele e deixamos bem claro que se ele quer fumar então não teria regalias em casa, só o básico, comida, banho gelado, água pra ele lavar as próprias roupas, tomei o celular, a bicicleta, não tem internet e está dormindo na sala. Justifiquei dizendo que minha intenção é ajudá-lo pois a maconha o estava prejudicando muito e que se ele largasse ou pelo menos aceitar ajuda, teria sua coisas de volta. Ele reclama e diz q não nos reconhece mais. Conversei com ele, agora com uma postura mais compreensiva, e perguntei se ele queria ou precisava de ajuda, ele respondeu que não que ele não QUER largar a maconha. Agora ele nem esconde mais, nega mas é só a gente perguntar de novo que ele assume que fumou e que não está fazendo mal a ninguém. Só pra constar ele tem um grupo de amigos, da igreja e célula, que não fumam e que chamam a atenção dele direto em contrapartida tem aqueles que fumam. Ontem eu e meu marido fomos na reunião da escola onde inclusive meu filho foi elogiado por ser um bom garoto, mas ele só quer ficar pelos corredores e quando solicitado para ir pra sala vai mas não realiza as atividades propostas.
    Bem minha pergunta é, essa minha postura mais rígida de dar a ele só o básico está correta? Devo mantê-la ?
    OBs: sou casada há 17 anos e os meu três filhos são do mesmo pai, eu e meu marido não fumamos e nos damos super bem.

    Gosto

    Comentário por Suzana | 28 de Agosto de 2015 | Responder

    • A maconha deixa a pessoa letárgica, aquele que fuma fica com as sensações intensas há maior movimento interno, vê e sente muito mais tudo, e o movimento externo, a possibilidade de se colocar no mundo é prejudicada. Ou seja não consegue estudar, trabalhar, e ter energia para resolver as coisas da vida. Ele usa maconha porque sente necessidade destas sensações, o mundo está muito difícil para ele enfrentar. Se você for muito dura com ele ele vai se refugiar ainda mais na maconha. Agora você precisa reconquistá-lo. Oferecer um mundo no qual ele não precise de artifícios para enfrentar. Além disso, um trabalho terapêutico poderá auxiliar ainda mais o seu filho. Uma coisa que me chamou atenção é que você se refere ao pai dele como seu esposo. Estes dois precisam se aproximar. O pai precisa acolher e demonstrar mais afeto e compreensão para o filho,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 29 de Agosto de 2015 | Responder

  95. Boa noite!
    Meu nome é Eliane ,tenho 37 ,2 filhos ,uma menina de 15 e um menino de 17 ,sou casada faz 11 anos e não tenho filho com o meu atual marido ,porque com 20 anos fiz uma laqueadura.Esse meu marido me ajudou a criar meus filhos ,o pai bíologico dele se afastou de mim quando eles eram crianças ainda .O meu mais velho tinha uns 6 anos na época.
    Ando bastante preocupada com meu filho de 17 anos ,ele é um menino bom ,não bebe ,não fuma,não costuma sair de casa ,e quando sai é pra jogar bola ou dormir na casa de algum conhecido,amigos dele de infancia .
    Ele estuda e ainda faz curso de administração com uma bolsa de estudo que ele mesmo conseguiu,fazendo uma prova pela ETC.
    Ele tem namorada ,da mesma idade dele ,ela foi a apresentada por ele faz pouco tempo, é a primeira vez que ele fala de uma menina ou apresenta pra gente .
    Meu filho não conversa muito comigo,e quase não dá demostração de afeto ,beijos ,ou abraços .Ás vezes …quase sempre chega em casa não nos cumprimenta ,nem eu nem o pai dele (meu marido) e nem a irmã.Eu já falei com ele sobre ele tratar a gente assim com indiferença porém ele não muda ,e meu marido sempre cobra dele isso com brigas eu não sei o que fazer .
    Acabo brigando com meu marido pra ele ter mais paciência tentar entender ,s[o que eu entendo o lado dele também porque até eu como mãe sinto a falta do carinho do meu filho.
    Sempre conversei muito com meu filho ,dei carinho e agora não sei como devo agir por favor me ajude.
    Muito obrigada.

    Gosto

    Comentário por Eliane Cristina Moises | 29 de Agosto de 2015 | Responder

    • Existem pessoas mais afetivas, que tem facilidade em demonstrar afeto, enquanto outros sentem maior dificuldade em demonstrar afeto e este parece ser o caso do seu filho. Além disso, pode ser que ele carrega recentimentos em relação ao pai biológico que não demonstra afeto por ele. Este pai também é de alguma forma o modelo para o filho que acaba se comportando desta forma com vocês. Ele não sabe expressar seus sentimentos para vocês, mas ele tem algumas mágoas para com você e o seu marido, e só consegue demonstrar isso sendo frio e distante. Ele deve ter ciúmes da relação de vocês desde a época que era mais novo. Não sei se este ciúmes e a sensação que o seu esposo roubou você de seu filho são conscientes ou inconscientes para ele. Mas o jeito de seu filho se comportar com vocês é sinal evidente que há muito ressentimento. Seja amável, compreensiva e aceite de braços abertos o que o seu filho pode lhe ofertar,
      Um forte abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 29 de Agosto de 2015 | Responder

  96. Não estou mas o que faço com filho adolescente mim ajudem ele tem namorada que e rockquera ele também

    Gosto

    Comentário por Maria veronica | 17 de Setembro de 2015 | Responder

    • Ao invés de ralhar, se desesperar, passar sermão, cobrar, pressionar e exigir, que tal aproximar-se dele sem nenhuma pedra na mão, sem criticar, mas aberta para escutar o que ele tem a dizer de forma acolhedora e compreensiva? Isto irá aproximar vocês e fará ele se abrir para as suas opiniões sinceras e afetivas

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 20 de Setembro de 2015 | Responder

  97. Boa tarde Dr. Vejo q meu problema é diferente de todos preciso saber o q devo fazer estou desesperada tenho um filho de 17 anos q até os 15anos era um menino amoroso brincalhão comigo depois q nos mudamos de prédio ele mudou completamente ele não fala direito comigo não me chama mais de mãe me chama pelo nome vai p escola mais quando volta passa a maioria do tempo jogando no computador malmente fala comigo e quando foi com ele ele me xinga agora começou a namorar só sai as vezes com ela p um shoping ou restaurante se afastou dos amigos ela praticamente mora aqui já dorme com ele só vai p casa dois dias na semana o pai dele não fala nada mora com a gente mais é como se fosse ausente nunca conversou com ele nunca fez aquele papel de pai agora tenta se aproximar dele e ele não permite é grosso não fala com a irmã de 14anos xinga ela não quer estar onde ela esta mais até os 14anos sempre andavam juntos ele tem um irmãozinho tmb de 8 anos q tmb brincava muito com ele e agora tmb ele esta desprezando ele tento conversar com ele e ele me empurra me maltrata não sei mais como agir o q faço não quer mais sair com a gente não vai aos médicos q marco o q faço me ajude já pedi tanto a Deus

    Gosto

    Comentário por cassia | 19 de Setembro de 2015 | Responder

    • Ele vive a fase revoltada da adolescência. Procure se aproximar pelas bordas. Fale sobre algo que seja interessante para ele, você precisará ser cautelosa para se reaproximar do seu filho. Compreensiva, acolhedora, interessada, agradável, e aos poucos ele se reaproxima. Neste caso, paciência é tudo!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 20 de Setembro de 2015 | Responder

  98. Boa tarde, tenho um fiilho de 14 anos, veio morar comigo a dois anos e meio pois a mãe já não estava conseguindo controla-lo, dai passamos um ano tranquilo, no entanto, nos ultimos seis meses, e uma loucura atras da outra, participou como organizador de uma festa onde varios adolescentes consumiram alcool, foi preso na companhia de usuario de maconha, descobrir que usou maconha e suspeito e continua utilizando. Quando castiguei, proibindo ele de sair de casa a noite, devido mentir que estava na aula e falta aula a semana inteira de prova, ele então saiu de casa na sexta e so retornou no domingo, sem informações ou qualquer contato, quase ficamos louco. Quando o encontrei na rua durante a noite ele se negou a entrar no carro e fugiu. sumindo novamente, passando mais dois dias sumidos. Peço alguma orientação, pois conversamos e ele fala do quer do que pretende, e sabe que esta fazendo e errado, mais uma hora depois, ja faz novamente. A mãe mora longe e ele não quer falar mais com ela pelo telefone e em reuniões familiares se isola.

    Gosto

    Comentário por Francisco Sales Jr | 22 de Setembro de 2015 | Responder

    • Seu filho perdeu a eaperança em si mesmo. Não acredita que posedescapaz de construir um futuro para si mesmo, por isso vive a em busca do prazer imediato proporcionado pelas drogas, álcool e a turma de amigos. Pode ser influência das companhias, mais a ausência materna, ele faz a seguinte equação inconsciente: se nem a minha mãe investe tempo, mente e afeto em mim, é sinal que sou incapaz, não tenho valor, não conseguirei realizar nada, não mereço investimentos, então, pra que me esforçar? Vou curtir a vida é aproveitar o momento já que não tenho futuro!
      Sugiro que a mãe venha e vocês dois demonstrem afeto e interesse neste garoto. Devolvam a ele a crença em si mesmo que ele perdeu. Invistam nele: tempo, afeto, cursos, conversas, não fiquem passando sermão. Este será o único jeito de resgatar o seu para uma vida útil e produtiva e feliz.
      Um abeaço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 28 de Setembro de 2015 | Responder

  99. Boa-tarde Dra., o filho mais velho do meu namorado tem 20 anos, o rapaz tem somente a primeira série do segundo grau, não demonstra interesse em voltar a estudar, trabalha (ganha pouco e demorou tanto pra ir ver a vaga, que foi praticamente dada por uma conhecida dele, que a própria moça ligou para o pai dele perguntando se ele queria mesmo a vaga, ele teve que ligar para o rapaz quase aos berros pra ele pegar a carteira de trabalho e ir atrás senão ia perder) mas está afastado pois se machucou jogando futebol.
    Ele não mostra interesse por absolutamente nada que não seja futebol, videogame e um grupo de gincana que faz encontros e alguns trabalhos voluntários durante o ano. Tudo o que se pergunta pra ele, ele responde que tá bom, tá certo.
    Parece alheio as coisas, está machucado (pois jogou tanta bola, tantos dias seguidos, sem parar, apesar dos pais pedirem que não fizesse, pessoas a volta dele que jogam também dizendo pra dar um tempo e ele ignorou) e precisa fazer uma cirurgia no joelho, não foi atrás de falar com anestesista, de pegar permissão do plano de saúde, nada! A mãe que foi fazer pra ele…
    Esta semana enviou mensagem para o pai perguntando se o pai podia comprar um jogo pra ele que estava “barato” na internet, só R$110,00, ele não percebe (apesar de já ter sido dito mil vezes) que o pai dele não tem condições financeiras de nada disso? (meu namorado paga todas as despesas da casa da ex, é ela e 3 filhos e paga aluguel da casa dele, comida pra ele, não sobra basicamente nada), ele teve o disparate de ligar para o pai +ou- 1 semana depois que a mãe do meu namorado faleceu, pedindo pra ajudar financeiramente a comprar os jogos, o homem estava triste, ainda meio em choque, e com despesas do funeral pra pagar e ele liga falando isso? Não foi pra perguntar como o pai estava, foi para pedir isso! uma semana depois que o rapaz começou a trabalhar ele cismou que queria um celular de quase R$2.000,00!! Ele não ganha nem R$1.000,00 de salário, pois o meu namorado pagou uma parte e o rapaz a outra, hoje o celular não funciona, tá todo quebrado. Cismou que queria plano pro celular, fizeram no nome do meu namorado, o rapaz ficou de pagar… Pagou várias em atraso, meu namorado teve que pagar outras (ou o nome dele que ficava sujo), a última a telefônica ligou para o meu namorado dizendo que estava em atraso, lá foi ele ligar para o rapaz, pra ele pagar, ele foi! Porque não pagou antes? Porque esperou até que o pai demandasse que ele pagasse?
    Essas tantas pequenas/grandes coisas estão frustando meu namorado imensamente, eu dou meus conselhos, mas não sou mãe.
    Na minha opinião esse rapaz é manipulador (ele não é malvado ou ruim, somente aprendeu quão fácil é manipular os outros fazendo esse jeitinho de bom moço, sempre concordando com o que a pessoa fala, não bebe, não fuma), não teve na hora correta apoio e cobrança séria de pai e mãe, não sei se pode ser depressivo, pois faz essas atividades com amigos, creio que tem namorada.
    Parece-me que não quer se comprometer com nada, não quer crescer, enfim, não sei. Peço-lhe ajuda para que rumo meu namorado e a ex-esposa devam tomar no caso deste rapaz, pois creio que eles como pais tb tenham que mudar a postura. Enfim, desculpe o texto gigante (e não contei nem 10% da história) e obrigada pela atenção.

    Gosto

    Comentário por Juju | 23 de Setembro de 2015 | Responder

    • A auto estima deste garoto está de mal a pior e por isso ele não tem a mínima vontade de se esforçar e de investir em si meso. Ele só quer prazeres imediatos. Filho de pais separados, cada qual ocupado com a sua vida, e o garoto se sente um estorvo. Os pais precisam parar de passar sermão e procurar escutá-lo para compreender o que se passa dentro dele. Demonstrar afeto e interesse por ele. Assim ele vai parar de se perceber como um objeto que dó se aproxima do pai para pedir dinheiro, e vai ser mais humano, sensível, melhorar a autoestima e ver que ele merece se esforçar e investir em si mesmo. Você pode ajudar abrindo-se para acolher o que acontece dentro dele,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 29 de Setembro de 2015 | Responder

      • Obrigada pelo retorno.
        Gostaria muito de poder ajudar esse rapaz, mas mal tenho contato com ele, se o próprio pai mal o vê, imagina eu… Já falei para meu namorado que ele precisa ser ouvido, somente ele, o pai e a mãe conversando tranquilamente, ou todos indo a uma psicóloga para se abrirem. Parece que falo grego e sugiro a coisa mais absurda do mundo, infelizmente este jovem terá que sofrer muito ainda pra alguém olhar por ele, o triste é que vejo os dois outros mais novos indo pelo mesmo caminho. Só me resta observar e lamentar…

        Gosto

        Comentário por Juju | 30 de Setembro de 2015

  100. Olá. Tenho 18 anos e namoro um homem de 39 que tem um filho de 13 ano, fruto de um casamento que tbm durou 13 anos. O menino é muito apegado ao pai, mais até do que com a mãe. Faz alguns dias que nos aproximamosE aparentemente estamos indo bem. Ele reclama muito sobre a mãe e prefereficar na casa do pai, não moro com ele mas passo alguns dias na sua casa. Gostaria muito de criar um vínculo a mais com ele poisele é um garoto amável. Não falo mal e nem pretendo falar nem questionar a criação e a convivência deles. Sei me por no meu lugar e gostaria mesmo de mais do que futura madrasta ser também uma amiga. Preciso de ajuda, pois não sei como continuar, tenho medo de errar e por nossa relação em risco. Gostaria de opiniões a favor. Desde já agradeço.

    Atenciosamente srta. Mello

    Gosto

    Comentário por Karla Mello | 25 de Setembro de 2015 | Responder

    • Você está numa situação muito delicada e este garoto também. No entanto, você é a mais madura e mais poderosa desta relação porque o pai dele te escolheu como esposa. A melhor coisa que você pode fazer é procurar desenvolver um afeto sincero, uma preocupação sincera e sentir compaixão por este garoto. Coloque-se no lugar dele e ajude-o a ser feliz na relação com o pai e com você!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 1 de Outubro de 2015 | Responder

  101. Você pode dar atenção e se interessar em ouvi-los, caso eles queiram falar. Você não imagina o quanto um adulto que demonstra interesse por uma criança ou por um adolescente pode ajudar a construir a autoestima deles.

    Gosto

    Comentário por leamichaan | 30 de Setembro de 2015 | Responder

  102. Tenho 17 anos quero trabalhar como adulto tipo hrario integral .. Parei de estudar pois nao quero mais parei no 2 grau incompleto pois prefiro trabalhar como faço para poder trabalhar em periodo integral mi falarao q presciso da autorizaçao do juiz como consigo isso

    Gosto

    Comentário por Jefferson santiago silva | 5 de Outubro de 2015 | Responder

    • É uma lastima você interromper os estudos porque sem o ensino médio você não consegue um emprego razoável. Você já chegou até aqui, é só mais um pouco, vale a pena trabalhar meio período e estudar meio período para conseguir melhores oportunidades para o resto de sua vida! Muitas pessoas não gostam de estudar e preferem trabalhar, e eu respeito, afinal, onde está escrito que todo mundo tem que gostar de estudar? Imagino como é difícil pra você ter que fazer algo que não gosta, no entanto, estes dois anos poderão trazer muitas oportunidades para a sua vida!
      Pense nisso,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 7 de Outubro de 2015 | Responder

  103. Boa tarde, minha filha tem 16 anos e sempre foi um menina doce, inteligente, admirada por todos, mas agora ela está com um namorado que não a trata bem, que determina o que ela tem q fazer, e estou vendo minha filha se anular por causa desse namorado. Já conversamos, já brigamos, e percebo que minha filha se transformou em uma outra pessoa. Estamos com muito medo de acontecer o pior… Nos ajude

    Gosto

    Comentário por Flávia | 7 de Outubro de 2015 | Responder

    • A pior coisa a fazer neste momento é brigar com ela. Se vocês brigarem ela vai se anular ainda mais por este namorado so para se opor a voces. Isto acontece num processo inconsciente. O melhor a fazer é demonstrar afeto e interesse por ela e voces podem dizer que a amam e que estão preocupados com ela. Abram-se para escuta-la e falem sempre num tom de voz acolhedor e amavel!
      Muita paciencia e sabedoria,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 7 de Outubro de 2015 | Responder

  104. Minha filha de doze anos está de namorico no bate papo com um menino dois anos mais velho. Ele estuda na mesma escola. Já conversei com ela e disse que eh muito cedo para isso. Tomei o celular, mas ela continua. Estou preocupada.

