Psicóloga Responde

Dicas úteis para o dia-dia

Ciumes – Lidando melhor com este doloroso sentimento (entrevista concedida a revista Malu)

Esta entrevista concedi à revista Malu e teve ótima repercussão! Desejo aos meus seguidores que as dicas auxiliem a lidar melhor com o ciumes que queima. Boa leitura e não esqueçam de colocar as dicas em prática!

1- Até quando o ciúme pode ser considerado normal?

Sentir uma pequena dose de ciúmes pode ser sinal que valorizo a pessoa amada, e sinto uma dorzinha de cotovelo quando a vejo com outra pessoa. Este é um ciúme normal. O ciúme começa a sair do normal quando você coloca a sua autoestima nas mãos da pessoa amada, ou seja: se ele ligar = sou maravilhosa, ótima, linda, e vou me amar. Se ele não ligar = sou horrível, péssima, horrorosa, e vou me odiar. Isto é um delírio, porque se ele ligar ou não você é a mesma pessoa. Então, porque isso acontece? Porque você é insegura e não conhece a si mesma. Portanto, você dá poder ao outro para definir quem você é. Em outras palavras, você só consegue se enxergar no olhar especular do outro. O olhar do outro reflete quem você é. Só que como não podemos ler o pensamento do outro, ficamos muito inseguras. Será que ele gostou? Achou-me bonita? Será que eu basto para ele? Sou suficiente? Para responder estas questões ficamos com o celular na mão esperando desesperadamente que ele ligue. Ou nos procure nas redes sociais. Assim o celular e o computador se transformam em objetos de tortura. E perdemos tempo precioso da vida vasculhando as redes sociais dele e contando nos mínimos detalhes o que aconteceu para as amigas para que elas nos digam se ele gosta de mim ou não. Precisamos desesperadamente da opinião de outra pessoa. Enfim, o ciúme sai do normal quando atrapalha minhas tarefas diárias, minha concentração, minha produção, quando queima dentro de mim e percebo que passo a maior parte do dia ocupada com neste ciúme.

2- O que você diz sobre a máxima “quem procura acha”? A menina pode imaginar coisas fora do alcance da visão e do real?

De fato, quem procura acha mesmo, mas tudo dentro da sua cabeça e você projeta suas fantasias para fora acreditando em sua imaginação. Isto acontece porque o ser humano é o único animal dotado da capacidade de pensar e raciocinar. Nós podemos usar esta capacidade tanto para coisas positivas, como por exemplo, resolver problemas. Quanto para coisas negativas, por exemplo, criar problemas. A mente da pessoa não para, ela trabalha o tempo todo, e se não for pro bem – de forma útil e construtiva, será pro mal, fantasiando histórias e sendo destrutiva.

Muitas vezes as meninas são inseguras ou possuem baixa autoestima e por isso não se sentem merecedoras do amor do menino. Então ficam buscando comprovar para si mesmas a teoria que criaram sobre si. Elas fazem associações e acreditam piamente isso ou daquilo comprova que ele traiu. Ou ficam sufocando o menino, ou obcecadas pensando nele, e não sobra mente para serem criativas, e nem boa companhia. Isto faz com que o menino realmente se afaste dela. Então, como uma bola de neve a autoestima piora, a insegurança piora e a menina afunda mais e mais na destruição dos relacionamentos. O que fazer? Perceba-se. Pergunte a si mesma: Pra que preciso controlar as redes sociais dele? Pra que preciso vasculhar a vida dele? Por que não me sinto merecedora do amor dele? Por que minha autoestima esta baixa? A resposta é: Se você passa o tempo todo atrás dele, você acaba não tendo uma vida interessante. E sua autoestima cai, mais e mais. E você fica mais e mais insegura. Tente canalizar sua energia em atividades que façam você se sentir realizada. Isto aumentará sua autoestima e segurança. Além de tornar você uma garota interessante, produtiva e criativa.

3- O que você aconselha na identificação do que é traição e do que é ciúmes na internet?

Internet é um instrumento maravilhoso e na mesma medida terrível!

As pessoas usam a internet para investigar, bisbilhotar, se exibir, rebaixar o outro, fazer ciúmes, enfim, neste aspecto é um problema!

Ciúmes na internet é vasculhar, bisbilhotar, fuçar, mexericar e futricar. (perder tempo precioso da vida nisso) Acontece para pessoas possessivas e inseguras. Muitas pessoas não sabem ter uma relação triangular. Elas não concebem que o rapaz pode falar com outras meninas e continuar gostando da namorada. Elas só conseguem ter uma relação dual. Isto é a dois – Ou eu ou ela, não entendem que é eu – namorada e também ela – amiga.

Traição – é deslealdade e infidelidade. Se estes sinais estão claros na internet. Ou ele publicou isto para te fazer ciúmes, ou ele quer terminar o namoro. Caia fora e dê graças a Deus que ele não te enrolou mais. Se você tem duvidas, então converse ao vivo e com muita sinceridade. Se ele quer fazer ciúmes é sinal que ele gosta de joguinhos. E você também gosta? Será que é uma maneira boa de relacionamento? Penso que não. O melhor é ser verdadeiro, autentico e sincero.

A atual geração está aprendendo a se relacionar virtualmente e na mesma medida desaprendendo a se relacionar de verdade, no calor de um encontro em carne e osso. Muitas vezes vemos um grupo de jovens sentados geograficamente próximos, mas todos com a cara no celular, se comunicando virtualmente com quem está longe. As pessoas não olham nos olhos umas das outras, estão perdendo a capacidade do encontro vivo. E manipulam uns aos outros e também a si próprios (de forma inconsciente) virtualmente. Por meio da internet é impossível saber se ele está traindo ou só querendo fazer ciúmes. Penso que quem trai esconde. Portanto não vai publicar na internet. Não é mesmo?

Estes jogos de relacionamento virtuais impedem que as pessoas se relacionem de verdade. Penso que até hoje não inventaram nada melhor do que uma boa e sincera conversa ao vivo! Neste ponto a internet que é uma ótima evolução tecnológica para pesquisas e ajudar as pessoas a se encontrarem, entre outras coisas, esta  declinando e deteriorando a capacidade do ser humano nas habilidades sociais e afetivas.

Anúncios

20 de Fevereiro de 2012 Posted by | ciumes - aprendendo a lidar com este doloroso sentimento | 4 comentários