Psicóloga Responde

Dicas úteis para o dia-dia

Frustração

Hoje vou falar sobre a frustração por ser uma qualidade emocional que nos trás muito sofrimento, e ter consciência de tudo aquilo que nos faz sofrer é o único meio de nos curarmos dessa dor, já que a consciência tem o poder alquímico de sanar nossas feridas emocionais e psicológicas transformando sentimentos e energias tristes, hostis e adoecidas em sentimentos e energias serenas, alegres e saudáveis.

Agora vamos iniciar a alquimia da frustração:

Primeiro precisamos ter consciência que a frustração gera ódio porque antes de nos frustrarmos nós havíamos criado alguma expectativa, e se criamos expectativa é porque necessitamos algo para preencher algum vazio que aparece em forma de anseio, desejo ou necessidade, e por isso, investimos nossa mente, nosso corpo, nossos orgãos dos sentidos, nosso afeto, nossa energia e o nosso tempo em direção há algo imbuído de esperança.

No entanto, quando deparamos com a realidade, ela se mostra muito aquém do que esperávamos, “damos com os burros na água”, ou seja o objeto não correspondeu a expectativa. É este o momento da frustração. A frustração é a energia gerada da expectativa não correspondida!

Quando isso acontece, perdemos a esperança e toda a energia que era expectativa e que foi investida neste propósito de satisfação transforma-se em ódio ou raiva porque a energia não se dilui, só se transforma. Pode até se transformar em serenidade, mas sempre há transformação!

Em outras palavras, a frustração é gerada pelo anseio em obtermos uma energia positiva e saudável provinda do objeto investido dos nossos maiores bens e sofremos o golpe abrupto de termos depositado nosso patrimônio numa ação falida. Então, sentimo-nos roubados como se estivéssemos investido nosso mais precioso bem em algo que se revela uma fraude!

Em outras palavras, a frustração gera tanto ódio porque é o roubo ou o sequestro de nossa mente e do nosso coração. Por isso há tanta dor!

E o sofrimento aumenta quando transbordamos este mal estar para o ambiente, porque daí nossa conduta é uma decepção é um golpe na nossa imagem para nós e para os outros.

Agora que estamos mais conscientes sobre o processo de frustração podemos lidar melhor com esta bruxa chamada Frustração que surge em nós cada vez que damos com os “burros na água” e nos enfeitiça, ou melhor, a partir de agora, nos enfeitiçava de raiva.

Léa Michaan,

31/03/2017

31 de Março de 2017 Posted by | Sem categoria | 3 comentários

Meu canal do Youtube

https://www.youtube.com/LeaMichaan
Vocês pediram e agora saiu o meu canal do youtube!

É só se inscrever e receber cada video novo que eu postar falando sobre TUDO que pode ajudar você a se relacionar melhor com o mundo, com a vida, com o outro e principalmente com você mesmo!

27 de Março de 2017 Posted by | Sem categoria | 5 comentários

O que é necessário para uma pessoa se transformar

A Bela e a Fera

Este belíssimo filme além de apresentar lindos cenários, musicas, figurinos e efeitos especiais nos inspira várias reflexões que possibilitam enxerga-lo com lentes que podem transformar nossa visão e relação com o mundo.

A Bela e a Fera conta a história de um príncipe egoísta e cruel, que cobrava muitos impostos para obter objetos luxuosos. Até que numa noite de tempestade em que realizava um luxuoso baile no castelo, uma velha pede abrigo oferecendo uma rosa como pagamento. O príncipe nega e ela se transforma numa linda feiticeira que transforma o príncipe numa fera horrenda e as pessoas do convívio do príncipe em objetos do castelo. Daí pra frente vale a pena conferir o desenlace da história por si mesmo.

Agora, convido você à lançar um olhar através do viés psicanalítico e interpretar a simbologia que foi apresentada neste filme dotado de grande sensibilidade.

A figura da feiticeira representa as circunstancias da vida e dependendo da maneira que lidamos com estas podemos nos tornar belos príncipes ou feras horrendas. Esta metáfora nos comunica que uma bela pessoa não é aquela que se veste com seda e jóias, mas aquela que trata os outros com consideração e compaixão é isto que pode transformar uma pessoa num “belo príncipe”. Em contrapartida, aquele que humilha, despreza e avilta a dignidade das pessoas, pode até ter o rotulo de príncipe, no entanto, não passa de uma fera horrenda.

Continuando nosso passeio psicanalítico pelo filme podemos compreender que as pessoas transformadas em objetos representam aqueles que se vendem, os puxa-sacos que circulam pelo castelo e perderam a humanidade e a dignidade, tornando-se pessoas que se “coisificam”.

Outro ponto interessante a observar é que lá sempre é inverno, isto comunica que o clima e a atmosfera de um ambiente está relacionado muito mais com o calor ou a frieza humana, do que com a temperatura dos termômetros climáticos.

Por fim, para que a fera se transforme num belo príncipe, e os objetos voltem a ser humanos, é preciso que a fera desenvolva a capacidade de amar e inspirar o amor de alguém. A mensagem é óbvia: para ser humano, é preciso saber amar e ser amado. Contudo, para que isto aconteça há um tempo limitado, representado pelo tempo de vida de uma rosa que representa a limitação do nosso próprio tempo de vida. Este é um alerta para nós que achamos que a vida é eterna e que não precisamos nos apressar em viver de forma afetiva e satisfatória o presente.

Agora convido a todos a assistir ao filme e refletir sobre nossa própria possibilidade de transformação!

Léa Michaan

20/03/2017

http://www.planocritico.com/wp-content/uploads/2017/03/a-bela-e-a-fera-2017-plano-critico-600×400.jpg

20 de Março de 2017 Posted by | Sem categoria | 8 comentários

http://www.planocritico.com/wp-content/uploads/2017/03/a-bela-e-a-fera-2017-plano-critico-600×400.jpg

20 de Março de 2017 Posted by | Sem categoria | Deixe um comentário

Como você enxerga o mundo? 

https://youtu.be/wkCoQd5dLko
Este vídeo ajudará a transformar sua forma de ver a vida, o mundo, o outro e a si mesmo!

19 de Março de 2017 Posted by | Sem categoria | 4 comentários

Como esquecer um amor não correspondido

16 de Março de 2017 Posted by | Sem categoria | Deixe um comentário