    Gosto

    Comentário por Maria | 11 de Outubro de 2015 | Responder

    • Você bem disse “namorico”, namoricos são proprios para a idade dela, nos dias de hoje. Ele estuda na mesma escola e isto é sinal que pertence ao nivel socio cultural equivalente. Porque proibir? Lembre-se que quanto mais proibir, menos ela vai te acatar. O caminho para conquistar a sua filha é acolher, escutar, compreender, se identificar com ela resgatando a fase de sua vida que você tinha a idade dela. Só assim ela também te escutará e acatará!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 23 de Outubro de 2015 | Responder

  105. Minha filha tem 11 anos e começou de conversa com um menino de 12 anos muito apaixonado. Só que com o tempo cada vez mais foi querendo ficar o dia inteiro conversando. Comecei a impor limites e acabaram brigando. Minha filha é muito bonita e chama atenção dos meninos e este com quem ela estava conversando ficou bravo. Agora manda oi quase tidos os dias e não deixo ela responde, mas ela está sofrendo muito, e acha que o menino não gosta mais dela. Como devo reagir, o que fazer, ela está muito triste, quieta e desanimada. Estou muito preocupada. Já que quando eu tinha está idade nem pensava nisto. Essas crianças estão muito precoces… E não sabem se são crianças ou “tipo” adultos. Me ajude por favor.obrigada

    Gosto

    Comentário por Luciane | 25 de Outubro de 2015 | Responder

    • Pois é, os tempos mudaram… E quanto mais você proibir a sua filha, mais ela vai desejar ficar com o menino, e mais você afastará ela de você. Que tal conversar? que tal perguntar sobre o garoto? e deixar que ela mesma se enjoe e queira parar. Tem uma musica que fala das adolescentes: “Ela só quer, só quer namorar…” Conhece?
      Quando nossas filhas nos “trocam” por algum menino, a gente sente muito ciumes, não sei se este sentimento está consciente para você, mas se você quer a sua filha proxima de você, acolha, compreenda e se aproxime do universo dela. Ela está meio obsecada porque é uma novidade muito grande na vida dela, então ela quer ficar treinando “namorar” o dia inteiro, só por isto, se você não proibir daqui a pouco passa e você ganha a sua filha!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 26 de Outubro de 2015 | Responder

  106. Minha subrinha tem 14 anos, e se envolveu com uma mulher de 26 anos pela internet, o que nos deixou bastante preocupada. Foi um choque para toda família, pois ela já namorou com nenino, e agora vem dizer que gosta de meninas, e o pior de tudo que é uma desconnhecida.Dormiu um dia fora de casa com essa mulher , deixando todos sem dormir .Peço por favor que nos ajude.

    Gosto

    Comentário por adriana | 26 de Outubro de 2015 | Responder

    • Sua sobrinha ainda não está com a identidade sexual definida. Uma mulher de 26 anos já! Esta experiencia confundiu a mente e as emoções de sua sobrinha porque uma menina de 14 está com os hormonios a flor da pele uma vez que está começando a entrar na adolescencia e no universo sexual e o organismo está em plena transformação. Provavelmente esta mulher deu prazer sexual a menina e agora ela está completamente confusa. Não é o momento de brigar, proibir e muito menos passar sermão, porque o adolescente tende a ficar na posição de opositor, mas seria interessante ver se é possivel resgatar a heterossexualidade uma vez que anatomicamente ela é mulher e também já teve experiencia com menino. Talvez ela seja mesmo hetero, mas está encantada com os prazeres homossexuais que experienciou, ou não… Seria interessante vocês procurarem saber quem é esta mulher que seduziu a menina.
      Agora ela precisa receber acolhimento, conversa, compreensão e se for necessário, uma terapia,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 26 de Outubro de 2015 | Responder

  107. ola boa noite , por favor me ajude tenho uma filha de 12 anos que se revela a cada dia mais rebelde mentirosa ,agressiva parece tem duas personalidades ; muito apegada era com o pai que nunca deu limite e se comportava com ela como se fosse outra criança fazendo todos os gostos e discutindo como a msm ,sempre notei que ela o admirava muito e me via como o parte fraca do relacionamento sempre desde de 03 anos já me falava que se eu o largasse ficaria com ele um relacionamento marcado por brigas tmb e muita traição da parte dele foi 14 anos ; voltando para ela desde de uns 04 anos para cá tenho notado que tem preferencia pelo msm sexo , o pai foi preso a tres meses e eu o larguei e ela esta a piorar cada dia , sempre conversei muito com ela a respeito de tudo ela não se abre , menti , finje que está prestando atenção , já falou em suicidio , já dei castigo por fim bati , me falou que não esta´nem aí p o castigo que posso bater a vontade que não doí que se quiser posso até matar ela e que se eu preferir ela vai embora de casa , estou ficando doente com essa situação não sei mas o que fazer a dois dias eu que nunca pensei nisso tentei tirar a minha vida e estou ainda com uma imensa vontade por favor me ajude sem demora

    Gosto

    Comentário por rosana | 27 de Outubro de 2015 | Responder

    • Você sofre muito com a traição de seu esposo durante 14 anos, sofre com a preferencia dela em relação ao pai, sofre porque a filha, o ex esposo e a vida não se apresentam do jeito que gostaria que fosse. Não tiro a sua razão por sofrer e se sentir amargurada, no entanto, é esta a vida, a filha e o ex marido que temos, então só nos resta parar de brigar com estes e tentar ver o que existe de bom neles, além do mal e o que há além deles na nossa vida: Trabalho? amigos? familiares? natureza? cultura? Será que existe outros meios para você se relacionar com a sua filha além de passar sermão e apontar as falhas dela?Que tal se interessar pelos assuntos dela? escutar e procurar se tornar mais acolhedora e compreensiva para ela se aproximar mais de você? Não se mate, mas, mate este jeito rigido e severo de se relacionar com a vida e com a sua filha.
      Um forte abraço com carinho,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 29 de Outubro de 2015 | Responder

  108. Olá, tenho com enteado que não mora comigo porem está em minha casa todos os fins de semana, já nos conhecemos a três anos e não temos um bom relacionamento.Convivo com dois sobrinho do meu marido todos os dias e com eles tenho ótimo relacionamento.Acontece que o rapaz já tem 16 anos e desde que o conheci sempre o vi fazer maldade com os primos e por conta disso acabei me afastando dele por não poder fazer nada e o pai dele ficar omisso.Quando o conheci ele vivia jogando jogos violentos e o pai não fazia nada.Um dia quando estávamos a sós, me perguntou se eu queria levar um tiro, chegou a me dizer que jogava pensando em mim.Após um episódio de mau comportamento na escola foi encaminhado para um psicólogo que o encaminhou para um psiquiatra devido ao comportamento violento.Ele não sai de casa está sempre no computador e o pai passa muito a mão em sua cabeça, exemplo: Os sobrinho quando deixam de realizar alguma tarefa ele já chegou até a agredi-los já o filho nunca faz e toda a vez que o pai chama sua atenção ele se faz de doente.Minha dúvida é o que eu devo fazer?De certa forma tenho um certo medo dele e já cheguei ao ponto de querer me separar do meu marido.Antes de casar ele não esta sempre aqui mas agora eu não tenho mais nenhum final de semana a sós com meu marido, como posso conseguir um pouco de privacidade sem ofender e nem parecer que estou disputando atenção já que quero peli menos de vez em quando um tempo só nosso?Preciso de ajuda, como posso melhorar essa situação, são eles ou sou eu que preciso mudar?Imploro por ajuda!!!!!!

    Gosto

    Comentário por Lara | 31 de Outubro de 2015 | Responder

    • O seu esposo não consegue ocupar o espaço de autoridade de pai com o filho porque tem algum mal estar que o impede. Pode ser alguma culpa por ter deixado o menino com a mãe, enfim, não posso adivinhar. Este menino tem um funcionamento um tanto perverso, e será preciso muita paciência para lidar com ele. Não sei se você conseguirá conquistá-lo, pode ser que ele está doutrinado para não gostar de você. Também não posso adivinhar, mas pelas palavras que ele te disse, nós podemos evidenciar que não nada fácil conquistá-lo. Todos nós temos nossa “Cruz” para carregar, pode ser que ele seja a sua. Sabendo disso você deixa de se queixar do menino para o pai e não alimenta muitas expectativas, simplesmente faça a sua parte educadamente e toca a sua vida da melhor maneira possível. Talvez, se ele sentir que você desistiu dele, ele procure conquistar você, ou não…
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 1 de Novembro de 2015 | Responder

      • Obrigada, mas ainda continua a achar que uma hora posso cansar de carregar essa “CRUZ” até porque não acho que seja minha.Estou chegando a um ponto em que as vezes meu único desejo é a distancia.E quanto a queixas, essas eu não faço a muito, justamente por não esperar nenhuma atitude de ambas as partes(pai e filho). Gostaria que pudesse me dar uma orientação mais especifica?Não estou mais interessada em amizade com ele só quero que não seja tão difícil o convívio entre nós.Hoje na atual circunstância, já fico tensa quando chega o fim de semana a ponto de ter vontade de chorar e sumir.O quê faço?Eu e meu marido vivemos muito bem, não quero ser a bruxa mas também já estou chegando a ponto de querer desistir de tudo só para não ter mais que passar por essa situação a qual eu não sei como resolver.Estou pensando em me separar por causa dessa situação.

        Gosto

        Comentário por lara | 11 de Novembro de 2015

  109. Olá, meu filho do meio tem 12 anos e não estou conseguindo fazer com que me respeite e ao padrasto. Temos tido brigas constantes inclusive com agressão física. Perco totalmente a cabeça e fico louca de raiva e acabo fazendo o pior. ele diz que não o notamos e que só enxergamos o que ele faz de errado, mas sinceramente, fica bem difícil enxergar as coisas boas quando ele continua a fazer bobagem. socorro!!! Não sei mais o que fazer!!!

    Gosto

    Comentário por Daniela | 4 de Novembro de 2015 | Responder

    • Faça exatamente o que ele te pediu, comece a focar nas coisas boas dele e “ignorar” as erradas. Ele precisa desesperadamente de elogios, reconhecimento, aceitação e compreensão. Conforme ele for recebendo o que está pedindo ele vai conseguir melhorar. Se você puder fazer um acordo com o seu esposo de relevar os erros e superconsiderar os acertos dele, ele vai melhorar! Ele pode estar revoltado com a falta de pai biologico ou também com ciumes do irmão menor. o comportamento inadequado que ele apresenta é uma comunicação inconsciente de que algo não esta bem com ele. Ele quer afeto, carinho e compreensão!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 4 de Novembro de 2015 | Responder

  110. Oi dra meu nome eEstela e tenho um filho de 14 anos e iper ativo ,e ele e muito parecido comigo na infancia eu me vejo muito nele e tenho muita dificultade de dar limites so fraca para isso mais aqui em casa tem muito dialogo eu e meu marido comversamos muito com ele ao meu marido ele obedese mais amim nao,, ele me insulta me dis coisa dolorosas, e eu sou muito boa com ele faso tudo que ele quer sei que estou errada porque quanto mais boa sou com ele ,ele e mais revelde comigo mais a gente sempre termina se brigando e nao se entendendo ,ele me conta tudo que ele fas com as meninas e os problema que ele tem se habre comigo mais e muito groseiro e nao me respeita eu quero muito que ele seja diferente comigo quero me entender com ele, e tenho medo que ele quando creser seja uma pessoa ma comigo por fabor me ajude a lidar com esa situñao tem arrumañao

    Gosto

    Comentário por estela beatriz olivera | 7 de Novembro de 2015 | Responder

    • Esta é uma fase, isto vai passar. Agora você precisa dizer que pai. E mãe mereçem respeito! E fique fria sempre que ele te desrespeitar. Afaste-se dele nessas ocasiões. Ele gosta muito de você e vai pensar mais antes de desrespeitar você!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 9 de Novembro de 2015 | Responder

  111. Boa tarde, Dra….Tenho 50 anos tenho um filho de 12 anos, a 3 anos fiquei viúva, e sei que ele sofre muito com a falta do pai……mas ele é muito religioso e fez terapia na época e aparentemente estava indo tudo bem….até que agora ele começou a se queixar de não ter amigos que ninguém conversa com ele ..se senti excluído na escola e mesmo os colegas ligarem, mandarem msn e até sair com eles…ele sempre diz que os amigos são somente amigos de jogar pelo computador…e os convites ele diz que sempre é alguém que pede para ele ser convidado….sábado ele foi a uma festa de 15 anos quando fui busca-lo veio chorando diz que ninguém conversou com ele….ele é um pouquinho gordo, e muitas vezes me pede desculpas por não ser quem eu esperava que ele fosse…..
    é assim mesmo eles se comportam assim ou devo realmente me preocupar e leva-lo para psicologo?
    Por favor me ajude.

    Gosto

    Comentário por sandra | 9 de Novembro de 2015 | Responder

    • Olá Sandra, penso que seria o caso de voltar pra terapia para a psicologa compreender a dinamica psiquica dele, porque ele não tem amigos? porque esta gordinho, numa estapa que o metabolismo é super rápido e os garotos estão cheios de energia para gastar? Porque a autoestima dele está tão comprometida a ponto de se desculpar por não ser a pessoa que você esperasse que ele fosse, provavelmente ele não esta conseguindo ser a pessoa que ele quer ser. Por que não? Porque não confia em si mesmo, nos proprios recursos e nas proprias capacidades para se tornar a pessoa que ele quer ser? Tudo isso so poderá ser observado e receber tratamento por meio da terapia.
      Um grande abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 9 de Novembro de 2015 | Responder

  112. Boa noite. Tenho um filho q hoje esta com 12 anos. É um ser humano excepcional. Não estou conseguindo lidar com o fato de ele querer sempre estar com amigos, parentes etc…qualquer lugar q não seja a própria casa. Sei q filho é do mundo, mas estou sofrendo.

    Gosto

    Comentário por Caroline Luiz e Zanelato | 10 de Novembro de 2015 | Responder

    • Fique feliz, você não imagina quantas mães se queixam que o filho não sai do quarto. Seja mais acolhedora, compreensiva que seu filho vai querer estar com você!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 16 de Novembro de 2015 | Responder

    • Oi tenho um filho de 13 ANOS E ELE ESTA MUITO MUITO REVOLTADO PORQUE ELE QUER IR A UMA FESTINHA E DORMIR NESSA FESTA O QUE FAÇO,NAO SEI COMO AGIR…

      Gosto

      Comentário por Bruno martins | 23 de Novembro de 2015 | Responder

      • Converse com seu filho e pergunte porque eles vão dormir na festa! Se for algo do tipo: festa do pijama, não há problema algum. Oriente o seu filho alertando-o aos perigos que te afligem,
        Um abraço,
        Léa

        Gosto

        Comentário por leamichaan | 23 de Novembro de 2015

  113. Boa Tarde, Léa!
    Tenho uma filha que acabou de completar 14 anos. Desde os 7 anos ela morou com o pai e avó paterna. Eu sempre fui presente na vida dela. Apenas, não dividíamos o mesmo teto. em outubro deste ano o pai dela me procurou e pediu que a trouxesse pra minha casa, pois, ele havia feito coisas erradas e estaria “jurado de morte.” Assim, fiz. Ela sofreu muito nos dois primeiros dias. Eu comecei a correr atrás de amizades legais pra ela e graças consegui. Tem 20 dias que ela está morando comigo e estamos nos dando super bem. Porém, um rapaz de 19 anos, veio até a minha pedir ela em namoro. Por conhecer os pais dele e conversar com outras pessoas que, inclusive só foram elogios a ele, optem por deixar. A questão é que: Está sendo muito doloroso pra mim. Não consigo entender que ela já chegou nesta fase. Hoje, por exemplo, ele a convidou pra assistir filmes e comer pipoca na casa dele. Segundo ele, os pais vão está presente. Mas, acho muito cedo pra deixá-la ficar “enfurnada” na casa dele. Expliquei a ele que, por ser menina a sociedade é dura. A ” língua do povo” é grande. Fico com receio que ela fique falada.
    Ele é um bom rapaz. Porém, estão juntos a menos de uma semana. Tenho medo que ela se entregue demais e no futuro veja que não é nada daquilo.

    Como posso conduzir a situação?

    Muito obrigada!

    Gosto

    Comentário por Valéria Gonçalves | 19 de Novembro de 2015 | Responder

    • Diga para a sua filha exatamente o que esta dizendo para minha. Compartilhe o seu conflito com ela. De fato, não há problema nenhum em assistir filme na casa do namorado, além do mais, se eles quiserem transar, vão num motel no meio do dia. Saiba que só o fato de você falar sobre a sua preocipação com ela, já ameniza o problema, porque a mente dela vai estar preocupada com este fato, assim como a sua. Ela vai lembrar das suas palavras que exercerão influencia sobre ela. É importante falar de um modo acolhedor e afetivo, se falar de modo repressor, rigido e severo, pode acontecer dela fazer justamente o oposto de suas orientações.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 23 de Novembro de 2015 | Responder

      • Boa Tarde, Léa!
        Foi exatamente o que fiz. Falei com amor e expus a minha aflição. Ela por sua vez, foi conversar com a Madrinha que também concordou comigo e falou de forma suave com ela. Enfim, deu tudo certo!
        Estou aprendendo que falar com amor e me por no lugar dela é forma mais eficaz de conduzir esta e outras situações. Ah, e o mais importante. Estou super receptiva com o rapaz. E ele está entendendo o quanto sou “legal”.

        Obrigada, Léa!

        Um forte abraço.

        Gosto

        Comentário por Valéria Gonçalves | 23 de Novembro de 2015

  114. olá,Léa tudo bem?Tenho uma filha de quase 15 anos e um filho de 8 quase nove. minha filha as vezes é grosseira comigo e não aceita o irmão.está mal na escola briga muito com o irmão e diz que so defendo ele, as vezes eles mentem em relaçao a quem está errado e fico sem saber quem causou o problema acabo castigando os dois.ela arranhou o irmao com as unhas entao peguei o cortador de unhas e cortei-as ela ficou uma fera gritou chorou se esperniou será q agi certo?.as vezes temos uma relação boa as vezes ruim. por alguns motivos tomei o cel dela está de castigo,sem wat sap e sem net. quando o pai ta em casa eles se comportam ,mas quando nao as vezes perco a paciencia. nossa relação de familia é boa , as vezes sinto que ela tem ciumes de mim com o pai, as vezes fica me colocando defeitos e fazendo comparaçoes.sinto ela distante sem afeto por mim.Amo meus dois filhos será que estou mostrando preferencia pelo menino o que devo fazer para melhorar o relacionamento dos dois e o meu com ela?

