Psicóloga Responde

Dicas úteis para o dia-dia

Filhos de pais gays

Esta é uma entrevista onde dei orientações para pais gays. Compartilho com vocês que podem enriquecer-se desta conversa. Boa leitura!

1-      Quais as possíveis consequências na personalidade de uma criança criada por gays?

Filhos de casal homossexual ou heterossexual se são atendidos em suas necessidades, se são cuidados com afeto e se a autoestima é levada em conta na hora de educar, criar e cuidar, quando falo cuidar, me refiro aos cuidados físicos e emocionais, destes filhos, então tanto faz se são filhos de heterossexuais ou homossexuais, muito provavelmente estas crianças se tornarão adultos seguros, confiantes, e com uma boa autoestima.

O grande problema que os filhos de homossexuais sofrem é em relação ao preconceito. Penso que é preciso uma boa dose de conversa com estas crianças esclarecendo que a amiguinha tem papai e mamãe que cuidam dela, que são o Pedro e a Joana, o amiguinho tem papai e mamãe que cuidam dele que são fulano e fulana e do mesmo jeito que eles têm o João e a Maria que cuidam deles, você tem o Antônio e o Carlos que cuidam de você. Tanto faz se quem cuida é homem ou mulher, o mais importante é cuidar com amor. Deixar claro que as pessoas se amam. A maioria das pessoas, hoje em dia, escolhe alguém do sexo oposto para amar, mas também existem pessoas que amam outras pessoas que são do mesmo sexo. Que o principal no amor é a pessoa que a gente ama e não na condição que ela seja deste ou daquele sexo. Existem pessoas que só conseguem amar se for do sexo oposto, e outras se for do mesmo sexo. Por quê? Cada ser humano é único, apesar de sermos todos muito parecidos física e até nas características humanas, somos únicos, singulares e cada um tem seu jeito de amar e tem o direito de exercer este jeito contanto que não prejudique os outros. A escola que recebe crianças que possuem pais homossexuais precisa conversar com estas crianças para aprenderem a lidar e desenvolver espaço interno para receber os filhos de homossexuais. Ter filhos de homossexuais na classe é uma oportunidade das crianças aprenderem a lidar com as diferenças, abrirem a mente e as emoções para a diversidade. Ajuda a ter uma mente aberta. Mas, precisa de conversa tanto com as crianças quanto com os familiares, para que a escola e a casa falem a mesma linguagem. É uma oportunidade de quebrar tabus.

2- Quais os cuidados diferenciados que esses pais devem ter na criação de seus filhos, pensando em possíveis preconceitos que as crianças possam enfrentar?

Esta resposta já foi dada acima.

3- Pode comentar sobre esses mitos de filhos de casais gays:

a)      “Os filhos serão gays!”

Não necessariamente, afirmar isto seria o mesmo que dizer que todos os filhos de heterossexuais serão heterossexuais.

b)      “Eles precisam da figura de um pai e de uma mãe”

Sim. Todos precisam de uma figura materna e uma figura paterna. Mesmo nos casais heterossexuais, nem sempre a figura paterna é o pai e a materna é a mãe, às vezes pode ser uma tia, um avô. Todos nós podemos ter várias figuras maternas ou paternas durante a vida, além de nossos pais biológicos: estas figuras podem ser uma professora, um amigo de nossos pais, um professor, um chefe e por aí vai. Além disso, no casal homossexual, o principal é a função materna ou paterna que cada um exerce em relação a criança. Mesmo num casal heterossexual podemos ver um pai acolhedor e afável (função materna) e uma mãe que impõe as leis e os limites (função paterna). As funções muitas vezes se revezam entre pai e mãe. O importante é haver um equilíbrio entre as funções maternas e paternas para que a criança sinta-se amparada e protegida. A dinâmica de cada família é um universo único que está em movimento constante. Tanto faz se o casal que cuida da criança é homo ou hetero, o principal é que eles exerçam as funções maternas e paternas, tanto faz o órgão sexual com o qual foram dotados.

c)      “As crianças terão problemas psicológicos por causa do preconceito!”

