Psicóloga Responde

Dicas úteis para o dia-dia

De onde nasce a nossa infelicidade?

Nossa infelicidade nasce da comparação!
Ao nos compararmos com outra pessoa, vemos o que esta pessoa tem ou é, então percebemos que nem temos o que ela tem e nem somos quem ela é, e ao voltar o olhar para nos mesmos sentimo-nos reduzidos, esvaziados, pequenos e empobrecidos. O olhar envenenado pela inveja destrói o que temos de bom. O olhar invejoso colocado na riqueza do outro e depois voltado para nós através da comparação se transforma em nossa pobreza. Este olhar intoxicado comunica: ele é rico e bonito e eu sou pobre e feio. Neste ponto o amor por nós mesmos se transforma num amor triste. Aí nasce a auto piedade: Já que não posso ser objeto de amor pela minha exuberância, ofereço-me à comiseração alheia, que seja amado pela minha miséria. A comiseração nasce do narcisismo; Já a sabedoria nasce do reconhecimento do que temos de bom, para o invejoso, isto é impossível porque ele está insatisfeito a maior parte do tempo. Não importa o que ele tenha, ele queria ser sempre maior e melhor do que é!
Vamos parar de nos lamentar, nós já desperdiçamos muito da nossa preciosa vida com lamurias. Quando esperamos coisas grandiosas temos a sensação de que a vida não faz sentido e ela se torna uma grande desilusão.
Para não cairmos nesse circulo vicioso de infelicidade, lanço uma pergunta: Qual é o sentido da vida? Simplesmente viver! É Viver por viver e saber que a vida é curta e que cada momento está repleto de possibilidades, beleza e amor, que ele nunca mais se repetirá e só nos resta agarra-lo e bebe-lo como se fosse a última gota de um delicioso elixir. E assim será!

Anúncios

8 de Junho de 2015 Posted by | para ser feliz | | 1 Comentário

Como ser feliz? Outro caminho para a felicidade!

Para encontrarmos a felicidade precisamos refletir sobre o que acontece em nossa vida que nos faz infeliz. Em minha experiencia clinica e pessoal, vejo duas razões básicas para a infelicidade: 1- frustração e 2- A dor de ver que os outros possuem algo que desejamos e não temos (vulgo: inveja. Não utilizei esta palavra porque ela é carregada de preconceito. Todos nós sentimos inveja, mas não admitimos porque na crença popular ser invejoso significa ser mau, mas não é, a inveja é um sentimento humano que nos consome e nos destrói. Contudo é precisamos ter em mente: se somos humanos e temos veias por onde corre nosso sangue, então temos inveja. Ainda não nasceu uma pessoa que não tenha inveja ou que não tenha todas as características humanas. O que nos difere uns dos outros em termos de sentimentos é só uma questão de grau.)

Assim sendo, seria bom aprendermos a lidar com a frustração e inveja. Comecemos pela frustração, acontece quando o inesperado estraga nosso planejamento, como por exemplo, más notícias, um furo no pneu, quando chove na praia ou a nota que recebemos pela prova que tanto nos preparamos não foi boa. Para lidarmos melhor com as frustrações e não ficarmos tomados de raiva, precisamos desenvolver a capacidade de compreender que viver é estar a deriva, isto significa que não temos controle sobre a vida. Sabendo disso, só nos resta pensar com cautela para tentar fazer as melhores escolhas, as que nos pareçam construtivas e então, desenvolver a predisposição para receber o que a vida nos trouxer. Em geral as boas escolhas trazem resultados positivos, mas nem sempre. Saber aceitar uma perda é ganhar!

A inveja é algo bem difícil de lidar. Ela transita em todos nós e penetra em nossos poros assim como uma peste porque a inveja é a pestilência dos sentimentos. A origem da inveja é a certeza de que somos o centro do universo e que todo o bem cabe a nós, caso alguém receba o bem ao invés de nós, então é injusto. Este bem dado a outro que não a nós foi roubado de nós, por isso sentimo-nos roubados e injustiçados quando alguém recebe algo bom e nos não. A injustiça parece tão gigantesca que somos impelidos a destruir o bem alheio para fazer justiça. Todo este processo é inconsciente e só sofremos a dor. Agora temos consciência da inveja e isto pode nos ajudar a lidar melhor com ela. É útil saber que a grama do vizinho sempre é mais verde, mas isto é uma ilusão. Combatendo a frustração e a inveja. Ou dizendo de outra forma, deixando de colocar nossa energia na raiva provocada pela frustração e a ingratidão gerada pela inveja, voltamos nossa energia para nossos interesses, e para a construção de nossa vida. Ao retirar nossa atenção do outro e devolve-la à nós mesmos conseguimos enxergar nossa “grama verde” e sentir o oposto da inveja, que é a gratidão e consequentemente a felicidade.

 

Léa Michaan,

19/07/2013

19 de Julho de 2013 Posted by | segredo para a felicidade | | 7 comentários