    Gosto

    Comentário por FÁBIA | 25 de Novembro de 2015 | Responder

    • Sua filha está numa idade critica e para lidar com ela você precisa ter muita paciencia, compreensão e afeto.
      Todas nós, mães, temos mais afinidade com um filho do que com outro, isto é natural. Se sua filha de exige mais e é difícil de lidar, é natural que você aprecie mais a companhia do filho, e ela capta isto. Quando a gente consegue colocar em palavras uma situação, grande parte do problema automaticamente se dissolve. Porque ao falar a gente organiza o problema, compreende melhor, comunica e esta comunicação faz com que você e a sua filha se aproximem.
      Castigar aumenta a revolta de sua filha e afasta ela ainda mais de você. O melhor caminho para educar é dialogar. É conversar sobre o que nao está indo bem, é pedir uma ideia para ela te ajudar a educa-la. Transforme o seu problema em educa-la em um problema para ambas resolverem juntas. Dê a ela participação e responsabilidade no proprio desenvolvimento e evolução. Demonstre a ela que você a compreende, diga que você já teve a idade dela, e resgate esta fase de sua vida para compreende-la melhor.
      Um forte abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 29 de Novembro de 2015 | Responder

  115. Oi bom dia.necessito de ajuda. Tenho uma filha de 15 anos. Estamos mirando a 3 anos fora do Brasil. No início muito difícil devido ao novo idioma…no entanto ela é muito dedicada aos estudos.sempre em casa.e muita madura e responsáveis se damos hiper bem. Acontece que ela dês dos 10 anos já teve sua menstruação e sempre com muitas cólicas,sempre cefaleia e a hora tem escoliose. Devido a esse tanto de dores não consegue ir a escola e ter imã vida normal. Já busquei vários tratamentos e estamos fazendo .só que te não aparece sempre um problema. Tem dificuldades na escola mas não desisti. Vejo que ela por ser madura demais não tem uma vida normal. Ela não me dá trabalho de forma alguma e super amiga e sempre dentro de casa. E ando necessita também tem seus momentos com suas amigas. Acontece que hj ela gosta de onde vive.antes não. Vejo que ela está sem aptidão de vida devido a sérios problemas de dores que atrapalha ela se desenvolver e mais acho que isso também viro uma desculpa em relação aos estudos quando se vê sem saída em uma prova. E o que penso. Não sei o que faço se vou embora daqui.ou se fico até o fim. A verdade que tem sede de aprender cada vez mais .mais sei que é bem difícil os estudos aqui. Mas sei que ela dá conta. Quanta a saudade da família já foi maior. A vontade de ver seu a avós e td mais ja passou eles vierame tiveram um bom tempo de férias .ela tem em mente que a forma de estudar no Brasil e mais fácil pq quando saiu daí fazia a primária. Enfim não sei o que fazer e vejo ela totalmente desmotivada. Sem falar que na maioria das vezes sei que usa como um refúgio na escola suas doenças ou seus mal estar. Sei que ela tem mas tb sei como mãe que ela aproveita um pouco da situação.gostaria que me ajudasse. Meu nome Andreia tenho 37 anos sou mas de 2 filhas uma de 15 e outra de 8 moro hj em Barcelona e vivo muito bem com meu marido somos casa dos a 17 anos.obrigada

    Gosto

    Comentário por andreia | 27 de Novembro de 2015 | Responder

    • Se sua filha é responsável e usa a dor como pretexto para não ir a escola, é sinal que na escola acontece algo que ela prefere ficar em casa. Como é a vida social dela na escola? Sugiro que se utilize algum medicamento para aliviar as cólicas? Percebo que você sofre por ver a sua filha desmotivada. Então, converse com ela. Mostre para ela que você olha para ela, que você se preocupa com a felicidade dela. Nesta conversa mostre que você está aberta para aceitar os problemas dela e leve-a bem a sério.
      Falar vai fazer muito bem á ela. Vai ajudá-la a organizar os sentimentos que estão confusos, e os pensamentos também.
      Um grande abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 28 de Novembro de 2015 | Responder

  116. Esta adolecente eu tenho a guarda dela nao sei com quem ela estar so sei que mora em betim nao mim da o endereco ela sempre mim diz que estar com depresao o que eu faco perde o controle e adotiva

    Gosto

    Comentário por marina da silva | 28 de Novembro de 2015 | Responder

    • Esta adolescente precisa se sentir querida, compreendida, importante para compensar a rejeição que sofreu da mãe biológica por se tratar de uma menina adotada. Mesmo que ela era um bebê, existe a memória sensitiva que capta a rejeição e o abandono que ela sofreu, por isso ela é revoltada.
      Converse demonstrando interesse por ela, pelas coisas que ela tem a dizer. Esta maneira de tratá-la será terapeutica, e ela vai melhorar,
      Paciência é afeto são os ingredientes para curar o sofrimento que ela carrega,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 28 de Novembro de 2015 | Responder

  117. Oi!! Tenho três filhos…um menino de 21 uma menina de 19 e outro menino de 10, hj no carro eu ouvi da boca do mais velho, que um dia quando ele era menor ele foi me abraçar e eu disse a ele: nossa ta abraçando? Deve estar querendo alguma coisa! E concluiu ñ abraço nunca mais… nossa fiquei em estado de choque e confesso que ainda estou! Pq eu ñ lembro de ter feito isso mas acredito nele, só Ñ sei se foi num estado de ira ou de preocupação ou até de pavil curto meu!! Fiquei muda e estou até agora… pq já vem tempos que percebo que Ele ñ gosta nem que eu toque em seus braços!!! Gostaria muito de pedir ajuda! O que devo fazer para conquistar a amor dele de volta como era antes?

    Gosto

    Comentário por Adriana | 29 de Novembro de 2015 | Responder

    • Diga a ele que o seu comentário naquele dia é sinal evidente de problemas com a autoestima, que ao dizer que se ele te abraça é sinal que quer pedir algo, comunica que você não se sentia naquele momento, uma pessoa amavel a qual as pessoas abraçam porque amam. Mas ao receber uma demonstração de afeto logo pensou que deve ter algum interesse por trás. Não é porque não o ama, mas é porque naquele momento você não amava a si mesma. Ao contrário, você gostou tanto do abraço, foi tão bom, bom demais, que nem conseguiu acreditar nele. Que o problema não é com relação ao seu filho, mas um problema da relação de você com você mesma. Naquele momento vocês viveram uma gravíssima falha na comunicação, você não estava bem com você mesma e ele sentiu que você não estava bem com ele. Porque quando um filho abraça a mãe demonstra o afeto por ela e pede para ser acolhido, pede para ela demonstrar que ele é querido, que pode contar com ela, pode ser que ele estava vivendo alguma angustia que o fragmentou e inconscientemente pede para a mãe ao abraçar juntar os pedacinhos fragmentados. Mas, como você também estava fragmentada, não conseguiu acolhe-lo no que ele pedia.
      Ser mãe não é fácil, toda a mãe falha, e você espera que ele possa te perdoar e te acolher nessa falha.
      Que bom que ele te falou, isto pode aproximar vocês,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 29 de Novembro de 2015 | Responder

  118. bom dia,estou aqui para pedir socorro,meu filho sumiu de casa no sabado, fiquei louca procurando pois ele nunca havia feito isso, so encontrei no outro dia por volta das 4.30 da manha,deitado desacordado em um terreno baldio,meu Deus achei que meu filho estivesse morto, perguntei a ele o que tinha acontecido e ele não lembra de nada, o bafo de bebida alcoólica era muito grande,ele estava em uma situação terrível, todo mijado e vomitado,estou desesperada, será que foi so bebida, meu menino so tem 16 anos, conversando com meu esposo ele mim disse que ele havia em um outro dia fumado maconha,mim ajuda não sei o que fazer, qual caminho seguir,preciso de socorro.

    Gosto

    Comentário por jeane | 30 de Novembro de 2015 | Responder

    • Procure o centro de reabilitação. Procure um profissional especializado. Seja amorosa com seu filho para ele não precisar se refugiar na bebida e na droga. Ele está sofrendo e este comportamento é um pedido de socorro!

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 6 de Dezembro de 2015 | Responder

  119. tenho uma filha de 16 anos e ela fugiu de casa para curti a vida o que eu faço

    Gosto

    Comentário por rosilene | 30 de Novembro de 2015 | Responder

    • Se ela souber que em casa será bem recebida e acolhida, ela volta.
      Se você tem medo que ela possa se drogar, ser abusada ou sofrer algum tipo de violência, acione a polícia, mas ao recebê-la seja amorosa. Será que não é possível curtir a vida junto de você?
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 6 de Dezembro de 2015 | Responder

  120. Olá. Preciso de ajuda. Tenho uma filha de onze anos. Sou mae solteira. Estou namorando mm rapaz que nos conhecemos desde adolescentes. Cada um seguiu a sua vida agora nos reencontramos. Minha filha disse que não gosta dele mas não o trata mal. Ela disse que quando estou com ele não dou atenção a ela. Mas ele sempre pensa em programas que a incluem. Estamos tendo muitas brigas mas ela sempre teve ciumes de mim.Minha prima me disse que como desde sempre so fo eu e ela , ela deve estar se sentindo ameaçada. O que devo fazer. Seguir em frente ou recuar. Ele s´pensa em formar uma família e no nosso bem estar.

    Gosto

    Comentário por Andrea | 1 de Dezembro de 2015 | Responder

    • Converse bastante com a sua filha, de carinho e afeto. Quando estiver com o namorado inclua sua filha. Mostre. Para ela que ela é mais importante para você do que ele. Ela será sua filha para sempre, e ele pode ser um namorado apenas é um dia terminar.
      Ele também precisa conquistá-la,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 6 de Dezembro de 2015 | Responder

  121. Boa tarde, tem um filho de 12 ele não e rebelde mais peso p ele não deixar roupas jogadas no chão mais ele deixa todo o tempo e fico cobrando as mesmas coisas em questão de organização. E ele fala muito as vezes
    mais ele e quieto fica em casa não sai, mais tem esses defeitos de deixar as coisas espalhadas na casa. Eu falo com ele todos os dias de roupas no chão e toalhas mais ele fica fazendo as mesmas coisas.Onde moro não tem muito lazer a cidade não me oferece isso então como posso fazer algumas atividades com ele. obrigada..

    Gosto

    Comentário por CIDILEIA BETZEL | 2 de Dezembro de 2015 | Responder

    • Este é o problema, você repete sempre as mesmas coisas e el já nem escuta. Fale de uma forma diferente. Em primeiro lugar pondere se vale a pena falar, pense que cada palavra que você fala é equivalente a munição que você perde, por isso pense bem se vale disperdiçar palavras. Quanto menos você falar “coisas chatas”, mais ele vai dar valor ao que você diz. Quando for falar, procure escolher as palavras e não falar de forma acusatória. Ao invés de dizer você deixa as coisas fora do lugar, você isto, você aquilo. Diga eu me sinto incomodada, eu me irrito com a toalha e etc. Fale de modo carinhoso e acolhedor. Afinal você também já teve 12 anos. Não deixe que estas coisas pequenas desgaste o relacionamento de vocês.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 6 de Dezembro de 2015 | Responder

  122. OI BOA TARDE, já deixei um comentário mais não sei se ele foi, so p lembrar tenho um filho de 12 anos e ele tem um problema de deixar as coisas espalhdas em casa como roupas toalhas etc. E falo com ele todos os dias as mesmas coisas mais ele sempre faz do mesmo jeito. Como posso solucionar esse problema

    Gosto

    Comentário por CIDILEIA BETZEL | 2 de Dezembro de 2015 | Responder

  123. Olá, estou prestes a completar 18 anos, moro com a minha mãe, meu irmao de 20 anos e minha avó. Meus pais se separaram quando eu tinha 6 anos. Meu pai é alcoolatra e brigava muito com a minha mae na minha frente. Eu e meu irmao nos odiamos, nao nos falamos, cada um fica no seu canto para evitar brigas. Meu pai nunca se importou comigo, falo com ele por telefone as vezes. Meu grande problema é com a minha mae. Ela nao me conhece, nao se interessa em me conhecer, saber o que eu gosto o que eu nao gosto. Trata meu irmao muito melhor do que me trata. Recentemente vi ela mandando mensagens pro meu irmao dizendo que o ama e o chamando de filho, ela nunca faz nenhuma das coisas comigo. Sempre ri e brinca com ele e as vezes os dois se juntam para me criticar e me tratar como louca. So me resta a minha avó que eu amo muito. Eu de fato nao me entendo, ja fiz terapia por anos, ha uns meses voltei mas parei pq me fazia mal, me dava muito nervoso, a luz parecia se apagar no consultorio e eu saia de la pensando muito de forma desconfortavel. Tenho amigos parecidos comigo que amo mas minha mae n gosta… Ja tive um ataque de panico. Faço pinturas e desenho desde pequena, é minha paixao mas minha mae nao se interessa… Fumo maconha desde os meus 15 anos, ano passado minha mae descobriu e ficou furiosa, eu neguei mas quando da ainda uso sem ela saber. Também bebo. Ja tive a chance de usar drogas mais pesadas e nao quis. Entendo muito de assuntos especificos, serial killers, romantismo, trovadorismo, musica e cinema, periodos da arte, drogas, quimica, sei muito sobre e as pessoas me consideram inteligente. Amo drogas e muitos dos meus amigos tambem. Ela nao sabe nada disso, nao sabe a pessoa que eu sou, talvez tudo fosse pior se soubesse né pq sao coisas que ela nao gosta, obviamente. Desde uns 14 anos me envolvo com caras mais velhos, ela nao sabe pq tbm nunca procurou saber. Ela nao se interessa na pessoa que eu sou mas gosta de controlar o que eu faço… é complicado, n gosta que eu saia e tal e isso me irrita as vezes. Trabalha bastante e da muito valor a dinheiro e status, joga na minha cara tudo de errado que eu faço, coisas de anos atras. Minha mae diz que pensa muito no meu irmao pq ele fica quieto e é reservado, por isso estou agindo da mesma forma que ele, mais distante dela o possivel, pra ver se passo a receber o mesmo tratamento. Ela diz que ja que meu pai n faz nada pela gente e nao paga por isso ela tambem nao aceita ser cobrada… Muito dificil. Nao sou revoltada, sou triste mas encontro conforto na minha tristeza, tenho planos de viajar, ter minha casa… Conto os dias para ir embora daqui. Sei que voce vai dizer que é coisa da fase adolescente mas ja fazem uns 5 anos que sou assim… Sei lá

    Gosto

    Comentário por Amanda | 10 de Dezembro de 2015 | Responder

  124. Estou pedindo socorro, não consigo deixar meu filho sair para a noite, estou chorando no momento, sou mãe de três filhos homens, e todos já são de maior de idade, tenho 44 anos de idade, hoje meu filho caçula me pediu para sair com os amigos para a noite pela a primeira vez.. Levei um susto, achei q isto nunca iria acontecer, já q os mais velhos nunca gostaram de balada, fiquei sem saber o que dizer no momento, aí perguntei com quem, Como ia ir e voltar, me respondeu que ia ir com uma pessoa q eu não conhecia, ia voltar de moto…. Gente…. Vão beber!! … Como vão voltar de moto?? . O que eu disse? Não… Mas estou me sentindo a pior mãe do momento, estou arrasada, meu filho disse q na próxima vez não vai mais me pedir pra sair, ele só vai sair, porque ele já é de maior idade.. E agora o que eu faço, tenho medo de tudo, tenho medo do trânsito, tenho medo da violência, graças a Deus não tenho medo das drogas, porque tenho certeza q ele não curte isto. Estou pedindo socorro, não consigo largar meu filho para a vida, estou desesperada, rezo todos os dias por eles.. Me ajudem..

    Gosto

    Comentário por Márcia Vargas de Avila | 11 de Dezembro de 2015 | Responder

    • Aos nossos filhos nós damos raízes e asas. Nós criamos nossos filhos para o mundo. Você não precisa ser 8 ou 80. Você. Pode fazer uma acordo. Diga que tudo vem, ele pode ir na balada, mas não pode voltar de moto e combina com um táxi para ele voltar. Existem aplicativos excelentes de táxi para smartphone. Todos os taxistas são cadastrados e está na moda usar este aplicativo porque os jovens estão. Conscientes que não é possível beber e dirigir.
      Daqui pra frente procure não se desesperar, mas pensar e realizar acordos. Assim você n
      Ao se sente tão mal consigo mesma.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 11 de Dezembro de 2015 | Responder

      • Minha relação com a minha mãe começou a ficar complicada quando eu tinha 13 anos, era feliz, tinha amigos e perdi tudo isso quando ela conheceu um namorado pela internet e decidiu ir morar na casa dele em outro estado. Ou seja, tive que me adptar a uma cidade maior é a nova escola, não fiz mais amigos pois sofria bullying e a relação entre eu e o namorado dela também era complicada. Ele me chamava de desagradável e mal educada porque eu gritava com a minha mãe e tinha ciúmes dela, pois ela passou a ficar mais tempo com ele do que comigo. Depois de 5 meses eles resolveram mudar para uma cidade pequena no litoral do Rio de Janeiro e novamente tive que me adptar a uma nova escola, onde também não fiz amigos e até hoje não tenho devido a depressao. Depois de 1 ano o namorado da minha mãe teve um avc durante uma briga e faleceu, pois já era o terceiro avc e ele era diabético, fomos as únicas que choramos no velório dele, pois nem a mãe dele e as filhas gostavam dele. Agora continuo morando apenas com a minha mãe e continuamos brigando, sempre por um motivo pequeno. Ela me culpa pela morte dele e por outras coisas, por exemplo ela está com uma doença chamada pseuriase causada por stress e diz que é por causa minha, que ela deixou de cuidar dela pra cuidar de uma praga, ela me olha com ódio nos olhos quando fica brava e até me bate, já quebrou um espelho e sempre que tento dialogar ela manda calar a boca e grita depois fala que eu que estou gritando, fala que todos os vizinhos sabem que eu sou é que os amigos dela falam mal de mim, e isso só vem diminuindo minha auto estima que nunca tive, sempre me achei feia é parecida com meu pai fisicamente, mas ele era alcoólatra e minha mãe se separou dele quando eu tinha 3 anos. Ele fugiu pra não pagar pensão e nunca mais o vi, mas minha mãe sempre falou mal dele e das minhas irmãs por parte de pai que já são adultas. Ela fala que eu sou igual a uma delas que o pai bancou faculdade e ela desistiu, que eu sou falsa igual a ela, mas eu sei que não sou! Ela fala que já esta de saco cheio de pagar tudo pra mim é que criou uma bosta, que nem o meu pai ia me aguentar é que tem vontade de me matar etc etc. Eu sei que não sou assim e estou assim porque não tenho ninguém pra conversar, sempre que vou conversar de um assunto aleatório com ela, ela me ignora ou não presta atenção. Ela pensa que eu não quero ser nada na vida, mas agora estou com 18 anos e gostaria de fazer faculdade, mas na minha cidade não tem e minha mãe está com 54 anos e desempregada, não temos condições financeiras para bancar a vida em outra cidade. Então ela me matriculou num curso de maquiagem que começa ano que vem e espero que eu goste, não vejo a hora de ter meu dinheiro e não depender mais dela. Ela acha que vai me educar assim mas só esta piorando, pois cada palavra me machuca. Queria dar orgulho pra ela, sei que tenho capacidade só falta oportunidade e motivação.

        Gosto

        Comentário por Luana | 23 de Dezembro de 2015

      • Você sofre e a sua mãe também sofre. Ela projeta em você todas as frustrações dela, todas as deficiências dela. Você se tornou a depositaria das frustrações de sua mãe. Ela não faz isso por mal, é um processo inconsciente. Não deixe as palavras destrutivas dela destruírem você. Procure se tornar impermeável ao que ela diz. Seja forte, não alimente as brigas. Procure se aproximar de pessoas acolhedoras, compreensivas e que gostam de você. Lute pela sua felicidade e pelo seu future e prove para o mundo que você vingou, cresceu e teve varias conquistas!
        Não deixe a peteca cair, seja a mãe de si mesma, e batalhe por você. Não se entregue á tristeza e ao desanimo!
        Um forte abraço,
        Léa

        Gosto

        Comentário por leamichaan | 27 de Dezembro de 2015

  125. minha finha tem 14 anos e vivo em conflito com ela pois se acha dona da verdade, vive estressada e nada ta bom para ela, tem um namorado e sinto que ela e possesiva tem ciumes de todos ate da mae dele.
    me sinto perdida e com medo de perde-la de auguma forma.

    Gosto

    Comentário por Rosangela | 4 de Janeiro de 2016 | Responder

    • Demonstre interesse, disponibilidade, escute o que ela tem pra dizer, leve-a a sério, assim, ela também vai te escutar e levar a sério.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 3 de Março de 2016 | Responder

  126. Então meu marido tem uma filha de 14 anos no qual vem passar as ferias com o pai digo conosco e ai é ai que entra o problemas, no qual acho que o pai, a menina não tem limites quer tudo na mão acho eu e é por isso que estou neste impasse ela não interegi exclusivamente com ninguem, nem tios,nem irmãos, nem amigos, nem eu, não dá a minima mesmo se a sala estiver com todos os sobrinhos netos etc.. come e não oferece niguem s/preocupar se tem criancinhas interagi somente com o pai, que servi td na mão e ainda esstressa comigo perto dela se não faço suas vontades tipo se não lavo as roupas dela na mao inves da maquina e eu trabalho o dia todo só aos finais de semanas é que fico faxinando a casa já ela ver filmes na net fc no WatsApp, e ver desenhos na tv isso tudo ao mesmo tempo e deitada só levanta p/ comer compulsivamente depois dorme,isso td durante o dia e as noites fc acordada fazendo as mesmas coisas e comendo a noite toda só dorme p/manha e até as 14:hs não aceita se contrariada caso contrario liga p/ mae contando td no qual briga com o pai por causa das reclamoções da garota e ela briga e faz as pazes com o padrasto infinitamente, mas ele liga p/ ela fc preocupada ( uma coisa que me deixa intrigada responda quero saber se estou errada o compotamento não condiz com seu vestuario micro saias saltos luis15 cwofit roupas de mulher aliás ela tem corpo e altura adulta gostaria emensamente de saber se estou sendo covarde com esta minha enteada estou um pouco que desesperada ajude-me bjs

    Gosto

    Comentário por sarandarocha@hotmail.com | 5 de Janeiro de 2016 | Responder

    • A melhor coisa que você pode fazer é procurar ser amiga dela. Ao invés de se incomodar com o que ela não faz, procure demonstrar interesse pelo universo dela. Ela tem pai e mãe para se preocuparem com a educação dela, você está isenta disso. Só te resta se divertir com ela. Perguntar se tem algum filme legal pra ela te indicar, se você podem assistir algum filme juntas, se ela quer dar um passeio no shopping com você, etc.
      Seja esperta e não brigue com ela e nem fale mal dela para o pai. Você pode se abrir com uma amiga que você confia.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 12 de Janeiro de 2016 | Responder

  127. Bom dia,preciso muito de ajuda, tenho um filho com 13 anos e ele foi muito mimado, mais pelo pai do que por mim,ha 1 ano ele mudou muito tornou- se mais agressivo,nao respeita a mim nem as pessoas se falar com ele grosso quer enfrentar para agredir, ja quebrou varias coisa em casa pois tem crises de raiva quando nao se faz o que ele quer, vive falando palavroes e se reclamar ele ja fica grosso, e o pior também nao consegue dormir só sem eu ou o pai, mesmo se tiver alguém, tipo um primo passando férias, coloco para dormir no quarto dele mas ele sempre acorda a gente e faz bagunca, grita alto se nos nao deixarmos ele dormir no nosso quarto g ou ficarmos com ele no quarto dele,estou desesperada nao sei mas o que fazer, ele esta sendo acompanhado por psicologa. as vezes sinto vontade de ir embora e deixar ele e o pai pois apesar dele ja ter agredido o pai mas se dao muito bem e comigo ele nao se dá bem. me ajude por favor.obs. recebo muitos elogios dele, dos coordenadores da escola e dos professores que ele é um otimo aluno, muito educado mas em casa é o oposto.

    Gosto

    Comentário por Betânia | 7 de Janeiro de 2016 | Responder

    • O fato dele ser educado fora de casa é um sinal que ele é um garoto educado. Ele tem uma questão na relação com você. Como você é com ele? Como você fala com ele? Desde que ele era pequeno, você o escutava? acolhia? Como você negava as coisas para ele? Será que você foi mais preocupada com sua imagem de boa mãe do que com os desejos e as necessidades dele? Será que você cuidou dele com muita ansiedade e de forma neurotica com medo de não dar conta de criar bem o seu filho? Ou dele não se tornar um adulto produtivo? Pense nisso e procure ser uma mãe mais mansa que curte a companhia do filho e que não fica tomada pelos medos e anseios da vida materna,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 12 de Janeiro de 2016 | Responder

  128. Sou a filha nessa situaçao. Tenho 17 anos, sempre gostei de aprender, me formei agr e vou fazer cursinho. sou aplicada, nunca recusei nada q minha mae peça de favor. Porem, tenho muitos amigos, que sao maiores de idade, vao para a balada, bebem, mas uma coisa saudavel, todos sao pessoas muito boas, fazem faculdade, são aplicados, qnd vou para casa dele a familia é sempre muito estruturada, com muito amor e carinho. minha mae so fala q sao ma influencia, me prende de ver eles e fala p eu chegar em casa 10hrs da noite, esse horario meus amigos estao se arrumando para sair, sempre q tem algo para fazer no final de tarde sou sempre a sair primeiro, se chego em casa 10:30 ela ja briga, ja fala um monte, ela sempre esta brigando, cobrando, falando q sou ingrata. nunca gostei dela pagando nada, comecei a trabalhar para pagar meus celular, pois ela tinha tirado o qual ela tiha me dado, por eu ter a “respondido”. e dps trabalhei por conta propria para pagar meus custos do dia a dia, n aguento mais a presença dela, nunca sou grossa mas de um tempo para ca parece q minha paciencia se esgotou. ela sempre deixou eu beber, nunca passei vexame nem nada. mas ela me chama de alcoolotra. sempre me coloca para baixo. gosto de resolver as coisas conversando, mas ela sempre bate a porta, nao quer conversar, se recusa a ter um papo cmg, nunca tenta entender meu lado. eu fumo a 4 anos, sei q a 4 anos atras eu era uma criança e sim, foi uma burrada ter começado. o cigarro é comprado com o dinheiro q esta guardado pelos meses q eu trabalhei. ela tbm n aceita e n se cansa de todo santo dia brigar e falar q eu estou “fedendo”. nao costumo levar p lado pessoal as coisas q ela fala, ja ouvi demais. tento chamar ela para sair, mas sempre acaba em briga, faço tudo pela aquela mulher, dou flores, abrços e beijos, a vida dela é tranquila, tem um trabalho otimo, uma familia q a ama muito e um marido q faz tudo, mas ela me prende em um mundo q n existe, tudo por amor e eu sei disso, minhas ferias esta sendo dentro de casa, meus amigos me chamam direto para sair e eu n saio. estou cansada d tudo isso. pf me ajuda!!!!!

    Gosto

    Comentário por luana | 9 de Janeiro de 2016 | Responder

    • Você precisa escrever tudo isto que você me disse para a sua mãe e diga que você tem necessidade de aproveitar a vida, ter lazer, porque nunca mais você terá 17 anos de novo e os bons momentos que você perder não voltarão mais. Que você não quer brigar e desfrutar a vida à revelia, mas adoraria que ela compreendesse e te apoiasse para ser feliz. Que você a ama, mas por incrivel que pareça você é muito grata a ela e ao mesmo tempo ela é o maior problema de sua vida. Ela te deu a vida e agora não te deixa viver. que voce adoraria se ela pudesse ficar feliz com os seus momentos de alegria e felicidade. Que você adoraria se ela puder te apoiar para curtir a vida.
      O tempo da nossa vida é como se fosse um fio e os momentos alegres, as vivencias e as experiencias são as contas coloridas que colocamos nesse fio de tempo. Você quer que a sua vida seja repleta de contas coloridas e brilhantes e que ela ocupe o tempo da vida dela colorindo o fio de tempo dela ao invés de impedir que você preencha a sua vida de vivencias alegres. Inclusive voces duas podem ter momentos alegres juntas para preencher de boas vivencias a vida de ambas, ao invés de brigar e impedir que uma a outra de viver e ser feliz!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 12 de Janeiro de 2016 | Responder

  129. Tenho uma filha de quase 12 anos, faltam 3 meses pra ela completar. Enfim, minha dúvida é, quando ela quer que nós pais, façamos algo por ou pra ela, simplesmente ela fala nisso incessantemente, por exemplo: “Mamãe, nós vamos comprar meu material quando?” daqui 15 minutos “Mamãe, nós vamos comprar o material onde?” outros 15 minutos “então mamãe, na hora que formos comprar o material, podemos comprar um fichário?” e por aí vai, eu digo pra ela deixar a ansiedade de lado, porque tudo será resolvido, que não precisa repetir mil vezes o mesmo assunto, mas ela continua ansiosa. As vezes perco a paciência e falo pra ela, “pare de falar neste assunto senão deixarei de fazer o que é pra ser feito!” mas eu queria saber se estas atitudes são normais ou se ela precisa de terapia pra controlar sua ansiedade. Obrigada desde já.

    Gosto

    Comentário por Thaís | 14 de Janeiro de 2016 | Responder

    • Sua filha tem medo que suas necessidades e os seus anseios nunca serão atendidos e até que não recebe o que deseja é atormentada pela ideia é o sentimento que isto náo acontecerá jamais. Para tranquiliza-la será necessário marcar o dia e a hora que você poderá realizar os anseios e desejos dela. Uma idéia é anotar no calendário ou oferecer a ela uma agenda onde ela poderá anotar a data em que acontecerá o evento esperado. Outra coisa, parece que ela não aproveita o presente ela fica focada o tempo todo no futura e isto é uma lastima porque ela não aproveita vida no presente. Sugiro que você procure trazê-la para o presente, por exemplo, ao comer uma pipoca, diga a ela sentir como a pipoca é amassada na boca, triturada pelos dentes, qual é o gosto da pipoca, salgada? Doce? Como a barriga fica satisfeita, como dá vontade de beber água. Isto é viver o momento presente. Se ela está no presente, ela sai do futuro. Este é um trabalho terapêutico.
      Se ela persistir, procure uma psicóloga,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 27 de Janeiro de 2016 | Responder

  130. Boa tarde,
    Tentando, de certa forma, encontrar uma resposta para a falta de interesse pela escola que meu filho já apresenta há alguns anos. Vi seu blog, e vi também que muitas mães desesperadas por alguma resposta e orientação apresentam suas consultas (como eu), fiquei muito surpresa com as suas respostas. Não vi, em nenhum caso, dos que li, a atribuição de responsabilidade aos filhos!!! Tive a impressão que todos os problemas e traços de caráter eram atribuídas à educação, ou falta dela..
    Então, minha pergunta é a seguinte: Onde entra a responsabilidade individual dos filhos (indivíduo)? Onde entra o traço de caráter inatos deles?
    Tenho me questionado muito a respeito de todas as facilidades que os jovens tem hoje, e consequentemente da ausência de projetos e de angústias em relação ao futuro.
    Até que ponto seria responsabilidade única e exclusiva dos pais?
    Deve haver, com certeza, muitos casos, em que embora os pais “se matem” pelo estar e futuro dos filhos, que sejam mega carinhosos, atenciosos, e os mesmos não se comprometam em nada. Não haverá?
    Acho, no mínimo curioso, a psicologia atribuir toda a responsabilidade aos pais. Não consigo perceber muito bem o mecanismo atual das coisas. Digo atual, porque tenho 55 anos, e quando era criança as coisas eram muito diferentes.
    Obrigada,
    Carmen

    Gosto

    Comentário por Carmen | 19 de Janeiro de 2016 | Responder

    • Que linda contribuição à sua! De fato, precisamos instigar responsabilidade e o bom senso aos nossos filhos. De fato, as crianças e adolescentes nos dias atuais são considerados os reis da casa, de um modo geral. No entanto, na maioria dos casos que respondo noto uma falta de compreensão sobre os anseios, as necessidades, os desejos, a falta de autonomia, a dependência e a imaturidade que as crianças apresentam relativa à idade deles. Estas características da criança quando não contempladas pelos pais fazem a criança sofrer muito. Por isso em minhas respostas busco ser a porta voz das crianças que não sabem colocar todos seus sentimentos em palavras. Mas sem sombra de dúvida que sou contra passar a mão na cabeça do filho e aceitar sua conduta mal educada, irresponsável ou mimada. Precisamos educar, mas o modo de educar é dialogar, conversar, escutar, compreender e fazer-se compreender pelo filho, não simplesmente se impor.
      Agradeço a oportunidade que você me deu para falar sobre este tema extremamente importante,
      Um grande abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 27 de Janeiro de 2016 | Responder

  131. oi boa noite
    criei minha sobrinha desde pequenina hoje ela tem doze anos, antes ela era meiga carinhosa, porem depois que casei e tive filho ela ficou muito diferente, hoje ja fazem dois meses que não fala comigo de jeito nenhum e agora por sinal esta com problemas de ansiedade fica com falta de ar e dor no peito, porem em nenhum momento ela vem ate mim e vai diretamente para minha vo e comigo nada, eu tambem não vou ate ela por que nunca fiz mal algum e ela anda tão agressiva. sempre fiz de tudo por ela. agora ela mas agora com essas dores ela foi pra casa do meu irmão que é o pai dela, sinto falata dela mas não sei o que fazer tambem fico preoculpada não posso ceder por que não é a primeira vez que fica sem falar comigo tem que aprender que não pode ser assim.

    Gosto

    Comentário por joana | 25 de Janeiro de 2016 | Responder

    • Sua sobrinha sofre com o ciúmes de seu filho. Ela se sente roubada porque antes você tinha muito mais tempo e energia para dar a ela, agora ela sente que foi substituída pelos seus filhos. Provavelmente você é a figura materna dela, e agora ela se sente excluída, substituída. Ela sente uma dor enorme e se ressente com você.
      Você precisa conversar com ela e dizer que gosta muito dela, que você compreende que ela ficou triste ao ver você cuidando do seu filho e dando para ele o tempo que antes você tinha para dar a ela. Mas que você gosta muito dela e quer continuar amiga dela e espera que ela possa compreender você. Ela também tem ciúmes dos seus filhos que têm uma mãe de verdade,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 27 de Janeiro de 2016 | Responder

  132. Ola tenho um enteado q agora esta morando com a gente,omeu marido pai dele e separado da mae dele ,entao ees descubriram q ele usa drogas maconha,o pai dele meu marido o trouxe para morar com a gente na intencao ,de estar mais perto dele mas ele nao sabe o q fazer pois ele e adolescente dezeseis anos,nesses dias descobrimos q ele usa maconha ha dois anos,e tem alguns dias q nao usa entao so fica no quarto ,nao conversa cm ninguem so fica no celular o dia todo assiste filme a noite e so dorme quatro horas da manha meu marido,nao sabe o q fazer queria pedir orientacao como fazemos para ajudar ese adolescente ,para nao usasr mas a maconha.

    Gosto

    Comentário por caroin | 28 de Janeiro de 2016 | Responder

    • Ele precisa de muita atenção, precisa se sentir importante, e também de terapia. A pior coisa que vocês podem fazer é passar sermão, isto só fará ele se sentir descompreendido,
      Interessem-se genuinamente pela vida dele, demonstrem disponibilidade para ele, só assim vocês o ajudarão,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 3 de Março de 2016 | Responder

  133. Tenho uma enteada de quase 14 anos que foi rejeitada pelo pai biológico, depois dos 6 anos teve como figura de pai o namorado da avó influenciada pela mesma. A mãe era solteira e sempre foi comandada por ela [mãe] e pelos parentes e dependendo economicamente, por isso acabou deixando rolar até mesmo para auxiliarem no sustento e despesas da menina. Conheci a mãe dela quando a menina tinha 9 anos e passei a fazer parte da vida dela, mas foi tudo conversado previamente.

    Sempre fui o provedor da familia e tivemos uma vida razoável, no entanto a avó dela sempre fazia visitas inesperadas várias vezes toda semana e só parava quando brigava com a mãe por uns dias. Nunca bati de frente pois sempre me respeitava e às vezes até ia embora. Sempre pegava a menina para passar noites, finais de semana e férias, só devolvia quando ocorria uma doença ou indisposição na criança. Também foi sempre orientada pela avó,familiares e amiguinhas na mesma situação em me rejeitar e tals. Tinham um pacto de “sangue” por ser da mesma família e diziam que eu não era nada, apesar de dar meu sangue, suor e lágrimas para sustenta-lá,educa-la, ao passo que poderia ter meus próprios filhos de sangue.

    Por último agora nestas férias de janeiro-16 voltou totalmente de “cabeça virada”, não cumprimenta, fica de olhos revirados, não olha no rosto, comecou a ficar respondona, trocou a senha do facebook, não está aí para nada. A mãe tentou conversar, perdeu a cabeça e acabou dando uma certa surra nela [nem deixou marcas]. Ela pegou o celular da mãe e ligou para avó dizendo que foi eu que mandei ela fazer isso. A avó denunciou ao conselho tutelar e fomos na notificação. No atendimento, acabou mostrando pra adolescente que as coisas do mundo real são diferentes do que ela quer. Falamos em ajuda psicológica e ela disse que iria “sabotar” o atendimento. Comecou a dar este trabalhão e não temos todo tempo do mundo para ficar em órbita dos problemas que ela está criando. COMO PROCEDER DAQUI PRA FRENTE POR FAVOR?

    Gosto

    Comentário por Neto | 30 de Janeiro de 2016 | Responder

    • Esta menina só precisa receber afeto e disponibilidade, ela se sente um estorvo na vida de todos e por isso está revoltada em apresentando este comportamento antissocial. É uma maneira de pedir ajuda e comunicar que as coisas estão mal dentro dela. Se ela tiver alguém que se importe e se dedique de coração, ela melhora.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 3 de Março de 2016 | Responder

  134. Meu marido tem uma filha do antigo casamento ele tem 14 anos e está namorando escondido ela ao invés de estudar fica na porta da escola foi criada na igreja sabe o que é certo e o que é errado o menino tem a mesma idade dela mais pertence a uma facção perigosa o pai dela já falou pra ela se separar do rapaz de boa conversou bastante mais já percebe que a menina é que tinha na frente dos país mais pelas costas e bem esperta a mãe já falou que não quer saber de namoro os tios todo mundo já falou o pai dela quer até trocar ela de escola pra ver se ela esquece o rapaz isso fica até uma situação complicada pq coloca a vida de todos em risco já que essa facção se vinga matando pessoas tenho medo até de acontecer algo com meu marido mais a menina não tem jeito quanto mais se fala e conversa mais ela está apaixonada por ele primeira paixão ta iludida.

    Gosto

    Comentário por Andrea Sampaio de souza | 4 de Fevereiro de 2016 | Responder

    • Realmente, quanto mais proibirem ela de se relacionar com este menino, mais ela vai desejá-lo. No entanto, se ele é perigoso, há perigo de vida, então seria o caso de oferecer uma opção para esta garota, ou um intercâmbio, ou morar com a mãe, algo para afastá-la deste garoto. Além disso, ela está muito apaixonada e não escuta ninguém porque não recebe afeto, compreensão e acolhimento da família. Vocês precisam se aproximar desta menina afetivamente e conquistá-la, para que ela possa conversar com vocês e acolher o que vocês diEm para ela,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 7 de Fevereiro de 2016 | Responder

  135. oi boa tarde estou com um problema serissimo em minha vida, tenho um adolescente de 17anos e uma filha de 4 anos, meu filho é muito agressivo nas palavras e tudo ele diz que vai dar porrada ou soco na menina , hoje mesmo ele deu um soco de leve no braço dela;e fora os palavrões quw ele me responde não suporto mais e quanso fui defender minha bebê ele disse que vai dar o soco e acabou; eu perdi minha paciência pois isso ja vem acontecendo a muito tempo e não foi falta de diálogo entre eu e ele, até drogas ele ja experimentou e bebida inclusive está com 3 pontos no joelho pois caiu bêbado dentro so banheiro. acabei perdendo a cabeça em um momento de raiva pelas coisas que ele ja me fez passar e mandei ele viver a vida dele já que ele não me respeita. e ele arrumou todas as coiaas dele e pulou o muro e foi

    Gosto

    Comentário por fabiana novaes de aouza doa santos | 9 de Fevereiro de 2016 | Responder

    • Seu filho esta numa fase critica e também nutri sentimentos hostis pela irmã porque sente ciumes dela, pode ser que ele associa todos os problemas familiares á existencia dela.
      Ele precisa se sentir importante, querido e amado. Precisa sentir que voces gostam da presença dele para reverter o quadro. Não sei se eles são irmãos do mesmo pai, se o pai dá atenção,
      Procure-o para conversar e escute-o muito nesta conversa,
      Ele precisa de espaço dentro de você, na sua mente, no seu afeto,
      Só isso poderá transformá-lo,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 9 de Fevereiro de 2016 | Responder

  136. Oi, boa tarde! Tenho um filho que completará 16 anos no final do mês, sempre foi um menino bastante ativo, agitado, levado…me separei quando ele tinha 7 anos e desde então se vitimiza por isto. Eu e o pai não temos muito contato, cheguei a procurá-lo algum tempo depois da separação para assuntos do nosso filho, mas ele praticamente fugiu e foi morar na cidade da família..Sempre que meu filho ia passear voltava revoltado e brigando muito, reclamava que eu era chata e o pai bonzinho, na verdade tudo era permitido a ele enquanto eu sou de uma família muito rígida e cresci onde nada era permitido (na verdade não sou como meus pais mas também não nego a raça). Porém, a alguns anos atrás ele quis morar com pai (que mora com a família toda junta), foi e voltou pra minha casa umas 2 vezes, nos últimos 2 anos ele esteve morando lá e até estava trabalhando com o tio, mas o pai o pegou fumando maconha e a situação que já não era boa pela rebeldia ficou pior.
    Voltou em meados de dezembro pra ficar comigo, começou a trabalhar no outro dia que chegou mas as companhias que eu não considero boas continuam e nas 2 últimas semanas ele tem saído todos os dias e chegando de madrugada, por 2 vezes chegou as 6:30 da manhã e eu sei que continua fumando porque encontrei colírio dentro do guarda roupa dele…Para meu desespero que já estava grande, ele disse que não vai mais trabalhar, que quer aproveitar a vida e hoje realmente não foi para o trabalho. Estou sem ação, sem fazer o que fazer, tentando deixar de ser chata e ao mesmo tempo com medo de está sendo permissiva demais…e o fato dele não está nem um pouco preocupado se deixo ou não está me matando! #desesperada

    Gosto

    Comentário por Edinalva | 10 de Fevereiro de 2016 | Responder

    • Neste momento você precisa reconquistar a confiança no seu filho. Isto é mais importante do que passar sermão ou tentar leva-lo para outro caminho porque ele não te escutará. Para ele te escutar será necessário que ele se sinta escutado, compreendido, acolhido. Diga a ele que você quer conhecer mais os pensamentos e os sentimentos dele. Diga que você quer se aproximar dele, que você sente que vocês estavam distantes e você não compreende porque isto aconteceu, mas agora você quer recuperar o tempo perdido.
      Pergunte o que ele sente ao fumar maconha, porque isso é tão bom? Porque esta é a maneira de aprovetar a vida? Se você for corajosa, peça para usar uma vez junto com ele, já que você está perdendo o filho para a maconha, você precisa saber como ela é. Depois, seja sincera e diga o que sentiu e se sentiu algo. Os usuários dizem que ela dá uma euforia inicial e depois dá letargia. Aí é que está o problema, a letargia faz com que ele não faça nada. Depois desta experiencia junto com você, ele pode começar a te escutar. Tente ajuda-lo a compreender que seria maravilhoso se ele usasse a maconha só no final da tarde, depois de estudar e trabalhar, porque se ele for produtivo irá se sentir melhor consigo mesmo, a existencia dele terá um proposito, ele aprenderá algum oficio, ele preencherá o tempo da vida se realizando quanto pessoa,
      Esta conversa precisa ser bem acolhedora e amável, caso contrário vai surtir efeito contrário,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 10 de Fevereiro de 2016 | Responder

      • Obrigada preciosa!

        Gosto

        Comentário por Edinalva | 10 de Fevereiro de 2016

  137. Boa noite tenho uma filha de 15 anos que nao larga do celular é rebelde tem problemas de TDH NAO GOSTA MUITO DE ESTUDAR É MUITO MAL HUMORADA QUER NAMORAR EU ACHO QUE SEJA MUITO NOVA . TEM QUASE UM COMPORTAMENTO ANTISOCIAL QUASE NÃO FAZ REFEIÇÕE COM A FAMILIA, E FICA MUITO TEMPO NO QUARTO .PRECISO DE AJUDA E CONDUTA.

    Gosto

    Comentário por CLARICE | 24 de Fevereiro de 2016 | Responder

    • Você precisa reconquistar a sua filha. Não passe sermão nem ralhe com ela. Procure se interessar genuinamente pelas questões dela, curtir o que ela diz e se envolver. Para isto você precisará resgatar o seu lado adolescente. Com paciência, boa escuta e interesse você reconquista ela e então se você falar de uma forma bem acolhedora, sua filha te escuta, mas este processo será trabalhoso!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 26 de Fevereiro de 2016 | Responder

  138. Olá, Parabéns pelo seu blog. Olha estou precisando de uma orientação tenho uma filha de 17 anos que esta muito rebelde me agride com palavras e não me obdece mais. Ela começou a namorar um rapaz de 19 anos quando tinha 14 anos eu e o pai não queriamos muito pois todos falavam que ele era de ma idole mas não teve jeito começaram a namorar escondido ai deixamos o namoro acontecer explicamos pra ela os motivos a qual não queriamos mas não teve jeito poucas vezes ele ia em minha casa eles sempre namoravam no carro ou iam pra casa dele se passaram dois anos de namoro ai tivemos que nós mudar para outro estado por motivo de trabalho ela não quis se mudar pediu-me para morar com avó deixei, mas o convivo das duas não durou muito tempo tive que busca-la pra morar comigo desde então ela so sabe reclamar que não gosta do lugar que quer ir embora, mas meu marido não quer ir embora por conta do emprego o namorado dela vem de vez enquando visita-la e numa dessas visitas descobrimos que ele é usuário supostamente de maconha meu marido brigou e disse que não quer ele mais aqui em casa e por último ela me pediu pra viajar com ele pra praia eu não deixei, porém não adiantou ela saiu escondido de casa e foi chorei muito disse pra ela que não a queria mais aqui casa depois me arrependi e voltei atrás não sei mais o que fazer ela disse que vai fazer 18 anos e vai embora casar-se com ele tenho medo dela se envolver com drogas ela faz o que ele quer é ele consegue manipula-la contra nós me oriente por favor.

    Gosto

    Comentário por patricia | 28 de Fevereiro de 2016 | Responder

    • Ela está apaixonada e nesta idade as paixões são arrebatadoras. Você precisa ser acolhedora, resgatar a sua própria adolescência para ser compreensiva, validar e legitimar os sentimentos dela, e se ela se sentir escutada, também começará a escutar você. Quando a gente atira pedras, o outro põe um escudo. Por isto você precisará escutar, acolher, compreender e aos poucos ela te escurará. Receba o rapaz em casa para conhecê-lo melhor. Quanto mais você se opor, mais ela vai querer estar com ele. Seja sabia e paciente,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 29 de Fevereiro de 2016 | Responder

    • Obrigada pela orientação, mas como resgatar minha Adolescência eu não era assim com meus pais tinha meus momentos de rebeldia mas sempre respeitei meus pais ela faz o quer não adianta promete uma coisa e faz outra essa semana ja faltou 5 dias de aula. E ainda tenho outra filha mais nova que ver isso tudo que a irma faz não esta querendo também ir a escola porque a irma pode faltar e ela não.

      Gosto

      Comentário por patricia | 29 de Fevereiro de 2016 | Responder

  139. Boa noite gostaria de receber uma orientação ja não sei mais como agir tenho uma filha de 17 anos revoltada, rebelde so me trata mal não conseguimos mais conversar sem debatermos uma com a outra. Desde dos 14 anos ela namora um rapaz 5 anos mais velho que ela no começo não queriamos aceitar o namoro, pois as pessoas falam que ele era de ma ídole, mas acabamos deixando conversamos que falamos sobre o que as pessoas estavam falando dele mas não adiantou ele não se envolveu muito com conosco sempre namorava no carro outras vezes levava ela pra casa dos pais dele. Há dois anos tivemos que mudar de estado por motivo de trabalho deixei ela morando com minha mãe porque ela não quis vir com a gente acontecimento que não deu certo tivemos que busca-la trouxemos ela pra morar conosco contra a vontade dela ai o namorado dela passou a visita-la e em uma dessas visitas descobrimos que ele é usuário de maconha meu marido ficou com raiva mandou ele embora e não quer que ele venha ficar aqui mais. Outro dia ela pediu-me para viajar com ele para praia não deixei por medo dela se envolver com drogas, mas não adiantou ela saiu escondida e viajou assim mesmo agora ela esta voltando pra casa já não sei mais como agir com essa situação ela vive falando que quando ficar maior de idade vai embora de casa e vai casar-se com ele. Me ajude por favor, parece que ela nos odeia e não me escuta mais.

    Gosto

    Comentário por patricia | 29 de Fevereiro de 2016 | Responder

    • Tudo depende do jeito que você fala com ela. Quando a gente joga pedras o outro põe um escudo e não escuta nada. Para a sua filha acolher você, você precisará acolhe-la, demonstrar que que compreende o ponto de vista dela. Será necessário que você resgate a sua adolescência, e se lembre de como era quando tinha a idade dela. No momento que você demonstrar que valida é legítima os sentimentos dela, dai ela vai começar a escutar você, mas antes você precisará escura-lá e não simplesmente passar sermão. As paixões nesta idade são arrebatadoras, você terá que ser muito cautelosa e sabia para ajudar a sua filha,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 29 de Fevereiro de 2016 | Responder

      • Boa tarde, olha na idade dela eu era totalmente diferente dela eu já trabalhava e já estava noiva preparando pra casar e o rapaz com quem casei-me não era uma pessoa de má idole era pessoa debem melhor de se lidar não teve problema nenhum com ninguém da minha família.O namorado dela ja brigou com quase todos da familia se ela vier realmente casar-se com ele acho que na cerimônia irá somente os parentes dele.

        Gosto

        Comentário por patricia | 29 de Fevereiro de 2016

      • Nós mães nos comparamos com nossas filhas, e isto é um equívoco, porque ao mesmo tempo que todos adolescentes possuem os hormônios à flor da pele e são impulsivos, com paixões arrebatadoras, paradoxalmente cada um é único e singular.
        Pense nisso!

        Gosto

        Comentário por leamichaan | 29 de Fevereiro de 2016

  140. Meu Deus..estou aqui de madrugada tentando acertar com minha filha…o que fazer.Ela tem 14 anos esta em uma escola que o ensino não é de qualidade é fraca…O pai dormiu na fila da melhor escola da região recebi a noticia hoje que conseguimos a vaga…e ela não quer ir.diz que é burra,que tem dificuldades e não vai acompanhar,esta chorando pois não quer ir e eu trabalho tanto pra criar ela,queria dar a oportunidade de uma escola melhor é ela não quer.oque fazer….impor a ela que vai…já conversei tanto é ela não quer ir

    Gosto

    Comentário por Cyntia | 4 de Março de 2016 | Responder

    • Pergunte a ela de onde ela tirou a ideia de que é burra? Por que ela acha isto? Tente resgatar momentos que ela demonstrou ser inteligente e esperta. Mostre pra ela o quanto ela é inteligente!
      Diga que ela não vai perder os amigos da escola antiga, mas ela vai conhecer mais gente e ter mais amigos. Que você confia nela e sabe que ela vai conseguir. Diga que você vai ajudá-la, se ela precisar, que ela está sendo injusta consigo mesma em não confiar e acreditar no potencial dela. Ela está diante de uma oportunidade de provar pra si mesma e para o mundo que ela é capaz!
      Seja acolhedora e afetiva neste momento, ajude a sua filha a confiar em si mesma,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 4 de Março de 2016 | Responder

  141. Estou desesperada tenho dois filhos um de 16 e outro de 14,,os dois me respondem ,mais com o mais velho e pior ele me responde não me respeita ,,fica me xingando e a última foi que ele num momento nosso de discussões ele veio para cima de mim,,,crio eles sozinha pois sou separada ja faço isso a 7 anos ,trabalho fora,me esforço para não deixar faltar as coisas dentro de casa,,sempre converso sobre tudo com meus filhos,não entendi por que ele e assim,,,,estou cansada so queria uma luz pois não sei mais o que fazer

    Gosto

    Comentário por Heloisa helena | 4 de Março de 2016 | Responder

    • Você merece ser respeitada e valorizada!
      Estes meninos precisam aprender a te valorizar. Exija respeito, se eles não te derem dê um gelo neles.

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 10 de Março de 2016 | Responder

  142. Olá, boa tarde!!
    ja li seus conselhos e os comentários. Bom, tenho um filho neto de 10 anos q esta se tornando muito rebelde, e na verdade não sei mais o que faço pois, ultimamente anda me desrespeitando muito, até de vaca ele me chama, fico muito triste com isso porque me privei e me privo de muitas coisas por conta da sua criação. não sei oque se passa com ele, procuro conversar bastante e não obtenho resultados, eu o acho muito desligado das coisas, e so ligado nos seus interesses!!! gostaria muito de uns conselhos. muito obrigada!!!

    Gosto

    Comentário por regia santos | 15 de Março de 2016 | Responder

    • A pior coisa que você faz é se privar por ele. No final ele tem um ônus muito grande para pagar. Procure se relacionar com ele de forma prazeirosa e não por obrigação. Procure se divertir, encontrar elementos interessantes na pessoa dele e na relação que você pode ter com ele. Assim, ele também vai gostar de estar com você. A vida é feita para extrairmos prazer, alegria e nos enriquecer dos momentos e dos relacionamentos. Se você conseguir transformar a relação com este menino ele se. Tornará uma pessoa melhor. O seu rosto é o espelho que eles enxerga e ele se vê muito feio no seu olhar, por isso se comporta dessa forma com você. Reflita bastante sobre isso,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 22 de Março de 2016 | Responder

  143. Oi, tenho um filho de 16 anos e ele não quer estudar, vai pra escola mais não faz nada dentro da sala de aula não sei mais o que fazer quando tinha 12 anos até 13 anos ele tomou Ritalina mais o psicólogo disse que não precisava mais hoje estou vendo ele sem interesse nenhum na escola só pensa em jogar bola dormir e sair com amigos por favor me diz o que fazer. Boa Noite

    Gosto

    Comentário por Katia | 16 de Março de 2016 | Responder

    • Não passe sermão e nem fique insistindo para ele estudar, isto só vai piorar as coisas. Agora você precisa ajudá-lo a melhorar a autoestima para que ele queira investir em si mesmo. Demonstre afeto e não vincule o seu afeto por ele com as notas. Lembre-se ele precisa estudar por si mesmo e não para ser aceito ou agradar você. Quanto mais ele sentir que precisa estudar por você, mais ele vai se opor aos estudos!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 22 de Março de 2016 | Responder

  144. Preciso de ajuda, por favor. Tenho uma filha de 13 anos que diz não querer e não conversa comigo. Tudo que falo esta errado. Quer ficar no celular 24 h. dormir de dia e ficar na net a noite. Tudo que falo não obedece. Estou na hora de mandar morar com o pai. Não suporto mais. Não quer ir a aula. Quando vai é para dormir na sala. Não sai com amigas e diz que eu proibo. Não brinca, so comer e ficar no quarto. Quando peço para conversar não quer conversar. Ja escreveu carta dizendo que não me perdoa que sou muito ignorante. Que ja pensou em se matar. Colocar fogo na casa etc… Esta muito dificil So conversa comigo quando precisa de algo. Ai vem toda alegre. Diz não acreditar em Deus. Por favor me ajuda. Estou desesperada. obrigada.

    Gosto

    Comentário por Edicleide M Silva | 17 de Março de 2016 | Responder

    • Ela precisa descobrir que você gosta dela para além das notas. Ela está com a autoestima prejudicada. Você precisa demonstrar afeto por ela. Só assim ela vai conseguir melhorar a autoestima e começar a investir em si mesma. As palavras que você fala pra ela só pontes de energia que podem destruí-la ou construí-la.
      Reflita sobre isto e procure aspectos positivos nela, procure se relacionar com ela de modo afetivo e acolhedor. Procure extrair prazer da companhia dela. Assim você vai ajudá-la a gostar mais dela mesma e vai ajudá-la a a investir esforço nela mesma. Ela não pode estudar para agradar você, se ela sentir que estuda para ser aceita por você, ela vai se opor aos estudos!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 22 de Março de 2016 | Responder

  145. Olá tudo bem sou casada e tenho um filho de 13 anos ele e um garoto querido educado mas em casa e diferente a uns tempos pra ca n quer ajudar fazer nada so sabe jogar no computador e ficar no telefone quando está jogando fica muito nervoso qualquer coisa q falamos fica iritado sempre temos q obrigar ele a sair do computador senao passa a madrugada la ou no telefone o pai dele resolveu dar castigo tirou o computador e o telefone ele n aceita chegou a enfrentar o pai dizer q odeia ele O pai deu um tapa na carra dele e ele enfrentou o pai dizendo q e pra matar ele de uma vez N sei mais o q fazer ele está muito agressivo desrespeita as ordem q damos dis q n é mais criança para nos tirar as coisas dele o q devo fazer?

    Gosto

    Comentário por Silvana | 22 de Março de 2016 | Responder

  146. Olá tudo bem
    Sou casada e tenho um filho de 13 anos ele e um garoto muito querido mas em casa com nós está muito agressivo do quer ficar no celular ou no computador jogando temos q obrigar ele a sair pois passa a madrugada la as vezes queremos q ele fica lá com nós na sala ele n quer tentamos dar castigo tirar computador dele tiramos telefone mas ele enfrentou o pai quis até bater nele falou q odeia o pai q n gosta dele q n e mais criança
    pra nós tirar o telefone dele fica muito nervoso quando peço ajuda pra ele n quer ajudar daí ameaço de tirar o telefone ele vai fazer mas fica sempre jogando ou conversando no watss . N sei mais o q fazer se eu estou agindo erado com ele . Será q somos muito rígidos? o q devo fazer ?

    Gosto

    Comentário por Silvana | 22 de Março de 2016 | Responder

    • Para uma criança o pai e a mae são o centro do universo, para um adolescente, o centro do universo são os amigos, a turma. O adolescente tem necessidade de se opor aos pais para se diferenciar da criança que ele foi.
      Nós pais precisamos acolher e aceitar esta fase da vida do nosso filho, caso contrario, geramos muita frustração e raiva nele,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 25 de Março de 2016 | Responder

  147. tenho tres filhos, graças a Deus um é casado ,a filha estuda facudade é super pé no chão ,mas o caçula com 19 anos esta me deixando assustada pois trabalha,deixou a escola no segundo colegial,é um filho amoroso ,mas de uns tempo pra cá anda com muitas mentiras ,todo dia descubro uma .faz tres anos que trabalha de uns tempo pra cá tem levado suspensão no emprego pois chega atrasado,não passa á digital no horario certo,brigou dentro do emprego com outro adolescente de mão os dois levaram suspensão,tenho ido falar com o chefe dele saber o q está acontecendo.Dissem que não manda ele embora pois trabalha muita lá dentro que não sabe o que está acontecendo com ele pois é um bom menino mas que se tomar mais uma suspensão vai despedi-lo, sai a noite chega tarde ,fuma esse tal de narguile, descobri que está bebendo,e faz dividas qdo descubro a tempo vou lá e devolvo pras pessoas ,pois quer ser o que não é,deve pra varias pessoas e não paga sempre tenho que estar alerta,ele parece sem noção,converso muito com ele mas é em vão,qdo devolvo algo que compra caro e sei que não vai conseguir pagar no outro dia tá negociando outra coisa cara, recebe pouco no mercado. nunca exigimos nada pra ajudar em casa ,pois meu marido fala que nãoprecisa que ele se mantenha,mas sempre tá duro pedindo dinhero pra gente e fazendo dividas.Sabe tivemos criaçao diferentes pois passamos tudo que é certo pra os 3filhos tem hora que não sei o que fazer com ele ,tenho muito medo que entra em coisas piores. Meu marido tem sofrido muito com as atitudes dele ,fala muito com ele dá conselhos ,sermões,mas não resolve .Graças a deus nunca brigarão de mão pq a gente briga com ele e ele fica quieto e não reage em melhoras.Meu marido fala que filho qdo está com essa idade tem que larga de mão,deixa quebrar a cara , não ajuda pra se melhorar . Realmente não sei o que fazer .pois se tento ajuda-lo meu marido e o filho mais velho fala que to passando a mão na cabeça, não escondo nada de meu marido conto tudo que ele faz de errado mas ai ele passa mal pq não aceita coisa errada, tbem não sei se ta certo contar tudo,mas tbem tenho medo de ele descobrir e brigar pq não falei,somos familia unida,todos trabalhão,temos religião e procuramos fazer o que é do bem e não aceitamos as atitudes dele,é um menino bom ,amoroso não sei se tem a ver com amizade.fico muito triste com isso tudo pois amo minha familia, e sinto que tenho que ajuda-lo o que fazer..

    Gosto

    Comentário por célia | 26 de Março de 2016 | Responder

    • O adolescente faz o que os amigos fazem! Ele não é individual, ele é coletivo e altamente influenciável. Assim são os adolescentes!
      A turma de amigos transformam o nosso filho no que ele é!
      Agora para reverter você terá que ser muito acolhedora, amiga, compreensiva, para ele começar a escutar você.
      Talvez uma boa terapia ajude,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 28 de Março de 2016 | Responder

  148. Bom dia,
    Sou casada, e tenho dois filhos, um de 10 anos, e um de 12 anos, este sempre foi um doce de criança, mas muito tímido, retraído e tem dificuldade em fazer amizade. Sempre fui rígida com eles, com regras e limites.
    Ele sempre teve vários medos, mas agora está piorando, ele dorme com o irmão no mesmo quarto, mas se o irmão não vai dormir na mesma hora, ele não vai. Pra piorar, agora o recinto que ele está não pode estar com a porta fechada, que ele disse que sente falta de ar. Estou muito preocupada e não sei o que fazer. será que a minha rigidez ao mesmo tempo que educou, e se tornaram meninos maravilhosos, também sufocou?
    Porém o irmão não tem qualquer problema. Me dá uma luz de como posso ajudá-lo. Obrigada

    Gosto

    Comentário por irene | 26 de Março de 2016 | Responder

    • Rigidez, normas e regras, sem duvida sufocam! A gente precisa deixar nossos filhos serem eles mesmos. Claro que precisamos educar, mas de forma acolhedora, flexível, isto é, deixando eles serem eles mesmos.
      Procure ser mais aberta e demonstrar confiança neles!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 28 de Março de 2016 | Responder

  149. Bom dia! Tenho uma filha de 15 anos e uma de 11. São super carinhosas, amáveis, queridas. Minha família é muito estruturada, frequentamos a igreja e elas tem ótimas amizades. Não reclamam dos estudos, nunca pegaram recuperação. Realmente não tenho nada a reclamar delas. São muito ajuizadas.
    Mas a mais velha está mais distante de nós agora, mais calada conosco e acho que está com a auto-estima baixa porque não tem muito interesse em se cuidar, fazer unha, escovar os dentes direito…. deixa as roupas sujas dentro do armário, é bagunceira com suas coisas e com o dinheiro. Converso muito com ela sobre isso, mas estou com medo de ficar sobrepondo os pontos negativos aos positivos dela e isso acabar se tornando algo ruim. Gostaria de saber se isso é normal da idade ou se preciso mesmo ser mais rígida em relação a isso.
    Obrigada, Flavia

    Gosto

    Comentário por Flavia Amelia Costa Faria | 28 de Março de 2016 | Responder

    • O caminho não é a rigidez, mas o acolhimento, a compreensão, a conversa. Agora é hora de você ajuda-la a reconstruir a autoestima. Aproxime-se dela com afeto, atenção, e escute o que ela tem a dizer com muito acolhimento, validando e legitimando os sentimentos dela. A ideia não é que ela arrume o armario, é que ela queira investir em si mesma. O armário é um sintoma da falta de amor proprio. Precisamos cuidar da autoestima desta moça, e o armário arrumado será a consequencia,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 29 de Março de 2016 | Responder

  150. Eu tenho dois filhos, um de 13 anos e o outro de 4 anos. A diferença de idade entre eles provoca em casa um certo ciúme por parte dos dois, principalmente por parte do mais velho. Ele, o mais velho, sempre foi filho único até os 8 anos, mas sempre pedia um irmão. Depois que o irmão nasceu e que a atenção não foi mais somente para ele, começou desenvolver ciúmes, até agora aos 13 anos. Estamos passando por momentos difíceis com ele em casa devido a esses comportamentos típicos de adolescente. Está muito desobediente; quer fazer o que quer; quando pedimos pra fazer algo, demora, deixa de lado, não dá importância; provoca o irmão para que ele chore(percebo que é para me provocar, como mãe); não aceita a nossa opinião; é uma pessoa demais questionadora desde de pequeno, sempre tem um argumento,etc…
    Nós somos um pouco rígidos em casa, o pai é militar e tem um postura quase que parecida em casa. Esses dias ele bateu nele, e o menino pra se defender também partiu pra cima do pai. Foi um DEUS NOS ACUDA em casa, grande decepção, tive que intervir na situação, pois vi que ali estava sendo travada uma guerra entre pai e filho, muito triste!!! Às vezes penso que ele quer me provocar, me instigar, sei lá… Pra ressaltar, ele é um ótimo aluno, muito inteligente, esforçado, sempre o primeiro da turma, só em casa tem esse comportamento de repulsa. Agradeço pela ajuda! Se possível!

    Gosto

    Comentário por Lidiane | 28 de Março de 2016 | Responder

    • Adolescente não tolera rigidez. Na minha opinião, ninguém deveris tolerar rigidez, porque a rigidez é estreiteza de pensamento, de relacionamento, de relação com a vida e o mundo. Não tem problema a pessoa achar que o caminho dela é verdadeiro, o problema é achar que o seu caminho é único. O seu filho vai melhorar o comportamento quando a relação de vocês com ele for mais compreensiva, acolhedora e menos autoritária. A rigidez pode ser muito perigosa porque o seu filho irá fazer o oposto do que vocês querem só para ser ele mesmo, existir quanto pessoa, e não fazer as coisas porque vocês querem, e sim porque ele quer. O fato de seu filho não ser obediente é uma maneira inconsciente dele comunicar que tem vida propria, ideias proprias e um jeito de ser único e singular. Ele comunica: Eu existo! Converse com seu esposo e parem de transformar a casa de vocês num quartel general que todos serão mais felizes, uma vez que a rigidez é um tiro que saiu pela culatra, porque mesmo que vocês falem algo pertinente o seu filho que está desenvolvendo uma personalidade terá necessidade de se opor. ee se oõe para se diferenciar da criança que foi e que idolatrava os pais. O fato dele se opor é sinal que este menino está crescendo, se desenvolvendo, evoluindo!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 29 de Março de 2016 | Responder

  151. Gostaria muito de uma orientação, tenho 4 filhos 3 meninas é um menino de 14 anos que esta me dando muito trabalho ….me separei do pai dele estava com 4 meses de gravidez dele pois o pai dele vivia envolvido com pessoas de má índole. .me casei novamente quando ele tinha 1ano é deste casamento tive mais 2filhas o casamento não deu certo voltei a morar com minha mãe, é continuei a vida de trabalho….hoje não moro mais com minha mãe mora só eu e eles e meu filho está com um comportamento horrível roubando celular dos outros so anda com gente de má índole não quer mais estudar acha que pode fazer o que quer ,mente o tempo todo finge que vai para escola e vai para Praia ….estou desesperada pois onde moro os adolescente que roubam os outros morrem….me ajuda por favor não posso trabalhar por causa dele …..o pai dele morreu faz 2 anos ele parece que ficou mais irritado….já fomos pro Conselho tutelar ele fazia tratamento com piscicologo agora não quer mais ir na médica. ..me ajude não sei como lidar com isso

    Gosto

    Comentário por Irailma | 29 de Março de 2016 | Responder

    • Seu filho está revoltado pela idade, influenciado pelas companhias, ele segue o caminho do pai e precisa de ajuda. O comportamento antissocial que ele apresenta é um pedido de ajuda! No entanto, para você ajuda-lo terá que conquistar a confiança de seu filho, ou seja, não cabe passar sermão, porque isto só afasta ele mais e mais d você. Você precisa demonstrar afeto, dar carinho, escutar com atenção e levar a sério o que eleconta sobre os amigo e ajudá-lo a reconstruir a autoestima. Ele só irá investir em si mesmo com a autoestima reconstruida!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 29 de Março de 2016 | Responder

  152. Oi meu filho tem 18anos não quer estudar nem fazer algum curso e muito menos trabalhar!fica furioso quando fala pra ele ir nas agências,quando criança matava aula,adolescente pagava futebol q ele gostava daí não dava 2 meses começava a faltar e parava também,aos 17 anos foi morar com os avós, aí começou a traficar,hj fuma maconha e não quer fazer nada na vida o q devo fzr?

    Gosto

    Comentário por Regiana | 29 de Março de 2016 | Responder

    • Ele é influenciado pela turma. Um adolescente é o que a sua turma de amigos é. Se vocês podem se mudar isto ajuda.
      Um intercâmbio, seria uma saída. Passar sermão vai afastá-lo ainda mais. Você pode abrir o seu coração e demonstrar o quanto o ama e o quanto se preocupa com ele.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 26 de Abril de 2016 | Responder

  153. Olá, Boa tarde! Tenho um filho que está prestes a fazer 11 anos e desde o ano passado estamos enfrentando dificuldades com a escola, ano passado ficou de recuperação em espanhol e conseguiu a nota que precisava porém esse ano com a troca de tudo onde ele tem um professor por materia e está sendo cobrado na mesma proporção devido o seu amadurecimento tenho a impressão que ele se entregou.
    Foi mal em todas as provas, vai pra escola e fica na sala de cabeça baixa, está apatico.
    Chamo, puxo mas de nada adianta, tinhamos uma excelente relação mas de uns tempos pra cá essa está abalada talvez até por falta de controle emocional meu mesmo, não consigo ver meu filho se boicotando assim.
    Essa semana tirei tudo, celular, ipad, videogame, internet pra ver se ele sente na pele o que é perder o que gosta para talvez tentar se colocar no meu lugar.
    Nem falando com ele estou de tanta raiva dele.

    Gosto

    Comentário por Camila Simão | 30 de Março de 2016 | Responder

  154. Ola , tenho um filho de 17 anos e ja não sei mais como lidar com ele, não consigo mais… desde pequeno sempre foi hiperativo, levei me psicólogos, esportes e tudo, sempre enfrentando minha autoridade, problemas consecutivos na escola….comportamento dificil, hora arrumava brigas, horas por causa da agitação não para sentado… sempre metido em problemas…. em casa sempre com comportamento infantilizado… sempre procurei dar castigo, impor limites, aos 15 anos ele arrumou serviço, achei que tudo ia melhorar, ai piorou tudo de vez, já não me respeitva mais, o padastro que tanto se empenhou em ajuda lo tbm não estava mais conseguindo se entender com ele… chegou ate a aparecer embriagado em casa, msg nocelular de que estava fumando cigarro e maconha…. coloquei ele em uma unidade de terapia para dependentes deixei ele la por 3 meses… saiu mais calmo, voltou pra escola, disse que não queria mais repetir de ano, mas ja fui chamada na escola 4 x em menos de 2 meses, por causa do comportamento dele…. e recentemente vieram me dizer que viram ele fumando cigarro… ele veio me contar que havia comprado cigarro para um colega mais que não faria mais aquilo, que ele queria mudar…mas eu estou casada… eu vivo pra ele….vivo a vida dele… já não tenho gosto mais pela minha propria vida…vivo angustiada… com medo de algo pior acontecer… não durmo direito…jã não quero mais sair de casa… sem contar como tudo isso prejudicou meu casamento, as vezes eu e meu marido somos como 2 estranhos dentro de casa…sinto que vou acabar perdendo meu casamento…sinto que estou decepcionando minha familia… minha mãe ja esta cansada e não merece passar por isso….e não tenho ajuda de mais ninguem… as vezes penso que morrer seria melhor, mas não é morrer que eu quero… eu só queria que esse sofrimento tivesse fim… que essa dor saisse da minha vida….
    quem puder me ajudar…nerisfatima@yahoo.com.br

    Gosto

    Comentário por Fatima | 4 de Abril de 2016 | Responder

    • Usando você está sofrendo com esta situação, você está dando muita ênfase para esta situação, você está resumindo a sua vida nos problemas que seu filho apresenta. A vida é muito maior do que isto. É muito mais do que isto. Parece que não tem mais nada de bom. Não existe coisa que. Humanidade se dedique mis do que para a infelicidade. Você algo que está difícil na sua vida e você destrói todo o resto bom por causa disso. O seu filho tem saúde, tá na escola, é um garoto perfeito, pra que tanto drama?

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 25 de Abril de 2016 | Responder

  155. Boa tarde Léa, tudo bem ? Meu nome é Eric, tenho 30 anos, sou o 03 filho ( de 04 ) dos meus pais. Meu irmão mais novo é o Renan, tem 13 anos, ele é adotivo, filho do meu primo, que faleceu logo que o Renan nasceu. O Renan é fruto de um relacionamento do meu primo ( ex-presidiário ) com a Tatiane, mulher drogada que aos 23 anos o Renan já era o 05 filho dela. Meus pais adotaram o Renan, porque não viam saída para ele. Entraram com processo de adoção provisória até sair a definitiva. Quando o Renan veio para casa, aproximadamente 08 meses, eu cuidei muito dele junto com minha mãe. Meu pai sempre rejeitou ele….a situação agora é a seguinte, o Renan não respeita muito meus pais…quando sai na rua, volta sempre tarde..muito tarde…já foi para bailes funk, chegando em casa as 08hrs..eu sempre converso muito com ele…coloquei ele na escola de futebol para ele ter uma atividade. Porém até no futebol ele causa problema..não treina direito, fica zoando …na escola ele também da muito trabalho..esse ano já foi suspenso…ele estuda em escola particular, alguns alunos se afastam dele porque ele é má influência…Já tentamos proibir ele de sair na rua, mas desistimos disso..deixamos ele sair mas queremos que ele volte no horario..mas mesmo assim não temos sucesso..ele sempre volta muito tarde…eu pensei em tirar algumas coisas dele, como por exemplo, roupas que ele gosta, tenis novo que ele tem…e também tirar ele do futebol…e deixar ele livre para fazer o que quizer..o que acha que deveremos fazer ?
    Muito obrigado.
    Abs

    Gosto

    Comentário por ERIC MENEGUELE MARUCCI | 7 de Abril de 2016 | Responder

    • O Renan é adotado, sofreu rejeição da mãe biologica desde a barriga, sente muito ciumes de vocês e como todo o adolescente é revoltado. Juntando tudo isto, ele não poderia ser muito diferente. O comportamento antissocial que ele apresenta é um pedido de socorro, é sinal evidente de que ele sofre. Ele já se sente roubado: roubado do afeto da mãe biologica, da família de sangue, de um pai e uma mãe responsaveis, de ser desejado quando nasceu, entre outras coisas. Se você priva-lo do que ele gosta ele se rebelará mais ainda. Demonstre a ele todo este afeto que fez você me procurar. Acolha-o, demonste interesse genuino para os problemas dele, para compreende-lo e seja disponível para ele. Isto será a salvação do Renan,
      Um grande abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 7 de Abril de 2016 | Responder

      • Muito obrigado Léa pela atenção e pela resposta.
        Abs

        Gosto

        Comentário por ERIC MENEGUELE MARUCCI | 11 de Abril de 2016

      • Boa noite Léa…agora estamos em uma situacao que estamos sem saber o que fazer…ela estudava em uma escola e tivemos que tirar ele pois ele estava arrumando muita confusao e ja tinha sido suspenso duas vezes…a escola nova é escola publica, uma das piores do bairro, a unica que apareceu vaga…ele ja foi alguns dias mas anda faltando muito…só quer ficar na rua o dia inteiro e volta tarde para casa…estamos deixando ele ficar na rua , estamos nos controlando e nao estamos cobrando ele…o que acha que poderiamos fazer´.
        muito obrigado Léa, boa noite

        Gosto

        Comentário por ERIC MENEGUELE MARUCCI | 19 de Maio de 2016

  156. Oi boa noite, meu nome é Renata tenho uma filha de 12 anos que está no sétimo ano, estou muito preocupada, tenho muitos problemas com seus estudos ela não ta nem ai para suas notas e está mal em todas as matérias não vejo interesse tenho fazer o máximo para envolve-la sou professora também e não consigo fazer com que ela estude . preciso de ajuda, pois estou desesperada

    Gosto

    Comentário por Renata | 10 de Abril de 2016 | Responder

    • Quanto mais você colocar o dedo em riste e dizer que ela tem que estudar, mais ela vai querer se opor. Porque ela esta na idade de se rebelar contra os pais, porque ela precisa sentir que estuda por si mesma e não para agradar a mãe. Tudo que a gente sente é porque faz sentido pra nós, se ela não vê sentido em estudar, pode ser que você esta saturando ela dizendo que ela tem que estudar, e também pode ser que a escola não estimula os alunos. Quando algo faz sentido, este sentir faz a gente querer e ter vontade de agir, no caso estudar.
      Converse com a sua filha,se abrindo pata escutar e compreender o que se passa. Quanto menos você exigir, pressionar e cobrar, mais ela vai ter vontade de estudar por si mesma,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 26 de Abril de 2016 | Responder

  157. Boa tarde! Tenho uma neta de que vai fazer 11 anos daqui a 2 meses, eu sempre tive muito contato com ela pois moravam comigo até seus 8 anos.Sempre fui muito apegada a ela porém ela conviveu aqui assistindo muitas brigas entre eu e a mãe dela q é minha filha e até hj não conseguimos nos relacionar bem.Oq venho notando é q conforme ela está crescendo ela está me tratando como a mãe dela me trata, usa as mesmas palavras, não quer mais q eu a abrace , nem beije, como sempre fiz e muito.Qdo ela vem na minha casa me trata com hostilidade, quase não quer conversa comigo e sempre me responde grosseiramente.Ela está bem diferente.Outra coisa q acontece q não estamos sabendo lidar é q ela ainda gosta muito de brincar de tudo q criança gosta, boneca, casinha, pique-esconde etc, o problema é q as meninas da idade dela já não querem mais brincar de quase nada, e está ficando cada vez mais difícil encontrar alguem q queira brincar, e ela está ficando cada vez mais sozinha, minha filha faz de tudo pra ajudá-la ligando pras amigas, mas é difícil dar certo,é ela fica triste .Ela tem um irmão de 3 anos q dá muito trabalho e pede muita atenção de minha filha, isso faz com q ela fique irritada e nervosa com as crianças.Nossas discussões geralmente são por causa das crianças, ela não dá limites, nem regras, e eu acabo me envolvendo por perceber q isso não está fazendo bem pras crianças.Peço sua orientação.Obrigado!

    Gosto

    Comentário por Vilma | 11 de Abril de 2016 | Responder

    • Você pode demonstrar afeto e dar carinho para sua neta resgatando a criança que você era e brincando com a sua neta das brincadeiras que ela gosta, porque infelizmente as crianças estão deixando a infância precocemente. Converse com a sua neta sobre o universo dela, as amigas, a escola, os interesses, etc. Procure não passar sermão e lembre-se, você ja criou os seus filhos, desfrute da companhia dos netos e deixe a parte chata da criação para a sua filha, se ela quiser.
      Netos são pra gente curtir e se divertir!
      Um abraço de uma avó como você,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 26 de Abril de 2016 | Responder

  158. Muito útil o que li muito
    Obrigada.

    Gosto

    Comentário por Ivonete Xavier | 11 de Abril de 2016 | Responder

  159. Tenho um filho de 15 anos sempre crie sozinho o pai nunca deu atençao .logo conheci meu marido que vivo hoje faz 15 anos que estamo junto tenho mais dois filhos os tres se da muito bem meu marido trata meu filho como se vc seu filho.Mais alias meu filho ele e um muleque muito nervoso nao posso falar nada cm ele que fica bravo ele e muito frio nao gosta de amizade nem mesmo de suas familia nao gosta de estudar e muito parado nao tem vontade de fazer nada me ajude por favor

    Gosto

    Comentário por Rosemeire batista | 14 de Abril de 2016 | Responder

    • Seu filho sofre a falta do pai biológico. Procurem compensar está falta sendo mais disponíveis, afetivos, acolhedores e compreensivos com ele.

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 16 de Abril de 2016 | Responder

    • Seu filho comunica por meio desta conduta que precisa de ajuda. Ele não está bem, sofre com a ausência do pai biológico e com a falta de compreensão, acolhimento por parte de vocês em compreender a conduta rebelde dele.

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 25 de Abril de 2016 | Responder

  160. Olá Lea! Me chamo Neiva, tenho 35 anos e duas filhas, uma com 14 e outra com 17 anos, quando a mais velha tinha 8 anos me divorciei e em seguida me casei novamente. Tenho tido várias brigas com ela pela falta de cooperação em casa, por usar as coisas de todos sem pedir “roupas, calçados, etc, não consegue sair de casa no horário correto pra nada, sempre atrasada pra tudo, quando proíbo ela de algo e volta a fazer é diz que não lembra da proibição, a um ano tem um namorado que esta envolvido com drogas e que deu pra ela usar por duas vezes “maconha” converso com ela mas parece que nao me escuta , eu me considero uma pessoa explosiva principalme com ela, quando a castigo, logo em seguida fico com pena e peço desculpas, quando ela me pede algo, raramente digo não. Por favor me ajude. Neiva

    Gosto

    Comentário por Neiva | 15 de Abril de 2016 | Responder

    • Olá Neiva a sua filha está numa idade que o estado normal é crítico e de revolta. Neste momento ela precisa ser acolhida, compreendida, perceber que você está aberta para escutar sobre o universo dela e constatar que você leva ela muito a sério. Então, ela poderá se abrir com você. Procure resgatar a sua própria adolescência para compreendê-la melhor. Abra o seu coração sobre as preocupações que te afetam, demonstre para ela o quanto você gosta dela e o quanto ela é importante para você!
      Assim, ela poderá te escutar e levar a sério,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 19 de Abril de 2016 | Responder

  161. Olá boa noite!! Tenho dois filhos um rapaz de 19 anos e uma mocinha de 16 eles perderam o pai quando o menino tinha 12 e a menina 10 o meu rapaz só vive no quarto mais desde pequeno ele sempre foi muito fechado agora ainda mais fica no quarto direto mexendo na internet e jogando playstion não quer estudar trabalhar não gosta de sair os amigos vem aqui ele tem um relacionamento legal com eles ele rir conversa mais comigo a irmã e o padrasto ele é super fechado ja conversei sobre o padrasto ele diz que nao tem nada contra ele converso varias vezes com ele que ele tem que se tornar um homem estudar trabalhar etc como td rapaz da idade faz mais não adianta me sinto incapaz se puder me ajudar agradeço

    Gosto

    Comentário por Roselaine | 15 de Abril de 2016 | Responder

    • Seu filho será do jeito que os amigos dele são. Nesta idade os garotos são muito ligados à turma de amigos. Procure não dizer ” você tem que isto, você tem que aquilo”. Demonstre a sua preocupação de forma afetiva, acolhedora, validando os sentimentos dele, levando ele a sério. Ele precisa estar com a autoestima boa para investir em si mesmo. Acreditar no potencial que tem.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 19 de Abril de 2016 | Responder

  162. Bom dia!

    Meu filho tem 19 anos, não tem interesse em estudar ou procurar emprego, sempre procurei acompanha-lo de perto nos estudos, com muito esforço e conversa ele concluiu o ensino médio e já iniciou duas faculdades, a primeira por ele não apresentar opções de gosto ou aptidão, tentei influenciar a ele fazer administração e após 5 meses ele disse que não estava se adaptando ao curso e parou os estudos, tentei conversar e convence-lo a não deixar o curso mas não tive sucesso. Continuei conversando e dizendo que ele precisava optar por um curso e voltar e estudar. Ele não conversa comigo nem com a mãe, ele é capas de ficar escutando por horas o que falamos e pedindo que ele fale e exponha suas ideias, medos ou seja lá o que for, mas ele diz que não consegue dialogar. Depois de algum tempo ele disse que iria iniciar um novo curso na faculdade, curso técnico na faculdade Anhanguera ( Curso de Eventos ) eu mesmo afirmei a ele que não quero pressiona-lo referente a qual tipo de curso, mas deixei claro a importância de estudar mesmo que seja algum curso técnico ( Elétrica; hidráulica; mecânica; cabeleireiro….. etc ) que o seu futuro financeiro dependeria de suas escolhas. O novo curso que ele esta fazendo, já segundo ele não é o que ele pensava e já esta desanimando, procuro incentiva-lo a procurar o coordenador do curso e conversar, para ver se o mesmo lhe dá alguma ideia, alternativa ou lhe mostra um caminho, mas ele me olha com os olhos esbugalhados e me deixa cada vez mais na incerteza ou certeza de que ele esta simplesmente perdido e sem rumo.
    Por favor se possível me ajude, para que eu saiba como ajuda-lo .
    Converso com ele dizendo que ele precisa encontrar um ocupação ( Serviço ) ele diz que esta procurando, mas passa a maioria do seu tempo em seu quarto com certeza não esta procurando nada, as vezes de tanto eu falar ele sai para entregar algum currículo, sei que o mercado esta difícil, mas também sei que se não procurar nunca vai aparecer nada.
    Por enquanto tenho quase certeza que ele não esta envolvido com drogas, mas fico com muito medo, pois para ir as baladas ele sempre tem disposição.
    Quando a prover suas necessidades financeiras, eu provenho o mínimo possível ( A não ser os estudos, que sempre lhe falo que não me recuso a pagar, desde que esteja dentro de minhas possibilidades por enquanto ).
    Obrigado.

    Gosto

    Comentário por Edmundo Ferreira Barros | 19 de Abril de 2016 | Responder

    • Sugiro que ao invés de falar, escute-o. Abra-se para escuta-lo. O seu filho vê decepção e frustração no seu olhar. O olhar do pai é o espelho que reflete a imagem do filho. A autoestima dele está em baixa e ele precisa ver que você acredita no potencial dele para encontrar forças e animo para investir em si mesmo.
      Aproxime-se de seu filho e peça para escuta-lo. Pergunte como ele está, o que ele pensa, como se sente nesta fase crítica e cheia de escolhas da vida. É só escute. Não passe sermão e evite dizer: você tem que isto, ou você tem que aquilo. Diga que você se preocupa com ele, com o que ele sente, com o desânimo dele. Pergunte se ele gostaria de conversar com um profissional. Seja amigo, e acolha o seu filho. Assim você encoraja ele pra falar e se abrir com você e não só ficar quieto se sentindo um “bosta” porque te decepciona e sem acreditar nele mesmo, e sem estímulo para investir em si mesmo. Lembre-se ele precisa estudar, trabalhar porque ele assim quer, e não porque você quer. Se for por você ele não terá animo para fazer nada.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 26 de Abril de 2016 | Responder

      • Léa obrigado por sua orientação, realmente sinto que é exatamente isto que você falou, mas colocar em pratica é meio difícil exatamente pelo excesso de preocupação que eu fico, já abri a possibilidade para ele conversar com um psicólogo, e ele foi +- a 10 seções e disse que não iria mais pois a psicóloga não o ajudava em nada, procuro sempre lhe dizer que ele é capaz e inteligente e vai conseguir tomar um rumo, mas não consigo disfarçar minha preocupação e ansiedade quanto a demora deste rumo.
        Enfim, vou continuar procurando meios de me achegar a ele para acharmos um bom termo para esta situação.

        Gosto

        Comentário por Edmundo Ferreira Barros | 27 de Abril de 2016

  163. Olá boa tarde! Sou casada a 20 anos temos 3 filhos. Uma de 19 anos, uma de 17 anos e um de 14 anos. Nossa filha de 17 anos começou a namorar a 4 meses, no início foi tudo bem, mais agora pelo fato de colocarmos alguns limites (porque tanto ela quanto o namorado começaram a achar que poderiam fazer tudo que quisessem), ela esta se revoltando, me respondendo e gritando comigo. Ele tem 18 anos e falou pra ela que não vê a hora que ela faça 18 anos pra casar com ela e morar nos fundos da casa da vó dele. Agora ela fala que quer isso, e o pior que se coloca como vítima para os outros. Fiquei muito triste, magoada com isso porque sempre procurei ser uma mãe amiga, sempre conversei. Não sei mais o que fazer…

    Gosto

    Comentário por Mônica | 19 de Abril de 2016 | Responder

    • Eles estão apaixonados e você terá que saber como lidar para não ser vista como uma “carrasca”. Aproxime-se de sua filha de forma acolhedora e compreensiva, afinal você também já teve 17 anos e quanto mais você proibir mais eles vão querer. Não proíba e diga que se eles quiserem mesmo se casar, você deixa. Agora a decisão será dela e ela vai pesar os prós e contras. Ela precisa ser tratada como uma adulta para se comportar como adulta. Se você tratá-la como criança, ela vai se rebelar, e se revoltar e não terá a responsabilidade em ponderar os atos dela. Diga que você deixa ela se casar, mas ela terá que cuidar da casa dela, ter as responsabilidades de uma dona de casa, e que ela quer estudar e ter uma profissão, como eles vão se sustentar? Ela pode continuar namorando e morar na sua casa. Diga para ela pensar bem e que você está aí para ajudá-la a tomar a melhor decisão pra vida dela. Se ela quer ter relações sexuais com ele, prontifique-se a acompanhá-la no ginecologista e encontrar o melhor método anticoncepcional. Seja mãe, e lembre-se, os tempos mudaram.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 26 de Abril de 2016 | Responder

      • Olá boa tarde! Muito obrigada, você me ajudou muito na resposta que me deu. Só que quanto a levá-la no ginecologista, meu marido não aceita que ela tome anticoncepcional e disse pra ela que se ela engravidar vai coloca-la pra fora de casa e se eu interferir, posso ir junto com ela. Lógico que tenho que me posicionar, tanto que já levei-a no ginecologista e conversei com ele. Mas ele não aceita. E fico numa situação difícil, pois não quero fazer nada que ele discorde, até porque ele é um ótimo pai. E sinceramente não quero assumir essa responsabilidade sozinha, pois não vejo maturidade nem responsabilidade pra isso na minha filha nem no namorado.

        Gosto

        Comentário por Mônica | 29 de Abril de 2016

      • Tomar anticoncepcional é sábio, o seu marido pode ser um ótimo pai, mas não está agindo com sabedoria e responsabilidade nesta questão.
        Será tão grave ela tomar o medicamento sem ele saber? Já que ele não consegue compreender e nem aceitar que a filha cresceu?
        Um abraço,
        Léa

        Gosto

        Comentário por leamichaan | 6 de Maio de 2016

  164. Minha filha vai fazer 11 anos em junho e está passando por um momento difícil,apesar de já ser quase mocinha, ela gosta muito de brincar de boneca, na rua de bola, esconde- esconde etc.O problema, aliás nem sei se é por esse motivo,mas de uns tempos pra cá as amigas não querem vir aqui em casa para essas brincadeiras e a estão evitando, pois ela não gosta muito de ficar em redes sociais e as amigas só querem isso.Ela está ficando só, pq sempre convidei as meninas para virem aqui, fiz muitas festinhas,noites do pijama, levo no cinema, porém agora elas sempre inventam desculpas qdo minha filha convida apenas para brincar e é difícil aceitarem e ela acaba ficando sózinha.Será q elas não são verdadeiras amigas e só tem interesse em vir aqui qdo tem festa, estou preocupada pois minha filha está ficando cada dia mais sózinha.Me ajude a como proceder pq fico com dó dela, e nem sei oq falo qdo ela liga pra muitas amigas e nenhuma aceita vir , e pra piorar a única prima q era a q mais vinha , e até dormia aqui em casa, arrumou outra colega e está se afastando tb.A família é pequena e ela não tem mais ninguém da sua idade, oq torna ainda mais difícil lidar com essa situação.Agradeço se puder ajudar!!

    Gosto

    Comentário por Michelle A. De Paula Ferraz | 25 de Abril de 2016 | Responder

    • Cada pessoa é única e singular, e por isso os tempos das pessoas são diferentes e é difícil sintonizar os diferentes interesses. A sua filha adora brincar e isto é ótimo, mas, infelizmente o mundo é a mídia estão estimulando as crianças a se tornarem mulherzinhas antes do tempo. Particularmente acho que isto é uma lastima. Temos a vida inteira para sermos adultas e um curto período para desfrutar a infância. Além disso, brincar é ótimo para desenvolver a criatividade, treinar a fase futura que vira, para elaborar os problemas, interagir, para ter envolvimento interpessoal, entre outros benefícios,
      Não se preocupe, a sua filha se tornará adulta no momento propício dela.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 25 de Abril de 2016 | Responder

      • Obrigado Léa por ter me respondido, e concordo com vc a respeito de q ela tem q brincar, aliás desejo q essa fase ainda permaneça por um bom tempo.Mas esse fim de semana aconteceu algo chato, a prima de quem eu falei q vinha muito aqui e até passava dias e agora não mais, acabou tendo uma pequena discussão com minha filha, pois minha filha a convidou a para passar o feriado e o final de semana juntas e a prima recusou, disse q ia brincar com outras amigas, então minha filha ficou chateada e disse a ela pq a estava abandonando já q sempre foram tão unidas desde pequenas.Minha sobrinha respondeu grosseiramente a ela, a magoou e disse q estava com ciúmes pq ela tinha amigas.Resumindo eu interferi e proibi minha filha a ter contato com ela, ainda disse pra minha filha q ela não era lixo pra ser a última escolha depois de tantas vezes q a recebi aqui em casa.Minha filha porém ficou chateada e disse q não se importa de ser última escolha pq gosta de brincar com ela, e .Enfim Léa, será q agi correto, pois essa menina vem demonstrando traços de q não será boa companhia pra minha filha.Agora não sei se piorei a situação.Se puder me ajudar de novo eu agradeço!