Não se isto for conversado tanto com os filhos quanto na escola e nos ambientes que eles frequentarem. Se as crianças estarão bem resolvidas com esta questão, elas poderão ver aqueles preconceituosos como alguém com a mente estreita, não esclarecida, e preconceituosa – que falam mal sem entender, conhecer e saber do que se trata. Para conceituarmos algo é preciso conhecer. E nunca podemos julgar, porque qualquer julgamento é injusto já que não calçamos os sapatos dos outros, não caminhamos na estrada da vida dos outros e nem nascemos com as características alheias. Este discurso precisa ser falado, estar aberto para os filhos de casais homossexuais e nos ambientes que as crianças frequentem. Os pais gays precisam saber que estão entrando numa mata desbravada, e eles precisarão abrir os caminhos para que seus filhos não sofram. São os pioneiros e se querem ter filhos, terão que ter força, estar instrumentalizados para defender e abrir os caminhos fechados para que seus filhos possam seguir em frente de cabeça erguida.

d)     “Essas crianças correm risco de sofrer abusos sexuais!”

Tanto como filhos de heterossexuais podem sofrer. Se os pais cuidam e prestam atenção nas companhias e nos sinais que seus filhos apresentam, então estas crianças têm menos chances de sofrer abusos. Que fique claro: Homossexualidade é completamente diferente de pedofilia.

4- Se houver mais alguma consideração sobre o assunto…

Deixo a mensagem para os homossexuais que pretendem ter uma criança: Ter filho dá trabalho, tem suas recompensas, sem dúvida e é importante que as recompensas sejam maiores que o trabalho, mas que fique claro que vocês estão entrando em algo ainda muito novo para a humanidade, é como se vocês estivessem desbravando mata virgem e selvagem. Esta estrada só poderá ser aberta e dar passagem para seus filhos e o mundo através de uma mente aberta e diálogos, então é preciso que conversem muito com os filhos, com a escola e nos ambientes que seus filhos irão frequentar para que eles não sofram as consequências da escolha de vocês em terem um filho, não é justo que ele “pague o pato” para você realizar o desejo de ser pai ou mãe, pois ser pai ou mãe é uma via de mão dupla, precisamos nos satisfazer como pais satisfazendo a criança que ainda não possui aparelho psíquico desenvolvido para lidar com as questões da vida.

Meus créditos:

Léa Michaan – Psicanalista.

Pós-graduada em Psicoterapia Psicanalítica pela USP;

Mestre em Psicologia Clinica – Atende crianças, adolescentes, adultos e casais.

Autora do livro Maly – Romance envolvente e inspirador

Blog – https://psicologaresponde.wordpress.com/

 

 

 

Anúncios

20 de Julho de 2012 - Posted by | Sem categoria

1 Comentário »

  1. A mulher nunca pensa racionalmente sobre suas decisões… Demora são baseadas na experiência da sensação , depois na racionalização. Por isso que vencem as DR e homens odeiam isso. Enfim passei por isso colega, minha ex quando terminou fez isso, estava comigo emocionalmente, sentindo o amor, mas estava transando com o atual dela, fazendo isso ela cria emocionalmente um campo de nao culpa. Mas peguei ela na mentira e cai fora, dei a ela isso, mandei procurar outro homem e isso quebra pra mulher essa logica que prq nos e somente emoção. Daiq. Te falo pra sua ex seria a mesma coisa, ela gosta de vc, mas quer viver aventuras emocionais dai q esta com outros mas ela ainda quer sentir o seu amor, seja pra aumentar o ego dela ou seja pra que justifique as novas transas. O famoso ahhh nao me envolvi, fiz pensando no meu ex. Enfim peço q vc se desenvolva e a ignore-a imediatamente, não importa quem são como cafajeste ou vadia não. Importa a culpa sendo a sua ou dela, se afaste. O homem apaixonado realiza coisas loucas. Pra mim a mulher fica fácil, pois consegue outros bestas rápido. Os nao e machismo o que estou falando, so evitando o que realmente sofre no fim do relacionamento. Vejo muitas mulheres que sofrem por amor, certo concordo, mais e muito maior homens que realmente agem fazendo loucuras de amor por ai, serio man se desenvolva profissionalmente e espiritualmente. A companheira e conseqüência e nao objetivo. É só mudar o foco. Desculpa se o comentário realmente é impertinente mas é desse modo que vejo. Sei la tenho varias amigas mulheres e esse chororô so faz efeito nelas quando elas não terminam a relação com o cafajeste ou quando se é trocada por uma melhor* sério, geralmente já tem outro cara na parada e mantém o elo* com ex so pra levantar o ego ou pra ajuda-la na tarefa de transição. Relacionamento rebote

    Gostar

    Comentar por caiko | 1 de Dezembro de 2013 | Responder


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: