Psicóloga Responde

Dicas úteis para o dia-dia

Não quero crescer – Sindrome de Peter Pan

  • Mais uma entrevista concedida à mídia em que esclareço as razões que levam a pessoa a não querer crescer. A famosa Síndrome de Peter Pan. Vale a pena conferir.
  • · O que é a síndrome de Peter Pan? Ela é uma característica, um transtorno ou uma doença?

A Sindrome de Peter Pan foi um termo aceito em psicologia desde a publicação de um livro escrito em 1983 The Peter Pan Syndrome: Men Who Have Never Grown Up ou “síndrome do homem que nunca cresce”, escrito pelo Dr. Dan Kiley. No entanto não é considerada pelos manuais de transtornos mentais como uma síndrome, ou seja, uma doença que possui um conjunto específico de características físicas e psicológicas. Porém, o que este conceito aborda?  Aqueles homens cronologicamente com idade suficiente para terem responsabilidades, trabalho, compromissos, e principalmente casarem-se, e constituir família, mas quanto a sua idade emocional e psiquica eles permanecem meninos. Isto é: vivem no viveogame, brincando de flertar, sem responsabilidades ou compromissos.

  • · É uma síndrome comum?

Sim, hoje em dia, mais comum do que antigamente. Em minha experiência clinica muitas mulheres entre 30 e 40 anos queixam-se de que os homens desta mesma faixa etária não querem compromisso sério, agem como adolescentes só querem ficar e transar sem construir um relacionamento maduro compromissado e com projetos para o futuro.

Penso que isto está acontecendo mais hoje em dia por várias circunstancias do mundo atual: 1º – o custo de vida é alto e as pessoas prolongam ao máximo o tempo em viver na casa e na dependência financeira dos pais. 2º lugar- o mundo da fantasia está tão avançado e evoluído que abarca os adultos: Como por exemplo, videogame, Playstation, as pessoas querem desfrutar, viajar, se divertir, frequentar baladas, etc. 3º lugar – Há uma confusão, as pessoas se enganam pensando que é isto ou aquilo, ou seja: ou me divirto ou serei um homem sério. Mas há um ledo engano neste pensamento porque é possível construir, ou seja, estudar e se desenvolver como profissional, edificar um relacionamento profundo, longo, duradouro e compromissado, e ao mesmo tempo se divertir – Diria que isto acontece porque muitas pessoas não compreendem que uma vida boa equilibrada ocorre quando podemos transitar nas diferentes possibilidades que a vida nos oferta: brincar, construir, divertir-se, responsabilizar-se, amar sem sentir-se enclausurado nesta relação mas de forma madura, livre e saudável. Em resumo, as pessoas pensam que só há uma maneira de viver, muitos não abrangem que não é isto ou aquilo, mas a vida pode ser isto e aquilo, só é preciso ter bom senso e dosar.

  • · Ela acontece somente entre homens ou também é comum entre mulheres?

Mais entre homens. As mulheres, em geral amadurecem mais cedo e optam por uma vida mais madura e estável. Mas, isto não é regra. Vejo mulheres com mais de trinta anos que vivem em meio as drogas no mundo da fantasia e sem planos para a vida. Isto acontece, tanto em homens como em mulheres, porque quando temos algo em abundancia, seja lá o que for, aquilo vai perdendo a graça, então precisamos mais e mais daquilo para nos satisfazer, e por fim podemos ficar afogados naquilo e mortos para as outras possibilidades (este é o mecanismo dos vícios). No caso da Síndrome de Peter Pan as pessoas mergulham no mundo da fantasia, da não responsabilidade, da brincadeira, enfim do eterno menino.

  • · Qual é a papel dos pais neste processo?

Saber transmitir valores para os filhos é uma arte. Porque se os pais forem severos, rígidos, invasivos em suas colocações podem afastar os filhos de si e estimular que eles se rebelem justamente contra aquilo que os pais tentam incutir.

Quando um pai vê que seu filho está se tornando um eterno adolescente, é o momento de conversar, dialogar, questionar com afeto, nunca acusando, rebaixando ou “jogando pedras”, porque quando a gente joga pedras o outro põe um escudo. Ouvir em primeiro lugar o que o filho tem a dizer sobre o estilo adolescente de vida que leva, e depois conversar. Entrar na questão do isto e aquilo, ou seja, é possível se divertir e construir e crescer e também ser criança, e se for assim, a diversão é bem melhor, porque tudo que existe, só existe no contraste, por exemplo: Só há claro porque há escuro, só há o bonito porque existe o feio, só existem férias porque trabalhamos, caso contrário, as coisas perdem o valor. Se a conversa for produtiva, ótimo, caso contrário, seria útil buscar ajuda profissional (psicólogo), mas o filho precisa desejar ser ajudado, se não quiser, não funcionará.

 

  • · No que ela prejudica seu “portador”?

Na vida intelectual, profissional e afetiva, de um modo geral. Porque nós construímos quando levamos a sério e nos responsabilizamos.

  • · Como é a forma correta de se livrar desta postura?

Saber que é possível brincar, se divertir e viver no mundo da fantasia e na mesma medida ser responsável, planejar e construir objetos de vida: trabalho, estudos, casamento e família. Que uma possibilidade não anula a outra no nosso jeito de ser. Que é muito bom que a criança que vive em nós nunca morra, mas também que o nosso lado criança não tome conta da nossa faceta adulta impedindo-nos de realizar.

É útil e produtivo ter consciência que a melhor maneira de viver a vida é transitando de forma equilibrada e saudável dando voz aos diferentes Eus que habitam em nós. Com bom senso podemos viver nosso lado criança, adulto, adolescente, construtivo, responsável, brincalhão, sério, maduro, inconsequente… Cada aspecto de nós encontrará seu momento para emergir. Assim a vida ficará bem mais interessante.

Meus créditos:

Léa Michaan – Psicanalista.

Pós-graduada em Psicoterapia Psicanalítica pela USP;

Mestre em Psicologia Clinica pela PUC – Atende crianças, adolescentes, adultos e casais.

Autora do livro Maly da Primavera Editorial – Romance envolvente e inspirador – Impossível não virar a página (segundo depoimentos de leitores).

Blog – https://psicologaresponde.wordpress.com/

Anúncios

20 de Julho de 2012 - Posted by | sindrome de Peter Pan

21 comentários »

  1. O que podemos fazer para superar isso? Como cortar o cordão umbilical e viver como aduto?

    Gostar

    Comentar por Regiane | 20 de Julho de 2012 | Responder

    • Em primeiro lugar aceitar que estamos nos esquivando de crescer, em segundo lugar por meio de um diálogo interno tomar a decisão de crescer, em terceiro lugar, encontrar dentro de nós os medos em crescer, o que está nos impedindo para tornarmos-nos mais responsáveis, maduros e adultos. Por fim, ter consciência que ser responsável, construtivo, planejar o futuro, e se tornar adulto, não nos impede em manter viva a criança que vive dentro de nós. Porque há momento para ser criança e momento que é bom sermos adultos. Muitas vezes a pessoa não quer crescer porque não confia nas proprias capacidades e recursos, mas só há uma maneira de desenvolve-las – treinando!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 20 de Julho de 2012 | Responder

      • Gostei muito da sua opinião 🙂

        Gostar

        Comentar por Anna | 13 de Dezembro de 2015

      • Obrigada!
        Um beijo,
        Léa

        Gostar

        Comentar por leamichaan | 22 de Dezembro de 2015

  2. boa noite meu namorado esta com esta sindrome e eu estou sofrendo com a imaturidade dele o que eu faço?