        Gosto

        Comentário por Michelle A. De Paula Ferraz | 26 de Abril de 2016

      • Nos mães tomamos as dores de nossos filhos, nos identificamos com eles e brigamos por eles, às vezes ficamos mais ofendidos do que eles próprios. Fico pensando quais seriam as suas dores de menina que você quer resolver agora por meio de sua filha? Seria muito bom pra você, e para todas as pessoas, fazer uma terapia e cuidar de coisas antigas que ficaram abandonadas dentro de você e que hoje, por meio de sua filha você procura inconscientemente resolver, sofrendo por ela, “brigando” por ela.
        Um grande abraço,
        Léa

        Gosto

        Comentário por leamichaan | 27 de Abril de 2016

  165. Olá! tenho um filho adoslescente de 15 anos, ele é super tranquilo, até demais, está cursando o último ano do ensino fundamental, tenho 42 anos crio ele sozinha financeiramente, e com ajuda da minha mãe e irmãs pois sempre trabalhei pois o pai nunca quis saber. Mas ele é muito calado, se a gente não perguntar as coisas não fala, até mesmo coisas relacionadas ao colégio, sempre esquece, tem se deslexado no colégio, quando mais novo o interesee era maior, até nos trabalhos havia mais capricho, agora faz de qualquer jeito sem ao menos se interessar pelo assunto da qual está sendo pesquisado. Enfim , sempre converso com ele mostrando que as coisas não são assim, que temos regras. obrigações e deveres, ele sempre entendeu a nossa situação financeira, nunca me cobrou nada, pelo contrário é muito compreensivo em ralação as coisas materiais, mas me incomoda muito essa introspectividade dele, eu já teve por um curto período acompanhamento de uma profissional da área por ter tido um problema com uma professora de um antigo colégio e por causa disso ele se recusava a ir a escola, ele não falava o que tinha acontecido só chorava na hora que tinha que ir pra escola, mas consegui com a profissional que esse bloqueio fosse quebrado. Mas agora devido a idade, acho que conforme suas explicações e avaliações, as coisas estão começando a se complicar, mas não a nivel comportamental, apenas coisas que ele se recusa a fazer. como dormir cedo, comer, o comer é o meu problema maior, pois não come o que deveria, levo ao pediatra regularmente faço os exames e não dá nada de anormal, mas me preocupo pois ´so quer ficar de besteira o dia todo, minha mãe é quem fica e quem sempre ficou com ele para eu poder trabalhar, com isso eu até assumo que fico estressada e acabo me irritando com ele, mas sei que devo conversar e expôr pra ele a real realidade e também deixa-lo se abrir para que possamos chegar a um consenso. É dificil, ainda mais quando não tenho a figura paterna para dividir essas angústias. Gostaria muito de um conselho se possível para essa mãe que se encontra um pouco perdida meidiante a essa situação. abraços
    l

    Gosto

    Comentário por shirlei | 26 de Abril de 2016 | Responder

    • Abra-se para saber o que ele pensa, o que ele sente, sem passar sermão, sem colocar as suas ansiedades, só ouvir com interesse genuíno. Seu filho sofre com a ausência do pai. Isto pode ter prejudicado a autoestima dele. Seria muito bom encontrar um profissional para ele conversar, ou encontrar um tio que pudesse ser a figura paterna de seu filho, ou um professor, alguém. Até um psicólogo.
      Você precisa se preocupar mais com a parte emocional dele e não demonstrar tanta frustração por causa da comida. Procure ver as qualidades de seu filho mais do que as falhas, porque o seu olhar é o espelho que ele se enxerga, então o seu olhar pode melhorar ou piorar a autoestima dele. Com a auto estima boa, seu filho tem estímulo para investir em si mesmo, fazer amigos, estudar, malhar, comer melhor.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 27 de Abril de 2016 | Responder

  166. Olá, Tenho um filho de 12 anos. Temos enfrentado dificuldades com ele na escola. É muito inteligente e quase sempre tira boas notas, mas de vez em quando a nota não é tão boa assim. Tem preguiça de estudar em casa para provas, na sala de aula constantemente se comporta mal e recebemos notificações/ocorrências. Em casa, se deixarmos, só quer saber de jogos e internet e quando não está em uma dessas atividades ou com os amigos andando de bicicleta, fica com brincadeiras e risadas bobas e só atrás do irmãozinho de dois anos, brincando, mas algumas brincadeiras perturbam, e só pedir pra ele parar não adianta. Às vezes ficamos sem saber como agir. Quanto a mim, me perturba muito as risadas bobas e sem graça e essa mania de ficar perturbando o irmãozinho o tempo todo. É normal isso?

    Gosto

    Comentário por Walmir Vigo Gonçalves | 1 de Maio de 2016 | Responder

    • As brincadeiras bobas são próprias da idade, é perturbar o irmão é um problema para todos da casa. Que tal conversar com ele e tentar saber porque ele age desta maneira com o irmão? Escute-o. E ajude o seu filho a encontrar um meio de se relacionar com o irmão de uma forma mais adequada para todos,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 6 de Maio de 2016 | Responder

  167. Gostei muito dessa reportagem

    Gosto

    Comentário por BEATRIZ | 4 de Maio de 2016 | Responder

  168. Muito interessante o que vc postou e tenho um filho adolescente de 15 anos e não quer saber de estudar e só estuda quando imponho com mais firmeza e fora as mentiras. Não sei o que fazer mais e estou preocupada com isso. O pai sempre faz tudo de melhor e mesmo assim não dá valor e não se afeta com nada e sinto muita frieza da parte dele. Trabalho a tarde , tenho uma.
    filha de 6 anos e ele é bem carinhoso com ela e sempre foi acompanhado por mim até mudar de horário para manhã . E agora estou dizendo não em tudo até melhorar as notas. O que devo fazer?

    Gosto

    Comentário por BEATRIZ | 4 de Maio de 2016 | Responder

    • Deixe claro para ele que seu afeto por ele se mantém mesmo que as notas não sejam boas, no entanto, as notas altas é sinal de que ele está aprendendo e não perdendo tempo na escola e na vida, além disso, as notas são para ele, não para você. Caso contrário ele estudará para ter as coisas e não porque compreende o valor do conhecimento e dos estudos para a vida. Ele não se resume as notas que tira, ele é muito mais do que isso,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 6 de Maio de 2016 | Responder

  169. Olá tenho um filho de 13 anos, me separei quando ele tinha 2 anos desde então até dezembro de 2012 eramos só eu e ele morando no Rio Grande do sul onde tinhamos uma vida confortável; quem cuidava dele em um período era a babá e outro ele ia para a escolinha e a noite eu ficava com ele, sempre dormiu comigo desde que veio do hospital.Em Dezembro de 2012 nos mudamos para o Parana região oeste onde mora toda minha família, viemos para cá por que eu sempre quis estudar e no sul não teria como estudar e nem me manter financeiramente. No ano de 2013 eu não trabalhei só me dediquei a Faculdade e a ele, em 2014 ele ficou morando com minha mãe e eu tive vim para a cidade onde curso faculdade de Enfermagem devido a ter que trabalhar e fazer os estágios curriculares, em 2015 tive um problema de saúde e de janeiro a julho fiquei com ele na casa de minha mãe, e depois voltei p a cidade onde curso a faculdade e estou até o momento, tenho dois empregos (estágios) curso a faculdade a noite e faço os estágios curriculares no sábado. Ligo pra ele todos os dias, e a cada 15 dias vou ve-lo nos fins de semana, o ano passado ia todos os fins de semana.Esse ano ele foi morar no sitio com meu irmão e minha cunhada o qual ele gosta bastante e tbem para ele poder cursar o segundo grau em colégio agrícola aqui da região. Só que ultimamente ele anda revoltado, nada ta bom, responde todo mundo, sempre tem a resposta na ponta língua, e por fim disse que eu nunca cuidei dele, que o dinheiro r$ 240,00 que o pai dele manda pego tudo pra mim, que é fácil eu ligar todo dia e pergunta como ele está. Não sei mais como agir, já conversei, expliquei que já to terminando a faculdade que as coisas irão melhorar que ele só não vem morar comigo devido a ele ter que ficar sozinho em casa e eu morro em uma kit net,e as condições financeiras não são as melhores para ele vir fica comigo aqui, tem alguns dias que como só pão 3 x por dia. Quero que ele fique bem que não passe as dificuldades que to passando, pois na casa do meu irmão ele tem tudo para se alimentar, estuda de tarde não lhe falta nada. Ele só reclamar e se revolta com tudo, tenho feito de tudo, o possível e o impossível. Se fizer a gentileza de me orientar por que não sei mais como lidar com essa situação. Obg.

    Gosto

    Comentário por Elizete Luiza Hasselmann | 5 de Maio de 2016 | Responder

    • Um filho quer ficar perto da mãe. Tio não é mãe. O seu filho sente falta do pai, da mãe, não se sente tão a vontade com os tios, assim como se sente com você. Se você ao menos puder legitimar e validar estes sentimentos nele, já ajuda. Seu filho precisa ter um dinheirinho na mão, uma semanada para comprar as coisinhas dele.
      Converse isso com ele, esta conversa poderá ajudar muito vocês,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 6 de Maio de 2016 | Responder

  170. POR FAVOR ME AJUDEM, TENHO UM FILHO DE 13 ANOS, QUE SEMPRE FOI MUITO CALADO E TÍMIDO, QUASE NÃO FAZ AMIGOS, ELE TEM UM HISTÓRICO MUITO SOFRIDO POIS PERDI O PAI DELE GRÁVIDA DE 3 MESES E TIVE DEPRESSÃO PELO RESTO DA GRAVIDEZ. SEMPRE PROCURO SABER DO COMPORTAMENTO DELE NA ESCOLA, ERA SEMPRE RETRAÍDO, NÃO PARTICIPAVA DE CONVERSAS NEM BRINCADEIRAS. HOJE ESSE QUADRO MUDOU ELE ESTA INTERAGINDO COM OS COLEGAS, POREM UMA PROFESSORA ME CITOU UM COMPORTAMENTO QUE EU JÁ OBSERVEI EM CASA ELE ESTA CONVERSANDO SOZINHO, E SORRINDO, FALA E RESPONDE, EM CASA JÁ PERCEBI PERGUNTEI E ELE DISSE TOU ME DIVERTINDO ENTÃO CONTA A HISTORIA QUE ACONTECEU PRA MIM QUE ELE ACHO ENGRAÇADA, ENTÃO SORRIMOS JUNTOS, ENTENDI QUE QUANDO LEMBRA O FATO ELE FALA BAIXINHO A TAL HISTORIA. NÃO SEI COMO AGIR, JÁ RECLAMEI E ELE DISSE TOU ME DIVERTIDO E VOCÊ ACABA COM MINHA ALEGRIA. ELE FAZ MUITO ISSO DURANTE O BANHO. SORRIR MUITO.NÃO SEI COMO AGIR, O QUE FAZER OU DIZER.FORA ISSO É UM GAROTO MUITO INTELIGENTE E COMPORTADO TEM SEMPRE BOAS NOTAS.

    Gosto

    Comentário por TANIA | 6 de Maio de 2016 | Responder

    • Esta atitude dele é absolutamente normal! É sinal que a realidade está entediante e por isso ele se refugia no mundo da imaginação e da recordação. Isto acontece porque ele tem sede de viver situações mais emocionantes e que o enalteçam. Ele encontrou uma ótima maneira de driblar a realidade “sem graça” e viver momentos mais intensos e compensadores por meio da imaginação. Deixe-o se divertir, afinal, ele estuda, tem amigos, procure não constrange-lo.
      Este garoto não se resigna com a realidade se esta não o satisfaz, ele é criativo, este menino vai longe!
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 7 de Maio de 2016 | Responder

  171. ola su casada tenho uma filha de 14 e agora soube q ta namorando um menino q usa piercing e tatuagem eu nao quero ela e boa menina e nos estudos tbm mas agora arrumou esse menino q parece ter 15 16 num sei o q faço

    Gosto

    Comentário por aline | 13 de Maio de 2016 | Responder

    • Quanto mais você proibir, mais ela vai querer ficar com ele, além disso, o fato dele usar piercing não é sinal que ele seja um mau garoto. Você precisa perceber se ele gosta dela, se ele respeita ela, se eles se dão bem e se ela se sente feliz na companhia dele. Pior ela ficar com um garoto que não usa piercing e que a trata mal,
      Pense nisso,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 14 de Maio de 2016 | Responder

      • BOA TARDE
        TAMBÉM TO PRECISANDO DE AJUDA
        TENHO UM FILHO DE 16 ANOS E UMA MENINA DE 6 ANOS.O MENINO GUILHERME NÃO SAI DO QUARTO, NÃO TEM AMIGOS CONVERSA COM AMIGOS SÓ ONLINE. BRIGA PARA IR NA ESCOLA SO TIRA NOTAS RUINS. DISSE QUE NAO GOSTA DA ESCOLA, MUDEI ELE DE ESCOLA AI QUE PIOROU ELE DISSE QUE O PESSOAL DESSA ESCOLA TEM OUTRA CABEÇA SÓ QUEREM SABER DE FUNK. ELE É MUITO SOZINHO FICO COM DÓ DELE. MAS ELE ME ENFRENTA PARA NAO IR PRA ESCOLA QUER FALTAR TODA SEMANA. JÁ TIREI COMPUTADOR, JOGOS , AI ELE DORME. NÃO SEI O QUE FAZER. JÁ TENTEI CONVERSAR ELE, DISSE QUE NÃO GOSTA , NÃO GOSTA E PONTO, NÃO FALA NADA O QUE ESTA ACONTECENDO.
        AGORA ESTOU PENSANDO EM TIRAR DA ESCOLA PARTICULAR E COLOCAR PRA TERMINAR EM UMA PUBLICA, COLOCAR ELE PRA TRABALHAR.
        PARA VER SE MELHORA.
        SOCORRO
        OBRIGADO VERIDIANA

        Gosto

        Comentário por VERIDIANA RAMOS | 19 de Maio de 2016

      • Você pode fazer isto não par castiga-lo, mas para ajudar ele a se ajudar, com afeto, abra o seu coração para compreender o que acontece lá no fundo, porque a auto estima dele esta tão prejudicada? Ajude-o a gostar mais de si mesmo é ter ânimo e motivação em investir em seus estudos e no seu futuro,
        Um abraço,
        Léa

        Gosto

        Comentário por leamichaan | 22 de Maio de 2016

  172. Sou mãe de adolescente de 13 anos… me sinto insegura e impotente. Nem a quem recorrer… o pai é representado com uma pensão que custeia seus estudos. Tenho um companheiro que me ouve (é o máximo que ele pode fazer). Não tenho parâmetro que eu possa recorrer, minhas mãe me criou solta no mundo. Meu filho foi reprovado ano passado e está indo pro msm buraco esse ano. Perdeu nota em quase todas as matérias na escola, coloco de castigo, corto tudo (quase os meus pulsos) e ele não toma jeito. E ainda desobedece fazendo o que está proibido quando eu não estou por perto. Não sei o que fazer… odeio gritar, e brigar com Ele, me sinto péssima quando tenho que dar um corretivo (sim, eu dou umas chineladas de vez em quando😦 ) choro e fico péssima. Preciso de ajuda por favor!

    Gosto

    Comentário por Flaviane | 16 de Maio de 2016 | Responder

    • É muito difícil quando nos sentimos solitárias para criar é educar nossos filhos. Ainda mais ando nem eles próprios fazem algo para se ajudar. É isto é o mais duro. Quando alguém não quer se ajudar, aí não há o que se possa fazer. Uma vez que você sabe disso, pare de bater na mesma tecla brigando e exigindo que ele faça coisas por si mesmo quando neste momento moquenqueiro filho mais precisa é reconstruir a auto estima para poder querer investir em seus estudos e no seu crescimento pessoal. Ele está péssimo com a ausência do pi é agora você precisará ser a mãe e o pai afetivo de seu filho. Antes dele ter condições psíquicas para estudar, ele precisa gostar dele mesmo e depois ele poderá ter forças para conquistar o mundo. Agora é hora de parar com as cobranças, as exigências, e de falar coisas que destroem ainda mais a auto estima do seu filho. Abra os braços para ele, escute-o atentamente, faça elogios sinceros mostrando para si mesma e para ele o que ele tem de bom, enalteça as qualidades dele, ajude-o a se amar e ter forças para investir em si mesmo. Isto poderá transformar o futuro de seu filho,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 22 de Maio de 2016 | Responder

  173. Tenho uma sobrinha que tem 14 anos, filha da minha irmã que é casada com um cara que a minha sobrinha não se dar bem, minha irmã tem um filho com este rapaz, minha sobrinha não tem pai,o mesmo morreu enquanto a minha sobrinha ainda estava na barriga. Ela sempre foi muito protegida por esse fato, a questão é que de 3 anos pra cá ela se tornou uma menina muito rebelde, não obedece a minha irma de forma alguma , alegando que o padrasto faz a cabeça da minha irmã contra ela. Hoje em mais uma dessas brigas com a mãe ela agrediu minha irmã, sempre pedimos que ela viesse morar comigo e com a minha mãe mas a mãe dela nunca deixou, depois desse fato de hoje a minha irma disse que se ela saísse de casa não voltaria e ela saiu, foi pra casa do namorado que ninguém gosta na família, pois acreditamos que ele influência muito mal ela. Agora ela está aqui na minha casa, mas estamos sem saber oque fazer, ela mente muito e sempre diz que vai mudar mas nunca muda! Aguardo uma resposta, desde já obrigada!

    Gosto

    Comentário por Glaucia Rodrigues | 17 de Maio de 2016 | Responder

    • O namorado da a ela o que ela mais precisa: carinho, afeto, compreensão… Se vocês puderem ofertar a ela escuta, amizade, enaltecer as qualidades dela, e não deixar que ela se sinta carente, vocês ganham esta menina.
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 22 de Maio de 2016 | Responder

  174. bom dia doutora, eu gostaria que me ajudasse, me desse uma luz, eu tenho um filho de 18anos e um de 10 anos, mas o que eu quero ajuda é o de 18 anos, já passei por fases de responder, de chatice,etc, chorei muito com o seu comportamento, mas já passou agora, o que esta me preocupando é que eu o acho com baixa estima, ele se acha com estatura baixa, diz que as meninas são mais altas, e eu converso muito com ele, mesmo ele sem me dá ouvidos, nós somos evangélicos, ele é uma benção estudioso, educado, bonito, é um ótimo rapaz, mas o que fazer, para ele enxergar e vê que tudo é no seu tempo, eu sinto que ele está precisando de uma namorada, mas tb ele é tímido, me ajude, eu já pensei em leva-lo para uma psicóloga, porém ele não quer, ele está com espinhas no rosto, tudo ele coloca defeito nele.Obrigada, por me escutar.

    Gosto

    Comentário por ivone | 22 de Maio de 2016 | Responder

    • Ele está atravessando uma fase crítica da vida. Tudo o que você pode fazer agora é botar ele pra cima. Enaltecer as qualidades dele, escuta-lo e levar a sério, não há mais nada além disso. O tempo vai ajudar. Napoleão tinha estatura baixa e conquistou a Europa. Cada um procura compensar as suas faltas de alguma maneira. Ele também pode, é só dar ênfase no que ele tem de melhor.
      Ser feliz é não deixarmos nos levar pelo que há de mal, mas investir mais e mais no que temos de bom, mesmo que ter baixa estatura, não é nada de mal, só na cabeça dele,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 22 de Maio de 2016 | Responder

  175. Bom dia! tenho um filho com idade de dezesseis ano! ele não quer estudar e gosta muito de está com colegas nas ruas! ele sempre foi um menino muito educado obediente! só que agora com a idade que ele está agora ele está me deixando muito preocupada com ele! ele sai muito e as vezes ele queira até alterar as vozes comigo! ele sempre fala comigo que não está fazendo nada de errado! eu já procurei psicólogo pra ele e ele não quer! eu estou precisando de ajuda! eu aguardo resposta! Muito obrigada!

    Gosto

    Comentário por rosangela | 27 de Maio de 2016 | Responder

    • Diga com quem andas e te direi quem és! Isto que acontece com o adolescente, os jovens substituem a família pelos amigos. Se a turma dele desrespeita, ele também irá desrespeitar, se a turma é promíscua, rebelde, tem ideais, valores princípios, ele assim será. Esta é a característica do adolescente.
      Quanto mais você passar sermão, pior. Agora acolher, escutar, se interessar, isto pode ajudar. Se você puder escuta-lo, ele poderá te escutar também,
      Um abraço,
      Léa

      Gosto

      Comentário por leamichaan | 30 de Maio de 2016 | Responder


Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 3.129 outros seguidores

%d bloggers like this: