Psicóloga Responde

Dicas úteis para o dia-dia

Carência afetiva, como curar-se deste mal?

Neste video compartilho dicas para preencher nosso vazio e nossa carencia por meio das várias pessoas que nos rodeiam, dos elementos da cultura e dos diferentes objetos do mundo. Te convido para checar e refletir.

Anúncios

30 de Outubro de 2014 Posted by | carencia afetiva | | 2 comentários

Carência afetiva

Tenho recebido muitas cartas em que este tema é o problema central dos meus leitores, por isso escrevo algumas linhas para aqueles que se sentem carentes. E atire a primeira pedra quem não sofre desse mal. Todos nós seres humanos sofremos, às vezes mais, outras vezes menos de carência afetiva.

Que situação difícil quando a pessoa de quem gostamos é colega de trabalho ou o teu vizinho, então você o vê direto. E agora? Não dá pra mudar de casa ou de trabalho. O que fazer?

Bem, vamos pensar. Pelo que parece, nestes casos, ele gosta de você como amiga, então não é o caso de lutar para conquista-lo porque daí você estará dando murro em ponta de faca. Pode acabar perdendo tempo, colocando muita energia em algo que já está perdido, e o pior, se desvalorizando.

Dizer: “você tem que partir pra outra”, é muito fácil, o duro é fazer isto.

Mas, para te ajudar, vou te contar alguns segredos:

1-      Você sabia que a gente escolhe gostar ou não gostar de alguém?

2-      Você sabia que ficar pensando nele e devaneando com ele é perder tempo e oportunidades em investir em alguém que de fato vale a pena?

3-      Você sabia que provavelmente você nem gosta do vizinho, ou do colega de trabalho em si, mas da imagem que você criou dele? Provavelmente você o idealizou e na vida real ele é muito diferente do que você idealiza, porque nada pode ser perfeito, sem defeitos ou falhas como acontece dentro das nossas ideias, então possivelmente você iria se decepcionar.

4-      Outra coisa, você o quer justamente porque ele não te quer, então ele se transformou num desafio pra você. Se ele te quisesse, acabaria perdendo a graça.

5-      Além disso, quando você pensa nele, você sofre. Então porque você acha que pensa tanto assim nele? Será que não é um pouco de masoquismo?

 

Querida amiga; Sugiro que você leia e releia o que te escrevi, depois tente colocar isto em prática e libertar-se deste “suposto” amor platônico que te aprisiona no qual você está enclausurada, não sobrando energia para investir num amor real e deixando você livre para viver um amor de verdade no qual você será correspondida e poderá dar e receber todo o amor que merece!

Sucesso!

Um abraço,

Léa

 

11 de Setembro de 2012 Posted by | carencia afetiva | 12 comentários