    Gostar

    Comentar por roberta | 29 de Setembro de 2012 | Responder

  3. adorei o post, muito didático! também sou psicóloga e tomei a liberdade de linkar seu post no meu blog que abordei um pouco esse tema recentemente. se for algum problema, me avise que removo. grata

    Gostar

    Comentar por karaisa | 12 de Junho de 2013 | Responder

    • Fique a vontade para linkar o que quiser. Fico feliz que tenha sido útil, um abraço, Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 12 de Junho de 2013 | Responder

  4. Isso não é uma doença. A idéia estúpida de criança e adulto é a doença aqui. O trabalho e as responsabilidades não são necessários para sobreviver, a natureza nos oferece tudo o que precisamos; no lugar de sobrevivência conseguimos conforto. Essa hipocrisia imposta pelo sistema nos faz trabalhar a vida toda depois da fase infantil de nossas vidas e nos acaba tanto psicologicamente quanto fisicamente. Não caiam nessa baboseira de responsabilidade, devemos ser fiéis apenas a nós mesmos e ao planeta que nos dá sustento. Tornar-se adulto não passa de uma concretização do processo de alienação que o sistema sutilmente impõe às pessoas para que seus cofres continuem sendo alimentados.

    Gostar

    Comentar por Willyan Cavalcanti | 14 de Setembro de 2013 | Responder

    • Bem, nesse caso, você não precisa de um computador e, muito menos, internet. O que o impede de deixar todo o conforto de lado e viver a vida que acha ideal? Se você tenta viver em um estilo de vida que não condiz com sua natureza e acaba fracassando, tudo bem, você tentou. Agora se você nem tenta se arriscar em um estilo de vida da que acha perfeito, aí sim você é um fracassado.
      Abs.

      Gostar

      Comentar por Marcos | 28 de Dezembro de 2015 | Responder

  5. Muito obrigada, me ajudou muito mesmo!

    Gostar

    Comentar por Melissa | 2 de Outubro de 2013 | Responder

  6. TBM TENHO ESSE POBLEMA, TENHO RESPONSABILIDADE E TUDO SOU + INFANTIL NA PARTE SEXUAL E INSEGURO Ñ ME EXPONHO DA FORM QUE QUERIA, E VIVO EM BUSCA DE UMA INFANCIA Q Ñ ACONTECEU, OQUE DEVO FAZER P/ CRESCER POR COMPLETO?

    Gostar

    Comentar por PABLO RICHARD CAMPOS | 25 de Novembro de 2015 | Responder

    • Só o fato de você reconhecer esta questão em você e desejar crescer, já é um bom caminho andado. Agora nesta situação só a experiencia terapeutica vai poder auxiliar você a crescer, reestruturar a personalidade e se tornar adulto, sem perder a alegria da criança que habita em você,
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 25 de Novembro de 2015 | Responder

  7. Olá gostei muito de ler o que escreveu Parabéns 🙂
    Porém… ser adulto é uma grande seca (Tenho 48 anos)!
    A maioria dos adultos ,muitas vezes , contrariamente, às crianças, são fingidas e hipócritas:… e não chamem a isto saberem aplicar regras de pragmatismo…, pois julgam e vivem de aparência e quem foge ao que é “formatado” como sendo normal…transforma-se num “outcast”.
    Se é fácil ser “criança-adulta (o)”? não… mas muitas “criança-adulta (o) são responsáveis. à sua maneira…..simplesmente são diferentes e quem diz que todos temos de ter um compromisso para se ser feliz? A espécie humana não é monogâmica por natureza…. a cultura em que estamos é que nos “formata” … podemos ser felizes como tal, mas infelizmente muitos ficam presos a relacionamentos tóxicos”.
    Na minha óptica, o ideal é tentar aceitar-nos como somos…. tentar ser feliz sem nos magoarmos nem magoar outros…jogando com “as cartas na mesa”:

    Cumprimentos a todos e todas com síndrome de Peter Pan (e às meninas-mulheres chamaria síndrome de “Sininho”
    Abraços

    Gostar

    Comentar por Anna | 13 de Dezembro de 2015 | Responder

  8. Estou muito triste pois não quero crescer não sei mais o que faço parece que fico triste todos os dias por isso hoje fiz doze anos e as pessosas me dando parabèns e eu super triste so falo – Obrigada , com um super desanimo não sei mais oque fazer😢😣😢😦😧😩😥

    Gostar

    Comentar por manu | 29 de Março de 2017 | Responder

    • Com 12 anos! Você ainda é criança! Pode brincar e se divertir pra valer com os seus amigos!
      So se preocupe em crescer com dezoito! E nunca deixe morrer a criança que habita em você!
      Vai se divertir e ser feliz!
      Tem muito tempo pra se preocupar em crescer! Agora você tem que se preocupar em se divertir e brincar!

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 4 de Abril de 2017 | Responder

  9. Por favor, aproveite seus 12 anos, eu tenho 16 mas quando tinha 12 também pensava assim, na verdade desde os 10 (acho q essa síndrome de Peter Pan começa geralmente no início da pré-adolescência). Sei como é chato, eu fico querendo voltar ao passado a todo momento, e fico pensando ”o q não daria para voltar no tempo”, sabe eu gostaria muito de ter 12 anos agora, eu sei q dizer isso não vai adiantar pq se alguém mais velho me falar ”aproveita, eu queria tanto ter 16 novamente, vc é tão jovem”, eu não iria acreditar e não iria adiantar nada. Além de querer voltar ao passado eu tbm fico desejando ter nascido há menos tempo. Esse tipo de pensamento é excepcionalmente cruel, e eu sei q quando eu tiver 20/25/30 vou querer voltar aos 16, mas é dificil aproveitar o momento, eu não consigo, como eu gostaria de ainda ser um bebê. A vida adulta é cruel, ser tratado como responsável é igualmente cruel, somos jogados no mundo mesmo q não queiramos, não há escolha, e isso me mata por dentro. Se me sinto assim aos 16, imagina aos 30, quando eu tinha 13/14 anos já me sentia velha e não queria crescer mais, e a pressão das pessoas( profs, pais, sociedade em geral) só piora isso, aí agora q já se passou um tempo desde essa época e é possível ver a situação de fora, eu enxergo q na vdd eu era muito jovem, mas ninguém falava isso, na escola diziam q já éramos quase adultos, em casa tbm, em todo lugar, mas não éramos, éramos sim crianças. Aos 13 anos fui chamada de tia por uma criança de 5 anos, isso é tão doloroso.

    Gostar

    Comentar por Lara Fernanda | 24 de Abril de 2017 | Responder

    • O tempo passa muito rápido

      Gostar

      Comentar por Lara Fernanda | 24 de Abril de 2017 | Responder

      • Sabe parece q foi ontem q eu tinha 12 anos, as lembranças estão frescas em minha memória, mas lá se foram quatro anos inteiros q se passaram sem q eu pudesse ver, e agora estamos aqui, as coisas mudadas, difíceis de aceitar. Se houvesse uma maneira de voltar no tempo, ou fazê-lo passar muito lentamente, eu faria qualquer coisa.

        Gostar

        Comentar por Lara Fernanda | 24 de Abril de 2017

      • Lara você esta com o pensamento obcecado no passado!
        Estar aqui no presente é muito bom!
        Viver o presente e se entregar a ele é o único jeito de estar viva!
        Faça esta experiência, esforce-se para viver o momento presente e seja feliz,
        Um abraço,
        Léa

        Gostar

        Comentar por leamichaan | 28 de Abril de 2017

      • Por isso curta o seu tempo de vida ao MAXIMO!

        Gostar

        Comentar por leamichaan | 26 de Abril de 2017

    • Lara querida como você escreve bonito! Você ja pensou em ser escritora e em seus livros viver a personagem na idade que você deseja?!
      Procure viver o presente ao máximo!
      Você sofre de melancolia que é viver o pesar que o passado acabou e isto “mata” o seu presente!
      Esforce-se para viver o momento presente!
      Um abraço,
      Léa

      Gostar

      Comentar por leamichaan | 26 de Abril de 2017 | Responder


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: